História OPOSTOS - Park Chanyeol - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Visualizações 103
Palavras 2.969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, o cap de hoje ficou mais longo do que eu planejei, mas mandei mesmo assim, comentem o que estão achando da história, se está chata, é importante o comentário de vocês. Obrigada!

Capítulo 10 - Você é Minha Park Bon Young


Fanfic / Fanfiction OPOSTOS - Park Chanyeol - Capítulo 10 - Você é Minha Park Bon Young

Tudo estava indo bem desde que eu e a Young decidimos ficar juntos, todo o tempo livre que aparecia nós passamos juntos, começamos a ensaiar juntos como desculpa pra ficar sempre perto um do outro e não tinha um lugar na soft que eu e ela não tínhamos nos escondido pra dar uns amassos, varias vezes quase fomos pegos, mas isso só aumentava a emoção de ficar escondido com ela, o tempo foi passando tão rápido que nem parecia que já tinham se passado 3 meses. Infelizmente estávamos nos vendo bem menos agora, já que o grupo começou uma séries de shows em várias cidades e ela tinha lançado seu primeiro álbum, fazia 10 dias que eu não a via e tudo estava sendo uma tortura, já que quase todas as noites nos últimos dois meses eu havia dormido agarrado com ela, então eu não via a hora de voltar pega-la e beijar até ficar em folego.

Estávamos na van a caminho da soft, eu não havia contado nada pra Young, queria fazer uma surpresa pra ela quando chegasse, durante os shows havia conversado com ela todos os dias por mensagem e sempre dava um jeitinho de ligar pra ela antes dela dormir, ela ainda não tinha me mandado mensagem essa manhã então provavelmente estava dormindo.

Quando chegamos na Soft comecei acordar os garotos que estavam dormindo, um a um foi acordando e saindo da van, Baekhyun foi o mais difícil de acordar e tive que praticamente expulsa-lo da van, quando estava saindo da van com Baekhyun na minha frente, vejo a Young de longe conversando com um Ajussi de terno, ela esta com uma cara preocupada, eles discutiam sobre algo e o rosto dela se escureceu parecendo preocupada, ele entrega pra ela as chaves de um carro e ela entra no carro preto e sai dirigindo, o ajussi entra em outro carro e a segue, tudo pareceu muito estranho pra mim, mas o que mais me preocupou foi seu rosto preocupado, eu nunca tinha visto ela com um semblante tão desanimado, nem mesmo quando brigamos ou quando ela chorou no quarto.

Passei as ultimas horas andando de um lado pro outro no quarto pensando até que o Chen suspirou alto e jogou o celular na cama.

-Da pra parar?- disse

-O quê- perguntei sem entender

-Vai fazer um buraco no chão de tanto andar de um lado pro outro e tá me deixando irritado.

-Você viu a Young conversando com aquele cara, não viu?- perguntei olhando pra ele.

-Claro eu vi, ela saiu dirigindo aquele carrão, foi de mais, vou pedir ela pra dar uma volta.- dou um soco no seu ombro pra ele deixar de ser besta. -Aiiiii! Seu filho da m...-

-Não xinga a minha mãe- interrompo e volto a andar de um lado pro outro.

-Foi mal- disse massageando o ombro.

-Ela parecia preocupada Hyung, eu devo ligar pra ela? -pergunto pegando o celular.

-Uau, quando foi que você ficou assim?-

-Assim como?- pergunto

-Você era um cara durão Chany, eu sei que você gosta da Young, mas tente se controlar, ok?- disse saindo logo em seguida do quarto, me deixei cair na cama ainda preocupado com ela.

A verdade é que as pessoas não entendiam, a Young sempre tinha aquela imagem de forte, de que não se importava com nada, mas eu sabia que como ela frágil por dentro e ver seu rosto tão preocupado me deixava maluco, por que tudo que eu queria era cuidar e proteger e embalar ela como se ela fosse algo fácil de mais de ser quebrado, eu ficava doente só de pensar em algo de ruim acontecendo com ela, depois de pensar muito peguei o celular e liguei pra ela.

-Ah... Oi, Chany- ela atendeu

-Oi amor, onde você está?

-Indo pra casa agora, porquê?- perguntou e sua voz parecia desanimada.

-Eu estou em casa, queria te ver.

-Oh, você está em casa? Eu só vou parar pra comprar uma coisas e já chego tá, que bom que você voltou, estava com saudades- sorri como um bobo pro celular e respondi

-Eu estava enlouquecendo sem você, não demora ta?- disse

-Não vou- ela disse e desligou.

Fui até a cozinha e preparei um café quente do jeito que eu sei que ela gosta, sentei na sala esperando ela chegar e quando ela abriu a porta estava bem mais desanimada do que eu imaginei, mas sorriu aliviada quando me viu e me abraçou.

