História Only you - Capítulo 18


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Blackpink, IKON, TWICE
Personagens B.I, Bobby, Chaeyoung, Chanwoo, Dahyun, Donghyuk, Jennie, Jeon Jungkook (Jungkook), Jeongyeon, Jihyo, Jinhwan, Jisoo, Jung Hoseok (J-Hope), Junhoe, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Mina, Momo, Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Rosé, Sana, Tzuyu, Yunhyeong
Tags Abuso Sexual, Tráfico De Pessoas, Vmin
Visualizações 53
Palavras 4.537
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Acharam que eu tinha morrido, né? Ainda não, meus caros amigos ;-;
Adivinhem quem entrou para uma escola militar quase no fim do ano e quase se fodeu...
Eu mesma ;-;
Mas até que é legal, só não gosto de ficar na escola até tarde nas quartas.
Eu tava tentando organizar minha vida e hoje vivo um dia de cada vez
Por isso a demora pra postar.
Vou lhes dizer, esse capítulo doeu na alma enquanto eu escrevia
O porquê vocês só saberão no final
Boa leitura!

*LEIAM AS NOTAS FINAIS, PELO AMOR DE DEUS!*

Capítulo 18 - Simples assim


Fanfic / Fanfiction Only you - Capítulo 18 - Simples assim

É incrível como alguém muda depois que entra em um relacionamento. Muda o modo de agir, de se comportar e até mesmo de falar. Depois que comecei a namorar Taehyung, não só eu mudei como tudo ao meu redor, vale ressaltar que foi para melhor, mas não foi da noite para o dia.


Quando voltei para a Coréia encontrei minha mãe afundada numa tristeza terrível. Demorou, mas ela se recuperou aos poucos e logo já estava devolta com aquele jeito louco que só ela tem. Também teve o julgamento de todos os envolvidos no tráfico de pessoas em Nova York, foram as piores semanas de todas, foi estressante e assustador. O pior de tudo é que eu não podia nem sequer estar no mesmo local que Taehyung, já que: "eu era vítima e não podia me envolver com o policial do caso pois nós poderíamos combinar o que dizer para incriminar os réus", foi o que o advogado de Roseanne disse, até que fazia sentido, mas nunca faríamos isso. O melhor de tudo foi quando o juíz bateu o martelo e disse que todos eram culpados e lhes deu a pena máxima, assim, voltei a dormir em paz.


Faz seis meses que Taehyung e eu namoramos e como disse antes, as coisas mudaram. Eu larguei a internet e passei a focar na faculdade, a maior parte de meus seguidores me apoiou, a minoria dizia que eu tinha que continuar os entretendo. Óbvio que eu não dei a mínima para a minoria. E antes que perguntem, sim, foi ideia do Taehyung.


Não vejo Jungyeon a muito tempo, ela disse que tentaria refazer sua vida em Daegu. Eu e Hoseok ainda nos falamos, mas é pouco. O mais velho conseguiu emprego como coreógrafo em uma empresa de entreterimento chamada Jyp, fico muito feliz por ele.


E Jungkook...ah, Jungkook.


Ele foi afastado da policia por conta do seu envolvimento no crime, quase foi preso, mas Taehyung fez de tudo para isso não acontecer e ele ainda me odeia, mas eu também não dou a mínima. A única coisa ruim é que ele está se engraçando para o lado da minha irmã. Se ele encostar um dedo nela eu o mato sem dó.


[...]


Eu estava sentado no sofá da casa de Taehyung esperando ele descer para irmos jantar fora. Ele demorava muito, então tentei me entreter com algo no celular, mas a internet não estava pegando.


-Ah não, deixaram a porta do chiqueiro aberta - Jungkook falou chamando a minha atenção.


-Cala a boca, embuste...- resmunguei, eu estava sem paciência para provocações - Vocês mudaram a senha do WiFi de novo? 


