História Ontem... a última noite - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)
Personagens Erwin Smith, Levi Ackerman "Rivaille", Mikasa Ackerman
Tags Attack On Tiran, Eruri, Erwin, Erwin Smith, Levi, Levi Ackerman, Mikasa, Mikasa Ackerman, Rivamika, Shingeki No Kyonji, Snk
Visualizações 203
Palavras 7.948
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Survival
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo 2: Desejo final


Fanfic / Fanfiction Ontem... a última noite - Capítulo 3 - Capítulo 2: Desejo final

- Não exatamente. - Erwin largou o copo na mesa e foi até a lareira, onde observou as chamas dançantes - Enquanto bebíamos uma noite, comentei que vocês dois fariam uma combinação perfeita. Levi me desprezou no início por trazer o assunto de novo e questionou por que eu me sentia assim. Como resposta, eu expliquei por que eu acreditava que você deveria ser... o par dele, e durante as minhas palavras eu admiti a minha atração por vocês dois, nós permanecemos nesse tópico por um longo tempo, nós estávamos bem em nossas xícaras até então e eu confessei que eu gostaria de compartilhar momentos íntimos com vocês dois algum momento da minha vinda antes de morrer. Levi também tinha me dito que ele tinha sentimentos por você... mas ele não teve coragem de lhe dizer. 
         Eu olho para Levi do outro lado que olha para o chão em silêncio, ele demonstrou muita coragem minutos antes, quando me manteve presa em seu olhar luxurioso, embora supusesse que a bebida o presenteava com um impulso de confiança.
         - Nós tínhamos passado minha fantasia como uma brincadeira na época. - Erwin continuou - Embora Levi devesse ter percebido que eu estava falando sério no fundo.
         Eu deixo os últimos dois meses recapitular em minha mente, na tentativa de encontrar presságios que levassem a isso, mas, eu não encontro nada. 
       - Por que nenhum de vocês me disse? Eu não ficaria tão chocado como estou agora se vocês me dessem algumas dicas antecipadamente para mim, isso está vindo do nada.
         - Eu entendo. Mas, assim como Levi e eu discutimos anteriormente, não temos tempo para buscar relacionamentos íntimos. Mesmo que quiséssemos tentar transmitir nossos sentimentos a você, nunca tivemos a oportunidade. Na verdade, esse é a primeira vez que nós três estamos sozinhos juntos, se eu tivesse abordado você com meus avanços mais cedo, ainda assim seria chocante, não importa o que aconteça, Levi poderia ter tido a oportunidade de lhe dizer como ele se sentiu durante seu período privado. Mas como eu disse, ele não teve coragem. 
         - Agora que você está bem ciente dos nossos sentimentos. - começou Levi com sua voz reverberando pela sala - É a sua vez de compartilhar a sua. Recíproco ou recusar.
         - Maneira de me colocar no local.
         - Eu não quero parecer impaciente. Estou apenas ansioso por uma resposta. 
         - Bem, eu não posso ver preto no branco assim. - eu admito passando mão na cabeça, sentindo-se tonta de repente, eu largo o copo - Eu sempre pensei que sentimentos como esses fossem compartilhados entre duas pessoas... não três. - parte de mim acha que eu devo decidir, escolher o vencedor, mas Erwin e Levi não competiam um contra o outro para conquistar meu afeto: "estão trabalhando juntos."
         - Tradicionalmente, sim, mas gosto de você igualmente. - explicou Erwin - Eu vejo vocês como pessoas separadas, e ainda assim parece que vocês dois nunca deveriam se separar. Você é como a lua e as estrelas, você é linda por conta própria, mas você pertence a ele. - Erwin diz com um sorriso ao apontar a Levi.
         - E Erwin é especial para mim, sempre foi sempre será. E você, Mikasa... - a maneira como Levi disse que seu nome atraiu sua atenção - Nós temos uma conexão especial, em mais de uma maneira. Eu não sou uma pessoa ciumenta e eu não dou a mínima para os valores morais dos relacionamentos monogâmicos. Se eu amo duas pessoas, eu não vejo o por que escolher de um.
         Erwin acrescentou:
         - Sei que chamar isso de fantasia pode fazer minhas intenções parecerem sombrias, mas não quero desrespeitar nenhum de vocês. Simplesmente gosto de vocês dois e posso não ter tempo suficiente nesta terra para formar um longo e significativo relacionamento com vocês dois, eu vim com esta alternativa minimizada. Eu percebo que é um grande pedido e eu não espero que você, Mikasa, se submeta aos meus desejos pessoais ou você, Levi. O fato de que você ainda está aqui ouvindo é uma surpresa, mas desde que você, Mikasa, decidiu nos ouvir, eu agradeceria se você considerasse. 
         Eu mal podia ficar de pé, deixo de pensar. 
         - Eu... sei o que você quer agora, mas isso ainda é muito para engolir. Eu sou inexperiente e não tenho certeza do que fazer exatamente.
         Erwin e Levi trocaram um olhar distante. 
         - Você está dizendo que está disposta a tentar? - Erwin me pergunta.
       - Eu não estou chocada com a ideia, então eu acho que isso significa que eu estou. - eu não tenho ideia do que estou dizendo, essas palavras saíram de minha boca por conta própria, desejos subconscientes devem ter possuído seus lábios.
         Erwin torceu a boca, seu corpo girando na direção de Levi. 
         - Podemos começar devagar, para ver se você está à altura. Mesmo que não possamos cumprir tudo, eu apreciaria qualquer consideração ou esforço dado. - Erwin diz.
         O meu coração só faltou parar enquanto espero por minha tarefa.
         - Se você está disposta a dar o primeiro passo, você pode começar beijando Levi.
         A ordem parecia tão sem graça, como se ele estivesse entregando um comando mundano, a exibição sutil de excitação que apareceu em seu rosto deixou claro que sua voz contradizia seus sentimentos, no entanto.
         - Pervertido. - cuspiu Levi.
         - Como isso faz de mim um pervertido? - Erwin se perguntou - Não me diga que você está ficando com medo.
         - Eu não estou. Mas seu fetiche Ackerman é um pouco óbvio.
