1. Spirit Fanfics >
  2. Opposing Souls >
  3. Emprestado e substituto

História Opposing Souls - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


O poema a baseado no dia 16 17 e 18 de junho os três dias do período da morte da mãe do Ichigo.

Dia 16 e um dia antes dela morrer, 17 dia em que ela morreu e 18 e o luto do garoto. Para quem n entendeu tô explicado aqui.

Capítulo 3 - Emprestado e substituto


Fanfic / Fanfiction Opposing Souls - Capítulo 3 - Emprestado e substituto

Capítulo 3


Emprestado e subistituto 



Dezesseis   de junho, um dia
A despedida, que foi tão rápida.
Que como uma bala perfurou.
A noite de verão e junto a ela
Meus pensamentos.
Não ouvi naquela noite nada mas que 
Meu choro.
No dia Dezessete   estava meio morto.
Você já não mas segurava minhas mãos.
Dezoito  de junho
O verão estava tão quente
E as chuvas caiam 
E junto a meus olhos frios.
O Rio lava a culpa.
De perder-la tão repentinamente 
Mãe . 


Meus três dia de Junho 

Por Crerubis 









—Karin Yuzu.— a voz saiu alta como um grito de agonia.


Ichigo acordou assustado com as memórias da noite anterior, sentindo o peso em seu coração suas irmãs  foram. Seu rosto pálido, o suor frio escorria por todo o rosto o coração do garoto parecia falhar, uma dor aguda o fez tombar para frente com a mão no peito, ele estava preste a gritar, enquanto aquela dor agonizante lhe consumia.


—" A culpa é minha  foi minha culpa meu mate minhas irmãs, assim como a mamãe "— ele pensou preste a ter sua mente quebrada, o ruivo se sentiu tonto enquanto alega cabeça parecia girar   a culpa parecia estar preste ao consumir totalmente. Ele olhou para o lado de fora querendo que tudo fosse apenas um sonho, as marcas de luta e a parede de sua casa destruída não lhe enganaram, tudo aquilo foi real.


—Ichi-Nii você tá bem?— Yuzu entrou pela porta de supetão, enquanto encarava o rosto pálido de Ichigo, que tinha uma expressão  de dor em seu rosto, Karin olhava um pouco mais de longe, enquanto seu pai apenas sorriu de forma pervertida.


—Vocês estão bem?— Ichigo perguntou confuso olhando as irmãs concordaram  rapidamente enquanto mostravam um sinal se vitória em seus dedos. Aquilo acalmo o rapaz, enquanto eles o deram um olhar de preocupação. 


—Você Tá bem? Não se machucou…


— EU SEI O QUE ELE TEM,  ELE TORCEU O PÉ...— Karin chutou o pai rapidamente antes que ele terminasse a frase que estava preste a dizer. Pelo olhar torto e de nojo a qual sua filha lhe deu, ela provavelmente sabia a conotação sexual a qual aquilo iria terminar.


—Ichi-nii seu Pé tá machucado?— Yuzu o perguntou, enquanto ele deu um sorriso mais caloroso, enquanto a irmã o olhou com dúvida, seu pai tinha acabado de gritar que seu filho tinha se machucado.


—Não,  não dei ouvido a esse idiota pervertido.— Ichigo assim que se recuperou  do susto jogou um tênis que estava ao lado de sua cama no rosto de seu pai, que ainda se recuperarem do golpe de Karin.


—Ei Dorminhoco já que acordou, por que não nos ajuda a limpar a bagunça que o caminhão  fez.— Karin olhou enquanto o Ichigo lhe deu um olhar confuso. 


—Karin-chan ele tava dormindo, quando o acidente aconteceu. Ichi-nii nem acordou quando o caminhão bateu em nossa casa. — Ichigo olhou para as irmãs curioso, com aquela história. O garoto ainda abalado as olhou aisse como se tivesse que receber uma explicação.  Mas as garotas apenas falaram que um caminhão bateu na parede da sala de jantar, e o motorista conseguiu por algum milagre fugir de lá, sem ser reconhecido. 


— " Rukia você mudou as memórias deles? Como isso é possível? Além disso por que ainda tenho seus poderes"— já mais calmo o garoto notou que seu poder espiritual mais alto, mais denso e pesado, uma energia que nunca sentiu antes inundando as regiões mais profundas de sua alma, as forças de Rukia ainda estavam dentro do mesmo. Ichigo suspirou pesadamente, enquanto se foco em tudo que Halibel o ensinará e de forma calma, deixou sua Reiatsu baixa, o bastante para ser dificilmente detectada. Quando notou que seu poder estava baixo o bastante para não atrair nada a sua casa  ele olhou com alegria para a família.


— Acho que estou bem, VOU ajudar o velho a limpar a sala.— Ichigo comentou, enquanto seu pai ainda tinha um olhar de quem, realmente tinha dúvidas da veracidade daquela história, embora o mesmo não quis se tocar no assunto, em vez disso ele apenas aceitou a ajuda do filho de bom grado. 