-Sim, para que certas pessoas, vulgo Park Jimin, não usem.


-Ah,vai se foder. - liguei meu 4G mesmo.


-Eu vou foder é sua irmã. - provocou mais uma vez.


-Olha como fala da minha irmã! Se você encostar num fio de cabelo dela eu corto o seu pau fora e faço você engolir! - Disse bravo, odeio quando ele fala assim de minha irmã. - Eu vou subir.


Me levantei rapidamente indo até as escadas. Apenas a presença de Jungkook faz meu estômago revirar.


Encontrei o quarto de Tae e adentrei nele. Eu ainda achava um pouco difícil andar pela aquela casa, Taehyung à comprou faz uns três meses, mas ainda não me acostumei. E adivinhem qual foi o motivo.


Ficar mais perto de mim.


Bem, não tão perto já que ele mora uns quatro quarteirões da minha casa, para que eu chegue aqui tenho que dar uma boa pernada, mas era a única à venda no meu bairro.


-TaeTae...? - chamei por ele, já que quando entrei não vi ninguém no quarto.


Porém, ouvi a sua voz vindo da varanda. Sim, ele tem uma varanda no quarto.


Burguês safado.


Me aproximei mais e pude ouvir com mais atenção, ele estava conversando numa ligação.


-Ah que saudade de você! Me fala, você 'tá sendo obediente...? - disse todo risonho. - Eu te amo muito, meu anjo, passa 'pra titia...hum, eu contarei à ele hoje...não sei, provavelmente vai querer me matar. - deu outra risada. O que tá acontecendo? - Eu ligo depois, tchau.


-Ligar 'pra quem, Taehyung?- pronunciei e ele deu um pulo assustado. Tae se virou devagar com uma expressão surpresa.


-Eh...Oi, amor. Esse é o moletom que eu te dei? 


-Não muda de assunto! - Esbravejei.


-Querido, não é uma boa hora para falar disso...


-Não Taehyung, é a hora perfeita, vamos desembucha! - cada vez que ele me enrolava eu ficava ainda mais bravo. - Com quem você estava falando? - ele respirou fundo e abaixou a cabeça.


-Com a minha filha...- disse tão baixo que se eu não estivesse atento provavelmente não teria escutado.


-Espera, como assim, Taehyung? 


-Amor, foi 'pra isso que marquei esse jantar, para nós falarmos disso com calma e não desse jeito. - ele esboçava decepção.


-Já que não deu certo vamos falar agora mesmo, vem. - o puxei até a cama para sentarmos. - Pode começar.


-À um ano atrás como você sabe eu passei a ajudar um orfanato. Um dia uma bebê recém nascida chegou lá, vinda de um lar conturbado. Eu me apaixonei completamente por ela por isso decidi adotá-la. - fez uma pausa para respirar e continuou. - Só que eu tinha que esperar ela fazer um ano para que ela possa morar comigo. - com toda aquela informação, eu só queria saber uma coisa:


-Por que não me contou antes?


-Eu fiquei com medo, você disse uma vez que não gostava de crianças. - olhou para mim e eu me senti a pessoa mais estúpida da face da terra. Lembro dessa vez, nós estávamos num parque, então um menino vindo do inferno chutou uma bola bem na minha cara e saiu correndo, rindo igual o capeta. No mesmo instante eu soltei um "odeio crianças". - Mas uma das funcionárias do orfanato me disse para ter coragem, e seria o que tinha que ser. - ele terminou.


-Ah...me sinto um idiota - disse me deitando na cama macia torcendo para que ela engulisse a vergonha que eu sentia. As vezes me pergunto o que Taehyung viu em mim, ele é tão bonzinho e caridoso, já eu, se chegar uma testemunha de Jeová na minha casa eu falto tacar pedra.


-Não precisa disso. - deitou comigo e fez carinho no meu rosto. - Quer ver uma foto dela? - ele perguntou todo animado e eu assenti.


