1. Spirit Fanfics >
  2. Operação Grover >
  3. Capítulo Um

História Operação Grover - Capítulo 1


Escrita por: _alguem_ninguem_

Capítulo 1 - Capítulo Um


"E lá estava ela, no alto da torre, escovando seus cabelos loiros encaracolados, e esperando quando pudesse sair dali, para..."

— Isso tá horrível cabeça de alga. — diz Annabeth, se jogando na cama, fazendo seu cabelo se espalhar pela cama.

— Você que escreveu o roteiro, eu não posso fazer nada. — diz Percy, olhando para o computador onde estava aparecendo as imagens que a câmera capturava.

Annabeth finge não ouvir isso e se vira para Grover.

— Tá gravando isso direito? — pergunta ela para ele, que estava ajeitando a câmera.

— Eu faço isso a mais de um ano, acha que eu não sei como fazer isso? — pergunta Grover, olhando para ela, que só o encara, levantando as sobrancelhas, Grover suspira e diz: — Sim, eu estou.

— Vocês sabem como amanhã vai ser um dia importante pra mim. — diz ela, para seus dois melhores amigos que estavam no quarto.

— Eu sei sabidinha. — diz Percy, virando com cadeira para olhar Annabeth que ainda estava deitada na cama. — Você finalmente vai cortar seu cabelo.

— Ainda bem né, — diz Grover, se movendo de um lado pro outro do quarto com a cadeira com rodinhas. — se ficasse mais um ano assim chegava até o chão. — diz ele e Percy ri, fazendo Annabeth revirar os olhos.

— Um ano não, talvez uns cinco anos, aí já deve ter chegado no chão. — diz Annabeth, se sentando na cama, e ajeitando seus cabelos, que iam até em abaixo de sua bunda, ela tenta arrumar eles, mas sem sucesso, já que assim que toca alguma parte logo atrapalha outra.

Você não deve estar entendo muita coisa, então vou tentar explicar, quando Annabeth tinha cinco anos, ela ficou muito doente, fazendo com que seus pais ficassem muito preocupados de a perderem para a doença, e uma tia dela, muito obcecada por deuses gregos disse para a mãe de Annabeth fazer uma promessa para algum deus grego e a cumprir, qualquer coisa, para salvar a vida de Annabeth, os pais de Annabeth acabaram aceitando, já estavam preocupados demais com Annabeth para pensar se aquilo era enganação ou não.

Eles fizeram um pedido e uma promessa, o pedido era que Annabeth se curasse, claro, a promessa já foi um tanto inusitada, eles não iriam cortar o cabelo de Annabeth até ela fazer dezessete anos. Pra que um deus grego ia querer que uma pessoa ficasse anos sem cortar o cabelo ninguém fazia idéia, mas acabou que o deus aceitou de algum modo, já que logo após essa promessa ser feita Annabeth já mostrava estar melhorando e uma semana depois ela já demonstrava não estar com nem um pingo mais de doença.

Eles cumpriram a promessa, tinham medo de que se não o fizessem, os deuses se vingariam, eles são bem vingativos caso não saiba. Então Annabeth, que nem entendia muita coisa quando a promessa foi feita, teve que ficar sem cortar o cabelo por doze anos sem cortar, fazendo ela adquirir um cabelão, e ser chamada de Rapunzel na escola porque seus cabelos além de serem longos também tinham que ser loiros, pose total de Rapunzel. E para melhorar a situação ela ainda morava numa casa que lembrava muito a torre da Rapunzel e seu quarto ainda era no formato da torre, porque quando ela era pequena ela queria ter o quarto digno de princesa, ou seja, em uma torre.

E sua mãe, por ser muito conservadora, e gostar de controlar Annabeth, também era conhecida como a mamãe Gothel, não que alguém a chamasse assim na frente dela, ninguém seria maluco o suficiente para isso, a não ser o pai de Percy, seu melhor amigo, aquele lá não tinha medo da morte, vivia provocando a mãe de Annabeth, que só faltava tacar uma faca na cara dele sempre que abria a boca para falar com ela.