Mesmo de pijama que era uma calça de moletom larga e uma camiseta do tamanho G, o garoto desceu as escadas para analisar realmente os estragos a qual sua luta na noite passada causará, para sua surpresa apenas uma parede tinha sido destruída.


—Você vai se atrasar para a escola hoje.— O velho homem falou, enquanto analisava os estragos .


—Não ligo muito, as Primeiras aulas me deixam com cara de peixe morto.— O garoto respondeu rapidamente.


—Humm vamos tomar café depois olhamos isso direito, mas antes sabe a garagem acho que não sei em qual caixa, mas em um delas a uma caixa de ferramentas para concentramos algumas coisas simples antes da seguradora voltar.— Isshin falou enquanto em Sua mente tentava se lembrar em qual caixa tinha guardado, sua pequena maleta de ferramentas, e para pior a garagem da Casa, diferente da Garagem usada para a clínica era quase um depósito de todas as coisas antigas da família. 


—Droga,Não fica me dando ordens idiotas, mas eu vou ver se acho.— Ichigo sabia que aí demorar um pouco pro café ficar pronto, e de bom grado foi até a garagem,  quando entrou notou que lá dentro estava empoeirado, era difícil de respirar a início sem espirrar um ou duas vezes. Mas a primeira coisa que notou lá, foi uma lambreta preta com detalhes em branco coberta de poeira, a mesma tinha um cruz de seis pontas de um azul esbranquiçado,  o modelo era aquelas dos anos oitenta ou setenta, bem personalizada com um banco de couro, um pequeno porta objetos atrás para se guardar matérias, um  do par de capacetes antigos com dois grandes óculos protetores juntos.  Era um modelo a qual todo adolescente queria ter em seus anos de juventude, a alguns anos atrás.




—Mamãe Lhe adorava não é, ele me levavam para todo lado em você. E agora tá aí parada faz quase nove anos.—o garoto lentamente passou os dedos no veículo retirando a poeira dele, Seus gostos por músicas dos anos setenta a noventa junto ao Rock mais clássico e suave desde o Rock mais pesado, jazz,  entre tantos outros estilos musicas, Seus gostos por literatura Inglesa,  grande parte de sua personalidade tudo isso era por causa de sua mãe.


—" Será que posso a pilotar um dia? Ou será algo que não tenho direto pelo meu pecado?"— Ichigo se perguntou  se afastando do veículo. 


—Que Saudades de quando, você colocava os Vinis da casa para tocarem mãe— O garoto então se afastou ele tinha medo que quebrar as lembranças de sua mãe, a culpa por tê-la matado ainda o assombrava mesmo sendo tudo um acidente. Ele olhou para outras.coisas que seus pais juntaram lá, um prancha de surf a qual nunca os viu usando, alguns  mapas mundi antigos,  caixas com brinquedos antigos dele a qual ele até hoje não entendeu porque no jogaram fora assim como algumas bonecas mais antigas de Yuzu e Karin.  Muitas caixas se amontoam em um canto da Parede quase atingiram o teto, em uma prateleira se tinha alguns troféus de quando sua mãe ainda era estudante, grande maioria de arquearia ou de literatura e escrita.


—Ela Nunca me ensinou a usar um deles.— Ele comentou enquanto pegava um arco de esportes que estava em cima de uma das estantes, de forma melancólica ele puxou o arco fingindo ser um arqueiro nas olimpíadas com sua mãe, atrás torcendo pelo mesmo. Mas logo, ele apenas suspirou pesadamente e o pôs, sobre a estante. Foi quando outro pensamento melancólico o atingiu, quando se lembrou de que agora tinha poderes de Shinigami. 


—Será...que ela vai me odiar...— Ele Sussurrou quando notou que agora ele era no inimigo natural de Halibel,  Seus olhos se assustaram, com a ideia dela o deixando, ou dos mesmo tendo que lutar, ele olhou para o anel em seu dedo, sentindo um leve pontada no peito. O que o fez morder os lábios, aquele lugar não o fazia bem, ele sempre pensava demais dentro da Garagem. Ichigo apenas tentou afastar os pensamentos, enquanto espichava seu corpo tentando ver o interior de algumas caixas, desta vez era algo sobre seu pai, era de Exatos vinte anos atrás, talvez um pouco menos, a poeira encobria o de mais Aquilo, mas sabia que era de seu pai, quando Ichigo pegou quadro estava tão sujo que não se podia ver, ele rapidamente então limpo o quadro em Suas mãos, revelando ser quando seu pai, recebeu sua licença para ser médico. Ichigo sorriu ao ver o nome de seu pai gravado no papel. 


