História Operação "Miraculous" : Seu crush em 30 dias. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alix Kubdel, Alya, André Bourgeois, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Jalil Kubdel, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Nooroo, Plagg, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Tags Adrien Agreste, Adrinette, Alya Césaire, Alyno, Chloe Bourgeois, Chlonath, Marinette Dupain-cheng, Nathanaël Kurtzberg, Nino Lahiffe, Plagg, Plakki, Tikki
Visualizações 740
Palavras 3.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIOIOIOI PESSOINHAXXX
Primeiro cap da fic, UHUUUUUUUUUUUUUU QQ
Essa fic vai ter uns caps grandinhos, porque vou tentar fazer os 30 dias um em cada cap, ok? sz

Enfimmm
Espero que gostem!
Boa leiturinha!~~

Capítulo 2 - Capítulo 1 - A primeira quase-falha.


POV Autora


Segunda feira havia chego, e Marinette corria de um lado ao outro do quarto. Era o primeiro dia do plano, e ela não achava exatamente nada do que precisava.


POV Marinette


Eu juro, tentava lembrar com todas as minhas forças onde havia colocado minha jaqueta no estilo college que minha avó havia me trazido dos Estados Unidos, mas não achava! Se eu chegasse sem isso naquele colégio, com certeza Alya me picaria e me despachava pelo correio. Não eu..exatamente, mas o que sobrasse do meu corpo! Ah, vocês entenderam.


Quando Alya disse que queria chamar atenção, ela estava falando sério e não poupando nem o primeiro dia. Eu já disse o quanto ela é doida? Pois é, acho que só perde pra Tikki mesmo. Ainda bem que eu e o Nathan somos os mais centrados do grupo.


Decidimos que hoje iríamos combinando para a aula, como um verdadeiro squad, e fazer inúmeras caras e bocas. Claro, tinha 50% disso dar merda, mas quem disse que a gente ligava? Quem liga é luz, tio! A gente só esquenta.


E eu já estava pronta, um short preto, uma regata branca e só me faltava a bendita jaqueta! Mas eu não lembro onde eu havia enfiado ela. Comecei a jogar tudo para o alto, e depois de desesperantes e dolorosos 10 minutos, eu a achei. Vesti ela, e olhei se tava suja (sim, eu sou o contrário em pessoa!) e como vi que não, apenas peguei minha mochila e sai correndo.


Já havia tomado meu banho, e tomado o café da manhã. Meus dentes já estavam escovados, também. Apenas me faltava arrumar o cabelo. Optei por fazer dois coques, e com certeza a Alya me chamaria de Pucca.


Assim que terminei, sai como um furacão, e quando falo furacão, tô falando no literalmente mesmo! Arrastei um monte de coisa enquanto corria, com certeza minha mãe me xingaria quando eu chegasse, mas no momento, meu foco era permanecer viva. Certeza que mamãe não iria gostar de receber a noticia que a filha dela foi morta de forma selvagem pela melhor amiga.


Sai pelos fundos, e logo cheguei na escola (obrigada Deus por ter me abençoado com uma casa do lado daquele lugar!) e já avistei Alya, Nathan e Tikki me esperando em um canto afastado, atrás de um murinho. Fui até eles, e eles me olharam da cabeça aos pés.


- Tá lindona hein Mari? - Tikki disse, um sorriso de canto em seu rosto.


- Tudo isso pro loiro, outro no lugar dele já tinha te dado umas mil chances! - Alya disse. 


- Minha garota arrasa né, meninas. - Nathan disse e deu uma piscadinha, fazendo com que elas rissem.


- Ai, vocês também estão maravilhosos! - Eu disse. - Hoje que a gente faz uma entrada triunfal! Estilo meninas malvadas!


- Meninas Malvadas é com a Chloe, amiga. - Alya disse e riu. - E cuidado pra não cair, ou vai pagar micão sozinha justo no primeiro dia.


- Ah, te ferrar! - Eu disse, cruzando os braços. - Não vou me atrapalhar dessa vez.


- Você não precisa nem se atrapalhar, a vida já te atrapalha sozinha.- Tikki disse, e a gente olhou para ela com uma cara de "hã"? - Pera, que merda eu disse? Enfim, cuidado pra não atrapalhar a gente né?  Agora, coloquem os óculos garotas. Hora de brilhar.


