História Or Nah? - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias The Flash
Tags Barry Allen, Caitlin Snow, Cispsy, Gypisco, Olicity, Snowbarry
Visualizações 133
Palavras 2.909
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente.
E esse é o fim da fanfic.
Quero agradecer a todos que me apoiaram, leram e favoritaram.
Obrigada por tudo.
Eu gostei de escrever essa fanfic e gostei mais ainda de ter vocês por aqui ❤❤❤❤

Capítulo 13 - The End.


Barry não entendia o porque de estar preso em uma situação dessas. Ele sempre tivera má sorte com relacionamentos, como sua mãe dizia, ele era bom e ingênuo, acabava confiando demais nas pessoas, querendo ou não, isso atraía pessoas ruins e aproveitadoras, Caitlin poderia ser a menor de idade ali, mas estava longe de ser a inocente na história. Barry sentia o peso daquela situação, daquela vez não fora apenas uma desilusão, ele realmente estava apaixonado e sentia-se traído, enganado, Caitlin o havia destruído, completamente.

Ela havia tirado tudo o que ele tinha, a credibilidade, postura profissional, claro que aquela noticia havia se alastrado e chegado no seu local de trabalho, onde muitas confusões o envolvendo surgiram. Aquilo o marcaria para sempre, era um crime gravíssimo e sem chance de perdão para os demais civis. Verdade seja dita, quem contrataria um pedófilo e abusador?

Laurel havia conseguido a liberdade provisória para Barry, até o dia do julgamento que já possuía data. Mas ao ver o labirinto que sua vida havia se tornado, Barry desejou ainda estar preso. Ele logicamente havia perdido seu emprego, e mesmo com testemunhos de Hailee, Cisco e Felicity, nada pôde ser feito, Stein presava por uma boa convivência dentro da empresa e mesmo gostando de Barry, não permitiu que ele continuasse, ao menos até que sua inocência fosse provada em julgamento.

Outro problema foram as terríveis brigas iniciadas entre Zack Snow e a família Allen, principalmente Nora, todos estavam dispostos a testemunhar a favor de Barry, afinal presenciaram Caitlin consentindo com a relação. Tudo que Barry poderia fazer era aguentar firme todas as ofensas proferidas contra si e esperar por sua chance de provar sua inocência no julgamento.

Ele imaginava se Caitlin não estaria feliz, satisfeita, mas na realidade, ela não estava. Caitlin estava claramente arrependida do que havia feito, Ela não sabia o que fazer, ela não poderia simplesmente ir a delegacia e desmentir tudo o que havia feito, ela o havia acusado de abusar dela além de obrigá-la a ter uma relação continua com ele. Sabia a gravidade do que havia feito e sabia que de qualquer forma havia destruído a vida dele, e consequentemente a dela, Ela havia conquistado o apoio de seu pai e madrasta, as coisas iriam dar certo finalmente, mas ela havia estragado isso, não suportava mais viver com todo esse peso, e não sabia como se livrar dele, restava aceitar que não havia o que fazer. Ou talvez houvesse, ela só conseguia pensar em uma coisa e pretendia correr atrás daquilo.

No dia do julgamento, todos os intimados estavam presentes, os juramentos haviam sido feitos onde todos juraram dizer apenas a verdade. O advogado da família Snow iniciou relatando os fatos pelo qual estavam a acusar Barry Allen, Como primeira testemunha intimada estava Carla Tannhuser, pois Caitlin já havia sido abusada no passado pelo padrasto. Carla não entendia o que estava acontecendo ali, mas por conhecer a filha, sabia bem que ela teria alguma culpa no caso, porém estava ali para falar do comportamento da menina a respeito do caso anterior.

Já em seu lugar, Carla vestiu sua melhor máscara, Caitlin mal conseguia encarar aquela que a havia feito tanto mal, e seria torturante ouvi-la falar suas mentiras sobre o caso com Mason, aquele assunto era delicado e extremamente doloroso, principalmente por Caitlin entender que havia feito tudo de novo, repetiu o erro de sua mãe e acusou Barry ao ser rejeitada, ela abominava tanto sua figura materna e havia se tornado como ela.