         Erwin suspirou impaciente para disfarçar um riso divertido enquanto atravessava a sala é eu o seguindo de perto. Parecia a mais longa caminhada de minha vida. A cada passo eu me aproximo para fazer isso, eu não fazia ideia do porquê. De algum modo instintivo e estranho, parecia bom, e eu não quero lutar contra minha resposta natural à curiosidade e excitação.
         Eu me sento ao lado de Levi e Erwin continuou de pé, pairando sobre nós como se fossemos uma grande paisagem que ele estava examinando.
         - Você está tremendo. - observou Levi - Você tem certeza que está bem com isso? Você não tem nenhuma obrigação. Lembre-se disso.
        - Sim. Estou disposta a tentar. Não sei sobre as outras coisas, mas vamos ver.
       - Consegui. - Levi sussurra passando o braço sobre os meus ombros e se inclinou, sem mais nenhum aviso, ele inclinou a cabeça e pressionou os lábios nos meus, o beijo foi duro desde que seus lábios vibraram tão firmemente juntos, e terminou tão rápido quanto começou.
        Meus olhos reabriram lentamente. 
        - É isso aí?
        - Eu estava tentando não sobrecarregar você. - ele me do.
        - Estou disposta a ser empurrada para o meu limite, assim que eu chegar e não conseguir ir em frente, ai cancelamos a noite. Até lá...
       Assentindo Levi passa os dedos nas minhas bochechas, encostando novamente seus lábios que se separaram e ele enfiou a língua dentro da minha boca dessa vez.
        Eu dou uma olhada em Erwin enquanto Levi continuava a invadir minha boca, Erwin nos observa com um brilho luxurioso nos olhos, eu fecho os olhos e tentou focar minha atenção no beijo, já que parecia um pouco estranho ser observada. Felizmente, os lábios de Levi serviram como uma grande distração, admito que também parece estranho esta situação, eu percebo que se eu pensar muito vou estragar o momento, enquanto me sentir confortável o suficiente para continuar, não há nada de errado em como isso está se desenrolando.
         Depois de um longo beijo, nós separamos, Levi inclinou a cabeça para Erwin. 
         - Você está terrivelmente quieto. É isso que você queria ou o quê?
         - É um começo.
       - Não seja ganancioso, bastardo. Você tem sorte de estar ganhando tanto. Ah, mas suponho que você disse que queria se envolver também. Você ainda não atingiu seu limite, certo? - Levi me perguntou - Você tem algum beijo para Erwin?
         Sem olhar para nenhum deles, balanço a cabeça, Erwin sentou-se ao meu lado e com o gosto de Levi ainda fresco na minha boca, me movo para os lábios de Erwin, passo os dedos contra seu peito nu e desço até seus músculos ondulados.
         Tudo estava acontecendo tão rápido e lento ao mesmo tempo, minha mente parecia mergulhar em uma neblina quente e nebulosa, poucos minutos atrás, eu estava implorando para Erwin ficar dentro das paredes e agora estou lambendo sua língua talentosa.
         Nem mesmo em meus sonhos mais loucos eu previa esse resultado, nunca imaginei que me encontraria em uma situação como essa com qualquer um deles, especialmente não os dois ao mesmo tempo, mas isso não significava que eu não queira isso, a excitação bombeou através de mim enquanto a língua do comandante se mistura com a minha ao mesmo tempo que as mãos do meu capitão me tocam por toda parte, é tão emocionante ser tocado assim por homens experientes que conheciam todos os pontos certos - e até mesmo pontos ternos que eu ainda não conheço.
         Eu recuo de repente, respirando fundo e seguro a cabeça. 
         - Desculpe. Eu me sinto tonta.
         - Você provavelmente está superaquecendo nessa coisa. - em um movimento rápido Levi desenrola meu cachecol como uma fita para um presente que ele não podia esperar para desembrulhar seus lábios encontraram uma nova casa em meu pescoço, ele mordiscou e chupou enquanto subia a mão por minha blusa, desabotoando-a de forma tentadoramente lenta.

Levi deu um olhar de soslaio uma vez que meu seio foi exposto. 
         - Sentindo melhor agora?
         Aceno docilmente.
         - Você é terrivelmente tímida quando se trata desse tipo de coisa... - Levi notou, enquanto começou a acariciar meu seio - Não que seja uma coisa ruim.
         - Nem um pouco. - o sorriso de Erwin nunca vacila - Isso é realmente atraente para a maioria dos homens.
         Eu não consigo ver como um rosto vermelho e as articulações inflexíveis poderiam ser atraentes para ninguém, eu sou o tipo de garota que tomava conta da situação e quase não vacila, mas isso é totalmente novo para mim.
         - É realmente bom ver esse seu lado. - a voz de Levi muda para um tom que não reconheço.
         - Eu acho que você está envergonhando ela. - diz Erwin.
         - Provavelmente, mas ela parece muito fofa assim. - Levi murmura. 
         Tão envergonhada me sinto, mas estou gostando de experimentar esse lado de mim mesma também. A rotina diária da vida militar me faz esquecer de como se sentir perturbada em torno de homens bonitos como uma garota normal. E ser bajulada e desejada assim como afora também não era tão ruim.
       Assim que Levi jogou a minha camisa para o lado, Erwin passa os dedos com mais suavidade que Levi em um de meus seios, me massageando entre seus grandes dedos. Levi acaricia o outro, dando-me um aperto no mamilo e um grito saiu da minha garganta, mas os lábios suaves de Levi deslizando ao longo do meu pescoço e me acalma, reclino-me contra o peito de Levi, meu corpo está ficando mais fraco a cada segundo.
         Eu viro a cabeça por cima do ombro e roço o nariz com os do Levi antes de encontrar seus lábios novamente, momentos depois, Erwin se abaixa e chupa meu seio com uma força gostosa me fazendo gemer na boca de Levi, Erwin vai subindo beijando e chupando meu pescoço, meu queixo até reclamar minha boca também, então ele olha para Levi, e esse pareceu indeciso se o beijava ou não, então para facilitar, eu seguro o rosto de Erwin o beijando e me encostando em Levi para beija-lo também e por um breve momento o hálito quente e um emaranhado de línguas se misturavam entre três pares de lábios, enquanto isso, meus seios estavam sendo massageados e apertados, beliscados e esfregados, tudo ao mesmo tempo.