— Você é o pior. Shiba Isshin, então você amava tanto a mamãe que ficou com o sobrenome dela. — Ichigo comentou, um pitada de culpa o tomou, tanto que ele nem ao menos procurou saber a data, apenas que foi bem antes dele nascer.  Novamente ele se virou para aquele ambiente empoeirado, enquanto o revirava atrás de alguma pista da caixa de ferramentas. Algumas cadeiras quebradas, junto a alguns móveis ou decorações para a casa que já estavam velhos demais estavam lá.  Desta vez partiu para outra caixa, onde achou um esfera elétrica junto a três abajures de vulcão. Ele os olhou com certo interesse talvez ficassem bem em seu quarto e no de suas irmãs. Curioso sobre o que mais se guardava lá, ele passou a olhar com mais cuidado as caixas, algumas tinha apenas livros de medicina mais datados, provavelmente da época em que seu pai cursou . Outras apenas quinquilharias sem um uso parente, o menino então olhou para, a estante e as outras coisas que estavam empoeiradas, um pequeno criado mudo, além de um velho rádio. Irritado pprnainda não ter achado a caixa  ele, de forma satisfeita separou os itens de seu gosto, em uma caixa que estava suja porém vazia.


— Lá em cima?— ele se perguntou enquanto pegou uma escada de pintura, e a usou para se levantar, olhando vou a caixa de ferramentas mas algo lhe.chamou a atenção uma pequena caixa de cores azul e branca, ele emanava Reiatsu, fora isso sobre a estante nada, mais lhe chamou a atenção senão algumas tralhas, e um ou dois ninhos de aranhas, que se remexiam enquanto suas donas o olhavam com todos os seus olhos. Ele facilmente pego a caixa de ferramentas um vermelha grande e pesada, e a jogou no chão fazendo o barulho ecoar. Agora o jovem tentou alcançar a pequena caixa, no canto escuro, ele fez seu peito tocar o metal frio e sujo, esticando os  dedos até pegar o item, o arrastando com dificuldades até ele., mas ele não quando o olhou não o reconheceu era algo que nunca vira. Mas admirado o guardou em seu bolso. 


Antes de sair Ichigo deu outra boa olhada, na garagem se tinha um ou duas espadas velhas de Kendo,  talvez fossem de seu pai ou algum parente distante. E isso agora lhe chamou muito a atenção.


— Engraçado o velho nunca falou da família dele, nem quando a mamãe era viva, na verdade eles nunca nos falaram, quem eram nossos avós e tios.— Ichigo comentou pegando a caixa. Com a caixa em mãos ele voltou para onde seu pai estava.


— Estava muito sujo?— Isshin o pergunto referente a garagem.


— O que você acha?—


— Pelo menos você a encontrou, e Ichigo não remoa suas memórias, estão bem.— O velho homem falou antes de chutar seu filho nas costas, o  fazendo olhar.torto para seu pai.


—Você tenta parecer legal mais e um pai idiota.— Ele reclamou, enquanto entrava para dentro, sem ao menos usar a porta, sua irmã já estava servindo o café enquanto, Karin descia as escadas já arrumada para a escola, ambas já tinham, suas mochilas próximas a mesa. 


—venham comer  antes que esfrie, se não a comida perde o sabor.— Yuzu falou, de forma calma enquanto o irmão e O pai, se sentavam à mesa junto delas para um café da manhã calmo, por mais incrível que parece. 







Naquele dia Ichigo chegou durante o intervalo  na escola, ajudar seu pai a arrumar da melhor maneira a casa, foi uma tarefa difícil ainda mas porque tiveram que retirar os.escombros, e o velho Kurosaki queria mas era se divertir do que tudo. Agora o garoto ruivo se via sentado na matem da escola, enquanto um ar gélido mas agradável soprava nos mesmos.


 —Como estão as coisas Ichigo? Vocês precisam de ajuda.— Chad foi o primeiro a tocar no assunto, que virou meio que uma fofoca na escola,o que fez todos voltarem seu olhar para o adolescente de quase um metro e noventa de altura, o olhando. Ele era gentil, como um carneiro, embora também fosse um cara calmo e sempre prestativo aos amigos.


—" Ele iria mais atrapalhar que ajudar"— os adolescentes Asano e Mizuiro pensaram rapidamente, enquanto olhavam o gigante .


— Está tudo bem,  já demos conta de tudo hoje ainda, mas o único saco e…


—Você Esqueceu o dever?


—Está com preguiça de fazer o dever correndo agora.


—Está Com medo… de caminhões?— Os garotos rapidamente perguntaram a Ichigo nem  ao menos, lhe dando tempo para os responder, em vez disso o Kurosaki apenas os olhou, de forma ameaçadora, como se tivesse pedindo novamente o direito  à palavra.


— Não,  mas  por que vamos ter Química no próximo horário.— Ichigo tinha a cara de peixe morto, ele não se dava bem com os professores, tudo por que sempre o viam como um delinquente que pintava  o cabelo. Um Rebelde sem juízo.  Mas também não se dava bem com certas matérias que o faziam perder rapidamente o interesse na aula. Química era um dessas matérias, que o deixavam como olhar de Peixe morto.