-Qual o nome dela? - perguntei enquanto ele procurava uma foto.


-Kim Minhyung...achei...- me entregou e celular onde havia uma imagem de Taehyung com uma criança no colo. Sua pele era clarinha,seus cabelos escuros, os olhinhos bem puxadinhos e um lindo sorriso banguela com apenas dois dentes encima e dois embaixo. - Ela é linda, não é? 


-Bastante...


-Ela também é muito inteligente, já consegue falar frases inteiras. Ela ainda fala enrolado, mas você entende. - Ele estava empolgado me contando aquelas coisas, eu só sabia rir.


-Mal posso esperar para conhecê-la. - Taehyung sorriu novamente e me deu um selinho.


-Jimin, a reserva no restaurante! - deu um pulo da cama pegando seu blazer com pressa. - Vamos rápido se não a gente vai perder! -me puxou pelo braço. Eu estava muito bem naquela cama.


Taehyung se despediu de Jungkook que assistia Tv e me arrastou para o carro.


Durante todo o jantar eu fiquei em silêncio enquanto Taehyung não parava de falar do trabalho e da semana corrida que teve. Eu apenas assentia e falava "é mesmo?".


Eu estava longe, estava pensando em como seria daqui para frente. Taehyung já não tinha tempo para mim por conta do trabalho e agora com essa filha...ele teria que me deixar de lado.


Talvez eu esteja exagerando, sei lá...


-Jimin! - Taehyung me chamou tirando de meus devaneios. Nós estávamos andando em uma praça, segundo o moreno para fazer a digestão da comida. - Estou falando com você.


-Sim, eu concordo. - falei ainda aéreo.


-O quê? Concorda o quê? Eu perguntei o que você acha do aniversário da Minhyung ser lá em casa. - me olhou estranho.


-Acho que vai ser ótimo, meu bem.


-O que você tem? Você costuma falar mais. - seu olhar mudou, agora estava preocupado.


-Nada - sorri o deixando mais calmo.


-Ah, tudo bem. Como eu estava dizendo, acho que seria legal um tema de princesa...


E nossa noite seguiu assim.


[...]


-Jisoo! Jisoo vamos logo! - gritei para minha irmã que estava no andar de cima. Ela iria me levar de carro no aeroporto, não, ainda não consegui minha carteira.


-Ai, já vou! Eu 'tava conversando com o Jungkook. - disse descendo as escadas, eu fiz um barulho de vômito e aí fomos para o carro.


Depois de tanto tempo, Jungyeon resolveu dar sinal de vida, ela estava vindo para Seul e dessa vez era para ficar. Yeonie, me disse que tinha algo muito importante para falar e que não podia ser por telefone, eu concordei sem questionar.


Chegando no aeroporto, fomos procurar minha amiga. Ela havia me mandado mensagem e dito que estava na praça de alimentação.


-Cadê essa garota? - Jisoo murmurou olhando por toda a estenção daquele local.


-Acho que é ela ali. - apontei para uma mulher virada de costas, usando um vestido florido e com duas malas ao lado. Fomos até aquela mulher, realmente era Jungyeon e para a minha surpresa, ela estava grávida - Wow amiga, você comeu uma melancia inteira? - perguntei brincalhão e ela riu.


-Não usei camisinha, mesmo - respondeu do mesmo jeito e nós três rimos. Jisoo e eu pegamos as malas dela e levamos para o carro


-Então, Yeonie...- comecei enquanto entrávamos no carro - Cadê o pai?


-Na cadeia -disse simples. Eu ainda me impressiono com a naturalidade que ela usa para falar de coisas absurdas


-Com quem você se envolveu?


-Namjoon...- respirou fundo...quê!? - Um dia antes da Polícia prender todo mundo, nós ficamos juntos...estávamos bêbados


-Jungyeon, isso é muito sério. Como você vai cuidar dessa criança? 