       Levi se afasta do beijo e se inclina para o lado e abaixa a cabeça para envolver os lábios ao redor do meu mamilo lambendo-o em movimentos circulares com a língua e Erwin volta a chupar o outro. Então Levi volta para a posição de antes atrás de mim puxa a minha saia longa e ajeitou o tecido para expor as pernas nuas, seus dedos começam a roçar levemente a minha calcinha e eu solto pequenos gemidos que fez Levi continuar e a esfregar mais forte, enquanto sua respiração quente roça meu pescoço antes dele me beijar novamente ao mesmo tempo que sua mão vaga por territórios inexplorados.
         Os últimos meses se passaram em um borrão trágico a mim que derivei ao longo do caminho, colecionando traumas e cicatrizes. Eu não conseguia lembrar da última vez em que toda preocupação e medo foram apagados de minha mente assim, ou quando eu me senti segura e adorada, todo esse tempo eu lutei e lutei para continuar vivendo, quando eu não se sentia totalmente viva até o momento e eu nem preciso lutar para obter esse sentimento maravilhoso, tudo o que eu tenho que fazer sentir... senti-lo.
         Eu fico esperando que meu limite fosse alcançado, isso nunca vem, mesmo agora, eu ainda não quero que eles parem.
         - Há um limite para o quanto eu poderia suportar antes de começar a implorar a vocês dois passarem para a próxima fase.
         - Oh? - Levi entoou, divertindo-se com minhas palavras impacientes - Eu gostaria de ouvir alguém implorar. Você não, Erwin?
         - Eu não sei, acho que eu gostaria de ouvir ela gemer nossos nomes...
         - Nós vamos ter que comprometer.
         Levi desliza o tecido da minha calcinha para o lado e passa um dedo por minha fenda lisa, e Erwin saboreou uma longa chupada, eu gemido alto, minha mente vaga agora, e não foi resultado dos poucos goles de álcool, esta é uma elevação natural que só Levi e Erwin podem me dar, nem mesmo memórias ruins podem romper a barreira da minha felicidade agora.
         - Você gosta disso? - Erwin murmura contra meus seios e dá uma mordidela rápida.
        - Tenho certeza que ela está. - Levi respondeu por mim, pois minha respiração não permite que eu forme uma resposta, eu passo os dedos pelos cabelos dourados de Erwin enquanto Levi trabalha os dedos entre minhas pernas.
         - Coloque... em... - eu arfo esfregando as pernas nos lençóis querendo mais.
         - Hm? - os lábios de Levi vibram contra o meu ouvido - Fala.
         - Por favor, não me provoque. - eu imploro, sua fricção não é o suficiente.
         - Eu gostaria de ouvir seu pedido primeiro. - Levi sussurra em meu ouvido.
         Minha paciência some e digo perigosamente: 
         - Eu vou quebrar seus malditos dedos se você não os colocar agora .
         - Isso é... não implorando. - ele riu - Mas eu suponho que as ameaças são tão quentes. - por fim, um dedo desliza dentro de mim.
         Entre o tatear e chupar de Erwin e a penetração e fricção de Levi, eu quase desmaio ali mesmo, tudo que consigo é ficar gemendo com a sensação incrível. 
         - Levi... Erwin... - repeti várias vezes, eu aperto os dentes com força quando um gemido vem em minha garganta, mas não dá de segurar quando uma onda incrível me atinge com força. 
         Levi retira os dedos encharcados de dentro de mim e Erwin sugou cada gota da minha umidade dos dedos dele e silenciosamente se ofereceu para tirar as minha roupas restantes, luxúria e fogo dançaram nos olhos de Erwin quando ele puxa a minha saia e a calcinha, minha pele pálida avermelhou-se sob seus olhos, que pareciam estar analisando-me cuidadosamente e caindo em cada centímetro de minha pele, demorando-se mais em algumas áreas do que em outras. E então, finalmente, seus olhos satisfeitos pousam em meu rosto.
         - Você é verdadeiramente impressionante, Mikasa.
         Corada me sento na cama e espio a sombra de Levi na parede e quando ele entra em cena, fica ali completamente nu. Depois Levi anda e passa por Erwin e se junta a mim na cama e nós dois olhamos para o comandante para a próxima tarefa.
         O tique-taque do relógio de parede preencheu o silêncio, abaixo disso está o som de nós três respirando profundamente, sem palavras, Erwin desamarrou os cordões das calças e os soltam, revelando seu membro já duro e pulsante para Levi e eu.
         - Bem, maldito. - Levi diz olhando fixamente - Você provavelmente pode foder o buraco da muralha Maria com essa coisa gigantesca. Vamos considerar isso um Plano B para tampar o buraco. 
         Erwin riu humildemente e eu estremeço.
         - Eu... nunca fiz isso antes. - não há muitas coisas que me intimidam, mas essa coisa enorme definitivamente sim.
         - Eu não vou classifica-los em suas habilidades. - disse Erwin - Apenas façam o seu melhor.
         - Eu nunca fiz isso antes. - confessou Levi parecendo tão intimidado quanto eu - Nós vamos ter que aprender como fazer...
         Mesmo que Erwin não estiver avaliando nossa técnicas, eu ainda quero ser a melhor. Eu brevemente procuro em minha mente por um tempo habilidades que posso aplicar agora.
         - Isso não é como se estivesse ordenhando ou se alimentando de um úbere? - digo.
         Divertido, Levi revirou os olhos, ultimamente, ele fez caretas assim quando digo algo ingênuo ou bobo. 
         - Eu suponho que seja um conceito similar. Apenas chupe e puxe até que o leite de Erwin saia. - ele diz.
        Essa semelhança fez com que eu me sentisse menos confiante, eu sempre chupava a ordenha e Armin costumava dizer que eu não tinha a delicadeza ou paciência necessária para isso, minhas mãos foram feitas para o trabalho mais pesado, como o manejo dos campos, mas e a minha boca - línguas e lábios podem ser ásperos? Eu terei que descobrir.
         - Você vai primeiro. - sussurro batendo o cotovelo em Levi.
