1. Spirit Fanfics >
  2. Operação 5 de Abril. Hansebin >
  3. Único; Subin-ah, não bata na gente.

História Operação 5 de Abril. Hansebin - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, gente!!! Como vocês estão? Eu espero que bem!

Hoje eu trouxe a fanfic de aniversário do meu denguinho Subin, meu amado utt mais novo do victon. Tenho muito orgulho dele, por tudo que ele se tornou e por ser quem ele é hoje, cresceu e evoluiu muito, acredito que ele ainda seja um neném (depende tbm) mesmo ele achando que não, mas não posso negar que ele está crescendo. Merece o mundo ;( Deem muito amor a ele e ao victon, eles merecem muito.

Hoje o Sejin reativou seu ig e eu fiquei tão feliz, é outro neném e eu espero que ele esteja bem. Sua volta me deu pique pra finalizar essa obra aqui.

Eu espero que gostem, não foi nada muito elaborado, mas foi mais pra não passar em branco e o próximo aniversariante é o Seungsik, dia 16 então hehe.

Boa leitura, gente.

Capítulo 1 - Único; Subin-ah, não bata na gente.


O dia tinha amanhecido nublado, as nuvens pareciam estar carregadas de água e o tempo estava frio, a claridade entrava sutilmente pelas frestas da cortina e aquilo fez com que Subin acordasse primeiro. Ele se espreguiçou devagar e olhou para o lado, vendo Hanse deitado de forma aconchegando em seu peito e do outro, Sejun adormecido com o nariz perto de seus fios e com um dos braços envolvendo sua cintura. 

 

Subin tentou levantar, mas falhou facilmente quando Sejun o puxou para pertinho e Hanse lhe agarrou para que ficasse um pouquinho ali, o mais novo dos três sorriu abobadamente, enfim cedendo ao conforto junto dos namorados. Esses que despertaram lentamente, mas preferiram ficar um pouco mais com Subin, lhe dando carinho e enchendo de beijinhos.

 

Hanse passou seu nariz contra o do Jung, em seguida deixando um beijinho em seus lábios, já Sejun, beijava levemente o pescoço do mais novo, abraçando seu corpo e lhe dando carinho. 

 

Ele ao menos reclamava, aquela troca de carinhos matinal eram frequentes e gostava tanto daquilo, mesmo que dormissem em uma cama apertadinha dentro de um quarto pequeno, era gostoso acordar com aquilo, ainda mais naquele dia. 

 

Assim que a troca de carinhos acabou, o Jung ficou esperando algo a mais, porém não veio, então resolveu levantar e ir para cozinha, já que um cheiro bom estava vindo de lá. Como eles moravam num dormitório, todos os membros acordavam em horários similares e comiam juntos, então era normal ter alguém cozinhando todos os dias. 

 

Quem estava lá era Seungsik, acompanhado de Seungwoo, o mais velho tomava café enquanto observava o namorado preparar panquecas, e era tão fofinho como eles agiam, mesmo que um só estivesse respirando, era visível como se amavam. Subin chegou na cozinha e logo atrás de si, Hanse e Sejun estavam. 

 

O Kang viu seu filhote entrando e logo o recebeu com um abraço apertado, ele iria desejar feliz aniversário, mas de repente não desejou, e isso pelo fato de Hanse e Sejun estarem indicando exageradamente para que não falasse. Já Seungwoo, sorriu para seu pequeno e bateu no banco para que ele sentasse ali, assim, Subin o fez, recebendo um cafuné do mais velho. 

Chan e Byungchan chegaram logo depois com cara de sono, principalmente o Choi, que parecia estar ainda dormindo, porém, sentou-se do lado de Subin e lhe abraçou, aconchegando-se no abraço quentinho do amigo dormindo um pouco mais, mas logo foi acordado por Sejun dizendo que Byungchan poderia dormir no Heo, que não era necessário dormir em Subin. 

 

O mais novo de todos sorriu travesso e disse que o Choi poderia sim dormir em seu ombro que não queria problema. Já Hanse, riu da cena toda e foi até o Jung, abraçando seu tronco e deixando beijinhos pelas bochechas, e aquela ação fez com que Sejun ficasse com as bochechas infladas e braços cruzados, parecia uma criança. 

 

Logo depois disso, eles tomaram café juntos e em nenhum momento Subin ouviu falarem do seu aniversário. — E também não viu os olhares trocados de todos os seus hyungs. — De fato, estava chateado, mas preferia guardar a mágoa para si, quem sabe eles não lembrariam, pensou ele. 

 

Daquela forma, ele tentou não pensar naquilo, mas foi possível quando todos os seus Hyungs saíram com a desculpa que tinham que fazer algumas coisas, e querendo ou não, ficou mais chateado ainda pensando que realmente eles teriam esquecido seu aniversário, até mesmo seus namorados…

 

Porém, tentou ser paciente e esperar, mas esperou por horas demais, tomou banho, se pendurou na barrinha que ficava presa na porta do seu quarto, comeu, tentou dormir e até mesmo se escondeu entre as roupas, no entanto, nada conseguia tirar o sentimento de tristeza que estava se formando no peito. Já era tarde e ninguém tinha dado notícia, então a sua última opção foi ligar para eles.

 

Ninguém atendeu.

 

Então Subin chorou, chorou pelo fato de não ter ninguém ali, de não terem lembrado de seu aniversário e aquilo estava o matando, mas, ao escutar o barulho da campainha chiar por todo o dormitório, foi correndo para a porta de entrada, ligando a telinha e esperando que fosse alguns de seus hyungs. Mas, não era, era Xiao, um amigo íntimo, seu e de seus namorados. 

 

Antes de abrir respirou fundo e abriu, vendo a estrutura alta do mais novo em sua frente, ele carregava um lindo sorriso no rosto e uma caixinha com frangos. Ele gritou: Happy Birthday com o sotaquezinho coreano que particularmente achava fofo, então o mais velho entre eles o deixou entrar.

 

Xiao deixou a caixinha de frango na mesa e abraçou Subin, dando um breve selinho em seus lábios desejando novamente feliz aniversário. — Pelo menos ele havia se lembrado. — Logo, o mais novo disse que seu presente era a caixinha de frango e até se fez de bobo perguntando onde estavam os outros.

 

E claro, aquela encenação toda fazia parte do plano de Hanse e Sejun para a grande surpresa de Subin. 

 

Assim que eles comeram  frango, ficaram largados na cama de Subin até que desse duas horas da tarde, onde Xiao inventou um compromisso e foi embora, o Jung não sabia, mas o amigo só tinha ido ali para conferir se o mais velho estava bem e se ele não desconfiava de nada e de fato, não desconfiava.

 

Já Hanse e os outros, receberam a mensagem de Xiao confirmando que o aniversariante não desconfiava de nada , mas que ainda estava meio ‘pra baixo por conta dos acontecimentos. Com isso, Sejun e Hanse tiveram a ideia de ir até o dormitório, e teriam que deixar o resto das preparações para os outros, pelo menos não faltava muito, só o bolo e alguns aperitivos. 

 

Então acabaram por se despedir de todos e foram direto para onde Subin estava, mas lembraram-se que teriam que guardar segredo, e eram péssimos nisso, e aquela era a operação mais importante de suas vidas, era aniversário da pessoa que iluminava seus dias, tirava risadas nos piores momentos e era quem eles queriam passar o resto da vida. 

 

Quando chegaram no dormitório, ambos respiraram fundo e abriram a porta, e a primeira coisa que fizeram foi estranhar o tamanho silêncio que pairava em sua casa, simplesmente estranho e suspeito. Onde estava Subin? Por que aquele silêncio todo? Não sabiam o porquê, mas era estranho demais.

 

Logo, eles foram para um em cada canto procurar o mais novo, porém, ele não estava em nenhum lugar, era o único lugar que faltava era o quarto dos três, assim, eles se juntaram e abriram a porta do quarto em conjunto. Tudo estava escuro e no cantinho da cama tinha um Subin em posição fetal chorando baixinho.

 

Sejun e Hanse se sentiram mal ao ver aquela cena, acenderam a luz na expectativa do mais novo os ver, mas foi em vão, pois ele havia se escondido mais naquele emaranhado de cobertas quentinhas. Os namorados se aproximaram devagar e sentaram-se na cama junto do mais novo, em seguida descobriram Subin fazendo com que ele soltasse um murmuro de reprovação.

 

— Subin-ah, sabemos que você tá chorando. — Disse Sejun primeiro.

 

— Por que nosso bebê está assim? — Hanse proferiu calmo. 

 

— Vocês não merecem minha atenção. — Resmungou o Jung.

 

— Então por que está falando com a gente? — Hanse disse abraçando seu namorando e dando beijinhos em seu pescoço. 

 

— Subin-ah, soubemos pelo Xiao que você estava meio tristinho e aí chegamos aqui e você estava chorando, pode nos explicar o que está acontecendo? — O Lim disse.

 

— Não consegue ficar algumas horas sozinho, amor? — Hanse continuou.

 

— AISH! — Exclamou nervoso. —  Eu posso muito bem ficar S.O.Z.I.N.H.O, mas eu pelo menos esperava receber parabéns de vocês, é meu aniversário. — Finalizou triste. 

 

Os mais velhos se entreolharam e sorriram, deixando Subin em dúvida, cada um se aproximou e deu um beijo em cada lado do rosto do Jung, desejando feliz aniversário logo em seguida. 

 

— Não esquecemos seu aniversário, só não demos parabéns… 

— YAH, EU VOU BATER EM VOCÊS. — Disse irritado, já levantando a mão para dar um tapa em cada um. 

 

— Subin-ah, NÃO precisa nos bater, calma calma calma. — Sejun disse desesperado.

 

— Vocês mereciam muitos tapas meus, idiotas. Me magoaram — Cruzou os braços ainda irritado. 

 

— Amor, vá tomar banho, vamos te levar pra jantar em forma de desculpa e para comemorar. — Disse o Do.

 

— Vocês vão me pagar bolo com sorvete? — Perguntou curioso.

 

— Vamos! — Disseram em união.

 

Depois disso, Subin foi tomar banho enquanto Hanse ligava para Seungsik avisando que eles iriam demorar um pouco mais, mas que logo estariam lá. 

 

E não tanto quanto o esperado, não se passaram nem trinta minutos e Subin já estava pronto. Ele vestia roupas totalmente pretas que destacavam seu lindo sorriso encantador, e quando todos já estavam de acordo, foram para o suposto jantar.

 

Mas, o que Subin não esperava era que havia uma festa só para si, todos seus hyungs preferidos estavam lá o esperando animadamente, todos queriam comemorar o aniversário do mais novo. A verdade é que era muito difícil esquecer aquela dada, era o nascimento de uma luz, o Jung era uma luz que iluminava o coração de todas as pessoas, principalmente daquelas que vivam contigo diariamente e aquela festa era uma forma de agradecer sua existência e esforços.

 

Ele realmente se surpreendeu quando chegou no restaurante que havia conhecido os outros, estava tudo escuro, então esperou que seus namorados tivesse alugado o lugar por algumas horas, mas faltou chorar quando viu os balões, escutou a gritaria e todos os seus hyungs preferidos reunidos e até mesmo Xiao estava ali para comemorar seu aniversário.

 

E no meio daquela bagunça de abraços, pedidos de feliz aniversário e música, ele só pode pensar que sem aquelas pessoas ele não seria nada, eles eram quem o fazia acordar e dar seu melhor. Hanse e Sejun eram as pessoas mais importantes na sua vida e sabia que aquilo era coisa deles, ficou agradecido por tê-los, poder passar a data mais importante de sua vida com eles e dividir um amor lindo.

 

E no fim, a operação 5 de Abril havia ocorrido de forma duvidosa, no entanto, concluída com muito sucesso. 


Notas Finais


Vocês me conhecem, caso tenha erros, sinto muito, eu de fato to muito preguiçosa , mas logo mais eu velho corrigir.

Eu fiz a capa e fazia MUITO tempo que não praticava algo divertido, então se ficou meio errr sinto muito, eu realmente perdi a manha para isso KKK mas é o que tem pra hoje

Obrigada para quem leu até aqui e até a próxima.

Beijinhos de luz da nana <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...