História Órfã - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias 50 Tons de Cinza
Visualizações 9
Palavras 1.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ME PERDOEM PELA DEMORA 🖤
O capítulo é quente, mas ao mesmo tempo não será piedoso!

Capítulo 14 - Capítulo 13- Uma das piores noites de minha vida...


Fanfic / Fanfiction Órfã - Capítulo 14 - Capítulo 13- Uma das piores noites de minha vida...

-TRAGAM A MACA, LOGO!- escuto vozes longes falando.

- Você vai ficar bem, calma Charlie!- uma voz familiar dizia, mas tudo parecia estar tão longe.

- Eu preciso que se afaste dela senhor!- alguém fala. 

Sinto meu corpo ser levantado e colocando em uma maca gelada, a última coisa que lembro é do mascarado e nada mais, o que havia acontecido ali?


(...) 1 semana depois....


- Você está melhor?- Lorenzo fala entrando no quarto.

-Você de novo aqui!- falo sorrindo.

-Sim..- ele sorri meio envergonhado. - Não tomarei seu tempo, só vim trazer....- interrompo.

-Enzo você não veio aqui só me trazer flores, né?- falo me sentando.

-An?...Cla...cla...claro que sim!- ele gagueja.

- Vem cá.- falo meiga dando um espaço para ele se sentar.

Ele se senta ao meu lado e fica me olhando, seu olhar era tão meigo, inocente que nem me lembrava de quem ele realmente era.

- Eu espero que você melhore, sabe, a boate não é a mesma sem você lá. Você trás uma coisa boa para aquele lugar e trás uma parte boa de mim...- ele continuava me olhar, um olhar meio estranho, mas não estranho ruim e sim um estranho bom.

-Poderia me explicar está última parte?- sorrio.

- Eu até poderia explicar, mas deixa para uma próxima, porque neste momento eu só quero fazer uma coisa.- se aproxima.

- Como o que?- paraliso.

-Isso!- ele me beija, não era um beijo lento, mas também não era o the flash. 

O beijo foi tão diferente, parecia ter sentimentos envolvidos da parte dos dois, e foi especial, pelo menos para mim. Paramos de nós beijar e ficamos nos entreolhando, ele sorria tão fofo, mas não poderia me apaixonar por ele, mas me apaixonei.

- Então, como a senhorita está se sentindo hoje??- o médico fala entrando com uma cardeneta em mão.

- Melhor!!- sorrio, o médico vai falar com Lorenzo e fala um pouco baixo, parecia que não queria que escutasse.

- Então, você deve ser namorado dela, olha ela ficou todo esse tempo aqui pois não estava muito bem, pedi uma ressonância e ela pode ter um pequeno tumor na artéria esquerda do coração, então vamos ver o que faremos, mas enquanto isso ela pode ir pra casa. Não deixe ele fazer muitas coisas que exigem força e cá entre nós, não pratique tanto sexo, não será bom para ela nesses próximos dois dias.- o médico fala e me olha sorrindo.

- Eu posso ir embora?- pergunto.

- Sim, sim, pode arrumar suas coisas, farei a auta e daqui 10 minutos tu pode ir!- ele fala e se retira.

- Viiiu, eu estou bem!!- sorrio, Enzo me olha estranho.

-Você é linda e quero que fique comigo nesses dias!- Enzo fala me olhando.

- Okay!- concordo.


(....) 1 mês depois


Havia voltado para boate e agora estava namorando com Enzo, recebi mensagens para ficar longe dele e uma de Luke para jantar com ele hoje, aceitei pois somos amigos e não vejo mal nisso. A dança estava quase pronta então tive que dar meus pulos, me sentia cansada ultimamente e ainda não havia feito sexo com o meu próprio namorado, ele dizia que queria esperar então respeitei isso, mas vai fazer um mês que estamos juntos e nada, nada mesmo, aff!!!


Treinava bastante, Enzo me ajudou bastante, passo a maioria dos dias com ele do que no meu próprio apartamento, sim eu comprei um apartamento, não era grandes coisas mas era meu, Enzo tinha a chave dele e eu tinha a de seu apartamento. É estanho tudo isso, é novo pra mim.


(...)


Estava quase na hora de ir jantar com Luke, havia colocado um vestido de manga longa azul marinho, um salto não muito alto nude e passei um pouco de rímel, meus cabelos estavam solto. Então esperava ele vir me buscar, quando ele chegou, vi que ele estava bem arrumado, dei um abraço nele e somos para o restaurante.

Chegando lá, vi que era um lugar bem bonito, a vista era magnífica e o lugar em si também. Jantamos e conversamos bastante, percebi que tinha que ir embora quando olhei em meu relógio, já era 23:30, Enzo devia estar bravo já, mas não liguei muito, não agora. Pedi para Luke me levar para casa, mas ele desviou o caminho e me levou para casa dele, eu entrei pois ele queria me mostrar uma coisa que seria interessante para mim, deveria saber que havia algo muito ruim aí, Luke me levou até um dos quartos e sorriu.

- Tire a roupa Charlie.- ele fala me olhando.

- an?- pergunto confusa.

- Só tira a roupa ou eu faço isso por você!- ele fala se aproximando mais de mim.

- Não ouse chegar perto de mim!- falo indo para porta, ele fecha a porta e me prensa na parede.

- vai, uma rapidinha!- ele ri em meu ouvido.

- me solta seu escroto!- tento me soltar.

Ele tirou uma algema de seu bolso e prendeu meu braços, me jogou na cama e foi tirando minha calcinha devagar, era horrível o que ele estava fazendo,era horrível a sensação de estar sendo um objeto, mas eu não podia fazer nada. Quando o mesmo terminou de retirar minha calcinha, ele abriu a calça e abaixou sua cueca, e logo em seguida me penetrou com força, sem dó nem piedade, soltava gemidos abafados e sentia meu rosto queimar, estava chorando e ele viu.

- Para de chorar, ainda não comecei o que sempre quis fazer!- ele ri e pega um chicote que estava na gaveta ao lado.

A dor era horrível, o chicote havia nós que fazia a dor ser maior ainda, ele colocou algo em meu ânus que não era nada agradável, tudo aquilo era tão horrível, mas o pior estava por vir, Luke retirou aquilo do mesmo e jogou no chão, logo em seguida senti o mesmo ser penetrado com força, aquela hora eu gritei de dor, minhas lágrimas começaram a cair mais ainda, ele continuava a me bater e me penetrar. Ele logo gozou dentro de mim e me mandou pra casa.


(...)


Cheguei em casa e Enzo estava dormindo na cama, fui tomar banho, estava devastada e não tinha mais cabeça para nada, nada mesmo! 

Saí do banho depois de 30 longos minutos e me deitei ao lado de Enzo, dormi com algumas lágrimas nos olhos que não haviam caído ainda.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...