História Operação: Mamãe Solteira - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Personagens Dahyun, Momo, Personagens Originais
Tags Dahmo, Família, Filhos, Tentativa De Comedia, Twice
Visualizações 234
Palavras 2.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - "Você não pode escolher por mim"


Hirai Momo P.O.V

-Por que está com essa cara de idiota enquanto olha para um curativo? -Nayeon me questionou pela primeira vez, tirando toda a minha concentração

-Eu estou normal Nayeon, não seja chata

-Tá certo, eu vou fingir que acredito e você pode fingir que me engana. O que houve com você?

-Eu me cortei ontem a noite, só isso -Falei como se não fosse nada demais, o que definitivamente não era mesmo

-Não estou dizendo só sobre isto, me refiro ao jeito como chegou na empresa e em como cumprimentou todos com um sorriso largo e feliz

-Meu Deus Im, eu não posso ter um dia de sossego sem ser questionada sobre algo?

-Só tô falando que não é normal, ainda mais vindo de você. Mas pelos recentes acontecimentos, posso até mesmo dizer que isto se chama "efeito pós Dahyun"

-Começou -Respirei fundo e me afundei na cadeira -Kim Dahyun não tem nada haver com minha mudança de humor, ok? Pra falar a verdade, ela é bastante profissional no que faz e se mostrou bastante prestativa quando ofereceu uma massagem para... -Fui parando de falar ao perceber o enorme sorriso da mais velha. Eu merecia, havia falado demais

-Então quer dizer que alguém ganhou até massagem? Eu criei minha filha muito bem mesmo -Limpou uma lágrima imaginária ao se referir à Dahyun

-Deixe disto. Podemos focar no que realmente importa? Na papelada do meu divórcio?

-Já disse que estou providenciando isto Momo, em breve você não terá mais nada que ligue seu nome ao de Jaebum. Apenas seus filhos, obviamente

-Tem algo que eu possa fazer quanto à Jinwoo? É o único que tem apenas o meu sangue

-Vou ver o que posso fazer Hirai, posso tentar tirar o nome de Jaebum de seu primogênito mas não posso garantir nada... Seria apenas mais trabalho desperdiçado, já que seu ex-marido provavelmente não aceitaria a exclusão

-Certo, faça o que tem que ser feito me relatando tudo com o decorrer do tempo

-Claro. Bom, se é só isso eu já vou indo... Tenho que passar em um restaurante para pegar meu almoço e ainda encontrar com Jeongyeon 

-Hm, mande beijos e recordações pra ela por mim

-Eu mandarei -Afirmou em um sorriso e se aproximou deixando um beijo em minha bochecha se retirando logo em seguida da sala

Esperei este momento para agarrar minha bolsa e mandar uma pequena mensagem para uma de minhas colegas, avisando que eu já desceria para nosso almoço juntas

Estava tão distraída com o aparelho em mãos que nem mesmo notei quando o elevador que havia chamado parou em meu andar. Assim que passei por ele tive a infelicidade de ver Seolhyun parada no canto esquerdo com um sorriso grande em minha direção

-Boa tarde Srta.Hirai -Desejou educadamente

-Como vai Seolhyun? -Perguntei com um sorriso fraco apenas para ser gentil, eu realmente não esperava uma resposta

-Bem -Disse simples -Na verdade, melhor agora que estou conversando com você -Lhe encarei no mesmo instante e a vi se aproximar de uma maneira perigosa

-S-Seolhyun? -Me afastei um pouco, fazendo com que apenas ela se instigasse mais em se aproximar

-Sabe, eu sempre soube que o Sr.Lim nunca foi o homem certo pra você. Ele não sabe valorizar uma boa mulher quando vê uma, não como eu sei -Franzi o cenho para aquela conversa estranha, onde ela queria chegar?

-Está tentando insinuar o quê?

-Eu posso te fazer feliz Hirai, eu garanto que sim. Sou ótima em tudo que possa imaginar e garanto que serei a mulher mais fiel que você poderia pedir, sei que está com seu orgulho ferido graças aos recentes acontecimentos mas, só queria lhe dizer que estou aqui se precisar -Falou e eu senti seu corpo sendo pressionado ao meu. Agarrei-lhe o braço e a encarei firme

-Escute Seolhyun, estamos em uma empresa séria e eu sou sua chefe, eu exijo respeito absoluto

-Eu adoro quando você usa esse tom rouco comigo -Aquilo só poderia ser brincadeira. Em um momento de descuido e fragilidade a garota conseguiu se aproximar o suficiente de meu pescoço para dar uma forte mordida e um beijo carinhoso em seguida. A porta do elevador se abriu e eu rapidamente lhe empurrei quase correndo para fora daquele cubículo

As pessoas não zelam mais por seus empregos hoje em dia?

