História Optimus Fortuna - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Tags Abo, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Xiuchen
Visualizações 18
Palavras 1.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Fantasia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Tercium


Luhan

Estava terminando o trabalho quando recebi uma ligação do colégio falando que havia acontecido um incidente, logo me desesperei afinal, eu sou um alfa com um único filho como família. Peguei tudo e saí da empresa às pressas. Pensei em muitas coisas mas a escola não deu detalhes. Depois dos 15 minutos mais longos da minha vida consegui chegar no colégio e entrei na secretaria.

-Boa tarde. Eu sou Lu Han. O diretor me ligou, sou o responsável Lu Tian Zitao.

-Ah sim, o senhor Kyungsoo te espera na sala. -Entrei e me surpreendi ao descobrir que o diretor era ômega. Não que isso mude meus pensamentos, jamais seria preconceituoso assim.

-Bom dia. Sou Do Kyungsoo, diretor e dono do colégio. -Ele esticou a mão e apertei de bom grado.

-Lu Han.

-Sente-se por favor. O assunto que tenho para tratar não é extremamente sério mas achei necessário pontuar o caso. Seu filho me parece uma criança muito animada e também curiosa. São pontos muito bons, mas devem ser usados com quem os quer. Hoje ocorreu um episódio com um dos nossos alunos chamado Yifan. Ele não gosta de se misturar com as outras crianças e Zitao percebeu e tentou uma aproximação, mas hm... Foi um pouco rápido demais e isso assustou Yifan que sem querer usou um tom mais alto. Ele é um alfa e dois anos mais velho, mas sofre muito. Zitao não é o tipo de ômega que aceita muito obedecer e acabou dando um tapa no alfa.

-Não acredito nisso. Me perdoe pela postura incorreta do meu filho. Eu nunca o ensinei a bater em ninguém. Creio que esse gênio difícil partiu do seu omma. Eles são idênticos. -O diretor pareceu entender. Eu teria uma conversa bem séria com Zitao. -Meu filhote nunca foi agressivo e eu não irei tolerar esse tipo de conduta.

-Eu entendo. O professor da classe se ofereceu para tentar resolver a questão e eu deixei que ele ficasse com Zitao um pouco. Sehun é minha pessoa de maior confiança aqui dentro e todos os pais concordam que ele tenha envolvimento direto na educação e formação de pessoas de bem e caráter.

-Eu não pude trazer meu filho na escola hoje, mas gostaria de conhecer quem ficar responsável por ele. Quero estar sempre presente ao máximo no que puder ajudar.

-Claro, é um direito de todo pai. Eu irei levá-lo para conhecer o Sehun. Por favor me siga. -Ele se levantou e saiu da sala. Fui indo atrás não deixando de reparar no quão bem cuidada é a escola, muito cheia de cores e formas infantis pelos corredores.

Chegamos aos fundos onde havia um pátio com um jardim e brinquedos comuns de um parquinho. Haviam poucas crianças ali mas logo percebi que um adulto estava ali de costas. Kyungsoo o chamou e quando ele se virou por um momento me senti estranho. Era um garoto, aparentemente bem mais novo que eu e ele é lindo. Quando se aproximou seu cheiro de amoras me golpeou forte chegando a me deixar meio tonto. Kyungsoo pareceu perceber mas disfarçou e eu agradeci mentalmente por isso.

-Deseja alguma coisa Soo hyung?

-Ah sim. Esse é Lu Han, o appa do Zitao. -O garoto sorriu gentilmente e esticou a mão, segurei brevemente e logo soltei meio sem graça. Não me lembro a última vez que fiquei envergonhado na frente de alguém.

-Eu me chamo Oh Sehun, sou professor do primário. É um prazer senhor.

-Eu já conversei com ele sobre o acontecido de hoje. Você conseguiu conversar com as crianças depois disto? -Kyungsoo perguntou e Sehun sorriu assentindo.

-Eu falei com eles sim, pediram desculpas um ao outro. Crianças acabam superando os episódios muito mais rápido do que qualquer adulto em questão. Eu acho que eles vão se dar bem, é uma questão de tempo.

-Tao não consegue ficar brigado com as pessoas por muito tempo. Ele sempre foi assim e sinto muito pelo meu filho ser invasivo. Ele estava muito ansioso para começar as aulas e quando fica muito agitado tende a fazer alguma coisa errada.

-Não se preocupe. Yifan também não agiu certo ao elevar o tom de voz. Felizmente como sou responsável por ele posso ter uma conversa mais séria. Ele já é um pouco maior e entende o que é errado. -Sehun parecia entender muito bem as crianças e também fala com um amor tão grande que encanta qualquer pessoa com um coração.

-Bem... Eu já devo levar Zitao para casa? -Questionei vendo que me tornei já sem assunto e sem motivos aparentes para continuar ali. Eu poderia acabar criando algum pensamento desnecessário sobre o professor do meu filho.

-Pode sim. Venha comigo, ele está na sala. -Sehun me disse.

-Ah, bem, foi um prazer conhecê-lo senhor Do.

-O prazer foi meu. Volte sempre que quiser, é uma honra receber sempre pais atenciosos e qualquer dúvida pode me procurar também.

-Obrigado. -Sehun andava um pouco na minha frente e por isso não conseguia reparar em mim, coisa que eu realmente agradeço pois não embora eu tente ser sempre educado e respeitoso, ainda tenho meu lado alfa idiota e não é nem um pouco fácil ter um garoto com uma bunda daquele tamanho andando na sua frente em uma calça meio apertada. Ele é praticamente um pecado ambulante.

-Desculpe minha intromissão no assunto, creio que não seja da minha conta, mas durante a conversa com Zitao ele falou sobre algo que me deixou um tanto preocupado.

-Sim?

-Ele comentou sobre morar com você sozinho. Ele, hm, não tem contato com o omma dele?

-Ah... É um assunto delicado. Meu companheiro faleceu quando Zitao nasceu, foi um parto muito difícil. Hoje meu filho suporta bem a falta apesar de saber que tem um buraco ali que não pode ser tampado. Eu apenas tento dar o melhor que posso.

-Entendo. Me desculpe entrar em um assunto doloroso. -Ele me encarou. -Zitao está ali. Eu irei avisar sobre sua chegada.

Ele entrou na sala e fiquei esperando no corredor. Alguns minutos depois meu filho veio todo feliz falando sobre as atividades das aulas. Agradeci ao professor e saí andando, mas tenho certeza que ele ainda vai me causar mais problemas, principalmente se não sair da minha cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...