Sim, havíamos levado óculos de sol. Tudo ideia da Alya. Ainda bem que havia feito sol hoje. Aproveitamos e colocamos nossos fones. Queriamos parecer um pouco "descolados" hoje. Nossos estilos estavam iguais, só mudando que Tikki usava uma saia, e Alya um short-saia. Felizmente, tinhamos as jaquetas parecidas e nas mesmas cores, então pareciamos um verdadeiro squad americano. A-D-O-R-E-I!


Eu e Tikki saímos na frente, com Alya e Nathan atrás, já que somos as menores do grupo. A cada passo que dávamos, ouvia Break The Rules tocando na minha mente (e nos meus fones). Eu me sentia a Charlie no clipe. Só me faltava o corpão, a roupa, o penteado e os olhos marrons, fora isso, estariamos identicas!

Ah, me faltava o dinheiro que ela tinha também. 


Também me sentia como naqueles filmes americanos, até mesmo como em meninas malvadas (mesmo a contragosto de Alya), sendo o Nathan a ruiva. Acho que se fosse baseado nesse filme, nossa Regina George seria a Tikki, já que ninguém tem coragem de partir pra briga com ela por medo, e porque quem não conhece ela, acha que ela é uma bitch de tão exibida as vezes.


Subimos os degraus, e assim que pisamos na entrada, vi alguns olhares sobre a gente. Retirei toda a vergonha na cara que eu ainda tinha, e entrei com Tikki ao meu lado. Nathan logo ficou do meu outro lado e Alya ao lado de Tikki. Tentei até mesmo dar algumas reboladas enquanto andava, empinando o máximo minha bunda sem parecer forçada.


O plano estava dando certo, maravilhosamente certo! Os meninos estavam reunidos no canto do pátio, junto com os outros da sala, e nos olhavam de cima a baixo. Assim que meus olhos encontraram os de Adrien, senti como se eu tivesse chegado no paraíso! Aí, ele é tão lindo...tão maravilhoso...tão..tão...!


- MARINETTE! -Alya gritou, mas foi tarde demais. Acabei virando o rosto para olhar para ela, e dei de cara com uma das colunas de ferro que seguravam a parte de cima das escadas.


Senti. Senti uma dor do caralho, mas não se comparava com a dor no meu coração pela vergonha. Cai sentada, batendo minha bunda no chão com um barulho que um terço que estava ali deveria ter ouvido. Mantive meus olhos fechados por alguns segundos, e respirei fundo, mas quando abri-os novamente, tive uma surpresa enorme ao ver o loiro ali, na minha frente, com a mão estendida.


Pensei por alguns segundos se havia desmaiado, e estava sonhando ou se apenas fui pro céu. Mas lembrei que, das opções, nenhuma no momento tinha probabilidade de acontecer.


-...nette? - Ouvi a voz do loiro e voltei a realidade. - Marinette? 


- S-Sim? - Eu disse, e suspirei, aceitando a mão que ele havia estendido e me levantando. Céus, que cavalheiro!


- Tá tudo bem? - Ele perguntou, parecendo preocupado. Aí céus, esse menino parece um anjo!


- Você é um anjo! - Eu disse, e ele piscou algumas vezes. Cai na realidade no que disse, e meneei a cabeça. - Q-Quer dizer eu sou um anjo! Na-Não, q-quer dizer bem! E-Eu...


- Acho que a queda não fez bem pra ela. - Nathan veio, e me puxou. - Acho que ela tá tendo alucinações, vou levar ela pra enfermaria, ai! Pode ser algo grave! Vejo vocês na sala!


Adrien fechou a cara, fazendo uma careta, mas assentiu. Nath saiu me puxando, enquanto eu escondia meu rosto totalmente vermelho nas minhas mãos.


- Aí, você é um anjo! - Nathan disse, imitando minha voz.


- Vai tomar no cu. - Murmurei. 


- Eu sou um anjo! - Ele disse, me imitando novamente, e riu. - Parece que o dia um começou daquele jeito.


- Um micão e o nariz sangrando. - Eu disse, assim que levantei o rosto e vi um pouco de sangue nos meus dedos. - Que maravilha! Não tem como ficar pior.


- Mari, não tem nada tão ruim que não possa piorar. - O ruivo disse. - Aprendi isso em física.