Ainda atordoada com o que acabara de acontecer segui até o restaurante do lado e procurei pelo olhar a garota de fios loiros que já me acenava loucamente. Segui em passos rápidos e me sentei um pouco afobada em sua frente

-Até que enfim, achei que tivesse se perdido na empresa de novo -Fez graça -Por que está vermelha? Correu para chegar aqui?

-Não seja boba. Eu apenas estou com muito calor, só isso -Tentei me recompor puxando o cardápio da mesa -Já decidiu o que vai pedir? Acho que vou de Jokbal

-Momo? Você está estranha, o que houve?

-Não houve nada, larga de ser paranoica e escolha logo o que vai querer

-Santa Jihyo -Murmurou a mulher em minha frente -O que foi isso?

-Isso o que?

-No seu pescoço? Isto é uma mordida? -Fez menção de aproximar sua mão de mim e eu rapidamente lhe dei um tapa

-Não é nada disso que está pensando

-E eu achando que você estava na pior. Quem foi o sortudo da vez? Ou quem sabe eu deveria dizer sortuda?

-Como assim?

-Nayeon me disse sobre sua nova babá, me contou como estão próximas mesmo com tão poucos dias de convívio

-Aquela garota é louca, não acredite no que ela diz -Falei e a vi sorrir -E quanto a isso, foi obra de Seolhyun

-Sua assistente sexy? -Assenti -Wow, então você realmente corta para os dois lados agora?

-Não diga besteiras, ela me agarrou no elevador. E é bom mesmo falarmos sobre isso por que quero que ela seja transferida de setor, talvez até para outro prédio da firma, mas comigo ela não trabalha mais

-Como você é careta, se a garota quer sentar em você o que lhe custa?

-Minatozaki Sana! -Repreendi sua fala e a mesma apenas deu de ombros -Talvez minha dignidade? Eu não quero rumores nos corredores da minha empresa, ainda mais se o assunto envolve meu nome. Trabalho muito com a reputação do lugar e não quero que sujem isto

-Então você está fazendo um péssimo trabalho, porquê hoje mesmo o prédio todo estava comentando sobre como a chefe havia se tornando uma corna de primeira

-O quê?

-Alguns ainda até disseram que isso vinha acontecendo já a algum tempo e você era boba demais para perceber -Disse Sana despreocupada, afinal, não era ela que estava sendo tratada como uma mulher com um par de chifres

-Como isso chegou até eles?

-Sabe como notícia ruim se espalha, logo todos iam ficar sabendo mesmo. Melhor agora, do que mais tarde -Acabei concordando no momento, mas eu ainda descobriria quem havia espalhado as notícias sobre mim

-Mudando de assunto... Como você está?

-Estou ótima na verdade, descobri recentemente uma baladinha gay perto do meu bairro que é maravilhosa. Podíamos marcar no fim de semana

-Você sabe que isto está fora de cogitação, eu tenho que cuidar das crianças

-Nayeon já me contou que os menores estarão com o pai e eu sei que Jinwoo irá pra casa de um colega, não tente me escapar desta vez

Im Nayeon e sua boca grande

-Eu vou pensar, mas não irei em nenhum bar gay com você -Deixei claro e a vi sorrir

-Eu sei que não, você vai comigo e Mina -Lhe encarei com um sorriso e resolvi não questionar -Agora podemos pedir? Eu estou morrendo de fome

-Achei que não fosse dizer

[...]

Respirando bem fundo eu abri a porta de casa, meus olhos quase se fechavam pelo sono e eu sentia que quase cairia pelo cansaço

-Mamãe -Yura correu em minha direção e eu sorri mínimo abraçando a garota que agarrava minhas pernas

-Olá meu amor -Deixei meus pertences de lado e me agachei na sua altura beijando sua bochecha -Como foi o dia?

-Foi legal, a tia Dahyun nos deu sorvete e brincamos o dia todo lá de fora

-É mesmo? -Perguntei sorrindo, percebendo Dahyun aparecer com um sorriso culpado no rosto

-Hirai, espero que não se importe com o sorvete -Falou e eu me levantei negando com a cabeça

-Não costumo fazer isso mas acho que de vez em quando tudo bem, ainda mais neste calor. Eles se comportaram?