         - Ao mesmo tempo. - ele sussurra de volta.
        Balançou a cabeça timidamente e Levi beija a minha bochecha. 
        - Você vai se sair bem. Não fique nervosa. - Levi sussurra e me dá um sorriso nervoso.
         Engulo em seco e seguro a coxa de Erwin, cravando as unhas em sua pele enquanto meu coração acelerava, Levi se curva para infligir a primeira lambida, então faço mesmo ao mesmo tempo. Nunca pensei que Levi e eu iria nos juntar para um trabalho como este, mas considerando a base que havia para cobrir, definitivamente não era um trabalho de um só.
         Nossas línguas viajam para cima e para baixo pelo o membro de Erwin, ocasionalmente roçando nossas línguas juntas, até que Erwin foi coberto por nossas salivas, no meio das lambidas, Levi agarra minha língua com a sua e me beija profundamente, nossas mãos acariciando num ritmo perfeito.
       Nós começamos a revezar agora, enquanto um envolvia a boca em volta do comprimento o outro sugaria a ponta. Alguns grunhidos e suspiros flutuavam por cima de nossas cabeças agora. De vez em quando, Erwin se contorcia e torcia os quadris para se dirigir mais profundamente a uma de nossas bocas.
         - Eu acho que isso significa que estamos fazendo isso direito. - Mikasa sussurro satisfeita com a pequena vitória.
       Um gotejamento de líquido meio leitoso começa a escorrer para fora e Levi e eu rapidamente lambemos, mas, Levi chegou primeiro e generosamente compartilhou o gosto comigo com um beijo.
         Sentindo-me mais ousada agora, decido testar quanto de Erwin eu poderia caber em minha boca e o experimento atraiu um gemido rouco dele enquanto o colocava mais fundo em minha boca, eu cheguei a meio caminho antes de minha garganta se apertar, recuo, ofegando por um instante e Levi assumiu a partir daí e eu o observo trabalhar por um tempo, seus olhos encaravam os olhos de Erwin diretamente. Havia tanta cor em seu rosto corado de Levi, que meu olhar foi para a dureza do próprio Levi em seu colo. Erwin se contorcia e apertou a mandíbula com força, numa tentativa de prender seus sons enquanto tremia e quando estavam trocando de posição, ele entrou em erupção, uma corrente branca saiu como um forte jato, espirrando em Levi, espalhando perto do seu olho fazendo-o piscar os olhos várias vezes, um pouco também espirrou em mim, perto dos meus lábios e eu passo a língua.
         Levi se inclinou para tirar a toalha pendurada na bacia. 
         - Nossa. - ele enxugou os olhos - Dê um pequeno aviso antes de você gozar!
         - Já faz algum tempo desde que eu fiz isso com outras pessoas. Eu não faço um anúncio sobre isso quando estou sozinho.
        - Não é de admirar por que você tem mostrado melhora rápida com sua mão não dominante. Eu estava começando a pensar que você era ambidestro. Acontece que ele te dá uma boa coordenação.
        Virando-se para mim, sorrio e Levi se inclina e lambe um pouco do resíduo pegajoso restante em minha bochecha. Ao fazer isso, eu pressiono os dedos contra a garganta, que estou áspera e dolorida, está até difícil de engolir, o ar seco e quente não ajuda quando tento falar, só saiu uma tosse.
         Levi levanta uma sobrancelha. 
         - Eu acho que você pode ter empurrado isto muito fundo, isso pode machucar sua garganta se você não for cuidadosa.
         - Eu sou... - tusso.
         Levi coloca a mão nas minhas costas e esfrega.
         - Você é nova nisso, não exagere na próxima vez.
         - Ela pode ser uma amadora, mas fez excepcionalmente bem, e de fato foi muito mais profunda do que você, Levi.
         - Eu pensei que você não estava julgando nosso desempenho. - ele diz olhando para Erwin.
         - Eu não estou. Apenas uma observação. - Erwin sorriu e colocou a mão em sua cabeça, Levi parecia um cachorrinho agitado sendo bichinho de estimação - Há água no jarro se você precisar.
         Aceno com a cabeça e levanto-me, mas antes que pudesse dar um passo, Levi puxa as minhas costas pelos os quadris como se ele estivesse tentando domar um cavalo inquieto.
         - Eu só vou atravessar a sala. - limpo a garganta ao falar - Eu volto já.
         - Depressa. - ordenou Levi, batendo na minha bunda.
         - Eu vou te fazer companhia enquanto isso. - ouço Erwin dizer enquanto despejo um pouco de água em um copo vazio e me virou para ver Erwin colocar Levi em seu colo, esfregando-se contra ele enquanto suas línguas se moviam juntas, assisto o show enquanto bebo água.
         Levi deve ter sido esfregado do jeito certo, porque sua cabeça voou para trás e um gemido sai de sua boca e lentamente, Erwin lambe o comprimento de seu pescoço, como se saboreasse o gosto, isso fez Levi estremecer, então, ele desliza os olhos para mim me pegando em seu olhar.
         - Este não é um show gratuito, você precisa contribuir. - Levi diz rouco.
      Rapidamente termino de beber do copo, minha garganta está muito melhor agora. Ambos os veteranos esperam à minha chegada, olhando-me como se eu fosse algo que eles queriam conquistar, eu já sabia o que eles queriam antes que eles tivessem que perguntar, eu sou uma aprendiz rápida, caiu na cama, que parece grande o suficiente para acomodar nós três confortavelmente, um segundo depois, Levi se arrasta para meu lado dela e a maneira como ele arrastou os joelhos pelos lençóis, ronronado baixinho como um animal no cio, me deixou sem fôlego. Havia um olhar selvagem nos olhos estreitos de Levi, um que eu não via há algum tempo, esse tipo de olhar que ele costuma dá antes de ir para um ataque brutal.
         O comandante iniciou seu ataque pela frente enquanto o capitão se posicionava de meio de lado.