-Eu não vou cuidar sozinha, vou fazer ele assumir a paternidade - disse convicta. Só espero que dê certo



Alguns dias se passaram, Jungyeon e eu estávamos indo até a penitenciária fazer uma visita para Namjoon e contar sobre o filho que Jungyeon estava esperando. Depois de passar por toda aquela cerimônia, de resvista, detector de metais e tal nós finalmente pudemos ver o preso


Entramos numa sala onde havia dois policiais na porta. Entramos na sala e havistamos Namjoon usando uma roupa de detento, ele estava com os cabelos curtos e com uma cara nada boa


-O que querem? Vieram rir da minha cara? - seu tom era rude e grosseiro


-Por mais que eu queira, não foi isso que vim fazer aqui - Jungyeon disse séria


-Nossa, você fica tão estranha grávida...fala aí, quem é o papai? - perguntou debochando. Grr! Odeio quando ele faz isso


- Você - demorou menos que eu esperava, achei que eles fossem dar uma enrolada. Namjoon desfez o sorriso idiota e ficou com um semblante sério


-Não brinca comigo...


-Namjoon, você acha mesmo que eu ia vim de Daegu só 'pra brincar com você? Você é o pai desse bebê, e você vai o assumir assim que sair daqui - ela estava se exaltando e isso não era nada bom


-Se acalma, Jungyeon...


-Mesmo que esse bebê seja meu filho não vou poder cuidar dele. Caso não tenha percebido só sairei daqui quando essa criança estiver na faculdade!


-Eu vou pagar sua fiança - Namjoon se acalmou e olhou confuso para Jungyeon


-O que? - disse incrédulo


-Eu vou pagar sua fiança- repetiu mais alto desta vez - Não vou criar ele sem um pai - acrescentou. Admiro muito minha amiga, ela é muito forte e corajosa quando quer. 


-É um menino? Você já escolheu o nome? - Namjoon disse um pouco baixo. Parece que a ficha caiu. Que rápido. 


-Yonjoo...olha, eu preciso ir, ainda temos que procurar um apartamento - Disse se levantando


-Quando n-nos veremos de novo? - Namjoon levantou também. 'Tava parecendo cena de novela


-Quando estiver livre


[...]


-Tae, não sei amarrar balão! - falei cheio de manha, mas eu estava mesmo era com preguiça de arrumar tudo para a festa da Minhyung


-Você consegue, meu amor - Taehyung é tão bonzinho que as vezes me perguntou se ele é um humano ou um anjo


-Para de ser tão bonzinho, se não eu te bato! - começou a rir e me roubou um beijo


-Pega uma vassoura 'pra mim, querido? Os convidados vão já chegar e isso aqui 'tá muito sujo - eu assenti e fui para cozinha onde ficava o quartinho de limpeza


Primeiro, estranhei a porta estar fechada, já que sempre deixavamos aberta para não feder a mofo. Quando abri a porta, presenciei a coisa mais traumatizante do universo


O brinquedinho de Jungkook para fora e minha irmã quase nua


-Ah, meu Deus que nojo! - virei o rosto esperando os dois se recomporem. Nunca senti tanta vontade de vomitar quanto naquele momento


-Jimin nós...


-Não começa, Jisoo. Sei muito bem o que estavam fazendo e não precisam parar eu só quero uma vassoura - estiquei o braço esperando o objeto que logo me foi entregue. Eu já cansei de falar para Jisoo ficar longe de Jungkook, mas ela não escuta. Por isso, eu desisto! 


