História Opostos: One-shots de Miraculous - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 212
Palavras 1.229
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo Único - Ciúmes


Marinette -on-

Era mais um dia de escola, eu tinha me atrasado, para variar, Tikki me acordou, sai correndo de casa até a escola. Chegando lá acabei batendo em algo e caindo no chão.

-Marinette! Você está bem?- Era Adrien que também tinha chego atrasado, e me deu a mão para ajudar a me levantar.

-E-es-esto-estou. - Droga de gagueira, quando será que vou parar com isso.

-Que bom. Bem, vamos para aula se não nos atrasamos, mais.

-C-cl-cla-claro.

Entramos juntos na sala de aula, e depois de um sermão da professora fomos para nossos lugares. Eu sentei e Alya me olhou com rosto maliciosa.

-Porque a senhorita entrou com Adrien na sala?

-Não é nada de mais Alya, eu acabei tropeçando nele e viemos para sala juntos, só isso. - Respondi vermelha, no fundo eu queria que algo tivesse acontecido. Me virei para desviar do assunto e prestar atenção na aula.

Na verdade ultimamente minha atração pelo loiro tinha aumentado, ele estava conversando bastante comigo, sendo simpático, gentil, nossa amizade cresceu, e sim eu queria mais que amizade. Por isso minha gagueira não tinha parado, minhas frases nas conversas eram sempre curtas, quando não eram uma palavra só para não pagar muito mico, pelo menos não ficava tão vermelha quanto antes.

Só que os assédios de Lila e Chloe com ele tem aumentado, isso me deixava com muito ciúmes, mas o que vou fazer? Como posso competir com elas? Sou apenas uma garota normal, cheia de defeitos. Eu não conseguia olhar para ele quando elas estavam junto e simplesmente ignorava, mas isso me machucava de pouco em pouco. Os dias se passaram e eu tenho evitado Adrien para não me machucar mais.

Um dia estava desenhando um pouco no banco da escola durante o intervalo, estava sozinha, quando sinto alguém se aproximando, era Nathaniel.

-M-Ma-Marinette, bom dia.- Ele disse me cumprimentando.

-Bom dia Natheniel.- Dei-lhe um sorriso e e voltei a desenhar.

-O-o que está desenhando?- Ele dessa vez se sentou do meu lado.

-Nada de mais, só uma blusa. Mas estou com um pouco de dificuldade. Quero que a blusa seja verde, mas não sei que cor usar nos detalhes para que se destaque.

-Vermelho.

-O que?

-Vermelho, a cor que é oposta a verde, se você os colocar juntos se destacam. Veja, toda a cor tem o seu oposto, em verde é vermelho, em azul é laranja, em roxo é amarelo.

-Hum que legal, vou usar isso da próxima vez que escolher os tecidos.- Eu sorri para ele, e ficou vermelho.-Obrigada pela dica.

-De nada.

No fim da aula voltei para casa e comecei a costurar tudo, tinha ficado realmente bonito e a costura em vermelho ficou realmente destacada. Tinha adorado o resultado. No dia segunte durante o intervalo estava conversando com Alya, Nino e Adrien, quando vi Nathaniel atravessar o pátio e ir aos armários.

-Já volto gente. -Sai em disparada antes que ele, gritei o seu nome, e impedi que ele realmente entrasse realmente nas salas de armários. -Nathaniel! Obrigada por sua ajuda ontem a blusa ficou linda. -Disse ofegante por causa da corridinha que tive que fazer.

-Ma-mag-magina Marinette, sempre que precisar.-Falou com um sorriso de lado.

-Sempre? Então você podia me dar dicas de pintura e desenho?- Falei animada me aproximando dele.

-C-cla-claro.- E ficamos li conversando sobre arte, toda dúvida que tinha ele me respondeu. Foi realmente muito bom conversar com ele.

A aula passou, já tinha me despedido de todos e estava indo para casa. Quando sinto alguém me puxando pelo braço, era Adrien, me arrastando para um lugar mais vazio da escola. Me colocou contra a parede, seus braços me impediam que fosse para qualquer um dos lados.