Continuamos conversando até chegarmos na enfermaria. Pegamos um algodão, e depois saímos. Fizemos “hora” pelo colégio até o sinal tocar e depois fomos para a sala. Não consegui olhar para o loiro, estava com vergonha, e com raiva de mim mesma. Me sentei ao lado de Alya como de costume e escondi meu rosto no livro de Química, enquanto Mendeleiev não chegava.


Não tardou para que um bilhete aparecesse na minha mesa.

 


"Mas que porra foi aquela, Marinette? - A"


"VOCÊ É UM ANJO! ADOREI! USAREI SEMPRE KKKKJ - T"


"Se você usar isso, Tikki, vai ser incoerente com a realidade. O Plagg é um cap.. - N"

 


Com certeza, Tikki havia pego e rabiscado a ultima palavra no que o ruivo escrevera, já que pelo risco, indicava que a pessoa estaria muito raivosa. Típico de Felicite.

 


"Ai, vão se ferrar. Todo mundo pode passar mico, tá. Idiotas - M"

 


E daí, começou a roda do bilhetinho. Era normal fazermos isso, já que pegar o celular era algo um pouco mais complicado e demorado. Bilhetes eram algo mais práticos, e mais faceis de se jogar fora.


Na maior parte, a ordem era eu, Alya, Tikki e Nath, já que sentavamos perto. Eu e Alya sentavamos acima de Adrien e Nino, e abaixo de Tikki e Nathan. Fizemos isso apenas para que ficasse mais facil nossa comunicação, já que ano passado, quase que uma das "bolinhas de papel mensageiras" caiu em cima da mesa e Adrien, quase expondo que eu tinha um mega-hiper-super-crush por ele.


POV Autora


Enquanto os quatro conversavam por bilhete, Chloe olhava para Marinette com "fogo nos olhos". Estava com ódio, pois o loiro deixou de falar com ela para ir ajudar a garota, sem falar que, para ela, o quarteto estava querendo se aparecer demais, mantendo até um estilinho proprio.


- Chloe? - A voz de Lila lhe trouxera de volta para a Terra. - O que você tanto olha pra Marilerda? Tô achando que tá gostando dela, até.


- Ai, credo. Lila. - Chloe disse, e revirou os olhos. - To pensando em como me vingar desse quarteto, que tá querendo se aparecer mais do que a gente.


- Hmmm, vingança? Deixa comigo. - Lila disse, e riu de um jeito cínico, se levantando em seguida. - Professora!


- Fala, Lila. - Mendeleiev disse, seca. Se a mulher já era rude, hoje estava pior. - Não tenho tempo, fala logo.


- Aqueles quatro ali.. - Disse, e apontou para Marinette, Nathanael, Tikki e Alya. - Estão trocando bilhetinho desde o começo da aula da senhora, e tenho certeza que coisa boa não é! Com certeza estão comentando sobre a senhora.


- Sua mentirosa! - Alya se levantou e disse, batendo a mão na mesa amadeirada e atraindo a atenção da sala toda. - Não estamos falando sobre a Mendeleiev.


- Então leia o que está escrito aí, senhorita Cesáire. - Mendeleiev disse, cruzando os braços. - Já que estão tão concentrados nesse papelzinho aí ao invés de se preocupar com a matéria da prova, deve ser algo importante. Partilhe com a turma.


- E-Eu...não posso! - Alya disse, e cruzou os braços. - São coisas pessoais nossas!


- Eu disse! - Lila falou. - Se eu fosse você..


- Silêncio, senhorita Rossi! Eu sou a professora, não você. - Mendeleiev disse. - E vocês quatro, para a diretoria. AGORA! 


Marinette suspirou, junto com Alya, e pegou sua mochiia. Nathan e Tikki fizeram o mesmo, e depois saíram da sala. Foram resmungando enquanto iam em direção a sala de Damocles.


- Mas que porra! - Alya xingou. - Tinha que ser aquela vaca!


- Vaca ainda é pouco, elas se sentem ofendidas quando você chama a Lila com o nome delas. - Tikki disse, cruzando os braços. - Ela é uma....uma....acatruza ancípite!


Alya, Nathanael e Marinette pararam, e olharam com a sobrancelha arqueada para Tikki. Piscaram algumas vezes, até Nathanael se pronunciar.


- De onde caralhos você tirou essas palavras? - Ele perguntou algo que todos naquele momento pensavam.


- De um livro, uai! - Ela disse, e cruzou os braços.


- E desde quando você lê? - Marinette perguntou, curiosa.