-Todo mundo está em casa- disse pois alguém poderia ver aquela cena.

-Só por hoje, eu não me importo, que bom que você está aqui. – disse me abraçando mais apertado, passei minhas mãos pela sua cintura e plantei um beijinho no topo da sua cabeça.

-Tão pequena, queria te levar comigo pra todo canto que eu fosse, é tão pequena e linda- senti um sorriso se formando em seu rosto, ela me olhou de baixo pra cima e sorriu agradecida.

-Eu comprei bolo- disse apontando pro pacote no chão- você quer?

- Vai combinar perfeitamente com o café que eu acabei de fazer pra você.- disse pegando o pacote numa mão e segurando sua mão na outra e caminhando até a cozinha.

Servi café em duas xícaras, o dela com leite e comemos o bolo em silêncio, seu rostinho branquinho estava levemente rosado e os olhos grandes um pouquinho desanimados. Terminamos de comer e fomos pro seu quarto, tranquei a porta e por mais que eu a quisesse muito, deitei do seu lado e passando levemente meus dedos entre seus cabelos plantando beijinhos por todo o seu rosto.

-Eu tive um momento muito difícil hoje, mas só por você estar aqui me sinto melhor- falou com o rosto escondido sobre meu peito.

-Quer falar sobre isso? – perguntei preocupado apertando ela ainda mais sobre mim.

-Não. Eu só quero você, assim.- disse me dando um beijo.

-Então, o que você acha da gente sair hoje, podemos fazer o que você quiser.

-O que eu quiser?-olhou ora mim com uma carinha animada

-O que você quiser, pensou em alguma coisa?

-Bem, tem um lugar que eu queria te mostrar já faz um tempo, mas como não vou muito lá, acabei adiando, quer ir comigo hoje?

-Claro, onde é?

-Você vai ver quando chegar lá- disse se levantando e pegando as chaves do carro e a bolsa.- Vamos?

-Ah, o que você vai aprontar?

-Eu nunca apronto nada, Sr Park.

-Sei, então vamos.

Pegamos o elevador e tivemos que despistar quando dois funcionários da soft nos olharam desconfiados, chegamos na portaria e saímos olhando pros quatro cantos pra ver se não tinha ninguém ali, corremos rápido pelo estacionamento e entramos no carro dela.

-Uau em sinto um agente secreto indo pra uma missão. Ela já havia colocado o cinto de segurança e ligado o carro, quando olhou pra mim.

-Não vai sair? – Perguntei

-Você ainda não colocou o cinto, não posso sair – disse sorrindo.

-Ah é isso? Se preocupando com a minha segurança? – disse enquanto colocava o cinto.

-Não, só não quero perder minha habilitação- disse sorrindo.

-Ah, tudo bem então, já coloquei pode ir.- falei com uma voz magoada e ela deu partida no carro.

-Liga o rádio, odeio dirigir sem música.

Liguei o radio e passei entre algumas estações de rádio até parar em uma música legal.

-Daebak, gosto dessa. – disse fazendo uma dancinha com os braços fazendo ela rir.

Young dirigiu por mais ou menos 40 minutos, fui o trajeto todo olhando pra ela sem nem mesmo despistar, ela reclamou várias vezes que eu estava tirando sua concentração por olhar tanto, mas eu não parei, chegamos num bairro afastado e muito luxuoso, passamos por casas enormes com portões altos, era muito bonito, mas parecia quase inabitado, não se via pessoas na rua, paramos em frente a um portão alto e dourado.

-Onde estamos? – perguntei olhando ao redor quando um segurança se aproximou e abriu o portão. Passamos de carro por uma estrada pequena com um jardim ao redor e Young estacionou na porta de uma casa.

-Young, de quem é essa casa? – perguntei segurando seu braço.

-Minha, meu avô me deu no meu aniversário de 18 anos. – Disse descendo do carro e indo em direção a porta.

-Minha mãe me deu um Notebook novo no meu aniversário de 18 anos, e eu me achei um sortudo.

A casa era enorme, com paredes brancas e portas de madeira marfim, quando Young abriu a porta pude ver que era realmente grande, passamos por uma sala enorme e depois caminhamos em direção a uma segunda sala, onde havia um piano e uma pequena mesa de centro, na sala tinha uma escada em espiral e atrás da escada havia uma porta que dava pra cozinha, a cozinha era branca com moveis em cinza e preto, Fui sendo arrastado pela Young pela casa enquanto olhava meio estabanado a casa até que pararmos na cozinha.

-Vou cozinhar pra você. – Disse quebrando o Silêncio.