E amanhã era aniversário de dezessete anos de Annabeth, ou seja, era o dia em que ela finalmente ia poder cortar seu cabelo, algo que Annabeth queria muito fazer.

— Já sabe se vai cortar mesmo? Quer dizer, sua mãe meio que não iria gostar se você cortasse. — diz Percy para Annabeth.

— A mãe dela ou você? — pergunta Grover para provocar Percy, fazendo Percy o olhar com um olhar de cala a boca.

— Porque o Percy não iria gostar que eu cortasse o cabelo? — pergunta Annabeth olhando para eles, fazendo Percy ficar vermelho, e voltar a olhar o computador, mas não sem antes olhar para Grover com um olhar de: se você falar o que eu te disse, eu te mato!

— Sabe, porque aí vocês iriam parar de ser o José Bezerra e a Rapunzel da escola. — diz Grover, e Annabeth o olha com uma cara irônica.

— Nós não somos um casal pra ficar dizendo que nós somos eles. — diz Annabeth.

— Não é isso que as pessoas acham. — diz Grover cruzando os braços.

— Dane-se o que as pessoas acham, eu e Percy não nos gostamos, não é Percy? — pergunta Annabeth, direcionando seu olhar para o Percy, que estava fazendo nada no computador, mas fingia estar fazendo algo. — Não é Percy?

Percy olha para trás para falar algo, e Annabeth acha que ele vai responder sua pergunta.

— Esse tom tá muito claro ou tá bom? — pergunta ele, mostrando o tom que o vídeo tava, e não respondendo a pergunta de propósito, fazendo Grover reprimir a risada.

— Não, tá muito claro, parece que eu sou um fantasma. — diz Annabeth, depois de analisar o vídeo e Percy assente com a cabeça, voltando a trabalhar no vídeo. — Mas voltando, você não gosta de mim né Percy?

Percy finge não ouvir a pergunta, e Grover só falta quebrar suas costelas pelo esforço de não rir.

— Cabeça de alga! — grita Annabeth, irritada por ele não lhe responder. — Você não gosta de mim né?

Percy se levanta e vai em direção à porta do quarto, e ele diz:

— Vou beber água, já volto. — diz, e sai do quarto, fechando a porta rápido demais, fazendo sair um estrondo, e Annabeth agradecer mentalmente por sua mãe não estar em casa para ouvir aquilo.

Annabeth olha para Grover, que já desistiu de não tentar rir, e agora está rindo e muito, tendo que segurar a barriga e quase se jogando no chão.

— O que você sabe que eu não sei? — pergunta Annabeth, irritada por não saber de algo. — O que ele te disse?

— Nada. — diz Grover, ainda rindo. — Se você tivesse que saber algo ele te contaria, você é a melhor amiga dele.

— E você é o melhor amigo, é claro que ele vai contar alguma coisa só pra você e não pra mim. — diz Annabeth.

— Tipo você quando me disse que Luke tinha te chamado para sair no dia do seu aniversário? No caso amanhã — pergunta Grover, e Annabeth abre a boca para saber o que responder sobre isso.

— Eu só não contei para o Percy, porque sei que ele ia me dizer para não ir, já que ele não gosta dele. — diz ela, tentando se defender, fazendo Grover a olhar incrédulo.

— Eu também não gosto do Luke, e também te disse para não ir, e mesmo assim você vai. — diz Grover. — Quer dizer que a opinião do Percy vale mais que a minha, ao ponto e você nem querer saber a opinião dele sobre isso pra não mudar de idéia?

— Eu não disse que se o Percy me dissesse para não ir, eu iria obedecer. — diz Annabeth ficando na defensiva.

— Então conta pra ele. — diz Grover.

— Não. — Annabeth responde rápido.

— Por que não? — pergunta Grover.