         O corpo largo de Erwin pairou sobre mim. Com um impulso de seus quadris, ele se apertou entre as minhas coxas e se enfiou dentro de mim, a penetração repentina me fez gritar sem restrição. Ele manteve-se profundamente alojado em mim e então fica parado enquanto se ajusta em meu interior e eu me acostumo ao seu tamanho por um tempo. Durante isso, Erwin me olha nos olhos com luxúria fumegante. Recuando um pouco, viro a cabeça para trás, passando as unhas arranhando a frente de seu peito.
         Enquanto gemo alto, minha mandíbula é virada para o lado, com isso eu tenho um vislumbre da ereção de Levi antes dele se enterrar em minha boca e deslizar sobre minha língua ansiosa, lágrimas rolaram por minhas bochechas, eu não aprendi a lição, aparentemente, porque ela sugou profundamente, fundo o suficiente para acionar meu reflexo de vômito. Preocupado, Levi puxa um pouco, mas eu agarro um lado de seus quadris para puxá-lo à força, enfiando tudo em minhas boca mais uma vez, eu queria provar para ele que eu posso lidar com tudo isso.
       Enquanto isso, Erwin bombeava com lenta precisão, acertando um ritmo e deixando a pressão permanecer até que ela mal pudesse suportar.
         Suor brilhava por nossos poros e outro tipo de umidade amortecia os lençóis embaixo, o que tornava a passagem mais lisa para Erwin, enquanto eu era tomada por Erwin, minha boca era tomada por Levi que anunciou sua chegada com um grito estrangulado, a consistência cremosa escorria pelos cantos de minha boca enquanto eu engolia o resto que desceu pela minha garganta, ainda apertando o comprimento de Levi com força eu gemo alto e com um grunhido e um impulso final, Erwin sai de mim e jorra em meu estômago deixando-me com manchas brancas.
         Nós três gememos em uníssono e paramos para recuperar o fôlego. Aparecendo exausto Erwin se esparramou na cama, com os olhos fechados.
         Eu olho para Levi que quebrou o olhar para direcioná-lo para Erwin. 
         - Não me diga que você já está fora da comissão. - ele falou.
       - Realizar essas fantasias requer muito mais esforço do que imaginá-las. Isso me custou muito. - Erwin diz rindo ainda com os olhos fechados.
         - Alcançou suas expectativas?
         Erwin assentiu.
         - Bem, não chegou ao meu, ainda. Levante-se. Nós não terminamos ainda. - Levi diz. 
         - Sim, vamos fazer de novo. - levo toda a minha força para me levantar.
         Impaciente, Levi segura o pênis de Erwin como se tentasse acordá-lo novamente. Ele se encolheu violentamente com um silvo. 
         - Não. Ainda está sensível.
         O vacilar na voz de Erwin causou um sorriso nos lábios de Levi. 
         - Ah... eu acho que nunca vi você perder a compostura desse jeito antes, comandante.
         - Levi. - disse Erwin com firmeza no apertado forte de Levi, juntando as sobrancelhas e fracamente repetiu: - Levi .
      - Se você continuar dizendo meu nome assim, eu não vou soltar. - havia um olhar desonesto nos olhos de Levi, quando o olhar se transferiu para mim me fazendo estremecer de excitação.
       - Eu adoraria, realmente. - Erwin bufou - Mas não posso usar todas as minhas forças. Todos nós precisamos dormir um pouco para a missão de amanhã.
         - Eu não preciso dormir muito. E você, Mikasa?
         - Eu estou totalmente acordada.
         Levi parece satisfeito com a minha resposta.
         - Quanto a você, Erwin, você não vai para a missão, então não importa se você dormir até tarde amanhã.
         - Isso de novo? - Erwin diz e Levi joga o travesseiro na cabeça de Erwin, que voou de volta dramaticamente para Levi.
       Eu não quero entrar no tópico mais uma vez, porque já sei onde Erwin estava sobre o assunto, então encontro outro jeito de me comprometer. 
         - Temos o dia todo amanhã para reabastecer nossas forças. Não vamos sair até o crepúsculo de qualquer maneira. - digo.
         - Verdade... - Erwin franziu as sobrancelhas, em seguida, deu outro sorriso - Eu suponho que estamos de volta. Apenas deixe-me sentar nesta rodada para assistir vocês dois.
         - Ele realmente tem um fetiche de Ackerman... - percebo.
         - O que eu posso dizer, eu gosto de assistir meus lutadores favoritos em ação.
       - Tudo bem. Vamos dar-lhe um show, então. -  assim como Levi disse isso, ele segura meus quadris por trás e apertou uma mão nas minhas costas para me abaixar na posição que ele queria. De onde eu estou posso ver Erwin, que sentou em antecipação, e eu também podia ver o reflexo de Levi no espelho de moldura dourada, alisando meu traseiro e a carne dentro de sua mão. A respiração de Levi já estava ficando áspera e rápida com o simples pensamento de me foder.
         A antecipação está me matando, o mesmo pode ser dito sobre Erwin, que morde o lábio para praticar a paciência e a expressão que Levi usa no reflexo é ilegível e não dá nenhuma indicação de quando ele iria começar, então quando ele finalmente entra em mim por trás, veio como um choque, apesar da longa e tentadora espera, pelo menos para mim, Levi não é tão longo quanto Erwin, mas ele era mais grosso. O ajuste apertado me fez arquear as costas e mexer os quadris em torno dele em um esforço para me esticar, e ao contrário de Erwin, seus movimentos eram muito mais rápidos e robustos. Dentro de alguns impulsos, eu já estou lamentando alto, eu mal conseguia acompanhar Levi, assim que se ajustou a uma sucessão de movimentos, ele mudou o padrão para um mais selvagem ainda.
         Respirar era quase impossível neste momento, tudo o que eu consigo fazer é gemer, muito, comecei a gemer alto. Levi se inclinou sobre o comprimento de minhas costas e mordeu meu ombro, como um animal selvagem tentando domar seu companheiro em submissão.
       Enquanto as lágrimas escorriam dos cantos de meus olhos pude ver Erwin nos bastidores se tocando, já uma pedra dura e vazando enquanto nos observa.
Sendo a pessoa versátil que sou, eu não posso permanecer no lado submisso para sempre. Levi e Erwin haviam ensinado a mim por demonstração física como tudo isso funcionava e por isso eu estou confiante de que posso lidar com a posição ativa. A próxima vez que Levi saiu de mim, me afasto dele e se viro, tomando-o pelos ombros e o empurro de volta na cama montando-o, acomodando-me em sua dureza, isso fez Levi arfar de surpresa e prazer, para meu ego.
