História Opposites ( Mitw ) - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 63
Palavras 1.185
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção Adolescente, LGBT, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ohayo anjos <3

Desculpe pela demora, mais uma vez.

Boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3- O que está acontecendo


Antes 


— Me chamo Felipe, mas pode me chamar de Felps, e você é?. — Ele perguntou curioso, se ajeitando na cama e largando o livro que estava a ler. 




— Tarik, mas pode me chamar de Pac! _ Falei dando um sorriso amigável para o garoto, querendo ou não iria precisar de amizades ali. 




— Primeiro ano aqui ? — Ele perguntou e eu assenti com a cabeça, olhei ao redor do quarto e pensei em arrumar do meu jeito. 




Ficamos conversando durante um tempo até que fomos dormir, peguei meu celular e respondi algumas mensagens de meu pai, fechei meus olhos e logo adormeci. 


Agora 

P.o.v Pac 

Acordei com meu despertador tocando, ja havia se passado uma semana desde que chegamos, e hoje as aulas iriam finalmente começar. Me levantei com um pouco de preguiça sobre meu corpo e me direcionei ao banheiro, Felps ainda estava dormindo o que era bom, ja que quando ele entrava no banheiro não saia mais. Fiz minhas higienes matinais e tomei um banho meio rápido, peguei a roupa que havia separado e a vestido rapidamente, aqui não era obrigatório uniforme, o que era bom ja que eu particularmente odiava usar uniforme, na verdade nunca usava. 

Sai do banheiro e me sentei na minha cama, enquanto arrumava minha mochila e calçava meu tênis. 

— Bom dia. — Ouvi a voz rouca de Felps, pelo visto ele havia acabado de acordar. 

— Hum, Bom dia. — Falei segurando minha risada. 

— Podemos.. Esquecer o que aconteceu ontem?. — Ele perguntou, parecia meio receoso. 

Assenti com a cabeça, na verdade nunca iria esquecer o que aconteceu ontem. Aquela escola era estranha, e os alunos principalmente. Felps me explicou somente um negocio, aquele papel no qual eu havia colocado meu nome em três aulas que eu gostaria, seriam as aulas mais normais que eles já tiveram. Mas então, quais eram as aulas que eles tinham antes?. 

Terminei de arrumar tudo no momento em que Felps terminou de tomar seu banho e terminou de se arrumar. Me levantei e peguei minha mochila, esperei por Felps que logo fez o mesmo, abri a porta do nosso dormitório e sai do mesmo, junto com meu amigo. Nos direcionamos ao quarto de Cell, que basicamente era do lado do nosso, bati na porta e ele logo apareceu com a mochila e um sorriso no rosto. 

Seguimos rumo ao refeitório e fomos pegar algo para comer, tínhamos apenas 5 minutos então teríamos que ser rápidos. 

Chegou nossa vez e eu decidi apenas pegar uma maçã, comi rapidamente e corremos em direção a nossa sala de aula, teríamos nossa primeira aula juntos, mas ainda não sabíamos o que era, exceto Felps que falou que sabia mas preferiu não contar. 


Na sala de aula. 

Estávamos sentados no fundo, já que foi o único lugar que estava vago, estávamos conversando até que vimos o professor entrar com uma maleta. 

— Bom dia alunos! Podem me chamar de Enzo, ou Fitz, como preferirem. Hoje iremos começar com uma aula mais calma, vocês vão conhecer seus guardiões. 

Oi?... Como assim? O que está acontecendo nesse lugar?! 

— Vamos para o pátio! — O professor falou novamente, e pegou sua maleta, me levantei sentindo o olhar dele sobre mim e sai da sala junto com meus amigos. 

 — Felps, agora você pode explicar! — Um Cellbit irritado falou, exigindo alguma explicação razoável. 

Felps suspirou e começou sua longa história. 

— Ha muitos anos atrás, o mundo foi dominado por seres sobrenaturais de todos os tipos, anjos, fadas, sereias, ghouls ( quem assiste tokyo ghoul entendeu ), e vários outros seres. Eles eram a pior raça que poderia imaginar, foi então que a CCG surgiu, exterminando todos os seres e deixando o planeta em paz novamente. Mas o que a CCG não sabia era que.. Um ser de cada tipo havia escapado, eles se juntaram e colocaram seus poderes, tudo o que havia neles em uma criança que havia acabado de nascer. Essa criança cresceu e se tornou um excelente guerreiro, digamos assim, protegia seu povo que aos poucos foram surgindo novamente. Mas em uma batalha ele acabou não sobrevivendo, antes de morrer tirou todo seu poder que havia nele, todas as junções dos seres, e mandou para outra criança, mas não foi toda a junção dos seres, e sim de apenas um ser, o único que daria certo, um ghoul. Mas esta foi uma criança aleatória, pelo que muitos achavam. Mas esta criança foi escolhida antes mesmo de nascer, ela seria mais poderosa que qualquer um deste planeta. Ninguém sabe quem é, a única coisa que sabemos é que ela  está nesta escola, foi por isso que o professor deu esta ideia de aula. Vocês entenderam melhor na aula. 

Ele terminou de falar deixando eu e Cellbit boquiabertos, chocados com a história que o mesmo havia acabado de contar. Seguimos para o pátio em silêncio, e recebemos a instrução do professor. 

— Rafael Lange. — O professor chamou fazendo com que Cellbit se direcionasse até ele. 

Ele posicionou as mãos juntamente e falou tudo o que o professor havia pedido, logo um brilho surgiu sobre ele revelando uma águia. 

— Seu guardião é uma águia, digna de um anjo. Ela nunca irá te deixar e sempre irá te proteger. Parabéns! 

Cellbit voltou com seu guardião e um sorriso no rosto, talvez feliz por ter descoberto que era um " anjo ", e não um ghoul. 

Felps havia contado que os ghouls eram piores que todos os outros seres, eles matavam e comiam o corpo da pessoa, para conseguir sobreviver. Pelo que havia dito, eles não gostavam de comida normal, como chocolate ou qualquer outra coisa, sentiam um gosto horrivel ao comer isso, mas somente iriam sentir quando eles tomassem uma única vez, uma gota de sangue. 

Sai de meus pensamentos quando ouvi o professor chamar meu nome pela milésima vez. 

Fui até ele com um certo medo, não poderia negar. Ajeitei minhas mãos igual Cellbit havia feito, e falei as palavras igual meu amigo. Logo um lobo branco surgiu deixando todos chocados, principalmente o professor. 

— Seu guardião é um lobo branco, digno de um...ghoul. — Ele falou e logo todos começaram a se afastar de mim, com um certo medo, afinal.. eu era perigoso?!.. Menos Cellbit e Felps se afastaram, meus únicos amigos que vieram até mim e me abraçaram, falando que jamais iriam me abandonar. 

— Tarik, me acompanhe. — O professor falou um pouco frio demais, me afastei de meus amigos e segui o professor até uma sala individual, pelo que ele havia dito ao longo do caminho ele iria me treinar naquele lugar. 

— Professor.. Eu não irei machucar meus amigos não é?. — Minha voz saiu mais fraco do que eu esperava. 

— Isto só depende de você, e de que lado você quer seguir. Agora tome. — Ele terminou de falar e pegou em sua maleta uma lâmina, fez um pequeno corte em seu braço e um pouco de sangue começou a ser derramado. Fiz uma careta de nojo, mas acabei obedecendo as ordens do professor.



Notas Finais


Estava sem ideia do que poderia fazer, então resolvi misturar um pouco de Tokyo Ghoul. Espero que gostem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...