1. Spirit Fanfics >
  2. Open Arms >
  3. You cant go

História Open Arms - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Me perdoem a demora mas vai valer a pena sz

Capítulo 23 - You cant go


Desci as escadas rumo a sala depois de ver que Edwin não estava mais no quarto.

— Você viu o Edwin? - perguntei a Nick que foi a primeira pessoa que vi.

— Eu vi ele passando para o quarto dele. - riu. - Animou demais e não vai aproveitar a festa dele. 

— Doido de tudo.

Olhei para a escada e vi Justin descendo depois de um tempo, ele me olhou e deu uma piscada pra mim. 

— Jade, você tem que ver isso. - olhei para trás de onde vinha a voz e vi Austin me chamando. 

Andei até a cozinha aonde pude escutar muitas pessoas gritando. Ao chegar vi Melissa virando uns drinks e todos ao redor instigando. 

Ave maria, vai sobrar pra mim. 

— Meu deus, tirem a Melissa dai. - gritei. 

— Está tudo bem Jade, parei por aqui. - ela disse e em seguida todos fizeram um som uníssono de tristeza. 

— Quer sentar lá atrás? - perguntou Austin do meu lado. 

— Claro! - aceitei e peguei uma bebida na cozinha e segui Austin até o jardim. 

— Está aproveitando? - perguntou ao sentar-se em um banco longo de madeira que havia lá. 

— O máximo que posso. - me sentei ao seu lado. - e você? 

— Ah... não do jeito que eu queria. - apoiou seus cotovelos no joelho. - Estou meio deslocado. 

— Por quê você acha isso poxa? - o olhei. 

— Ah não sei, sinto que falta alguém do meu lado. 

Silêncio. 

— Olha Austin... - pousei minha mão em seu joelho. - Você sabe que isso... - apontei para nós dois. - É muito difícil de acontecer, eu tenho minha vida no Brasil e você tem a sua aqui e é totalmente diferente da minha. Não consigo pensar em algo que faça isso funcionar sabe? - falei calma, esperando que Austin fosse entender. 

— Eu entendo mas sabe, se houver sentimentos dos dois lados não custa nada tentar. - ele me olhou eu suspirei. 

— Eu ainda não tenho um sentimento formado, eu preciso de tempo, tempo com você. Sim, eu gosto muito de você mas tínhamos que passar mais tempos juntos pra eu tomar uma decisão e isso não da certo comigo do outro lado do mapa. - eu não sabia o que estava dizendo, isso estava simplesmente saindo da minha boca sem pensar. 

— Bom o primeiro passo já temos, você gosta de mim. - ele riu nasalado e eu também. 

— O que atrapalha é a distância para começarmos algo. - suspirei. - Daqui praticamente um dia eu estou indo embora e minha vida continua, minha rotina, meu trabalho. Igualmente para vocês, vão fazer tour e cada vez mais sem tempo. 

— Pare de falar Jade, você só esta partindo o resto de coração que tem aqui dentro. - ele disse e se encostou no banco olhando pra cima. 

— Me desculpa. - olhei para baixo me sentindo mal, eu só queria desabafar tudo. 

— Não é culpa sua. - disse baixo. 

Ficamos em silêncio. 

— Não quero que você vá embora novamente, quero aproveitar você. - me olhou. 

— Como assim? - lhe olhei confusa, me aproveitar? 

— Não desse jeito que você pensou. - gargalhou. - Se você vai embora e eu não tenho chances, não podemos tirar uma casquinha sem compromissos? - piscou pra mim. 

Gargalhei. 

— Pra quem está de coração quebrado, está muito sem vergonha. - brinquei. 

— Rapazes de corações quebrados agora não podem aproveitar quem eles tem um tesão fudido e que vai embora em breve? - lançou um olhar malicioso. 

— Austin????? Pirou??? - quase gritei e cai na risada e ele também. 

— Não deixei de dizer a verdade. - piscou pra mim e encarou novamente as estrelas. 

Bebi toda minha bebida que havia no copo e coloquei no chão, levantei e puxei a mão de Austin. 

— Que isso? - perguntou. 

Não respondi apenas segui em direção ao lugar mais escuro do jardim e empurrei ele contra uma parede que havia na escuridão. 

— Agora foi você que pirou Jade? - perguntou rindo. 

Coloquei o dedo na sua boca pedindo silêncio e olhei para os lados vendo se não havia ninguém naquele local. 

Num movimento rápido tomei seus lábios para mim, levei minhas mãos para os seus cabelos e ele para minha cintura. Não vou negar, sentia saudades do seu gosto. 

Eu não sei como descrever esse beijo, poderia ser saudade, tesão, desejo e muito mais. Um beijo lento cheio de mãos atrevidas, as mãos de Austin estavam na minha bunda.

Realmente não iria doer se tirássemos uma casquinha como Austin disse, já que por enquanto não teríamos a oportunidade de ficarmos juntos. 

Desci meus braços e minhas mãos entraram dentro de sua camisa o causando arrepios pelo que senti. Arranhava delicadamente suas costas grandes e largas, o que fazia Austin sorrir durante o beijo.

— Temos que parar. - disse me afastando e sorrindo. 

— Por quê? - perguntei sem tirar minhas mãos de suas costas. 

— Eu não vou aguentar... - olhou para baixo e pude perceber seu volume. 

— Isso não é problema! - falei e passei minha mão por cima de seu volume.

