História Orb Ni-san - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Demonios, Insinuação Sexual, Romance, Vampiros, Violencia
Visualizações 3
Palavras 1.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Espero que gostem, essa é minha primeira fanfic. Pretendo continuar mais preciso da opinião de vocês.

Capítulo 1 - Inicio


-O que aconteceu aqui?

- Eu também não sei, quando cheguei todo esse estrago já estava aqui, e tem aquele garoto.

-Que garoto sortudo vamos leva-lo para o Q.G ele parece estar vivo.

No Q.G eles deitaram o garoto em um dos quartos em que os médicos o examinam e o deixa descansando. De manhã...

-Onde eu estou?

-Ah! Oi você esta no Q.G dos caçadores.

-O que aconteceu com meus amigos?

- Infelizmente foram mortos pelos demônios.

Então uma tristeza imensa preenche o garoto que não se aguenta e começa a chorar, e soluçando pergunta:

-Você sabe onde esta minha irmã? Ela fugiu?

-Acho que sim, pois não acharam outro de mesmo DNA que o seu então não avia nenhum familiar seu por lá.

-Graças a Deus.

Com isso o garoto se acalma um pouco, mais... Meio sem jeito ele pergunta:

-Sei que não é uma pergunta comum mais... Tem algo para comer? E que não comi nada desde ontem.

-Claro.

Diz o moço, que pega uma bandeja com leite, umas pequenas frutas e cereais. Que entrega para ele que pega o pode de cereais e come desesperado, que ao perceber pede desculpa por ter sido “sem educação”.

- Não a problemas eu nem sei pelo o que você passou.

Diz o moço com um sorriso no rosto. Que depois de comer o moço fala:

-Quer tomar um banho?

O garoto responde a tal pergunta balançando a cabeça com sim.

-V-você pode esperar ai fora. Diz o garoto com uma voz mais suave e mais calma.

Sem falar nada o moço sai de lá.

-Roberto o garoto acordou?

-Sim sugeri a ele um banho.

-Hm! Pedófilo.

- Por que pedófilo? Eu só sugeri U M B A N H O.

-Você não sabe né. Diz o outro moço rindo.

-Para com isso você sabe que eu nunca faria algo de errado com um GAROTO.

-Deixando isso de lado o pessoal esta a busca dos pais dele.

-Pelo menos isso vai ter de notícia boa para ele, perdeu os amigos, e nem sabia se sua irmã estava viva, sorte que aquela pedra não o esmagou e o escondeu dos demônios.

-Mais acabou com duas costelas dele.

-Verdade?

-Sim. Diz ele abaixando a cabeça.

- E o que o chefe falou?

-Nada de mais ele ficou curioso por alguém ter sobrevivido aquele ataque, mais expliquei.

-Sortudo.

Então o garoto grita se há alguma roupa para vestir “-Vou ver com o Doutor” responde o Roberto que sai na mesma hora atrás dele. O Doutor entrega as roupas e faz uma nova bateria de exames.

No quarto...

-Olha parece que as roupas serviram bem.

-Obrigada.

-Levante para ver melhor.

Então o garoto se levanta e da um giro mostrando suas roupas um vestido meio curto e um camisa rosa claro um quase branco.

-Haha! Você parece uma menina.

-M-mas eu sou.Diz ela meio sem jeito e um brava.

-Sério? Desculpe é que você não tanto p- quero dizer você...É que você não esta parecendo.

Ela olha fixamente para ele com um cara de brava.

“-Nossa que fofa ela fica quando brava.”

-Eh! Pedófilo.

-N-não! eu nem pensei em nada! E você não tem como provar o contrario.

-Você esta falando com quem?

-Com esse malu-

Roberto nota que não avia ninguém mais no quarto além dos dois

-Nada não, ninguém.

-Então como eu estou?

-Linda. Diz ele com um sorriso em seu rosto.

- Obrigada. Ela responde com um outro sorriso simpático.

-Olha parece que vocês dois se dão bem, isso é bom sabia? Isso a faz se recuperar mais rápido.

-Oi Doutor quais os resultados.

-Bom suas costelas vão se recuperar, mas vai demorar.

-Doutor quais relatórios?

-Duas costelas quebradas, uma contusão leve na cabeça e uns arranhões pelo corpo.

-Entendo quanto tempo você acha que ela melhora?

-Totalmente talvez um ou dois anos mais o suficiente entre 30 a 90 dias.

-Compreendo, bem! Vou indo.

-Laura, meu nome é Laura.

-Até mais Laura. Roberto fala isso passando a mão sobre a cabeça dela.

Ela devolve tal atitude com um sorriso simpático que o atingi fatalmente, mais ele se controla e sai do quarto.

-Vocês dois tem futuro em...

-Não fale essas coisas assim do nada.

-Você vai gostar de ouvir que estão atrás de sua família.

Com isso um sorriso de alegria aparece em seu rosto, e um choro de emoção que ela não consegue segurar cai e com isso o medico fala em seguida:

Deite-se descanse assim você vai se recuperar mais rápido.

E assim foi Laura passou quase que o dia todo deitada, mais pelo menos estava passando uma maratona de seu anime favorito.

-Oi.

-Você estava acordada, crianças como você não deveria estar acordada há essa hora.

-Esta me protegendo?

-Apenas observando. Com um sorriso meio sem jeito ele responde.

-Você esta preocupado se eu me tornarei um demônio né?

-Sim! Não gostaria de ter que te matar. Roberto fala isso com tristeza em seu rosto.

 -Tudo bem por mim, você é um homem bom Roberto. Um sorriso cobre seu rosto.

-Você não morrerá lhe prometo isso.

-Obrigada. Com essa resposta ela da um beijo no rosto do soldado e em seguida se deita com vergonha se cobrindo e falando:

-B-bo-boa noite.

Surpreso com o beijo ele responde.

-Boa noite, durma bem!

Com isso ele sai do quarto com um sorriso de orelha a orelha, fechando a porta devagar, e com isso seu amigo aparece dizendo:

-Entendeu?

-Isso não tem graça.

-Ah! Fica quieto só sou o alivio cômico.

-Como assim?

-Deixa pra lá. O chefe falou que temos outra missão, você vai ter que deixa-la.

-Quando?

-Bem como amigo dei um jeito de adiar por algumas horas, nós vamos amanhã de manhã, vai dar tempo de você se despedir dela. Diz ele com certo sorriso meio que de “pervertido” fazendo referencia.

-Ok! Vou te matar. Roberto fala isso o estrangulando.

-Não é minha culpa né? “PARA DE QUEBRAR A QUARTA PAREDE” fala o ***** gritando.

-Com quem você esta falando?

-Deixa pra lá, se eu fosse você me prepararia para uma missão de umas três semanas.

-Tudo isso?

-Vai ser difícil, pois temos muito pouca informação.

-Entendo vai ser demorada.

-Bem vou deitar, bem... Descansa viu?

-Vou tentar. No fim ele ficou acordado a noite toda acordado pensando nela e o que faria.

No meio da madrugada...

-Vou ter que ir para um missão voltarei o mais rápido o possível.

-Tudo bem eu espero.

Ele retribui o beijo da noite passada com outro em sua testa, mas para ela aquilo foi como um sonho, pois ainda estava muito cansada.

Quando de fato acorda as primeiras pessoas quem seus olhos veem são seus pais o que a faz chorar e os abraçar forte.

-Você ficará bem.


Notas Finais


Gostaram? comente se quiserem que eu continue. O próximo querem maior ou menos? Desculpa os erros de português. haha!
-Ou não se esquec-
Não fale em minhas notas, principalmente as finais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...