—Ela trocou os horários,por você aí se atrasar. Algo sobre matéria para os exames— Chad falou em um tom, calmo quase como se não importasse muito, se as aulas foram ou não trocadas.


— Que se foda o exame, nós queremos curtir né Ichigoooo.— Asano berrou, enquanto Ichigo apenas o golpeou na cabeça o fazendo cair.


— Ela é uma vaca… teríamos horário livre agora.— Mizuiro, comentou quase que mortalmente, enquanto o grupo quase se engasgou, com as falas do garoto, que tinha um olhar sombrio em relação a professora.


—Vocês não entendem… eu tinha um encontro com duas amigas. Uma de vinte e cinco e outra com seus vinte anos, ela o estragou.— os três que encaravam o amigo de cabelos negros se olharam assustados.


—" Seu maldito, dias garotas mais velhas"— Asano pensou quase que tomado de raiva.


—…. — Chad nada falou, apenas ficou lá em silêncio. E Ichigo desviou o olhar, talvez aquele garoto fosse a real má influência da escola e não os delinquentes.  Mas por algum motivo, Halibel veio em sua mente, quando ele pensou em uma mulher mais velha, assim como seu amigo Mizuiro sempre pensava.


—Eu Vi pra sala, será melhor assim— Ichigo falou se levantando e.indo para a sala de aula.







×-×-×-×-×-×-×-×-×





 A sala de aula estava normal,  todos os alunos ou conversavam ou apenas olhava tediosamente para o próximo horário. Apenas dois minutos até que o sinal tocasse,  era os últimos minutos do intervalo, de forma lenta os pequenos ou grandes grupos que se formavam em torno de um ou duas mesas se disparam. Outros ainda insistiam em continuar até o último segundo, Ichigo que estava em um canto olhou atentamente para os alunos da sala. 


Orihime junto de Tatsuki falavam sobre o programa do Médium Don Kanonji, algo a qual ele sempre achou  superficial e errado. Ele deveria apenas fingir tudo e se por uma, pequena hipótese ele realmente, vise espíritos  às chances dele estar fazendo alguma merda realmente era grande.Outras garotas de sua sala se reuniram para falar de outro assunto, algo como moda. Talvez por isso as duas melhores amigas não estivessem com elas hoje.

 


Foi quando  sinal tocou, l fazendo virar o rosto para, a rua. Sua professora rapidamente entrou na sala. Enquanto seu olhar rapidamente caiu sobre Ichigo.


—Ei vocês estão bem? Kurosaki-kun soube do acidente.— Ichigo virou o olhar para a professora, a olhando enquanto suspirou, ele odiava mentir mas dizer coisas como, não está tudo bem apenas lutei contra um monstro, não iria ser bem útil.


—Sim,ninguém se feriu.— Ichigo respondeu rapidamente, enquanto um ou dois sussurros lhe incomodaram, era sobre ele mas não sobre uma briga,  não hoje.



—Que Bom porQue hoje temos, uma nova aluna. Pode entrar senhorita Kuchiki.— Assim que a voz da professora falou Ichigo notou, a garota não estava lá apenas, porque queira está. O jovem fechou os olhos e se focou em tentar sentir o Reiatsu da mesma, era fraca quase apagava como uma vela ao vento. 


— Olá a todos, sou Kuchiki Rukia e espero me dar bem todos vocês.— Ichigo olhou para o sorriso  e a voz falsa, ela não tinha interesse nisso apenas, em ficar próxima ao ser com seus poderes, aquilo fez o menino suspirar pesadamente, enquanto sua garganta quase engasgo com o pensamento, que veio em sua mente.


—Ela É tão fofa.


—Será que ela realmente tem quinze anos? Parece uma criança.


— Idiota olha aqueles peitinhos se desenvolvendo para os de uma mulher. 


— Será que ela joga no outro lado.


—Cala a boca seus pervertidos de uma figa.


—CALEM A BOCA ALUNOS INGRATOS.  — A professora ergueu a voz, fazendo com que a sala se calasse então ela olhou para a sala vendo um lugar vago ao lado de Ichigo,  ela então rapidamente olhou para a garota ao seu lado.


—A Um lugar ao lado do Kurosaki, pode se sentar lá, não se preocupe ele só tem a carranca mesmo.— Rukia apenas assentou antes de se aproximar de Ichigo, ela então olhou para o mesmo sorrindo  antes de o cumprimentar educadamente.


