História Orgulho e Preconceito. - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Doctor Who, Orgulho e Preconceito
Personagens 10º Doctor, 11º Doctor, 12º Doctor, Amelia "Amy" Pond, Clara Oswald, Donna Noble, Jack Harkness, Personagens Originais, River Song (Melody Pond), Rory Williams, Rose Tyler, The Master
Tags 10th Doctor, 12th Doctor, Clara Oswald, Doctor Who, Jane Austen, Missy, Orgulho, Preconceito, Romance, Rose Tyler
Visualizações 19
Palavras 2.175
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gostaria de agradecer os comentários. Saber que estão gostando da história me deixa extremamente feliz! <3

Decidi postar fotos dos cenários do filme " Orgulho e Preconceito" de 2005, para que vocês possam imaginar melhor os ambientes. