1. Spirit Fanfics >
  2. Operação beijo perfeito - Park Jisung >
  3. Descubra sozinha

História Operação beijo perfeito - Park Jisung - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


oii meus amores!! 💓💓
como vão, hm? espero que bem ^^
escrevi esse capítulo com carinho e, do fundo do coração, torço para que gostem 💘💘

desejo uma boa leitura <<3

Capítulo 11 - Descubra sozinha


Suspirei cansada ao chegar na escola. Dentre esses dias, os professores não tinham dó em passar trabalhos e adiantar as revisões. Por esse motivo, dormi tarde estudando e minha cabeça estava estourando por causa disso.

Estar no terceiro ano era mais difícil do quê eu imaginava…

— Bom dia, Sosô! — comentou Yeejin, alegremente se aproximando com Hana.

Acredito que pelo fato de eu ter dado apenas um sorriso fraco e, franzir minha testa, demonstrou que não encontrava-me cem por cento.

— Nossa, você está acabada! — afirmou Hana, me analisando. Apesar da frase nada delicada, seu tom de voz não foi rude.

— Você dormiu bem, amiga? — perguntou Yeejin, enlaçando seu braço ao meu, ao perceber que eu caminhava mais lento que o normal.

— Olha o estado dela, Yee! A Sohyun tá mais para lá, do quê para cá! — falou comprimindo os lábios, provavelmente sentindo pena.

Não a julgo, eu deveria estar parecendo uma figurante de 'The Walking Dead.

— Não seja tão dura, Hana! — avisou Yeejin, olhando a outra de soslaio.

— Está tudo bem, eu realmente estou acabada e tenho novidades para contar… — falei com um pequeno sorriso no rosto, tentando ignorar a pressão que minha cabeça fazia enquanto eu andava.

— Oh, nos conte tudo! — pediu Hana, se empolgando.

Tínhamos acabado de virar um dos corredores, indo em direção aos armários.

— Eu estava com o Jisung, né? — perguntei retoricamente — Estávamos subindo as escadas para chegar em casa e, não sei explicar o que houve, mas por um momento achei que ele fosse me beijar — falei num tom mais baixo, enquanto mantinha-me pensativa.

O QUÊ? — indagou Hana, arregalando os olhos e falando num tom mais alto.

— Hana! — repreendeu Yeejin, a olhando feio — Tem um mega fone na boca, é?

Encolhi meus ombros ao perceber que algumas pessoas nos encaravam.

— Me desculpa, mas sinceramente…? Estou chocadíssima! Vai me dizer que também não está? — questionou surpresa, sussurrando.

Yeejin mordeu os lábios, indicando estar receosa.

— Na verdade…eu estava suspeitando de algo entre eles dois. — desfez o contato comigo e foi abrir seu armário — Eu notei que a Sohyun está mais próxima do Jisung e, ele a olha diferente.

A encarei boquiaberta.

— Mas somos vizinhos! Claramente somos próximos, Yee — argumentei — E como assim? Diferente de que jeito? — perguntei curiosa.

Falar do mais alto naquele momento me deixou ansiosa.

— Por que se importa tanto? — Hana franziu o cenho para mim, como resposta apenas dei de ombros.

— Sosô, você já foi até bem próxima do Sung… — admitiu Yeejin, fechando seu armário e nos guiando para continuar andando — Mas agora, é diferente, né? Não consegue perceber?

— Não — falei sincera, fazendo minhas amigas rirem — Não vão me contar? — perguntei incrédula.

— Precisa descobrir sozinha, Sosô — Yeejin piscou um dos olhos para mim.


[…]


Após a última aula acabar, fiquei revisando o assunto de geografia, porque não tinha entendido alguns conceitos. Respirei fundo ao sentir minha cabeça latejar mais uma vez e, a ânsia que ameaçava meu estômago.

Acho que não deveria ter vindo para a escola.

— Sohyun! — escutei Jisung me chamar, ele estava animado. Deixei de olhar os livros e passei a o fitar.

Soltei um pequeno sorriso ao vê-lo. No entanto, o mais velho me olhou desconfiado e se aproximou de mim.

— Ei, o que houve? Você está pálida… — murmurou me analisando.

Notei como ele pareceu preocupado, mas eu não queria que ficasse desse jeito.

— Nada demais — sorri fechado — Sabe como é, né? Não tomo muito sol…

Jisung não parecia convencido, mas apenas sorriu mínimo.

— Tenho medo de um dia acordar e ver você dormindo no teto e, pedir pra tomar meu sangue — disse me fazendo gargalhar.

— Você não presta… — neguei com a cabeça e me levantei para guardar meus pertences.

— Se isso indicar que não vai morder meu pescoço, fico feliz… — falou pegando minha mochila e me ajudando, logo a pondo em seus ombros.

Não demorou muito para sairmos da sala e seguirmos para o corredor vazio.

— Preparada para sua primeira aula de basquete? — indagou divertido, com uma de suas mãos em seu bolso.

Sorri para tentar responder, porém senti minhas pernas fraquejarem por um momento, me fazendo parar e apoiar-me no ombro de Jisung. Fechei meus olhos para ver se a tontura diminuía, mas não parecia dar certo.

Sohyun? — questionou com a voz séria.

Não falei nada e isso obviamente o deixou mais preocupado.

— Vou pedir pro Mark cancelar hoje e vamos para casa. — abri meus olhos e o vi pegar seu celular — Você não está nada bem.

— Não… — resmunguei.

Me afastei do meu amigo e o mirei, sua feição indicava que situava-se aflito.

— Ainda posso ir na quadra — afirmei, tentando sorrir.

— Você é maluca!

— Não sou, não.

— É, sim! — reforçou — Desde que olhei para você percebi que não estava bem e, as meninas me disseram para vir te ver, pois parecia meio doente.

— Não estou doente.

— Ah, não? — arqueou uma das sobrancelhas — Você quase desmaiou nesse instante, Sohyun!

Involuntariamente fiz um bico, não gostando da situação.

Jisung se aproximou de mim e segurou meu rosto com as duas mãos.

— Vamos para casa, huh? Aí você descansa melhor — falou manso, fazendo com que eu me acalmasse. Seus olhos se encontraram com os meus e, por um momento, achei que meu mundo tivesse parado.

Apenas concordei e nos afastamos, talvez tímidos pelo momento anterior. Contudo, não demorou muito para a sensação ruim voltar e minha visão escurecer.


[…]


Acordei em casa, na minha cama. Precisei fechar meus olhos rapidamente, pois a luz estava acesa e fazia minhas orbes arderem.

— Ela acordou! — escutei alguém dizer.

Apoiei minhas mãos no colchão macio e me sentei. Abri meus olhos e percebi ainda estar com as roupas do colégio. Em questão de segundos, avistei Taeyong, Jeno e Jisung, ambos me olhando preocupados.

— Como você se sente, Sosô? — indagou Jeno, se sentando ao meu lado e passando a mão em meu cabelo.

— Hm, acho que bem — falei com a voz meio rouca por ter dormido.

— Estávamos caminhando no corredor e você começou a passar mal… — iniciou Jisung.

— Você por acaso comeu alguma coisa hoje, Sohyun? — perguntou Taeyong, com um semblante sério.

Crispei meus lábios e olhei para meu colo, sem graça diante a situação. Pude escutar um suspiro vindo de Jeno.

— Não posso acreditar que não comeu nada! — verbalizou Taeyong, irritado.

— Eu acabei esquecendo, Yong… — choraminguei — Não vai acontecer mais, prometo que juro! — sorri pequeno.

— Promete? — os três falaram juntos, tanto que se olharam surpresos pelo ato.

Balancei a cabeça positivamente e sorri.

— Eu e o Tae vamos fazer lanches, okay? Descansem, crianças — disse Jeno, sorrindo com os olhos e saindo com o mais velho do ambiente.

— Ji… — falei baixinho, levantando minha cabeça para o olhar — Me desculpa por isso, tá? Não foi de propósito, eu…

— Eu sei, Sosô — disse me interrompendo e mostrando um sorriso — Te conheço bem para saber que estuda muito e, na maioria das vezes se esquece de comer. Isso tem que parar, hein? Seria muito melhor ver você se tornando vampira, do quê desmaiando por não comer.

E mais uma vez, sorri pelas palavras dele. Jisung era incrível, me pergunto o motivo de termos nos afastado durante um tempo…éramos muito amigos. Com isso em mente, digo:

— Jiji!

O último citado me encarou com uma sobrancelha arqueada.

— Jiji? Não me chama assim faz muito tempo! — disse surpreso, se sentando ao meu lado.

— É, você tem razão — concordei — Mas por que nos afastamos? Eu fiz algo de errado? — perguntei confusa.

Jisung me olhou assustado.

— O quê? Não! Nem pense numa coisa dessas — pediu rapidamente — Hm, não sei, sabe? Acho que só acabou acontecendo…

Ele não olhava para mim e seus dedos rodeavam o botão de sua blusa, como se fazer aquilo fosse a coisa mais importante do universo. Resolvi ignorar a resposta fajuta.

De repente, o celular dele tocou. Pude ver que era Haerin, mas ele desligou.

— Hm, e a sua namorada? Ela não vai se importar de você estar aqui comigo?

— Nós…não somos namorados, Sohyun — passou a me fitar, dando um sorriso mínimo.

— Mas ela queria que fosse — dei de ombros, tentando não ligar para a sensação esquisita em meu peito.

— Por que essas perguntas aleatórias? — indagou risonho.

— Você queria?

— O quê?

— Ser namorado dela?

E igual aquele dia na escada, Jisung me encarou de um jeito intenso…um jeito que estranhamente me fazia perder o fôlego.

— Você queria que eu fosse? — perguntou baixo.

— Chegamos com os lanches! Acreditam que tô ficando bom na cozinha? — indagou Jeno, vindo animadamente com pequenas bandejas com pequenos sanduíches, enquanto Taeyong vinha com suco.

Olhei para eles sorridente.

— É bom comerem para repor as energias — garantiu meu irmão mais velho, distribuindo para nós a comida.

Eu e Jisung agradecemos, logo começando a comer. Porém, logo me peguei pensando no que Yeejin disse.

Meu amigo me olhava diferente, além de que eu me sinto nervosa em algumas ocasiões perto dele. Não posso esquecer do quase beijo e de todos os momentos que passamos juntos.

As memórias faziam meu coração ficar quentinho, mas por que não sinto a mesma coisa por Mark? Será pela pouca convivência que tivemos ou…não gosto mais dele?

Seja o que for, a resposta me deixa angustiada.


Notas Finais


oq acharam do capítulo de hoje? Sosô finalmente percebendo seus sentimentos? ou será que nn?
pedro dúvidas 🙈

assim como ela, tentem não se cobrar tanto nos estudos a ponto disso, hein? se cuidem direitinho 💗💗💗
#sosung tá com tudo, sou apaixonada ^^

beijos de luz 💘💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...