— Jade! - ele suplicou gemendo. 

Gargalhei. 

— Sério, eu pensei em algo mais sério para esse momento, mas... - me puxou grudando nossos corpos. 

— Então você pensou nesse momento? - ergui umas das sobrancelhas. 

— Como não? - suas duas mãos seguram a parte de trás das minhas coxas e me impulsiona para que eu fosse para seu colo.

— Não pensei que você fosse assim Porter. - ele inverteu as posições pressionou minhas costas na parede enquanto meu vestido já estava na altura dos meus quadris. Sua mão esquerda apertou minha coxa e seguiu até minha calcinha  e arrastou para o lado. Em seguida ele abriu seu zíper da calça. 

— Tem muita coisa que você ainda não sabe sobre mim Jade. - sussurrou no meu ouvido e em seguida o senti todo dentro de mim, isso foi o ápice para que eu pudesse dar um grito de prazer. - Você não queria que fosse escondido? 

Colocou o dedo na minha boca pedindo silêncio. 

Então ele penetrou mais uma vez em seguida de varias vezes, única coisa que eu podia ouvir eram os nossos gemidos abafados e uma música de fundo. 

— Austin... - sussurrei. - Seu quarto. 

Ele riu e me desceu do seu colo e em seguida fechou seu zíper. Arrumei meu vestido e meus cabelos. Austin me olhou rindo e negando com a cabeça. 

Saímos daquele lugar escuro e entramos na cozinha seguindo para o quarto, caminhei sem olhar muito para as pessoas se não pela minha cara eu iria entregar muito. Subimos a escada e deixei que Austin me guiasse pois eu não sabia onde era seu quarto. 

Entramos no quarto no fim do corredor e Austin trancou em seguida e me encarou de cima a baixo. 

— Então esse é seu quarto! - andei rodeando os olhos pelo quarto que se encontrava meio bagunçado e ao mesmo tempo organizado.

— Sim! - disse chegando por trás de mim e desabotoando meu vestido. - Passo muito tempo aqui. - desceu as alças do meu vestido o descendo completamente até meu quadril. 

Ele agachou e puxou meu vestido delicadamente passando por minhas pernas e não deixou de dar um beijo na minha bunda, eu ri e terminei de tirar o vestido dos meus pés. Me virei para ele e puxei sua blusa pra cima que deixou seus cabelos meio esvoaçado. 

— Seu corpo é lindo. - disse me encarando e eu sorri tímida. 

Austin me pegou no colo me pegando de surpresa e me colocou na cama. Tirei meu sutiã e joguei para o lado. Sua mão direita logo vai de encontro ao meu seio direito e ele o contenta em lamber meu outro seio. 

Não quero delongas, sem paciência puxei ele para mim e minhas mãos buscam pelos botões de sua calça que ainda estava no seu corpo, ele a retirou e em seguida sua cueca box vermelha. Ele estava pelado na minha frente e eu apenas de calcinha que foi retirada com urgência por mim logo em seguida. 

Austin se levantou e foi até sua calça retirando de lá uma segunda camisinha, a primeira tínhamos usado lá embaixo. Ele rasga a embalagem em suas mãos e envolve seu membro com o plástico, Austin volta a se deitar em cima de mim e sinto seu membro me tocar e em seguida encaixar-se em mim aos poucos e a sensação de antes toma conta do meu corpo.

Puxo seus lábios para mim ao mesmo tempo que ele me preenche e se movimenta, solto um gemido abafado entre o beijo e Austin geme junto comigo quando se movimenta com maior velocidade dentro de mim. Nossas testas estão coladas, meus olhos fechados somente sentindo o prazer. 

Ponho a mão no seu peito e peço que ele pare, inverto as posições e Austin me olhando sorrindo safado. 

— Porra, não faz isso! - diz em seguida que sento em seu colo com cuidado.

— Você pediu, vai ter que aguentar! - digo e ele morde os lábios ao ouvir e minhas pernas treme ao sentir suas mãos na minha bunda me ajudando nos movimentos. 

Nossos corpos suados e conectados, sentindo a presença e o tesão um do outro. O que eu estava sentindo era fora do normal, é isso que se sente quando faz sexo com a pessoa que realmente gosta? 

Sim, eu gosto do Austin. Amar? Ainda é muito cedo para tirar uma conclusão concreta. 

Gemo varias vezes até atingir meu próprio êxtase, a sensação que eu tanto buscava e meu corpo estreme todo ao sentir. Austin continuou até que ele também atingisse seu ápice. 

Ainda continuo sentada em seu colo abraçados somente sentindo a batida do coração de cada um. Um momento único que talvez eu não sentiria tão cedo após partir. 

Encarei Austin e sorri lhe dando um beijinho no nariz. Deito ao seu lado e ele se levanta indo até o banheiro jogar a camisinha fora e volta deitando ao meu lado e me puxa para perto. 

— Esse é o momento mais feliz de todos esses tempos mas mesmo assim ainda me sinto triste porque você vai embora. - disse acariciando minhas costas. 

— Não pensa nisso, aproveita o momento. - sorri para ele que me da um selinho. 

— Não consigo, eu não quero que você vá embora. - me encara. - Nesse meio tempo você conseguiu juntar os caquinhos do meu coração e já já ele estará todo quebrado novamente. 

 


Notas Finais


Gostaram? A demora valeu a pena ne? Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...