Fechei a porta e voltei rápido para a sala. Depois de arrumar e limpar tudo, os convidados chegaram e alguns minutos depois a aniversariante. Minhyung estava com uma fantasia de Mulan, muito fofa


Essa era a primeira vez que eu estava tendo contato com ela. Sinceramente, eu estava com medo dela não gostar de mim


-Olá, Minhyung! Meu nome é Jimin - falei todo amigável para a pequena que estava tentando se esconder no colo de Taehyung - Comprei várias bonecas para você. Você gosta de bonecas? - ela confirmou com a cabeça de forma tímida


-Fala alguma coisa, filha - Tae a balançou em seus braços


-Eu quelo bolo...- ela virou a cabeça para o outro lado e Taehyung riu da timidez da pequena


-Vamos já comer bolo, espera um pouco. Vai brincar ali, vai - pôs ela no chão, Minhyung foi correndo até a piscina de bolinhas onde outras crianças do orfanato brincavam - Desculpe, ela demora um pouco para se acostumar com pessoas novas - pôs o braço sobre meus ombros me puxando para mais perto


-Tudo bem...ela é muito parecida com você,Tae. Quem não te conhece vai dizer que ela é sua filha de sangue - falei sincero observando a garotinha brincar com as bolinhas da piscina


-Amor, olha aqui pra mim - pediu e eu o fiz - Te amo - sorri apoiando a cabeça em seu peito


-Achei que fosse algo importante...que susto


-Meu amor é muito importante


-Taehyung, você sabe que eu não gosto quando fica meloso - levantei minha cabeça a pondo em seu ombro, roçando meu nariz no pescoço alheio sentindo o cheiro de seu perfume. Já havíamos falado sobre aquilo diversas vezes


-Ah, não quer ouvir que é o amor da minha vida? 


-Não diga coisas da qual não tem certeza - não é que eu não ame Taehyung, mas não posso dizer que ele é o amor da minha vida, pois tenho medo de tudo isso acabar e Taehyung perceber que eu não era tudo aquilo que ele dizia.


-Você sabe que te amo, por que fica dizendo essas coisas? - ele parecia um pouco chateado


-Não sei explicar...ainda tenho receio com esse negócio do " eu te amo" - falei apenas isso. Não queria prolongar aquela conversa. 


-Tudo bem, meu anjo. Deixa isso 'pra lá - beijou meu nariz, ele iria descer para minha boca, mas sentir duas mãozinhas fortes me afastarem de Taehyung - Minmin!


Comecei a rir da pequena que pediu colo assim que me afastou


-Você está com ciúmes!? - a menina fez um careta e me bateu. Credo, que ciúme doentio.


-Minmin! Não pode bater! - Taehyung brigou, ela se encostou nele ficando toda manhosa pedindo para ele dengar ela. Igual à mim


-Voxê é meu, appa...- disse baixinho abraçando o pai


-Você não vai dividir o appa comigo? - perguntei de forma infantil e ela negou - Mas eu quero o seu appa


-Ele é meu...


-Então tá, fica com o seu appa chato. Eu vou comer bolo e não vou te dar nenhum pouco! - ela fez um bico enorme e uma carinha de brava


-Agora eu arrumei - Taehyung disse brincalhão arrancando risadas de minha parte


Depois dos parabéns, abrimos os presentes e comemos bolo. A festa foi muito boa, Taehyung caprichou nos detalhes e saiu perfeito. Depois que os convidados foram embora deixamos Jungkook e Jisoo arrumando tudo sozinhos por ficarem de safadeza mais cedo


Taehyung e eu colocamos todos os brinquedos que Minhyung havia ganhado no seu quarto recém preparado. Enquanto Tae a colocava para dormir eu arrumava seu quarto para nós dois dormimos. Não sei por que, mas eu estava sentindo uma alegria enorme dentro de mim ao pensar em Taehyung e Minhyung

Não sei explicar, simplesmente me sinto bem.


-Meu anjo, você quer que eu empreste uma roupa ou quer pegar na sua casa? - Tae perguntou me abraçando por trás


-Você me empresta. Essa hora minha mãe já deve ter trancado a casa inteira para dormir - me afastei de seus braços e tirei minha camisa - Toma banho comigo? - ele sorriu assentindo e fomos para o banheiro.