-O que que foi aquilo?- Ele quase gritou nervoso, mas eu não entendo.

-A-aqui-aquilo, o que?

-Aquela conversa bem próxima que você e Nathaniel estavam tendo.

-Somos só amigos, ele estava me dando dicas de desenho, só isso.

-Só isso? A conversa dos dois parecia bem animada.- Ele estava me assustando usando um tom de voz grosso.

-Adrien! O que foi? Porque você se importa?

-Eu é quem digo isso Marinette, não é você que gosta de mim?-

-O que? Como sabe disso? Quem te contou?

-Ninguém me contou, eu observo o jeito que você olha e fala comigo, é diferente, e você fica toda vermelha também logo.

-Está tirando conclusões precitadas.- Olho para o lado e para o chão, para não encarar aqueles olhos verdes.

-Estou tirando? Vamos ver.

Adrien, pega meu queixo e levanta minha cabeça, com o dedão puxa para baixo meu lábio inferior, e eu não conseguia escapar dos lindo olhos verdes, que me prendiam mais que o corpo dele. Quando me dei conta já estava sendo beijada por ele, era um beijo profundo, que explorava toda a minha boca, e tinha raiva misturado aquele beijo. Quando o folego já tinha acabado ele separou nossas bocas.

Marinette -off-

Adrien -on-

Fazia tempo que queria arranjar novas amizades, então resolvi começar a conversar com Marinette e Alya, elas eram muito legais, especialmente Mari que sempre fazia de tudo para ajudar os outros, eu estava começando a olhar de uma forma diferente, aos poucos comecei a imaginar o quão fantástico sereia se Ladybug e Marinette fossem a mesma pessoa. Foi depois de uma luta com um akumizado, me escondi em um pilar para me destransformar quando ouço um sonoro "Tikki, destransformar", olho para onde vem o som e mais a frente vejo Ladybug, se tornado Marinette.

Eu demorei um tempo para tempo para engolir aquilo, e nesse tempo Marinette se afastou de mim, o que eu até achei bom. Mas os assédios de Lila e Chloe só vinham piorando, em um dia no intervalo, vi Mari desenhando no caderno, decidi não interrompe-la, me virei para ir para sala, quando olho de novo, vejo que ela está com Nathaniel, conversando e rindo, aquilo me deu nos nervos, mas ignorei. No dia seguinte quanto tentei me aproximar dela de novo, vejo ela correndo para Natheniel mais uma vez.

O que ele tem? Porque ela queria falar com ele? Porque ela ficou o intervalo inteiro falando com ele? Porque ela estava sorrindo tanto? O ciúmes subiu minha cabeça, quando Mari se despediu daquele ruivo com um abraço foi a gota d'água, já tinha puxado ela para um canto, já tinha discutido com ela, e já tinha dado o beijo. Parecia estar em choque, e eu também.

-Porque fez isso?

- Desculpe.-Ela olhou espantada.-É que fiz sem pensar, eu estava com...Com...Ciúmes.

-Ciúmes de mim e do Nathaniel? Porque você se importa?

-Porque.-Pensei um pouco antes de falar.-Descobri que você é minha amada Ladybug.- Seus olhos arregalaram ela tentou correr, mas eu a segurei. Estava segurando ela contra a parede, um braço envolto em sua cintura e outro na cabeça, a abraçando.

-Espera deixa eu explicar! My Lady!- Falei em seu ouvido, sou o único que a chama assim, ela iria entender.

-Chat?- Concordei com a cabeça, falávamos baixinho e com os corpos ainda grudados.

-Porque não me disse antes?

-Eu queria engolir o fato de que a menina que comecei a desejar ser a Ladybug era realmente a Ladybug.- Ficamos em silêncio por algum tempo.-E você por que se afastou?

-Minha forma de demostrar ciúmes é diferente, gatinho.- Nos dois demos uma leve risadinha, e continuamos naquela posição, era bom ficar ali.

-FIM-



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...