—Olá Kurosaki-kun espero que sejamos amigos— Ao se sentar ao seu lado. foi quando ela o cutucou lhe mostrando sua mão . " Se contar para alguém lhe mato"


—Idiota.— Ichigo respondeu enquanto lhe passava rapidamente um pequeno papel dobrado, foi quando ela o olhou curiosamente. Ante de pegar e o abrir. Rapidamente ela resmungou  da letra a qual achou feia e desleixada.  " Eu faço a merda do seu trabalho até, seus poderes saírem de mim"


— Humm, você realmente entende as coisas rápido humano, pois bem engula isso temos ordens a comprir.— Ruika o lançou um pequeno chicletes  azul claro, enquanto o menino olhou para o mesmo curioso,quase como se aquilo fosse algo duvidoso, mas de bom grado o lançou em Sua boca o mastigando antes de desmaiar repentinamente . O que fez todos olharem para Ichigo que estava desmaiado na mesa, 


— Eu levo ele pra enfermaria professora.—Rukia falou enquanto arrastava Ichigo pela sala.




O garoto só acordou quando estava do lado fora da escola em um canto bem escondido ao  ver dele. Rukia parecia estar mexendo no celular enquanto tinha um olhar enigmático. Ela suspirou quando o aparelho piscou , em Sua tela coordenadas de longitude e latitude  apareciam. Quando ela notou o garoto se movendo finalmente viu que era hora de se.mover também.


—Que droga era aquilo, era ruim sua vaca.— Ichigo reclamou enquanto o gosto amargo em Sua boca ainda, lhe incomodava mas a Shinigami apenas o deu um olhar neutro, enquanto mexia no celular.


— um doce espiritual,  feito para forjar a morte, o seu no caso apenas um desmaio de cinco minutos, agora não me atrapalhe tô recebendo ordens.— Ichigo a olhou, quase com desdém pela mudança repentina em seu comportamento,  embora aquilo não fosse algo a qual ele realmente fosse questionar. Em vez disso procurou saber mais sobre o ponto de vista da mesma sobre os Hollows,  Halibel lhe ensinar a que eram criaturas tolas, que se não se livram de seus arrependimentos,  e devoravam tudo que viam, mesmo tendo outros caminhos.  Necessariamente a arrancar não estava do lado de alguns membros de sua própria raça, enquanto lutava para tentar mudar alguns poucos para seu ponto de vista. 



—Me diga, porque Shinigamis lutam.— Ichigo a perguntou  a fazendo olhar sério para o garoto, ela sentia que ele tinha conhecimento, mas do que realmente lhe demonstrava. Ele era um humano que controlava sua Reiatsu tão bem quanto muitos Shinigamis, ele sabia sobre eles e não parecia surpreso ao ver um Hollow noite passada. Aquilo a fez morder os lábios, ela não gostava , do garoto estar quase que um passo à frente da mesma.


— Por que Hollows matam pessoas, eles destroem sonhos , roubam o que nós  é  importante.  E fazemos isso para eles tenham paz, ao os corta com nossas espadas, a Zanpakutou purifica a alma, a levando ao paraíso mas você já sabia disso não é mesmo Ichigo.— Rukia falou, ela notou que o garoto não ficou surpreso,  nem ao menos a questionou nem uma única vez, sobretudo ele tinha ciência disso.


— E antes que você me fale, para nunca quebrar a máscara eu já sei, o que a por baixo dela, um rosto humano .— Rukia o olhou, franzindo a testa, ela realmente não gostava aquilo, Embora ele não fosse realmente  algum ruim, ele sabia de mais,  mas do que realmente deveria.


—" Ichigo quem e voce"— Rukia se questionou  mas não por muito tempo pois seu celular apitou  uma ordem havia chegado. Ela olhou para o aparelho e resmungou alguma coisa, enquanto se sua roupas retirava uma luva vermelha com uma espécie de caveira em chamas azuis.


—Mas Se entendeu a partir de hoje você é oficialmente  um Substituto de Shinigami,  um Shinigami  Substituto .— RUIKA, Falou sorrindo para o mesmo, que apenas olhou para a cara, de quem iria gostar do que iria fazer Logo em seguida.


— Ei...que cara és...— Ichigo não terminou de falar e teve sua alma separada do corpo, que caiu no chão se qualquer  jeito. Ele notou a espada gigantesca em suas costas, pareciam mais pesada que na noite anterior quase, como se a mesma estivesse mais sólida  que noite passada. Ele olhou para Ruika que apenas lhe deu um olhar calmo.


— Me siga,  temos trabalho a fazer— Ela falou enquanto seguiam para algum lugar.


—Espera Meu anel da sorte. — ele reclamou antes de ir ate sua mão esquerda no dedo indicador, mas o anel não estava, lá quando a preocupação bateu ele viu, o em sua mão, o que o fez sorrir.


 —" Então era assim que você aí me encontra na Soul Society  Halibel". — Ele pensou,  antes de sair de lá. Caminharam  por alguns minutos em silêncio antes do garoto realmente falar algo. Isso quando estava perto de um parque para crianças e adolescentes. 