- Caitlin sempre fora problemática, depois que me divorciei do pai dela, ela não suportou ter de viver comigo, eu trabalhava muito e admito ter sido uma mãe ausente, Caitlin tentou de todas as formas chamar atenção, desde machucar a si própria e arrumar brigas na escola a dar em cima de professores. - Carla iniciou. - Eu não tinha muito tempo em casa, e creio que meu ex marido tenha se aproveitado da minha ausência, ele sempre demonstrou querer ajudar com Caitlin, eu jamais percebi que algo estava errado, Caitlin nunca se abriu comigo sobre nada e eu não percebi os sinais. - Caitlin sentia um bolo se formar em sua garganta, ela queria levantar e gritar que tudo aquilo era mentira, mas não podia, afinal aquele caso ela havia perdido, não acreditavam nela. - Quando cheguei a casa certa manhã, presenciei um dos abusos, aquilo fora uma tortura para mim, céus... - Ela encarou sua filha rapidamente, a tempo de ver o desdém em seus olhos, Carla não gostava da filha, essa era a verdade, Caitlin sempre fora um fardo pesado demais. - Caitlin sempre fora uma menina frágil, apesar de não demonstrar, quando recebi a noticia e consequentemente a intimação, não pude acreditar que ela havia passado por algo assim novamente. - Zack e Marlize sentiam-se mal, eles estavam confusos, sabiam que Carla não era uma boa mãe, mas não faziam ideia que tudo aquilo era mentira. Para eles, Caitlin havia sido abusada duas vezes, e como pais e responsáveis, aquilo os destruía. Carla fora liberada.

Agora as amigas de Caitlin seriam ouvidas. Iris afirmou não saber nada sobre o assunto e fora tão pega de surpresa quanto os outros. Fora a vez de Zari sentar ao lado do Juiz, onde daria seu depoimento.

- Conheço Caitlin a um ano, ela sempre se envolveu com homens e mulheres mais velhos, nunca presenciei uma situação em que ela parecesse estar sendo obrigada a algo. - Zari diria a verdade, sem encobrir nada, mesmo que ela realmente não soubesse sobre tudo o que estava acontecendo, ela sabia que Barry era inocente. E Caitlin não a julgaria por isso. - Com o senhor Allen não fora diferente, eles estavam juntos e com o consentimento dela, é tudo o que eu sei. - Todos assentem, Zack encarava a filha, que não esboçava reação alguma.

- A uma acusação feita a senhorita Snow, testemunhas afirmam que a mesma agrediu o senhor Allen em um restaurante, a senhorita e a senhorita West estavam presentes. Certo? - Laurel Lance questionou. Zari assente, mesmo ciente que aquilo era uma pergunta retórica.

- Caitlin tinha ciúmes excessivos e perdeu o controle ao ver o senhor Allen jantando com sua secretária. - Zack abaixou o olhar, por um lado começava a perceber a armação de sua filha, Caitlin não tinha jeito. Ela havia se tornado como a mãe. E ele sentia que era sua culpa, afinal ele havia a abandonado.

- O incidente ocorreu horas antes da denúncia feita pela senhorita Snow, tem ciência se ambos se encontraram após o restaurante? - Laurel questiona novamente. O Juiz não aceitou a objeção solicitada pelo advogado da família Snow e Zari precisou responder a pergunta, o que não era um problema para ela.

- Eu e a senhorita West deixamos Caitlin em casa, não a vi depois disso. - Com isso o depoimento de defesa para Caitlin Snow fora encerrado. Após os minutos em acréscimo todos retornaram a seus lugares.

Agora Laurel dizia as palavras em defesa de Barry Allen, o primeiro a depor a favor de Barry fora Cisco, em seguida Felicity, ambos deixando claro que Barry e Caitlin tinham mesmo uma relação secreta e com o consentimento dela. Felicity realçou também que havia presenciado vários ataques de ciúmes vindo da Snow, a adolescente havia até mesmo invadido a residência do Allen.

Agatha e Nora Snow também deporam, afirmando também que ambos consentiam com a relação, Nora enfatizou a obsessão que a adolescente tinha com seu filho, inclusive como o perseguia no seu ambiente de trabalho.

A cada depoimento, Zack e Marlize estavam mais confusos e alcançando o limite. Caitlin por outro lado estava cada vez mais arrependida. Mas ela tinha um jeito de resolver tudo aquilo, ela havia procurado Laurel dias antes do julgamento, a advogada havia entendido tudo o que estava acontecendo e prometeu ajudar, o que Caitlin havia proposto livraria Barry e acabaria com toda aquela situação.

Todos franziram o cenho ao avistarem uma garota agora tomar o lugar para depor, ela estaria depondo a favor de Barry mas o mesmo não conhecia aquela menina, Porém, Carla, Zack e Caitlin a conheciam bem, tratava-se de Katija, amiga de infância de Caitlin. Laurel enfatizou que a intimada contaria um pouco sobre o caso antigo de Caitlin com seu padrasto.