Tomamos um banho bem demorado. Estar ali, agarrado a Taehyung sentindo a água quente escorrer por nossos corpos era a melhor sensação do universo. As mãos grandes de Taehyung passeavam por meu corpo espalhando o sabonete sem nenhuma malícia, mas ainda sim meu corpo reagia aos seus toques. 


Taehyung me encarou bem nos olhos e deixou um beijo bom e molhado em meus lábios, me puxando cada vez mais, necessitado por meu corpo, retribui seus toques e ouvi ele gemer contra minha boca

Era incrível


Foi ali que eu percebi, foi ali que tive uma epifania e finalmente tive coragem de dizer:


-Eu te amo


Mesmo sabendo que Taehyung era diferente, eu ainda tinha medo de me entregar por inteiro e sofrer muito quando acabasse


-Por essa eu não esperava - sorriu e eu o sorri junto


-Por favor, não me deixe...


-Nunca irei te deixar, meu amor - deixou um beijo em minha testa. Terminamos o banho e fomos para o quarto, vesti uma camiseta e uma boxer que pertenciam ao meu namorado


Deitei na cama junto a ele e ficamos bem agarradinhos. Senti seu nariz no meu pescoço e uma fungada ser dada no local, o que me arrepiou. O clima estava perfeito, aquele era um universo só nosso, onde a única coisa que importava a era a nossa presença


[...]


Três meses depois do aniversário de Minmin, Yonjoo nasceu. Não consegui acompanhar a gestação de Jungyeon, já que ela estava morando muito longe e eu andava muito ocupado com a faculdade. Falando nisso, tem papais novos na área também

É, Jungkook conseguiu engravidar minha irmã. O safado ainda inventou uma viagem para Busan para fugir da paternidade, mas Jisoo e eu trouxemos ele lá do aeroporto falando que ele iria assumir esse filho. Minha mãe também não ficou nada feliz, ela quase deus uns tapas nos dois e disse que eles teriam que se casar antes da criança nascer. Claro que os dois bateram o pé e disseram que não queriam se casar, mas minha mãe disse que eles iam se casar nem que ela tivesse que amarrar os dois juntos no altar. Minha mãe sendo minha mãe


Jungyeon havia nos convidado para almoçar e conhecer seu filho também. Eu só vi Yonjoo por foto, Taehyung e eu nunca tivemos a oportunidade de vê-lo de perto, por isso estávamos empolgados.


Tocamos a campainha da porta e logo fomos atendidos por Jungyeon.


-Que bom que vieram e trouxeram a Minmin! Oi, fofucha! - Yeonie falou de forma infantil apertando as bochechas da pequena que gargalhava.


-Oi, tia Yeonie - deu uma gargalhada gostosa, enquanto lambia o sorvete de casquinha em sua mão direita. Eu já estava até vendo ela fazendo birra para não almoçar


-Entrem!


Sua casa não era grande, mas eu sabia que Yonjoo cresceria feliz aqui apenas com o amor de sua mãe.


-Cadê o Yonjoo? Compramos algumas coisas para ele- falei mostrando umas sacolas com alguns presentes. 


-Está no berço. Obrigada, Jimin - pegou as coisas e sorriu


-Poxa filha, você se sujou toda - Taehyung disse assim que bateu os olhos em Minmin toda lambusada ao meu lado


-Eu falei 'pra não dar sorvete para ela - cruzei meus braços lhe lançando um olhar de quem diz: "eu avisei"


-Deixa que eu limpo ela, vem Minmin - Jungyeon chamou e ela foi imediatamente. As duas sumiram de nossa vista bem rápido


-Não me olhe assim - eu ainda o encarava com reprovação


-Ela não vai almoçar e a culpa é sua - disparei. Eu tinha que dizer aquilo, mas não queria falar na frente da Minhyung


-Mas ela pediu tão direitinho, você viu, ela nem se quer gaguejou. Como eu ia negar?


