História OPOSTOS (JIKOOK) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Visualizações 45
Palavras 1.347
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


[TRAILER FANFIC] https://youtu.be/6_nyE0wklx0

🌸Boa Leitura🌸

Capítulo 6 - Daria uma boa vida para Jungkook até agora.


20 DIAS DEPOIS

Foram exatos 20 dias de coma.

Jeon Jungkook adormeceu por pouco menos de um mês, tendo seu tratamento hospitalar inteiramente pago e observado de perto, por Park Jimin.

O psicólogo ia visitar o garoto todos os dias, e passava longas horas, sentado ao lado de sua maca, apenas o observando e torcendo, para que quando acordasse, estivesse tudo bem.

Era dia 25 de dezembro – Natal – quando o moreno abriu novamente seus olhos e estranhou o local onde estava e, principalmente, a pessoa na qual agora, tinha sua cabeça deitada na cama, bem de frente para seu rosto, fazendo-o franzir o cenho de imediato.

— Ah... O que 'tá rolando? – a voz do mais novo saiu deveras rouca – por conta do longo tempo dormindo – e mexeu seu pescoço, sentindo dores de má posição e olhando o homem loiro acordar aos poucos e bocejar, meio perdido.

Este só se deu conta de que Jeon tinha acordado, quando passou longos segundos olhando o castanho com cara amassada a sua frente – Jungkook! – piscou varias vezes, esfregando os olhos pela incredulidade – Graças á Deus, você finalmente acordou! – se ergueu da poltrona rapidamente, chamando por enfermeiros – Aigoo, graças a Deus, graças a Deus! Só pode ser um milagre de Natal! – seu sorriso se fez presente e Jungkook apenas parecia ainda mais intrigado.

— Eu te---

Jeon ia falar, mas duas enfermeiras seguidas de um médico interromperam-no — Oh, vejo que abriu seus olhos, senhor Jeon... Que boa noticia. – o doutor sentenciou, sorrindo para os dois homens na sala – Sente algo? – disse ao se aproximar, colocando a luz de uma lanterninha em seus olhos, enquanto as enfermeiras checavam seus pulsos.

— Por que eu 'to em um hospital? – o garoto perguntou confuso – O que aconteceu comigo?

— Bom, vou ver seu prontuário, então converse com seu amigo que cuidou de você esse tempo todo, enquanto eu não volto.

As enfermeiras seguiram o medico e logo os dois ficaram a sós.

Jeongguk olhou para Jimin com interrogação aparente, e Jimin apenas se sentou na poltrona ao lado da maca, e deu um sorriso aconchegante para o mais novo, que tombou a cabeça.

— Como se sente, Jeongguk? – Jimin perguntou – Dormiu bem? – sorriu.

— Como sabe o meu nome? – foi a primeira coisa que veio a sua mente – De onde me conhece?

— Ah, eu me lembro bem de você, acredite. – deu uma risadinha tímida – Bom... Desde o dia em que você ia virando comida de cachorro.

— Então a gente já se viu antes? – pareceu surpreso – Cara, quem é você?

Jimin engoliu em seco.

Então, a pancada em sua cabeça tinha sido tão forte que causou sequelas graves; Jungkook tinha perdido a memória.

Mas, será que o único de quem o garoto não se lembrava era apenas Jimin?

Ou...

— E por que você que 'tá aqui e não minha mãe?

E foi aí, que Jimin sentiu-se tão mal como se os problemas fossem com si mesmo.

A verdade era que Jungkook tinha adquirido a perda de memoria que abrange somente a fatos antigos. Sua hipótese era que ele só se recordava de momentos antes das ruas, ou será que não?

De todo modo, Park não sabia absolutamente nada sobre a vida do garoto nem antes, e nem depois de ir parar na rua, mas em sua mente, já surgia partículas de uma ideia que poderia ter muito sucesso.

— A-acalme-se Jeongguk-ah, eu te esclarecerei tudo mais tarde. – Jimin ditou, pacificamente – Agora, apenas deixe os médicos cuidarem de você para podermos voltar pra casa, huh? – tentou sorrir, mas estava um tanto quanto nervoso.

Após dois dias de exames, Jungkook teve uma recuperação rápida e recebeu alta, sendo acompanhado por Jimin, a todo momento.

— Casa maneira... – Jeon disse, admirando a extensa sala de estar da casa de Jimin.

— Você mora aqui. – Jimin disse simplista, na intenção de começar com seu ''plano''.

— Por que eu moro com um homem?

Jimin rebateu, enquanto passava um pano molhado no balcão — Eu não sou qualquer ''homem''.

Jungkook estranhou, de cara – Eu sou... A-a gente por acaso é---...