- Eu e Caitlin éramos amigas, eu a vi sofrer a vida inteira nas mãos de uma mãe abusiva, se alguém aqui fez algum mal a Caitlin, esse alguém é a mãe dela. - Todos estavam chocados, Carla apenas cerrou as mãos em punhos. - Caitlin sofreu maus tratos a vida inteira, era agredida verbalmente, psicologicamente e fisicamente, sem contar as tantas vezes que teve seu dinheiro da mesada desviado por sua mãe. - Muitos não entendiam o que aquilo tudo tinha em comum com o caso atual, mas Laurel já havia ouvido toda a versão e garantiu que tudo faria sentido, o Juiz deu então a permissão para que Katija continuasse. - Muitas vezes presenciei Caitlin esconder de todos as agressões por medo, pois todas as vezes que ela tentou contar a alguém sua mãe desmentiu, fez todos acreditarem que ela era louca e a castigou das piores formas. - Zack encarou a ex esposa com repulsa, a mesma apenas abaixou o olhar, sabia que aquilo acabaria mal para ela. - Caitlin acabou se apaixonando por Mason Steinfeld, nosso professor de história, Carla sabia perfeitamente disso, fora chamada na escola quando descobriu, e se aproveitou, Mason se ofereceu para ajudar com Caitlin, Carla o seduziu e se casou com ele, o levando para dentro de sua casa, logicamente como forma de punir psicologicamente a própria filha. - Katija contou tudo o que sabia.

A antiga psicóloga de Caitlin, também intimada por Laurel, explicou o que tudo aquilo refletiu na vida de Caitlin, o quadro com toda a certeza evoluiu de inicio de psicopatia para inicio de esquizofrenia. Aquilo fora um choque ainda maior para todos e a própria Caitlin. Que fora a próxima a ser ouvida, Ela estava disposta a contar tudo.

- A senhorita confirma a versão de sua amiga de infância? - O Juiz questionou.

- Sim.

- A senhorita fora abusada por seu padrasto?

- Não. - Aquela declaração chocou a todos, inclusive Hailee, que após ouvir tudo aquilo, passou a enxergar Cailtin de outra forma. - Carla passava tempo demais fora de casa, e eu investi de todas as formas possíveis em meu padrasto, Nós estávamos juntos e eu consentia com isso, nós pretendíamos morar juntos quando eu fosse maior de idade mas Carla nos pegou juntos e por raiva denunciou o marido, Mason estava arrependido de ter estado comigo e pediu que eu não desmentisse aquilo. - Caitlin encarou Hailee, que apenas assentiu, mostrando que havia entendido.

- A senhorita fora abusada por Barry Allen? - Todos ali haviam entendido a ligação entre um caso e outro.

- Não. - Um suspiro de alivio fora ouvido, todos que estavam ali por Barry sentiram um enorme peso ser tirado das costas. Zack por outro lado, sentia-se na obrigação de se desculpar com o Allen e sua família. - Eu e o senhor Allen estávamos envolvidos, também com o meu consentimento, mas graças aos meus surtos e crises de ansiedade, eu o perseguia, dentre tudo o que foi dito aqui hoje, tudo aconteceu realmente. Barry terminou comigo e eu o denunciei. - Caitlin finalmente encarou Barry, ambos mantinham lágrimas nos olhos, Barry não sentia mais raiva, talvez remorso, mas não raiva, ele sentia por tudo que Caitlin já enfrentara na vida, e sentia culpa por tê-la abandonado quando ela mais precisava. Ele a amava, mas não era assim que o amor funcionava. Ambos haviam falhado.

No fim, o Juiz abriu um processo contra Carla, e um processo para um novo julgamento a Mason Steinfeld, Já que não havia escolha, Carla confessou o que havia feito. Barry fora liberado e pôde retornar ao trabalho. O Mesmo havia aceitado as desculpas de Zack.

Caitlin havia sido dada como insana e precisaria ser internada. Fora difícil para seu pai e madrasta mas ambos sabiam que seria o melhor para ela.

Barry estava devastado com o fim daquilo, seu coração parecia ter virado pó. ele estava deitado em sua cama ao lado de Jett, segurava seu celular, na tela estava congelado um video anexo enviado por Laurel, Caitlin havia gravado aquilo quando procurou Laurel e pediu para que a mesma enviasse para Barry no fim daquilo tudo, seja ele qual for. Ele tomou coragem e deu o play no video, vendo Caitlin chorar a principio.