        Fazer isso dessa maneira era um pouco mais intimidante do que pensei, com os olhos de Levi me olhando intensamente, por um momento, eu penso ter mordido mais do que posso mastigar, até que seus olhos se suavizaram e suas mãos agarram meus quadris, guiando-os através dos movimentos, parece que nós dois fomos feitos um para o outro, tê-lo dentro de mim parece tão natural como duas metades se juntando finalmente. Com ele parece muito mais gostoso, quando Levi começou a dá sinal que ia soltar sua semente eu não deixei ele se retirar, eu quis que ele viesse dentro de mim, não fora como Erwin fez. 
         Algum tempo depois, os ponteiros do relógio apontavam para 3 e 10, e apenas o tique-taque encheu a sala enquanto nós três nos ajeitavam na cama, no entanto, não havíamos completamente acabado com o nosso objetivo. Havia mais uma parte da fantasia de Erwin que ele ainda tinha que marcar.
         Erwin quebrou o silêncio com: 
         - Mikasa teve o seu momento conosco esta noite... mas você e eu não tivemos a chance de jogar muito.
         Levi não teve tempo para calcular suas palavras, pois foi posicionado de bruços antes que pudesse piscar.
         - Você me pegaria aquilo? - Erwin diz apontando para a loção na mesa de cabeceira, eu tiro os olhos da bunda perfeitamente lisa de Levi e vou até lá pegar e solto uma quantidade generosa do óleo nos dedos de Erwin, então, eu passo um pouco na minha própria mão e enrolou os dedos ao redor do comprimento de Erwin, acariciando até que ele estivesse escorregadio, durante isso, o dedo do comandante deslizou para dentro da entrada apertada de Levi e uma onda de excitação me percorre enquanto observo mais dedos se juntarem dentro de Levi.
         - Eu espero que você seja tão gentil comigo como foi com Mikasa. Eu sou virgem aí, você sabe. - Levi disse, tentando soar firme, mas o suspiro que ele soltou deu como ele realmente se sentia: nervoso.
         - Você não foi muito gentil comigo. - digo o lembrando, embora minha voz sugerisse que não se importava.
         Levi deu uma risadinha nervosa. 
        - Eu acho que não posso verdadeiramente ser o mais forte da humanidade até que eu possa aceitar isso como um homem, de um homem.
         - Esse é o espírito. - digo sorrindo.
         - Eu posso prometer entrar gentilmente. - diz Erwin - Mas uma vez que eu comece, não posso garantir que vou ser gentil com você.
         - Eu posso lidar com isso. Não se segura. - Levi disse confiante, com alguma luxúria escorrendo de sua voz.
      - Bem. - Erwin sussurra se enfiando na entrada franzida de Levi e eu observo quando ele deslizar para dentro, esticando-o amplamente. Um suspiro exasperado saiu de sua boca em sincronia com o de Levi. A visão disso despertou-me. Algum tempo depois, os movimentos lentos fizeram transições intensas, me arrasto para ver melhor a expressão de Levi e ele está mordendo o travesseiro para abafar seus gritos.
         Fico preocupada e acaricio seu cabelo para acalmá-lo. 
         - É bom? - pergunto.
       Ele assentiu, choramingando um pouco. Arrastando a cabeça para cima e joga no travesseiro de lado e me olha com olhos vítreos, batendo a mão no colchão enquanto dizia: 
         - Venha aqui. Ainda não terminei com você.
Com a ajuda de suas mãos, meus quadris foram guiados para se sentar na frente dele, onde Levi abre as minhas pernas e mergulhou o rosto. A vista é agradável, daqui eu posso ver a pelve de Erwin bater contra o traseiro arqueado de Levi, seu cabelo normalmente limpo havia se espalhado, fazendo-o parecer selvagem e desleixado, e o tempo todo, meu capitão me lambe entre minhas pernas.
        Eu ainda estou encharcada da semente de Levi e agora com sua saliva para adiciona à mistura, uma cascata transbordante se acumulava no lençol. Os dedos dos meus pés se enrolaram e os da minha bagunçavam o cabelo dele. Erwin encostou-se nas costas de Levi e, enquanto ainda bombeava no traseiro, apoiou o queixo no ombro de Levi e, como um animal faminto, juntou-se à festa.
        Os gemidos contínuos dos homens criavam vibrações em seus lábios, estimulando-me ainda mais. Ambos os seus nomes frequentemente deixavam os meus lábios enquanto suas línguas se uniam contra minha fenda, sugando e me penetrando juntas. Erwin me chupou por um tempo, e quando ele recuou para recuperar o fôlego, a língua de Levi me penetrou muito mais fundo e a umidade quente ondulante me fez gritar e estremecer descontroladamente.
         - Levi, estou perto. - Erwin diz lembrando-se de dar algum aviso desta vez.
         - Não puxe. - ele ordenou.
         - Tem certeza? Pode ser confuso para você.
         - Tudo bem, pode vim, não se importe. Esse é o único tipo de sujeira que eu gosto.
         E então Erwin fez o que foi dito e encheu Levi até a borda.
         Apenas brasas ardiam dos troncos queimados na lareira; as chamas haviam diminuído de força, assim como nós três tínhamos, isso tornou o quarto notavelmente mais escuro e rapidamente. Exaustos, nós três deitamos juntos na cama, nós escondemos sob o cobertor para afastar o frio, eu não conseguia me lembrar da última vez que sentir isso, exausto, física e mentalmente, nem mesmo um dia de treinamento foi excruciantemente desgastante.
         Suponho que... se esta é a nossa última noite juntos, isso fará uma boa memória, com esse pensamento, jogo a cabeça para dispersar o pensamento terrível. Convencer Erwin a permanecer nas paredes poderia ter acabado em fracasso, mas dar a ele a melhor noite de sua vida enquanto cumpria sua fantasia veio como uma vitória fácil. Esse pensamento encorajou Mikasa a subir um pouco.