- Sua casa é bonita, porque você mora no dormitório, essa cozinha é maior que o seu quarto. – disse enquanto olhava pra ela. – espera? Você vai cozinhar pra mim? Você sabe cozinhar?

-Sei, eu gosto de cozinhar, porquê? Achou que eu não sabia?- perguntou desconfiada e sim, eu achei que ela não sabia, sempre quando estava em casa pedia comida e não é como se ela precisasse saber, mas eu não ia dizer isso.

-Claro que não, só achei que não cozinhava.

-Pois vou sim, vamos pegar os ingredientes e cozinha! – disse animadamente indo em direção a geladeira.

Enquanto o arroz cozinhava e ela preparava a carne e me colocou pra picar a cebola, ela era muito rápida fazendo tudo, preparava o molho da carne super concentrada, pegando uma colher uma vez ou outra me fazendo provar o molho, que estava muito gostoso diga se de passagem.

-Já terminou de cortar tudo? – perguntou caminhando ao meu em minha direção, me imprensando entre o balcão e seu corpo fazendo com que meu membro acordasse na hora, ela olhou pra mim, sorriu pegou os ingredientes cortados e voltou a cozinhar.

-Ta me provocando? – perguntei

-Não, só estava pegando os ingredientes – sorriu enquanto despejava o molho sobre a carne – porquê? Você se sentiu provocado? – disse olhando o volume da minha calça.

-Não, que isso, jamais- disse fazendo ela sorrir.

Terminamos de preparar a comida e levamos tudo pra mesa em uma das salas, ela colocou duas taças na mesa e me entregou uma garrafa de vinho pra abrir.

Me serviu um pouco de carne arroz e salada e me olhou esperando uma resposta, e eu tinha que admitir que estava tudo muito gostoso, terminamos de comer e fomos conhecer o resto da casa enquanto bebia mais uma taça de vinho.

-É serio, porque você não mora aqui?- perguntei enquanto subia pro segundo andar da casa.

-Eu fiquei aqui um tempo, mas era solitário, na casa dos meus pais era solitário mas pelo menos tinha todos os empregados.

-Entendo, você prefere morar no dormitório que aqui, então? – perguntei

-Claro, lá no dormitório eu tenho você. – disse se aproximando e me dando um beijo.

-Graças a Deus, achei que eu ia ter que dirigir 49 minutos todo dia pra ter que vir ficar com você. – respondi aliviado dando outro beijo nela enquanto entravamos no último cômodo da casa.

Era um quarto, mas não só um quarto Normal, era um quarto enorme com uma cama enorme, totalmente branco e organizado, tinham algumas coisas dela arrumada, me aproximei de uma estante e vi alguns cadernos e coisas arrumadas.

-Vamos assistir um filme? – perguntou pra mim

-Vamos.

Escolhemos um filme na internet e assistimos na televisão do quarto, começamos assistir mas não consegui prestar muito atenção, primeiro porque era primeira vez que estávamos realmente sozinhos, já tinha dormido com ela várias vezes, mas sempre tinha alguém rondando pela casa então nunca tinha como fazer nada, e segundo porque ela estava com um vestido e a cada movimento que ela fazia ele subia um pouco mais e ela não fazia questão nenhuma de abaixar.

-Ta gostando do filme? – ela me perguntou enquanto pausava o mesmo e me olhava.

-Sim, muito bom. – respondi e ela sorriu.

-Você nem está prestando atenção no filme. – ela falou e eu concordei.

-Tem razão. – Tomei o controle da sua mão desliguei a tv e a puxei colocando ela por baixo de mim. – Esse filme tá muito chato- disse enquanto beijava levemente seu pescoço. – que tal a gente terminar ele depois?

-P...por mim tudo bem, disse com a voz falhada.

Colei minha na boca dela a beijando e ela retribuiu com vontade, passei uma mão pela sua nuca e a outra pela cintura, apertando ela ainda mais sobre o meu corpo, ela me abraçou com as pernas deixando suas pernas totalmente a mostra e nossos sexos colados um no outro, enquanto me beijava, levantou minha camisa arrancando a do meu corpo e jogou minha blusa no chão voltando a me beijar. Passei os beijos pro seu pescoço mordendo levemente fazendo ela gemer baixinho no meu ouvido, senti sua mão descendo pela minha barriga e tentando abrir minha calça, interrompi o beijo olhando seu rosto vermelho e os olhos castanhos.

-Tem certeza? – perguntei e ela assentiu.

-Eu nunca tive tanta certeza de nada como eu tenho disso, eu quero você Chanyeol, eu quero ser sua como eu nunca fui de ninguém.