"Bar... - Nesse momento ele chorou também. - Eu não quero que você me perdoe, porque se você fizer, vai esperar por mim, e eu não quero que espere. Eu quero que você me odeie, assim poderá seguir em frente, conhecer alguém boa o bastante, afinal eu não sou o bastante para ninguém, eu estou quebrada e só trarei sofrimento para quem estiver comigo. Eu não quero isso pra você. Eu não sei como as coisas ficarão pra mim, mas provavelmente eu serei presa, e você será inocentado. Eu não quero que venha me visitar, eu não quero te ver nunca mais. Mas quero que saiba que tudo o que vivemos foi real, eu te amo como nunca amei ninguém e estou te liberando para ser feliz de verdade, dessa vez ouça sua mãe, ela sabe o que diz. - Ela sorriu entre as lágrimas. - Mas você precisa ficar longe, porque no momento que eu te ver eu cairei em seus braços, e eu não quero isso. - Ela suspirou. - Eu te amo Barry Allen, mas não podemos ficar juntos. Eu vou procurar ajuda, eu vou tentar consertar o que sobrou de mim, por você. Seja feliz Barry."

[...]

Seis longos anos haviam se passado, Zack e Marlize visitavam Caitlin com frequência, era gratificante vê-la reagir ao tratamento e estar a cada dia mais feliz. O filho do casal se chamava Christopher, o menino amava a irmã e não via a hora dela volta a morar na cidade, como sua mãe sempre lhe dizia que seria.

Carla havia sido presa e Mason recebido a voz de liberdade, Hailee fora visitar Caitlin, a mesma havia perdoado a garota. Viver dentre aquelas desavenças não era bom para nenhuma das duas.

Iris e Eddie haviam se casado e Zari havia se formado na faculdade. Laurel havia se casado novamente, dessa vez com Tommy Merlyn, um antigo amigo de infância, Thea havia finalmente dado uma chance a Roy, que em algum momento procurou Caitlin para se desculpar. Felicity se tornou uma grande amiga de Dawn, que queria seguir a mesma carreira que a Smoak, assim Oliver e Felicity acabaram se aproximando e estavam namorando. Cisco e Cynthia haviam engatado em um relacionamento.

Zack estava cada vez mais focado no trabalho e as coisas estavam indo bem na empresa, mas ele logicamente tirava um bom tempo para seu filho e esposa.

Aquele era o dia que Caitlin Snow finalmente poderia voltar para casa, seu quadro estava perfeitamente controlado e poderia continuar o tratamento em casa. Mas se surpreendeu ao ver que algumas pessoas esperavam por ela ao adentrar o apartamento de seu pai em uma espécie de jantar de boas vindas, assim como Hailee, Iris e Eddie, Oliver, Dawn e Felicity, Laurel, Cisco e Cynthia, Agatha, Ronnie e seus filhos, e por mais inacreditável que fosse, Nora. Após falar com todos, incluindo Katija e Zari que haviam chegado, sua sogra se aproximou.

- Me desculpe por todo o mal que causei a seu filho, você estava certa sobre mim afinal. - Cailtin disparou. - Você é a última pessoa que esperava ver.

- Todos merecem uma segunda chance, você acusou meu filho mas voltou atrás e contou a verdade, eu ouvi no julgamento o que sua mãe fez a você, ninguém deveria passar por isso. – Ela encarou a jovem. – Eu não acredito que você seja a mesma garota que já foi. Você teve a chance de melhorar, espero que tenha aproveitado.

- Obrigada. - Caitlin sentia-se livre, a presença e perdão de Nora representavam muito para ela. Era a base de tudo.

- Faça as coisas certas dessa vez. - Caitlin franziu o cenho, Nora deixou o cômodo e só então Caitlin percebeu que Barry se aproximava, ela não esperava que ele fosse aparecer, não o havia visto e considerava a chance daquilo ser uma miragem, já era tarde para correr, e ela não conseguiria nem se quisesse. Ele sentou ao lado dela, era ele realmente.

- Eu disse para ficar longe. – Ela disse em um sussurro, encarava cada linha de expressão e detalhes dele, como sentira falta. De tudo. Barry segurou no rosto delicado, apreciando cada detalhe da adulta, ela estava diferente, não só na aparência, mas também na expressão, parecia com menos carga emocional guardada. Ambos pareciam. - Você viu o vídeo?

- Sim. - Ambos estavam próximos e se encaravam com o amor e paixão de sempre, parecia não ter morrido, só aumentado. - Eu vi muitas vezes durante os anos, enquanto esperei por você. - Ela sorriu, um sorriso leve e iluminado, o preferido de Barry.

- Eu disse para não me esperar.

- E eu ignorei, acho que uma certa garota me ensinou a descumprir limites. - Ele tomou os lábios dela para si, desfrutando da sensação que tanto ansiou por seis anos. Ambos ansiaram.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...