— Não tem problema você zanzar por aí, de uniforme,  eu sou um espírito atualmente então se alguém me ver ainda tenho o álibi de estar na escola. — Rukia o olhou, quase como se não se importasse de ser vista fora ou não da escola, em vez disso ela tinha que se força em seu trabalho e de deixá-lo pronto para as lutas que teria.


—Não se importe, já estamos no lugar em que um hollow vai parecer.— Ela falou em um tom sério, enquanto Ichigo a olhou curioso. Ele não sentia poder nem um a não se um fraco espírito de um garoto que estava lá a alguns anos.


—Não sinto nada. Só o garoto.— Ichigo resmungo quase como se a garota fosse a errada.


—Tolo, Hollows se escondem em uma fenda entre as dimensões,  nela não se pode sentir sua presença.  Apenas quando eles saírem para caçar almas que são notados. Por isso nós temos as ordens. Um central de inteligência e tecnologia que monitora prováveis vítimas, como o garoto, e claro as vezes não é tão fácil é só recebemos as ordens quando ele aparecer.— Ichigo a olhou explicando a situação enquanto fazia um desenho ridículo ilustrado mostrando, detalhadamente tudo o que ela falou. Em vez disso ele notou que ela não Sabia sobre o Hueco mundo. 


— Você sempre desenha tão mal assim.— Ele a perguntou, sendo chutado na canela pela jovem, que vociferou um palavrão para ele. Foi quando eles sentiram uma outra força no lugar,o céu se rasgou e de lá caiu um hollow quase como um centopéia,  que tinha garras de um louva deus e uma máscara branca e sem marcas em Sua rosto. Aquele ser rapidamente se pôs atrás da criança. E Ichigo logo se pôs para ir o atacar. Foi quando Rukia o berrou.


 —Ichigo, um Shinigami deve ser justo, você deve saber que se salvar essa alma terá que fazer isso por todas, não pode escolher as que vai salvar, seja de criminosos, jovens, homens ou mulheres só então após isso através do ritual de passagem ele será julgado por seus pecados. Se salvar a criança só por ela ser quem é,  você não vai estar sendo justo.— Ichigo a olhou, sentido  a mão tremer. Ele estava hesitando, em agir mas foi quando se lembrou do que Halibel lhe disse,  que ela de bom grado se sacrificaria por ele. Aquilo o fez se sentir envergonhado. Ela era mais humana talvez até que muitos que ele viu, então ele rapidamente , salto em direção ao ser. Que parou ou vê-lo. O hollow parecia ter medo, quando viu Ichigo ele não podia se mover era como se, algo mais poderoso estivesse com o garoto, aquele ser Apenas ficou lá parado quase como se estivesse esperando uma ordem. Mas em vez disso a grande espada foi gravada em Sua cabeça de forma rápida,  uma morte sem dor, sem sofrimentos,  apenas seu corpo se tornando uma partícula de luz, que sumia para um lugar melhor.


—Se Eu ficar parado, sabendo que poderia os salvar, como poderia encarar ela. Então vou  salvar todos que eu conseguir. E você não vem me encher o saco.— Ichigo então se voltou para o garoto  que estava assustado. O rapaz o acalmo  antes de fazer o ritual e mandar sua alma para o outro lado. 



Dito isso os dias se passaram rápidos, ele enfrentou alguns Hollows e Ruika ao ver dele estava, lhe ensinando o básico do básico, para que ele lutasse. Aquilo o irritava. Finalmente era um sexta feira foi quando ele estava saindo do banho, e entrando com cuidado em seu quarto, aquela garota idiota tinha o invadido e agora usava seu armário como cama.


—pervertido, Rukia berrou o chutando na canela, a garota estava se trocando, quando o rapaz entrou apenas de calça no quarto do mesmo.


—Sua Puta — Ichigo  resmungo com Ruika,  naquele dia estranhamente não tinha parecido ordens nem Hollows.  Então para ele foi um dia calmo e tedioso. Ainda era bem cedo umas sete horas, e ele até então não tinha falado  nada de sua vida pessoal para Ruika,  que achou que ele passaria a noite jogando em alguns de seus videogames ou ouvindo suas músicas.


—Não Se entra no quarto de uma dama sem bater. —Ruika resmungo enquanto pegava alguns mangás com histórias segundo o Ichigo afeminadas e estranhas antes de entrar em Sua guarda roupas.  O garoto rapidamente olhou o lugar,  a esfera elétrica e o abajur vulcânico estavam ligados iluminado de uma forma, legal o quarto., tudo para não encarar a garota. 


—Maldita.— Ichigo reclamou enquanto olhava para o anel na mesa, ele raramente o tirava apenas para tomar banho e dormir. Halibel não tinha dado notícias desde seu último encontro, e aquilo o incomodava. Em vez de ficar pensando muito ele se volto para o armário a parte onde Ruika não tinha, usurpado para si,  e passou a procurar um camisa, foi quando sentiu. O anel vibrando, sua luz piscou em um raio azul para algum ponto da cidade, ela estava lá.