- Desde quando minha mãe descobriu os palavrões e xingamentos comuns e eu tive que aprender outros. - Ela disse. - Agora vamos, já perdemos muito tempo! Circulando!


Tikki saiu na frente, enquanto os outros três lhe observavam. Suspiraram,  por fim, voltaram a seguir a baixinha até a sala de Damocles. 


Bateram na porta, e logo ouviram um "entre". Entraram, e ficaram em pé, em frente a mesa do mesmo.


- O que aconteceu? - Damocles perguntou. - Estou surpreso em vê-los aqui, já que são bons alunos.


- Estavamos... - Marinette disse, e bufou. - Trocando bilhetes na aula.


- Hmm. - O diretor disse, e suspirou em seguida. - Não é um delito tão grave, mas do mesmo jeito merece um castigo. Sabem como isso é errado. O castigo será limpar a quadra do colégio depois do treino de esgrima. 


Os quatro bufaram, mas não reclamaram. Sabiam que isso poderia piorar caso reclamassem, então apenas assentiram e saíram da diretoria, indo para o pátio, visto que só voltariam para a aula de Caline.


****


A manhã havia passado em um ritmo extremamente rápido, e quando viram, já estavam sentados na arquibancada, observando o treino de esgrima enquanto esperavam o sinal para que o pátio fosse liberado. A única coisa que os animavam, era que do outro lado, Nino e Plagg esperavam por Adrien.


Nathanael era o mais entediado. Apenas os crushes de suas amigas estavam ali, e ele já estava cansado de ficar ali sentado ouvindo elas falarem, e falarem. Pegou seu celular, e olhou as horas. 14:20 ainda.


Ficou animado ao ouvir o soar do sinal, e todos que estavam ali começaram a se dispersar. Esperaram ali por mais dez minutos, até que boa parte dos esgrimistas haviam ido embora.


- Ok, ok. - Alya disse. - Ao trabalho,meus amores!


- Titia Alya tutoriais hoje vai ensinar como se limpar um pátio. - Tikki disse.


- Mas é claro. - Ela disse. - E com a ajuda dos meus parceiros Tomathanael, Marionette e Feli-sem-dade


- E quando eu achava que a Alya havia chegava no fundo do poço. - Nathan disse.


- Ela vai e me surpreende, mostrando que esse poço não tem fim mesmo. - Marinette disse.


- Ah, nem foi tão ruim! - Alya disse, cruzando os braços.


- Feli-sem-dade. - Tikki disse. - Ok, né.


- Urgh, seus sem senso de humor! - Alya disse, e tirou a jaqueta. Depois olhou para os outros três. - Não vão tirar não? Ta um calorão!


Os outros deram de ombros, e retiraram as jaquetas, jogando-as em um dos bancos da arquibancada. Já haviam deixado as vassouras ali, então cada um apenas pegou uma e se espalharam pela enorme quadra.


Os minutos se passavam, e eles estavam num tédio puro. O local estava quieto, e ninguém dizia nada. Não havia sequer uma música, e aquilo estava deixando Alya doida! Ela parou, e foi até o meio da quadra, chamando a atenção dos outros três.


- Cara, isso aqui tá muito morto! Precisamos, sei lá, de uma musica pra animar! - Alya disse.


- Tá doida? Damocles nos mata! - Tikki disse, revirando os olhos.


- Que mata nada! - Alya retrucou. - Ele passa a tarde toda no computador, planejando em como ser um super-herói. Nem vai perceber se a gente colocar uma musiquinha. Eu escolho a primeira!


Alya pegou seu celular, e começou a mexer no mesmo. Ninguém sabe como, mas segundos depois, os altos-falantes da quadra começaram a tocar Wannabe, das Spice Girls, o que fez com que Tikki soltasse um gritinho, e pegasse a vassoura, transformando-a em seu microfone.


- Yo, I'll tell you what I want, what I really, really want! - Tikki começou a cantar, enquanto dançava feito uma criança de três anos. Logo, Marinette continuou.


- So tell me what you want, what you really, really want! - Marinette cantou, entrando "na onda" da ruiva, e usando sua vassoura como microfone, enquanto andava pela quadra.


- I'll tell you what I want, what I really, really want. - Alya cantou, interrompendo a ruiva que se preparava para cantar, fazendo com que a mesma fizesse uma cara de tédio.


- So tell me what you want, what you really, really want.. - Nathanael continuou, arrancando gritinhos de ''uhuuuul" das outras três. O ruivo corou, mas riu em seguida.


