História Only You - Larry Stylinson ABO - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Larry Stylinson
Visualizações 55
Palavras 1.309
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie, olha só quem resolveu aparecer?! A Margarida! Brincadeira gente, me desculpem a demora, ando meio doida ultimamente e sem cabeça pra escrever, me perdoem, não vou abandonar a fic, até porque ela terá poucos capítulos e por isso vou tentar terminar ela logo.

O capítulo tá pequeno, mas prometo que vou tentar postar amanhã.

Espero que gostem! 😚

Capítulo 3 - 03


Harry continuou olhando aquela cena em sua frente, parecia uma miragem. Louis, o garoto pelo qual sempre foi apaixonado, estava ali na sua frente o implorando para fode-lo enquanto tentava se saciar com seus dedos curtos em sua entrada. Ele tentou ser forte e sair correndo dali mas não era qualquer ômega, era Louis, o amor da sua vida, a pessoa pela qual sofreu por dois anos achando que era um beta e que não poderiam ficar juntos.

Mandou sua consciência para puta que pariu e arrancou sua roupa do corpo numa rapidez descomunal que jurou que ouviu elas rasgarem e não perdeu tempo, puxou o menor pela cintura e prendeu suas mãos nos quadris de Louis que gemeu de expectativa. Se olharam por um segundo e Harry não perdeu tempo ao beijar os lábios finos e macio de Louis.

- Você tem certeza? Eu não me importo de esperar. - Perguntou separando seus lábios e olhando as duas esferas azuis que o ômega tinha no lugar dos olhos.

- Não importa que minha primeira vez seja no cio, contanto que seja com você. Eu amo você. E se você não se importa eu não  quero perder mais um segundo, me fode logo! - Mexeu seus quadris de encontro com o de Harry que apenas gemeu em resposta. - Não se preocupe comigo.

Com isso Harry jogou Louis na cama e em seguida se encaixou no meio de suas pernas, dava pra ver claramente a entrega rosada de Louis completamente molhada e implorando para ser peneirada. Sentiu seu membro crescer ainda mais e mordeu os lábios prendendo mais um gemido e se colocou entre as pernas dele e lambendo com vigor naquela região, ouviu um gemido alto de Louis e sorriu se deliciando com o momento e com o gosto dele na ponta da sua língua.

- Harry... ahh, vamos pular essa parte por favor, eu não aguento mais, por favor.

- Ok, apenas por que eu já não posso esperar mais, meu amor. Não  temos preservativo.

- Foda-se! Me fode logo!

Sem pensar nas consequências, Harry o penetrou devagar e com cuidado, não queria machucar seu Lou. Pôde ouvi e ver a feição do menor sob si enquanto o penetrava, ele era apertado e Harry pensou que não duraria muito se continuasse nesse ritmo.

Enquanto o penetrava como se sua vida dependesse disso e dependia fato dependia, Harry sentiu seu nó chegando e junto com isso seus caninos se apareciam para seu desespero. Ele não queria marcar Louis sem sua permissão, mas o seu lado animal, o alfa dentro de si estava dominando sua mente o deixando cego, só conseguia focar em morder - lo e fazer - lo seu, para sempre. Assim ninguém nunca mais iria querer tirar - lo disso e si. Agarrou fortemente no maxilar do ômega o fazendo olhar em seus olhos, o garoto percebeu o seu caninos do outro preparado para mordê -lo e aquilo o assustou um pouco. E se doer muito? E se sangrar bastante? Sim, apesar de ser o momento mais prazeroso e maravilhoso de sua vida ele conseguiu pensar nessas possibilidades. Enquanto gemia coisas  desconexas o maior investia cada vez mais rápido e com força contra sua entrada, em determinado momento o alfa apertou ainda mais sua mão contra seu maxilar e ao mesmo tempo o afundando seu rosto contra o pescoço desprotegido e sentiu sua respiração quente contra sua pele desnuda e suspirou com antecedência.