— "Será que ela vai me odiar . Não sou apenas um substituído...Mas."— Ichigo não queria ir mas ao mesmo tempo, queira a ver novamente. Estava um pouco frio, então  rapidamente ele pegou uma jaqueta jeans preta e uma camisa vermelha  com uma logo preta. 


—tá indo aonde.?— Ruika perguntou  ao ver o garoto sentado em Sua cama colocando um par de sapatos, ele agora usava uma calça vermelha bem colada . Novamente ele desviou o olhar, para a caixa que achou a alguns dias, era um quebra cabeça e até agora ele não conseguiu a abrir, embora estivesse perto, pois a cruz de seis pontas sobre a mesma , parecia se a dica, a qual ele tinha para a abrir. Mas ele não entendia o porquê ela emanar poder espiritual.


—Não É da sua conta, toma. Se qualquer coisa acontecer, me liga.— Ele jogou um celular mais velho para a Menina, que o olhou analisando o aparelho. 


—Meu número tá salvo aí, é só apertar um por dois segundos que vai me ligar.— Ele falou , enquanto abria a janela preste a pular.


—Ei, onde você está indo, meu Gigai nao e forte o bastante para...— Ichigo a olhou pesadamente.


—É Algo pessoal, meu então apenas me deixa. E não mexia em nada principalmente a caixa e nas minhas coisas.— Ichigo falou pulando a janela, Ruika o olhou,que tipos de assuntos um adolescente teria em plena noite de sexta. Foi quando em seu rosto um olhar sapeca junto aos lábios maliciosos se formaram.


—Uma Namorada.— RUKIA,  Falou quase que maliciosamente. 












×-×-×-×-×-×-×-×-×-×-×-×





Halibel,  Estava sentada em um banco bem distante do parte, um bracelete em seu pulso impedia ela de liberar, muita Reiatsu ela olhou para o dispositivo quase que contente.


—Melhor Do que as drogas, que tinha que tomar antes para não ter meus poderes rastreados.— o bracelete era dourado  simples, seus olhos esverdeados agora estavam lendo as últimas páginas do livro. Ela tinha por algum motivo estranho se apegado aos personagens, Helena, Demétrio , Hérmia, Lisandro as desventuras a qual os quatro passaram, a forma magia com quem encontraram o rei dos elfos Oberon e sua esposa e rainha das fadas Titania, as confusões  causadas pelo pequeno e travesso Elfo Puck. A forma a qual através do uso da Licença poeitca ao autor  pode moldar, o mundo em sua volta. Mesmo com o romcance ainda se tinha  os dramas e tragédias.  Halibel lia o último parágrafo, seus olhos pareciam tão focados que era quase, como se ela não notasse a chegada de Ichigo, o jovem que de forma temerosa, tentava se aproximar.


Halibel, continuou com a leitura,enquanto vez ou outra, movia os fios se cabelo de sua testa, para o Lado, ou para trás de sua orelha. A luz amarelada do poste a iluminava, sua pele escura ganhava um brilho dourado. Enquanto o rapaz, ainda tinha medo de se aproximar,  medo de que agora com os poderes a mulher deixasse de ser sua amiga. Foi só quando o som do livro sendo fechado que por fim ela voltou seu olhar  para o adolescente.


— É um belo livro. Acho que agora entendo por que vocês humanos os criaram. Era quase como se fosse um mundo totalmente diferente do que vivemos, e mesmo assim me sentia parte dele. As personagens,  sabe acho vergonhoso mais me apaguei a seres que não existem.— Halibel falou, com uma voz calma, para ela era estranho entre os espadas ela quase nunca falou muito. Mas para aquele humano as palavras simplesmente faziam questão de sair de sua boca.


—Eu acho que te entendo.— ainda receios Ichigo se aproximou,  se sentando ao lado dela no banco . Ele a olhou e como sempre ela estava com as mesmas roupas, brancas de sempre, e com a Zanpakutou em suas costas.


— Está  distante hoje, tem algo haver com esses novos poderes.— Ichigo engoliu seco, enquanto a arrancar lhe olhava os olhos esverdeados encaravam os seus olhos amêndoas.  Ela parecia calma, e ele não achou que fosse ser lido tão facilmente. Nem ele notaria tão fácil a mudança. A cara preocupada do garoto falou muito.


—Um Pouco, talvez que agora você me..


—Bobo,  eu falei sério quando falei que talvez em setenta oitenta anos fosse lhe ensinar a ser um Shinigami. — Halibel o respondeu,  o fazendo soltar o ar aliviado.


—Sim, Mas eu tive medo de tudo mudar.— Ele comentou olhando para o livro,  e sorrindo para a mesma.


— Obrigada por me emprestar ele. — Ela estendeu o livro de volta ao garoto.


—pela forma apaixonada ,  que falou dele sei que foi uma boa leitura.—sua  voz saiu um pouco mais calma.