         - Eu finalmente cheguei ao meu limite. - sussurrei de olhos fechados.
         Os dois homens estavam fracos demais para rir, mas ela podia sentir a diversão em seus tons quando eles disseram:
         - Eu acho que nós vamos ter que parar essa noite.
         - Sim, muito ruim. - Levi seguiu com a brincadeira.
         - Com toda a seriedade, isso ficou ainda melhor do que eu imaginava. - disse Erwin enquanto Levi e eu nos deitamos um da cada lado de nosso comandante.
        - Eu não posso acreditar que fiz isso... mas eu estou feliz que eu fiz. - murmuro contra seu peito e abriu as pálpebras a tempo de ver Erwin sorrir e com isso estendo a mão para acariciar sua covinha, admirando o quão bonito ele parece sorrindo, até que o último de sua energia diminuiu.
         Levi estende a mão para pentear os dedos nos meus cabelos, esfregando o polegar ao longo da minha têmpora enquanto os meus olhos se fechavam novamente.
       - Nós a esgotamos. - Erwin comentou, eu ainda estou acordada, mas, simplesmente não consigo mais manter os olhos abertos e a respiração de Erwin só ajudou a me relaxar ainda mais.
      - Nós não conseguimos o que viemos fazer aqui. - Levi sussurrou como se tivesse acabado de perceber algo - Eu sinto que nós realmente "recompensamos" você por ser um idiota teimoso.
         Erwin riu.
         - Você estava nos manipulando bastardo. Se eu tivesse mais energia, eu ficaria chateado.
         - Vamos lá, você se divertiu. Todos nós fizemos.
         - ... eu acho. Mas ainda assim. Eu quero que nós três façamos mais memórias assim juntas. Não nos deixe, Erwin. - Levi disse suplicante enquanto acariciava sua testa no peito de Erwin.
         - Eu não vou deixar. Estou indo com vocês dois, lembra?
         - Não seja um espertinho - avisou Levi. - Você sabe do que eu estou falando.
      - Não comece a se incomodar novamente - Erwin respirou fundo - Eu admito, é fácil esquecer o seu lado humano quando você está cercado por monstros e sonhos delirantes, mas vocês dois me ajudaram a redescobrir o que é sentir conforto nos outros. Por tanto tempo eu persegui sonhos distantes e passei nada além de realizar meus objetivos me satisfazer até agora, não percebi que estava deixando passar todas as coisas que faziam a vida valer a pena: sexo, companheirismo, amor. A vida está vazia sem nenhum desses elementos. Você precisa ter pelo menos um e eu não tenho nenhum, mas esta noite vocês dois me deram os três e eu não posso te agradecer o suficiente por isso, eu me sinto como um homem mudado, e isso não é apenas um sentimento pós-coito falando.
         - Então, você está dizendo que vai viver a vida ao máximo e não jogá-la descuidadamente?
         - Eu odiaria extinguir esse tom esperançoso em sua voz...
         - Não diga isso. Eu sei. - a voz de Levi voltou a ser monótona.
        - Eu não vou fazer nada imprudente. Eu prometo. Antes, eu não me importava se eu chegasse em casa ou não, porque não havia nada para mim em casa. Uma vez que meus objetivos foram cumpridos, eu não acho que teria um propósito neste mundo, mas se recuperá-lo significa que eu passei mais tempo com você e Mikasa, então vou tentar o meu melhor para voltar em uma só peça. 
        - Nós não mudamos de ideia sobre ir. - a voz de Levi era frágil - Mas tudo não foi em vão, mudar sua mentalidade de mártir é uma melhoria que eu posso me conformar. Estou te segurando nisso agora. Não faça isso... não quebre sua promessa.

- Eu não vou. Eu não estou apenas lutando por um conceito abstrato mais. Eu estou lutando por vocês dois também. Eu disse a Mikasa que eu não poderia imaginar o futuro para mim... mas eu poderia me imaginar feliz depois que tudo isso acabasse se eu estivesse com vocês dois. 
         Eu reabro os olhos e levanto a cabeça, atordoada, vejo Levi segurando o rosto de Erwin como se fosse a coisa mais preciosa para ele, e lágrimas rolando por suas bochechas enquanto ele o beijava e Erwin também o segura aprofundando o beijo cheio de sentimentos, eu fecho os olhos novamente, mantendo essa imagem em minha mente até que o sono me leva embora da realidade.


                                                      ~¤~


         Houve uma batida na porta, uma voz estridente seguiu-a. 
         - Comandante! Você não está acordado ainda?
       Erwin levantou-se da cama como um morto-vivo se levantando de um caixão, acordando Levi e eu, já que nossas cabeças estavam descansadas em seu peito, nós piscamos fracamente um para o outro, então ao redor da sala quando Erwin vai vasculhar seu armário.
        - Que horas são? - pergunto com um bocejo, esticando o pescoço para olhar pela janela, era difícil dizer se o sol estava subindo ou descendo - É de manhã?
         Levi examinou o relógio, o que não resolveu melhor o mistério, era 6 da manhã ou da noite?
         - Partimos dentro de uma hora! - A voz desesperada do outro lado da porta tinha respondido sem querer a nossa pergunta.
         - Merda. - Levi pulou de pé e tropeçou para recolher suas roupas, eu reajo quase identicamente.
         - Nós realmente dormimos tanto tempo? - pergunto abotoando a blusa e puxou a saia - Espere. Eu preciso do meu uniforme.
         - O mesmo. - disse Levi, vestido com a roupa preta que usava na noite passada - Vou correr para o quartel com você. Vamos nos reunir mais tarde, Erwin.
         Nós rapidamente saímos pela porta, quase derrubando o soldado confuso do outro lado, nós descemos apressadamente as escadas e colidiram bruscamente com o amontoado de policiais em pé no corredor do vestíbulo, bloqueando o caminho até a saída, murmúrios ociosos encheram o espaço, parecia que todos estavam se reunindo para uma espécie de reunião.
         - Ei, vocês dois não pertencem aqui. - disse uma voz de repreensão, o rosto familiar de Nile Dok se destacou no meio da multidão. 
         - Que negócio você tem aqui? - Nilo pergunta. 