- Harry... - Sussurrou com a voz trêmula de prazer e de medo. Harry pareceu não se importar com seu chamado e raspou seus dentes afiados numa veia da área. Não era que ele não queria a marca, muito pelo contrário, ele queria muito, só estava com medo. Então fechou os olhos e esperou pela dor da mordida que nunca veio.  - Vou gozar ...

- Então goza para mim, amor. - Disse como se tivesse saindo de seu transe de segundos atrás e continuou investindo forte causando um explosão de prazer em Louis que gritou quando chegou ao seu ápice mas não sendo completamente saciado sem o nó de Harry.

- Vou gozar também. - Tentou tirar seu membro de dentro do menor que o prendeu com suas pernas ao redor de seus quadris. - Amor?...

- Eu quero dentro. 

- Tem certeza? O nó pode doer. - Olhando um para o outro Louis concordou e Harry não pensou duas vezes. Louis sentiu- se completamente saciado com o nó de Harry dentro de si os prendendo um no outro por alguns minutos. Sentiu o líquido quente dentro de si e sentiu seu rosto arder de vergonha e desviou seu olhar do de Harry, já que voltou ao seu estado de lucidez por algumas horas, não teria a necessidade de ter um pau dentro de si.

Era difícil não sentir vergonha, depois de tudo que fez e falou naquele estado, queria cavar um buraco e se enterrar, mas nem isso podia pois teria que levar Harry junto já que estão grudados. E tudo piorou quando lembrou que Harry não o mordeu, por um momento achou que isso ia acontecer, mas pelo que pareceu Harry não queria. Seu semblante se entristeceu e o alfa não pode deixar de notar.

- Louis, você está bem? - Tentou virar seu rosto para voltar encarar -lo mas Tomlinson não deixou. - Você se arrependeu?

- Não! Eu só tô confuso.

- Confuso com o quê?

- Por um momento eu achei que... que fosse me morder... Mas você não mordeu e...

- Eu quase mordir, mas eu me controlei o máximo que pude, não queria te marcar sem sua permissão, amor.

- Mas eu... ai!

- Não se mexe, eu disse que poderia ser doloroso. - Harry sentia seu pau pulsando junto com a entrada rosada e molhada de Louis.

-  Tá gostoso, não se preocupe. - Sentiu olharam e sorriram em seguida, se beijaram até sentir o pau de Harry diminuindo.

Assim que seu membro voltou ao normal, Harry o retirou de Louis e viu seu líquido escorrer e sujar todo o lençol.

- Vamos tomar um banho e comer algo, você precisa repor suas forças para aguentar os cinco dias.

- Tinha esquecido disso. - Choramingou enquanto levantava da cama sentindo seu corpo reclamar de dor e sua entrada já dolorida. Fez careta olhando para Harry que riu sem querer.

- Estamos só começando, amor.

Depois de devidamente tomados banho e ter comido, a mãe de Louis chegou, entrou em casa a passos de tartaruga para se certificar de que os meninos estão bem e se estão se cuidando. Eles estavam deitados pensando em tudo que aconteceu. De uma hora para outra Louis era um ômega, apesar de ter passado do tempo, mais precisamente dois anos do que deveria ter acontecido seu primeiro cio, isso raramente acontece, é pouco provável mas não impossível como deu para ver.

Jay ti há chegado em casa com as crianças e para sua surpresa e espanto, ouviu gemidos no quarto de seu filho e como já desconfiava, ele entrou no cio, ela percebeu que a algum tempo Louis vinha apresentando uns comportamento diferente, além das coisas que ele relatava para ela, das dores e enjôos, além de sempre perceber como os alfas ficam próximos dele.

Ela nunca sentiu tanta felicidade ao perceber que Harry quem estava o ajudando durante esses dias difíceis para qualquer ômega, ter que passar o cio sozinho com brinquedos de borracha que não saciam ninguém, os ômega precisam de um nó e somente os alfas são capazes de lhes dar. Jay só espera que eles estavam tomando as devidas precauções pois não quer ser avó tão cedo.

Ao perceber que tudo estar certo, que os garotos estão bem e alimentados, ela voltou pra casa de Anne, que é mãe de Harry, onde passará esses cinco dias.


Notas Finais


Até logo! 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...