1. Spirit Fanfics >
  2. Operação Sariette >
  3. Prazer, Agente Freire.

História Operação Sariette - Capítulo 2


Escrita por: fanficsariette

Capítulo 2 - Prazer, Agente Freire.








Pov’s Sarah


 - Enquanto caminhava até o elevador fiquei pensando no quanto a Bia me ajudava nessas operações, certamente que por ser minha irmã já tinha uma confiança muito maior, mas só por ser ela mesma, a Bianca Andrade já era motivo de muito mais orgulho, eu sei que não vai ser uma mudança fácil, Bia é apegada demais e desde que iniciamos nossa carreira no meio policial imaginamos trabalhar juntas, por uma coincidência do destino conseguimos ficar no mesmo Departamento, pelo menos ficamos até agora, o motivo expresso pela superintendência é valido, não posso negar que nos arriscamos sempre mais quando o colega tem vínculos maiores do que apenas profissionais, talvez no final das contas isso seja a melhor saída, ainda mais por tudo o que esta se passando no momento -







- Vitória, vou sair rapidinho para buscar um lanche, precisa de algo? - digo enquanto me aproximo da saída, tendo plena visão da secretária, a qual leva um pequeno susto com minha proximidade, achei até engraçado, mas me contive -


Vitória: Me desculpe Comandante Andrade, estava distraída! Não temos nada aguardando, somente recebi uma ligação a alguns minutos, não quis se identificar e disse que falaria somente com a senhora, como estava em reunião preferi não interromper...


- Deveria ter me passado a ligação, nunca se sabe o que é nesses casos, enfim deixe meu celular a disposição se ligarem novamente! - não, não sou maluca não, passar meu contato de celular em uma situação dessas pode salvar vidas, e estou aqui para o que der e vier - 


Vitória: Sim senhora Comandante, como preferir! Antes que eu esqueça, a senhora Conká lhe enviou sua farda, e seus equipamentos também, pelo que ela falou em ligação, teve que trocar todos, estava tudo muito danificado devido a ultima missão!


- Ótimo, por favor organiza e deixa na minha sala! - até que enfim a Karol tinha enviado meu equipamentos, minha ultima farda havia sido destruída na operação a qual destituiu Bianca de ser minha agente, claro que só uso todo o aparato quando realmente estou em campo, na maior parte do tempo, quando estou no Departamento só uso algo para me identificar, ou seja camiseta preta, calça preta, coturnos, coldre e meu indispensável distintivo - 


Vitoria: Sim senhora!






- Assim que pus os pés na rua o sol me castigou de imediato, na hora me praguejei por ter ficado tanto tempo enfiada na minha sala e não ter vindo antes, aquele contato me tirou de orbita por alguns segundos, afinal precisava acostumar minha visão com a claridade excessiva, certamente nada disso estaria acontecendo se eu estivesse em meu estado normal, mas ultimamente a pressão para resolver o caso dos homicídios e a falta de cuidado comigo mesma me deixava oscilando. Dei mais alguns passos a fim de atravessar a grande avenida e chegar logo na confeitaria do outro lado, porem antes de sair da calçada escudei um grito e de imediato fiquei em alerta, isso não era normal. Me virei buscando de onde vinha o som mas antes mesmo de ter alguma noção senti meu corpo indo ao chão e tudo ficou silencioso demais -





•••





XX: Ei, consegue me ouvir? Você ta ferida...Alguém por favor chama uma ambulância pra mim! 


Gilberto: O que aconteceu? Vi a movimentação enquanto estava saindo e...porra! - se aproximou assustado, porem esse sentimento triplicou ao notar quem estava deitada no chão -


XX: Você à conhece? Eu estava passando e vi tudo, mas não consegui me aproximar a tempo!  


Gilberto: Quem é você? Conheço, pode deixar que eu assumo daqui... - cauteloso ele se abaixa e analisa a loira, a qual tentava se situar, apagou por alguns minutos, mas já estava consciente, não era fraca na queda - 


XX: Bom, pelo seu uniforme vejo que seremos colegas, prazer Juliette! - com um sorriso singelo ela se apresenta ao moreno, aliviando instantaneamente sua postura -


Gilberto: Colegas? - rapidamente ele analisa a mais baixa e percebe que a mesma usava roupas normais, porem a arma em sua cintura e o distintivo preso no coldre lhe responderam - 


Juliette: Pelo visto comecei com o pé direto...comandante? - ela sussurra ao notar as vestes da loira, assim que ela se senta com o auxilio do amigo -


Sarah: Cacete! O que foi isso?   - murmura baixinho enquanto tentava se levantar com dificuldade -


Gilberto: Calma ai, você ta sangrando, isso foi um tiro? Porra Sarah! Vamos sair daqui... -apressado ele apoia a loira sob seus braços e segue para dento do departamento, sendo seguido de perto pela nova agente -


Sarah: Ai...para ai, ta tudo bem, não foi tiro não! - ainda atordoada a loira se senta no sofá da recepção e tenta dimensionar o grau da lesão que sofreu, havia uma quantidade expressiva de sangue em seu braço esquerdo - 


Juliette: Foi certamente um atentado, eu vi quando a pessoa estava se aproximando, todo de preto, com capuz na cabeça, tentei gritar mais acho que você não ouviu, me desculpe por não ter conseguido chegar antes! - se pronuncia calmamente, atraindo pela primeira vez a atenção da comandante - 


Sarah: Poderia ter sido bem pior, se você não tivesse me empurrado esse desgraçado teria acertado em cheio o alvo! Obrigada Agente... - se põe a pensar tentando recobrar o nome da mulher, porém a morena foi mais rápida -


Juliette: Não deve agradecer senhora! Prazer, Agente Freire ao seu comando! - se aproxima estendendo a mão, afim de começar as apresentações novamente, agora que o susto havia passado - 










Notas Finais


Oi gente! Me contem o que estão achando 😬


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...