         - Eu tive que falar com Erwin. - Levi mentiu no local, Nilo ceticamente mudou os olhos para mim, esperando por sua desculpa e quando isso não aconteceu, Nile coço irritada a parte de trás de sua cabeça. 
         - Você deveria ter dito a ele para mantê-lo na noite passada. Ele convidou todas as prostitutas do bordel para o seu quarto? Alguns dos meus homens me disseram que eles quase não dormiam com todo aquele tumulto acontecendo lá em cima.
       - Eu tenho certeza que esses porcos vão pegar no sono enquanto eles descansam fazendo absolutamente nada enquanto nós estouramos nossas bundas do lado de fora da parede. - Levi diz irritado.
         Assim como Nile estava prestes a dar a ele um pedaço de sua mente para isso, eu agarro Levi pela manga e arrasto-o através do mar de MPs e superiores. Lá fora, havia ainda mais corpos bloqueando seu caminho. A cidade estava cheia de mercadores e compradores, cavalos e soldados. Com as mãos entrelaçadas, atravessaram todos os obstáculos no caminho e continuaram correndo até que uma série de construções de tijolos aparecesse. Nenhuma alma estava à vista nos terrenos do quartel. Todos devem ter se preparado e saído horas atrás.
         Pouco antes de se ramificarem para seus alojamentos específicos de gênero, Levi me puxa para um abraço e me beija.
         - Espere. - relutantemente o empurrou de volta - Não temos tempo a perder.
         - Eu sei. Eu só precisava beijar você e obrigado por tudo, por me ajudar com Erwin, por retribuir nossos sentimentos. - timidamente, o olhar de Levi caiu no chão - Eu sei que você tem seus próprios amigos para se preocupar, eu também estou preocupada com eles, mas por favor me ajude a ficar de olho em Erwin lá fora.
         - É claro. Você nem precisa pedir, eu não vou deixar ele morrer ou você, ou qualquer outra pessoa com quem eu me importe, vamos conseguir sobreviver.
         Levi deu-me um pequeno sorriso. 
         - Você sempre é do tipo otimista.
        Nós nos separamos depois de mais um beijo.
        Eu saio correndo do dormitório assim que visto o uniforme e equipou o equipamento. Eu não sabia se Levi ainda estava se trocando ou se ele já tinha ido embora, sem tempo para procurá-lo, vou embora sozinha e encontro a grande reunião dos membros da Tropa de Exploração e do povo da cidade, eu sigo a comoção e me fundo com a multidão para aguardar ordens com o resto deles.
         À frente, distante, surgia o sol escaldante atrás da muralha que nós percorreremos está noite.
      A noite passada não tinha saído conforme o planejado. Erwin ainda comandaria a operação e Levi aceitou e planejou segui-lo como sempre. Do ponto de vista de um estranho, nada mudou. Para mim, no entanto, tudo mudou e as consequências dessas mudanças se aproximam rapidamente.
        - O que aconteceu com você na noite passada? - eu viro para ver Eren correndo para mim, Armin ficando para trás - Armin e eu ficamos preocupados e procuramos por todos os lugares. Você não estava em lugar nenhum.
         - Eu tinha alguns negócios para cuidar com o comandante e o capitão. - o beijo de Levi deve ter concedido a mim a habilidade de inventar uma mentira acreditável no local.
         - Negócio? -  a voz de Armin levantou-se com dúvida - Que negócio você teve com eles? Estávamos procurando por você até tarde da noite passada. Quando perguntamos as garotas se você alguma vez voltou para o dormitório, elas disseram que não a viram desde a celebração, elas nem mesmo te viram esta manhã.
         O beijo de Levi deve ter sido desgastado, ou talvez a habilidade não fosse forte o suficiente para trabalhar contra Armin.
         - Um... - antes que eu pudesse dar outra desculpa, uma sombra alta caiu sobre eles.
         Eren e Armin bateram os punhos contra os corações em saudação à chegada do comandante.
         - Bom dia, cadetes. Eu confio que você está em sua melhor forma, Eren?
         - Sim senhor.
         - E você, Armin, você descansou bem? Vou precisar de sua inteligência no campo.
         - Estou tão pronto quanto sempre estarei.
         Erwin balançou a cabeça, satisfeito com suas respostas. Seus olhos caíram para mim. 
         - Como você está cadete? - ele pergunta docemente.
         - Eu estou bem. - eu abaixo o olhar e acrescento tardiamente: - Senhor.
Sorrindo, Erwin se abaixa e eu sento um leve beijo em minha bochecha.
         - Um beijo de boa sorte. - foi o que ele chamou, piscando e um sorriso arrojado antes de endireitar-se.
         Antes que eu pudesse me recuperar do choque dele fazendo algo assim publicamente, recebo outro beijo em minha outra face, o beijo veio do capitão Levi desta vez.
         - Para ter um pouco mais de sorte extra para a estrada.
        Na minha frente, Eren e Armin golpeavam seus cílios, numa mistura de confusão e choque aparecendo em seus rostos. E as minhas bochechas ficam mais vermelhas do que o cachecol em volta do meu pescoço enquanto silenciosamente fervia em meu embaraço.
         Eu não sabia que tipo de expressões Erwin e Levi usavam, eu sou muito tímida para olha-los, mas imagino que eles transmitam um olhar de orgulho sem vergonha, e eles deveriam. Eu deveria. Erguendo a cabeça com confiança, decido usar seus beijos como um distintivo de honra. Se beijos realmente pudessem dar sorte, os três deveriam ter um suprimento infinito armazenado da noite anterior, esse sentimento me alimentou e eu cerro os punhos com força, olhando para a parede iminente como se fosse um inimigo.
         Eles podem fazer isso. Não. Eles "farão" isso. Todos nós passaremos por esta missão, eu prometo que quando o fizermos e tudo isso acabar, Levi, Erwin e eu passaremos o resto de nossas noites juntos enquanto vivessem, ontem à noite foi apenas o começo do nosso final feliz.

 

 

 

Fim.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Para quem leu o mangá, sabe o que aconteceu na última expedição, então eu acho... só acho que Mikasa não conseguiu seu final feliz. E nem Levi... só acho... kkkkkkkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...