— AMIGOS! – Jimin aumentou a voz, evitando constrangimentos extremos – Você e eu somos melhores amigos á muito tempo, Jeongguk. – piscou e deu um sorriso para o moreno, que assentiu e murmurou um '' ata, saquei... '', ainda meio perdido.

— Tá, mas e a minha mãe, onde ela 'tá? – coçou a cabeça – Que merda não lembrar de nada... – murmurou.

Jimin achou melhor preparar melhor suas futuras palavras, que o influenciariam bastante – Vá tomar banho, conversamos sobre essas coisas quando você já estiver mais relaxado. – falou – Jajá o almoço fica pronto.

.

.

.

— Sua comida é boa pra caralho. – '' agradeceu '' – Mas agora, conta tudo que eu não sei sobre a minha vida. – fixou os olhos grandes na face do Park, que respirou fundo e entrelaçou suas mãos sobre a mesa.

— Eer... – Jimin recuou as costas na cadeira, sem saber bem como começar a contar.

O que se passava na cabeça de Jimin era: Mesmo sem saber absolutamente, nada da vida do moreno, Jimin sabia que não teria sido lá as mil maravilhas, então...

Por que não '' dar '' uma boa vida para Jeon Jungkook até agora?

Jimin sentia que não era totalmente certo inventar fatos pessoais de uma pessoa que nem mesmo conhecia, mas, olhando para o garoto de dias atrás, tendo aquele ataque asmático na porta de sua casa, comendo tanto daquele jeito e não fazer nada para ajuda-lo realmente, Park se sentia ridículo quanto a isso.

E foi aí que decidiu de vez: Jungkook teria uma boa vida até agora.

— Já que insiste... Eu vou ser direto, okay? – respirou fundo e molhou os lábios, se preparando, enquanto a expressão curiosa do castanho á sua frente só aumentava – Sua mãe faleceu á cinco anos, e desde então, você mora comigo por eu ser seu único amigo. – mentiu, tinha que inventar alguma coisa – Não se assuste, ela era uma péssima mãe para você, nunca te tratou como um bom filho que era e seu pai era um alcoólatra que também não gostava de você, isso eu nem sei porquê. – Jungkook ficou boquiaberto – Mas você nunca teve uma vida ruim, porque eu sempre te ajudei em absolutamente tudo, Jeongguk-ah. – sorriu, e mesmo sem perceber, Jungkook sorriu de leve também – Mesmo antes de sua mãe morrer e seu pai sumir no mundo, você já frequentava minha casa. Passava meses e meses aqui comigo, sem se importar com nada.

— Então eu era feliz...(?) – tombou a cabeça para o lado e Jimin assentiu.

— Digamos que sua vida não era tão ruim... – suspirou, pensando em mais coisas para dizer – Você sempre se sentiu muito bem ao meu lado, tanto é que somos amigos a uns 8 anos.

— Caralho... – riu soprado – Eu confio mesmo em você?

— 'Aham. – deu um eye smile amigável.

— Então... – estalou a língua no céu da boca – O que eu faço da vida?

Jimin pensou por um instante; Não tinha pensado nisso... O que diria? – Você é... – mordeu o lábio e soltou rapidamente – Ah, você não gosta de estudar então... Eu te 'banco. – Jimin se sentiu tão informal que nem se reconheceu, tudo isso para transmitir confiança para o garoto.

— Ah disso eu lembro... Não gosto mesmo. – riu – Você é rico? – perguntou.

— Quê? Não... Não, não tenho tanto dinheiro assim mas... Eu vivo--- Quer dizer, vivemos bem. – sorriu meigo para o moreno – Sou um psicólogo Jeongguk-ah. – de fato, era a primeira vez que falava aquilo para o rapaz.

Pela reação de Jungkook, ele não aparentava estar em choque ou coisa parecida. Muito pelo contrário: Estava bem tranquilo e resignado de tudo o que Jimin continuava a falar.

Isso tranquilizou muito mais o coração de Park, fazendo suas palavras surgirem com mais sutileza e naturalidade, como de fato, fossem verdadeiras.

No final, esse negocio de '' mentir nunca vale a pena '', parecia ter um outro lado para Park Jimin; Seu lado Positivo, seu lado Oposto.

do mesmo modo que Jimin parecia ser o Oposto de Jungkook, tentaria leva-lo para o mesmo lado, para uma vida melhor, onde Jeon pudesse encontrar a felicidade.

Se não podia fazer isso com todos, pelo menos um o serviria de cobaia para ter um pouco de sorte na vida. Jimin estava se arriscando para que isso desse certo, era seu principal objetivo agora.


Notas Finais


[TRAILER FANFIC] https://youtu.be/6_nyE0wklx0

EAE, QUAL SUA OPINIÃO SOBRE A FANFIC ATE AGORA??

DEVO CONTINUAR MESMO??????


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...