Ouvir ela dizendo isso, que me queria, que queria ser minha, só fez meu sangue esquentar ainda mais, arranquei a calça ficando so com a boxer preta e comecei beijando suas coxas, plantando leves mordidinhas no caminho fazendo seu corpo se arrepiar enquanto subia mais, quando cheguei próximo ao seu sexo, passei as pelas suas coxas subindo pra sua bunda parando ali apertando fazendo ela soltar outro gemido, continuei subindo a minha mão e subi seu vestido até tirá-lo de seu corpo.

Ela era linda, e ofegante e vermelha de desejo ela ficava ainda mais sexy, plantei um beijo em sua boca e desci pro seu pescoço, passei pro seu ombro e continuei descendo, tirei a lingerie branca que ela vestia mostrando seu agora seus seios, não eram pequenos nem grandes eram do tamanho certo com os biquinhos rosados, comecei a sugar levemente me concentrando na parte rosada arrancando dela um gemido mais alto.

-Ahh... Chany...- Ela gemeu o que me fez intensificar ainda mais passando de um seio pro outro. Voltei a descer com a minha boca e mordi levemente sua barriga enquanto olhava seu rosto que estava ainda mais vermelho, puxei sua calcinha pra baixo e vi quando ela fechou seus olhos parecendo constrangida com a sua nudez.

-Abre os olhos amor – pedi enquanto passava o dedo levemente sobre seu sexo fazendo a morder os lábios, ela abriu os olhos no mesmo momento em que toquei seu sexo com a boca fazendo com que seu corpo se levantasse levemente, passava a língua pelo seu clitóris dando algumas chupadas que a fazia gemer ainda mais.

-Aah... Chany... por favor! – pedia entre gemidos

Voltei prós seus seios e depois pra sua boca, parei de beija-la e olhei pra ela, dava pra ver que ela queria, tanto quanto eu, ela ansiava por aquilo assim como eu. Fiquei de joelhos na cama tirando minha boxer liberando meu membro já duro me posicionei entre suas pernas, mas sem penetrar.

-Seja gentil comigo. – ela disse e eu assenti

- Se doer muito, você me fala que eu paro na mesma hora ta?

-Tá – ela disse e eu voltei a beija-la, posicionei meu membro em sua entrada, ela estava molhada mas mesmo assim ainda era difícil de entrar, forcei um pouco mais e a cabeça entrou e eu pude ouvir um gemido alto da Young.

-Quer que eu pare?

- Não, por favor, eu quero você.- ela respondeu e eu coloquei tudo arrancando outro gemido, não me movimentei, voltei a beija-la sentindo seu sexo apertar o meu membro, e como era quente, tudo nela era bom, seu toque, seu beijo, tudo, e eu a beijei até que ela se acostumasse, mordia de leve seus seios até o momento em que ela estava tão excitada a ponto de começar a movimentar seu quadril, então eu comecei um vai e vem devagar enquanto ela passava as unhas nas minhas costas me puxando pra dentro dela, aumentei o ritmo e sentindo meu corpo se aquecer, puxei ela pra cima de mim fazendo a ficar sentada sobre mim e ela começou a rebolar instintivamente enquanto gemia, senti seu corpo se derretendo sobre o meu e seus gemidos aumentarem, puxei ela pra baixo sentindo seu corpo se contorcer sobre o meu e seu interior se incendiar ela soltou um gemido alto enquanto gozava gritando meu nome.

-Aaah Chanyeol e eu gozei logo depois sobre sua barriga e ficamos os dois um ao lado do outro exaustos e ofegantes.

Depois de um tempo peguei Young no colo e fui em direção ao banheiro.

-O que você vai fazer? – perguntou abraçando meu pescoço.

-Vou lavar você, eu te sujei.- disse olhando sua barriga.

-Eu não me importo.

-Mas eu quero te dar banho mesmo assim, quero fazer isso desde a primeira vez que você ficou sem roupa na minha frente.

-Você queria me dar banho aquele dia?

-Queria muito, mas me controlei- disse enquanto colocava ela sentada no balcão da pia e ligava a água, enquanto esperava a banheira encher, me posicionei entre suas pernas observando seu corpo.

- Você é linda. Totalmente minha Park Bon Young, você é minha

-Eu sou sua, Park Chanyeol, só sua. – disse me beijando, entramos na banheira logo depois, me sentei e ela se sentou na minha frente de costas pra mim, passei o sabonete sobre cada pedacinho do seu corpo distribuindo vários beijinhos na sua nuca, depois de nos limpar, deitamos na cama e ela adormeceu nos meus braços.


Notas Finais


Então gente, o cap de hoje foi esse, não sei escrever essas cenas muito bem como vocês devem ter notado, mas eu tentei, comentem me dando dicas ou me contando do que acharam, tchauzinho!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...