— Porque eu não quero. — diz Annabeth, e antes que Grover possa falar algo ela diz: — E você também não pode contar nada pra ele. Mas e aí, o que ele te disse que não me contou? — pergunta Annabeth, olhando para Grover com muito interesse, esperando ele contar.

— Se eu não posso contar pra ele sobre o que você me diz, eu não posso contar para você o que ele me falou. — diz Grover, sorrindo irônico para Annabeth, que revira os olhos, e bufa de raiva.

— Conta logo Grover! — diz ela irritada, e pela cara que ela direciona a Grover, ele pensa se guardar o segredo de Percy seria melhor do que preservar a sua vida, mas para a glória de Grover, Percy decide entrar no quarto naquele momento.

— Contar o que? — pergunta Percy, para eles quando entra. — Deu pra ouvir o grito da Annabeth do outro lado da casa.

Annabeth e Grover se olham, e depois olham para Percy, e se olham de novo, fazendo Percy os olhar desconfiado.

— O que está acontecendo aqui? — pergunta Percy, sentando na cadeira, e olhando para os dois. — O que vocês estão me escondendo?

— Nada cabeça de alga. — diz Annabeth. — Vamos voltar a gravar o vídeo logo.

— Grover, o que vocês estavam conversando? — pergunta Percy, se virando para Grover, que pegou a câmera, olhando ela com um grande interesse que não existia.

— Nada Percy, vamos gravar vai. — diz Grover, posicionando a câmera.

Percy lança um olhar para Grover de depois você me fala, fazendo Grover suspirar por ter que ter essa conversa com Percy também.

— Vamos fazer o que amanhã? — pergunta Percy, fazendo Grover e Annabeth se olharem automaticamente. — A gente podia fazer alguma coisa depois de você cortar o cabelo sei lá. — diz Percy, concentrando no que fazia no computador.

— Eu vou almoçar com meus pais amanhã. — diz Annabeth, e Percy vira seu rosto para trás para encarar ela. — Só nós, mas a gente pode fazer algo mais tarde, sabe, depois.

Annabeth olha para Gorver, parecendo pedir ajuda, mas a única coisa que ela consegue distinguir que ele está falando com os lábios é conta logo pra ele. Annabeth ignora totalmente o que Grover lhe diz.

— Ata, tá bom, a gente faz alguma coisa. — diz Percy, muito desconfiado, já que todos os anos, desde que ele, Annabeth e Grover se tornaram amigos, ele e Grover sempre comemoravam com Annabeth e os pais.  Mas talvez ele queiram aproveitar a Annabeth sozinhos mesmo, pensa Percy, voltando a fazer o que tinha que fazer.

Eles voltam a gravar o vídeo para o canal, e depois de gravarem aquilo bem umas quarenta vezes até Annabeth ficar satisfeita com o resultado, eles finalmente terminam de gravar, e eles ouvem os pais de Annabeth chegaram em casa.

— Acho que eu tenho que ir. — diz Percy, vendo a hora. — A gente se vê amanhã sabidinha. — diz Percy, dando um beijo na testa de Annabeth que sorri para ele, feliz pelo ato dele, fazendo Grover os olhar com uma cara de se beijem e eu digo se esperava ou não. — Vamos Grover, eu quero falar com você.

Grover arregala os olhos, mas assente com a cabeça, sabendo que não ia ter outra opção.

Eles se dependem de Annabeth, e antes de Percy sair do quarto, ele diz:

— Provavelmente vou ficar até tarde editando isso. — diz ele para Annabeth. — Então eu vou ser a primeira pessoa a te dar parabéns amanhã, assim que der meia noite pode ter certeza de que vou de enviar um áudio de uma hora. — diz ele, e Annabeth ri, e Percy sai do quarto.

Antes que Grover possa sair também, Annabeth segura seu braço.

— Sobre o que é? — pergunta ela para ele, se referindo ao que Percy contou para ele e não para ela, Grover só suspira e diz:

— Você é boa em pensar Annabeth, então só pense e você vai chegar a uma conclusão, não é tão difícil. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...