Continuaram a varrer, enquanto cantavam e dançavam, de acordo com que a playlist de Alya mandava e mal perceberam quando Plagg, Nino e Adrien apareceram na porta da quadra, e começaram a observar a cena.


No momento que eles apareceram, a versão "lenta" de Every Time We Touch estava tocando, e era uma cena até mesmo engraçada de se ver. Marinette dançava com a vassoura, com os olhos fechados, enquanto cantava. Alya gravava com seu celular, enquanto Nathanael e Tikki riam como doidos da cena.


Plagg, Nino e Adrien se entre-olharam, e em seguida, foram andando até a quadra. 


Marinette estava concentrada demais para notar a aproximação de alguém, tanto que mal sentiu quando sua vassoura foi puxada de sua mão de maneira delicada, e a mesma foi parar junto a um par de mãos reais. A mesma ainda ignorou totalmente o grito histérico de Alya, pois já sabia que a mesma era doida.


Ficou ali, dançando as cegas, até abrir o olho por alguns segundos, e olhar para o lado, vendo Nino e Plagg ao lado de Alya e Tikki, e Nathan com um sorriso sacana no rosto. Marinette engoliu em seco ao ver uma vassoura no chão, e soltou um belo de um grito ao olhar pra frente e ver Adrien, só naquele momento caindo na real que estava dançando com ele, e não com a vassoura como era seu plano.


Se soltou desajeitadamente do loiro, com os olhos arregalados, e andou para trás, tropeçando na vassoura e teria ido ao chão, se não fosse pelo primeiro.


- Hey, calma. - O loiro disse, e riu. 


- A-A-Ad-Drien.. - Marinette disse, e engoliu em seco.


- Eu mesmo. - Ele disse, com um sorriso animado nos lábios. 


- O que você tá fazendo aqui? - Ela perguntou, juntando todo o ar que tinha para tentar dizer uma frase completa sem gaguejar. 


- Estava saindo do vestiário com Nino e Plagg e te vi aqui, com a vassoura. - Ele disse. - E bom, achei que deve ser melhor você dançar com alguém real, e com mais ação. Treinando para o baile?


- N-Não.. - Marinette disse, e engoliu em seco.


- E acho que nem vai precisar. - Ele disse. - Você dança muito bem.


- O-Obrigada.. - Ela disse, com as bochechas coradas, e com um olhar esperançoso.


- Adrien, você não tem um encontro com a Kagami? - Nino disse, olhando para o celular. - Já são quase 15:00, cê vai se atrasar.


- Porra! Quase esqueci, obrigado por lembrar. - O loiro disse sorrindo, e soltou delicadamente Marinette, que ficou estática. - Bom, tenho que ir. Vejo vocês amanhã. Nino, Plagg, vocês vão comigo?


- Nem precisa dizer outra vez. Carona de graça. - Plagg disse. - Falô aí gente.


- Também vou, brô. - Nino disse. - Boa...ér...limpeza pra vocês. 


- Tchau, meninos. - Alya disse, com um sorriso amarelo, enquanto eles saíam andando. Assim que viram eles longe, foi junto a Tikki e Nathan correndo até Marinette, com medo da reação da garota. - Mari...


- Você tá bem? - Nathan foi direto. 


- Gente...ele....ele... - Marinette disse, ou melhor, tentava dizer.


- E-Eu sei..ele e a Kagami podem estar indo se encontrar, mas isso não significa nada! - Tikki disse.


- QUE SE FODA A KAGAMI E ELE, ELE DANÇOU COMIGO CARALHO! - Marinette gritou, e começou a dançar como uma maluca. - AÍ! AÍ! AÍ! ELE DANÇOU COMIGO! ELE DANÇOU COMIGO!


- Qual a probabilidade dela ligar de noite paranoica se deve ter rolado algo entre Adrien e Kagami? - Tikki perguntou, enquanto via a mestiça rodopiando até cair tonta no chão.


- De verdade? - Nathan disse, cruzando os braços. - Mais de 90%.


- Acho melhor continuarmos isso então, ou não vamos ter pique nenhum pra aturar ela de noite. - Alya disse, e suspirou.


Notas Finais


Marinette
Soldada ferida, but nem tanto qq

Espero que tenham goxxxtado!
Podem comentar a vontadeee, eles deixam a tia aqui mt feliz <3
Beijooooo! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...