—Sim.— 


O silêncio caiu então antes, dela tomar coragem e falar.


—Sabe Que não tinha ordens para vir aqui, — a arrancar falou fazendo o menino a olhar curioso, ele nunca imaginou que ela fosse fazer algo assim.


—Me sinto honrado.— Ele comentou ao saber que, ela foi lá apenas para o  ver, e devolver o livro.


—Então Por que não me conta, como você se meteu com Shinigamis.— sua voz não era assustadora, era mais curiosa e calma do que tudo. Ichigo a olhou então simplesmente. Ele contou tudo,  até a parte dos treinamentos do básico em Zanjutsu. 


—Estranho, isso não é o suficiente para deter um hollow poderoso, já que agora você é o responsável pela cidade. Então   sabe posso lhe treinar também, a muitas coisas além dessa arte como por exemplos Kido as magias usadas pelos Shinigamis,  Hakuda técnicas de corpo a corpo, e claro outros macetes como Shikai.— Ichigo a olhou Kido e Hakuda  lhe foram explicados por Ruika mais Shikai era um termo novo. Ele olhou para Halibel, imaginado se o treinar seria arriscado para a mesma, ela era forte,  mas segundo a mesma ainda tinha cinco seres mais fortes que ela.


—Não precisa se arriscar por…


—Idiota, você é um amigo. Se você quer.lutar lute. Agora você tem poder para isso, mas lutar sem preparo e suicídio. — Halibel o soco no tórax,  de forma calma o fazendo olhar para a mesma.


— Você está certa...Mas o que é Shikai.— Ichigo a olhou enquanto ela sorriu mostrando os dentes brancos.


—Você tem um Zanpakutou agora né. Ela é uma representação de sua alma, digamos que de seu poder também.  Toda a Zanpakutou tem um nome que nasce quando os poderes ou de arrancar ou de Shinigami e desperto. Ao saber o nome dela no seu caso sua espada se torna sua real forma. No meu caso eu me transformo em minha verdadeira forma, e digamos que sou mais bonita que agora.— Ichigo olhou a mulher  que lhe explicava,  seus olhos pareciam brilhar ao pensar em o ensinar.


—É meio complicado…


—Sim por depois da Shikai tem a Bankai, o poder máximo do Shinigami. Se bem que demora uns quarenta a cinqüenta anos apenas para entender o que a Bankai, depois mais dez anos para a dominar— Ichigo a olhou incrédulo,  se tudo fosse como ela falou ele teria seus setenta e cinco anos quando tivesse seu Bankai.


—E muito tempo.


—Mas para quem é eterno tempo não é problema. — Halibel o respondeu.


Novamente eles ficaram lá, desta vez sem falar do problemas de serem ou não arrancar e Shinigami. Eles falaram do livro,  apenas o livro foi importante. Quando já era tão de madrugada que eles notaram que já era hora de se despedirem.


—Foi você né, que afastou os Hollows hoje.— Ichigo comentou fazendo a mulher Sorrir.


—Foi por uma boa causa, e fico feliz que os Hollows ainda temem meu cheiro em você.— Ichigo lembrou do Hollow no parque e em alguns outros que não o ousaram atacar ele.


—obrigado por me proteger. — Ele respondeu  , mas coçou o rosto envergonhado. 


—E Que cara é essa.— 


—Você Poderia diminuir o cheiro,  pelo menos não levantar muitas suspeitas. Sabe tem um Shinigami bem próximas a mim agora.— Halibel fez um olhar de desgosto ao lembrar que o garoto agora tinha um mulher escondida em seu quarto,  mas porque aquilo a incomodou,  era seu maior pensamento.


—Está Bem, mas se fazer alguma coisa idiota com ela, não me espere por um anos ou mais.— Halibel falou, o abraçando deixando sua Reiatsu passar para o anel e corpo do garoto que ficou um pouco corado com a atitude repentina.


— Eu juro ela não faz meu tipo.— Ichigo falou rapidamente, enquanto seu coração batia mais rápido, não por pensar em Rukia mas pelo toque da arrancar.


— Então Até a próxima vez,que nos vermos. Tentarei achar algum encantamento para você,  até lá tente se conectar com sua espada.— Halibel rapidamente o beijo na bochecha antes de se afastar, mesmo através do tecido o rapaz sentou a máscara que ela tinha sobre a boca. E corou.


—A...A...até mais Halibel.— Ichigo respondeu ainda meio travado.— Eu vi trazer outro livro pra você também — ele comentou antes de a ver sumir  em Sua frente em meio ao rasgo dimensional. 


—Eu Vou esperar ansiosa pelo próximo livro.— Sua voz saiu bem antes dela sumir na passagem entre os mundos.



O garoto apenas tocou a bochecha corado, antes de se voltar para sua casa.


—"Você é uma boa amiga Halibel "— Ele pensou sentindo o coração mais rápido.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...