-Minjun está dormindo tranquilamente no berço. Kyung está no quarto assistindo desenhos, como ele se sujou um pouco eu me certifiquei de dar um banho e lavar suas roupas. Jinwoo está isolado no quarto como sempre, eu consegui lhe convencer de sair um pouco quando o fiz tocar para seus irmãos e Yura, bem você já viu

-Hm, ótimo -Sorri fraco

-Bom, eu já vou indo -Falou e eu assenti -Eu tenho que chegar cedo hoje, tenho que apresentar um trabalho

-Ah sim pode ir, nos vemos amanhã -Ela se aproximou e ficamos em um impasse vergonhoso quando eu abri os braços e ela apenas estendeu a mão, repetimos o ato uma da outra o que acabou me fazendo rir  e apenas acenando com a mão -Tchau

-Até. Tchau crianças -Gritou um pouco mais alto na intenção dos que estavam em cima escutarem

Observei a garota sair da minha casa e suspirei. Deixando Yura na sala assistindo algo resolvi que seria o momento de um bom banho, antes passei por Kyung e Minjun apenas para me certificar que estavam bem, deixando o quarto de Jinwoo por último

-Jinwoo? -Dei leves batidas na porta e não demorou muito para que ela fosse aberta pelo garoto -Acabei de chegar e preciso de um bom banho, quer algo de mim antes?

-Não... Na verdade, sim -Pedi com o olhar para ele continuar -Podemos conversar um pouco sobre "aquilo"?

-O que quer falar? Eu já disse que não é uma escolha sua -Disse já devidamente cansada deste mesmo assunto a todo momento

-Mãe, por favor... Se pelo menos você me escutar, eu tenho tantas ideias e poxa eu gostaria muito de lhe mostrar alguns rascunhos

-Jinwoo

-Sei que está ocupada, mas tudo que eu preciso são de no máximo dez minutos pra te fazer entender o quanto a música significa pra mim -Falou tudo enquanto revirava uma de suas gavetas e tirava papéis de lá de dentro

-Me escuta Jinwoo

-Só preciso do violão e irei te mostrar agora mesmo...

-Hirai Jinwoo -Gritei e o interrompi. O puxei pelos ombros e lhe encarei seriamente -Eu já disse que não, você não pode fazer música

-Por que? Qual é o problema?

-Isto não irá lhe dar futuro algum, e eu quero que seja um homem de princípios Jinwoo, quero que seja como Jaebum

-Como Jaebum? -Riu em ironia -O cara que traí a própria esposa e consequentemente os filhos? É isto que você quer que eu me torne?

-Seu pai cometeu um erro

-Ele não é meu pai e eu não quero ser como ele! Não quero ser como você, não pretendo viver minha vida trancado em um escritório fazendo algo que não me satisfaz

-Eu lhe proíbo Jinwoo

-Você não pode escolher por mim

-Eu sou sua mãe e sim eu posso -Disse já irritada com o rumo daquela conversa -E se você acha que pode agir com essa falta de respeito comigo toda vez que você receber um não, está muito enganado. Irei ficar com isso por um tempo -Andei até seu violão e o vi resmungar alto

-O que está fazendo?

-Parece que isto está te atrapalhando então eu quero que você esqueça, pelo menos por um tempo... Sem violão, sem bateria, sem composições -Puxei os papéis de sua não e os embolei jogando na lixeira de seu quarto. Jinwoo pareceu surpreso pela minha atitude já que o vi pela primeira vez recuar alguns passos em sua defensiva -Isto é para o seu bem, quero te proteger do lado ruim deste mundo e faço isto porque te amo

-Não pode me proteger pra sempre

-Eu posso tentar -Falei e sai de seu quarto, bati a porta e o escutei praticamente gritar de ódio

Como uma espécie de déjà vu lembrei de meu pai e seus ensinamentos. Então, naquele momento pensei que havia sido o melhor para se fazer, Jinwoo precisava focar em seus estudos e deixar de se distrair com esta bobagem de música que não lhe acrescentaria em nada em sua carreira profissional

No futuro ele me agradeceria, eu tenho certeza disto


Notas Finais


Hey Hey Hey

Cá estou com o novo capítulo meus consagrados, imagino que tenham passado raiva com nossa querida Hirai e só quero deixar avisado que vai rolar muito mais kkkkkkkkkk espero que tenham gostado e até o próximo capítulo 😚❤️


ps; meus anjinhos para quem não me segue e consequentemente não viu, eu postei uma nova fanfic (sim, eu cometi essa audácia) para alegria dos michaeng stans e inclusive pra mim que sou mt cadelinha delas... Bom, se vcs se interessarem e quiserem dar um apoio na moral, vou deixar o link da fanfic aqui:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/missao-cupido-17996542


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...