-Tae, você tem que saber dizer "não"...


-Boa tarde - uma voz grave e calma ecoou na sala e quando nos viramos, Taehyung e eu tivemos o maior susto de todos. O dono da voz era Namjoon, que segurava um bebê no colo


Não sei o que deu em Taehyung, pois ele simplesmente sacou uma arma e apontou para Namjoon


-Taehyung, não! - Jungyeon gritou, assim que entrou na sala


-O que esse cara 'tá fazendo aqui!?- Taehyung indagou, queimando pela adrenalina. 


-Amor, abaixe essa arma. Meu bem, sua filha está bem ali, abaixe a arma - tentei acalmar ele, mas não funcionou. Namjoon estava com uma cara normal, parecia até que já esperava por isso


-Tae, Namjoon é meu marido - essas palavras nos acertaram como uma bomba. Taehyung guardou a arma. Namjoon deu de ombros e foi para a cozinha com o bebê - Você ficou louco!?


-Desculpe, foi a força do hábito. Com tantas pessoas para você casar, ele por quê? - Taehyung disse, agora mais calmo. Taehyung já sabia que Namjoon era pai de Yonjoo, mas tanto eu quanto ele não entendíamos porquê Jungyeon havia se casado com aquele homem


-Ah, ele não é tão ruim assim...- disse, se sentando no sofá - Ele mudou bastante, é outro homem agora, podem confiar


-Não, não vou confiar. Nunca irei confiar nesse cara - Taehyung falou, sério


-Se não quiser acreditar tudo bem, só não aponte mais uma arma para meu marido e meu filho - o repreendeu e eu ajudei. Eu já falei mais de um milhão de vezes para Taehyung não sair armado por aí


Apesar deste pequeno incidente o almoço correu super bem. E Jungyeon estava certa,Namjoon mudou mesmo


Ele mudou radicalmente seu jeito de ser. Namjoon parecia mais fechado, mas também era carinhoso para com seu filho, ele não dirigia nenhuma palavra a nós, só em casos extremamente necessários. Eu percebi que havia pintado um clima entre esses dois, Jungyeon só não queria admitir. E eu enchi muito o saco dela para ela admitir, então quando ela se viu sem paciência disse: "Não me apaixonei pelo Namjoon, me apaixonei pelo pai do meu filho. Por aquele homem que está fazendo de tudo para cuidar bem de Yonjoo" 


[...]


-Jisoo, sua cadela! Onde você colocou os pratos!? - exclamei com a cara enfiada no armário da cozinha. Logo ouvi uma risadinha embaixo de mim, quando olhei era Minmin me observando


-Cadela - disse rindo. Eu lhe lancei um olhar de reprovação e ela saiu correndo enquanto ria e dizia "cadela". Taehyung vai me matar


-Me chamou, Jimin? - Jisoo brotou na cozinha


-Os pratos


-Já estão na mesa, bocó! 


-Bocó! 


-Minhyung! Pare com isso! - e ela correu de novo. Minha irmã ria horrores - Agora ela deu de repetir só coisa ruim


-É só uma fase, vai passar. Vocês só precisam segurar a língua perto dela, Chinyeo também está começando a repetir as coisas 


-Ah, mas o Chin está aprendendo a falar. Essa daí é muito é gaiata - e ela se danou de rir outra vez. 


Deixamos para conversar depois e resolvemos continuar a arrumar tudo para o almoço que iríamos fazer para comemorar o aniversário de Taehyung


29 aninhos! Ai, meu neném 'tá grande!


E não é só ele, Minhyung também estava crescendo muito rápido. Ela já estava com 6 anos e estava cada vez mais atrevida. Minha irmã deu a luz a um lindo menininho chamado Chinyeo que hoje tem 3 anos, e eu nunca vi um pai tão babão quanto Jungkook. Yonjoo já estava com 5 e estava cada vez mais parecido com o pai, ele tinha poucos traços de Jungyeon.


Esses três quando se juntavam não dava outra, viravam a casa de pernas para o ar. Chin, Minhyung e Yonjoo eram inseparáveis. Era muito fofo ver os três brincando juntinhos, mas sobrava para mim arrumar a bagunça deles.


Entrei no quarto de Taehyung e peguei ele se arrumando para receber as pessoas


-Oi - olhou para mim e sorriu


-Oi - respondeu - Todo mundo já chegou?


-Falta só a Jungyeon e o Namjoon chegarem - me aproximei dele e lhe dei um abraço - Feliz aniversário, meu bem - roubei um beijo dele e um sorriso nasceu em seus lábios


-Obrigado, querido. Nossa, estou ficando velho - disse divertido e eu ri


-Não exagera, você ainda 'tá enxuto, não mudou nada desde que te conheci - fiquei um pouco na ponta dos pés tentando alcançar seus lábios para roçar nos meus


-Meu amor...- chamou e eu murmurei em resposta- o que você acha da gente casar? - abri meus olhos de uma vez e o olhei surpreso


-Oi?


-Ah, você praticamente mora aqui, cuida tão bem da Minmin e eu te amo tanto, Jimin. Quero que seja meu marido e outro pai para Minhyung - segurou meu rosto olhando fundo em meus olhos. Suas palavras me pegaram de surpresa


-Tae...eu não sei - seu sorriso desmanchou


-Não sabe o que?


-É isso mesmo que você quer? Tipo, eu te amo muito e casar séria incrível, mas...você tem certeza que eu sou a pessoa ideal para cuidar de você e da Minhyung? - eu queria dizer "sim", como eu queria, mas eu sou a pessoa certa? 


-Eu tenho mais que ceteza que você é a pessoa ideal. Jimin, eu quero isso mais que tudo - me beijou - E aí? Você aceita? - soltei o ar que nem percebi ter prendido e sorri para ele


-Aceito...- coloquei meus braços em seus ombros, ele abaixou um pouco e selou seus lábios nos meus com a maior delicadeza do mundo - Vamos descer, Tae


-Tudo bem - sorriu e me roubou um último beijo


Nós decemos, falamos com todos os nossos familiares e amigos. Foi tudo muito simples, apenas almoçamos e cantamos parabéns. 


Nunca imaginei que eu gostaria tanto de coisas simples, como: ver o sorriso de Taehyung todos os dias de manhã, ouvir as gargalhadas de Minhyung, beber aos sábados com os amigos.


Eu achava que ter tudo iria me fazer feliz, mas essas pequenas coisas eram o que eu precisava para ser feliz. Taehyung era tudo que eu precisava, ele quem me mostrou que as melhores coisas são as mais simples.


Taehyung era simplesmente perfeito e o único que eu amava. Só ele me fez ser feliz, só ele me amou de verdade. 


Ah,meu bem, only you


Notas Finais


Então, sinto muito dizer a quem gosta mesmo dessa fic que este é o último capítulo :')
É, assim! Sem mais nem menos
Eu tinha várias ideias de capítulos, mas percebi que seria enrolação demais e que talvez pudesse fugir do foco da estória
Talvez eu poste um bônus mostrando a vida dos dois, anos depois.

Adorei escrever este capítulo, sinto que ficou gostoso de ler. Espero que tenham tido a mesma sensação.
Eu sei que essa estória está longe de ser AQUELA estória, já que tem muitos furos no capítulos e informações que eu simplesmente deixei no ar, mas mesmo assim estou triste por esse ser o último capítulo.

Eu estou com estória nova, tem Vmin e Jikook

https://www.spiritfanfiction.com/historia/lost-in-your-light-17702606

Aí cê pergunta: "Como tu vai fazer pra colocar o Jimin em dois casais?"
Que tal descobrirmos juntos?

Bom, foi isto!
Espero ver vocês em minhas outras estórias, até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...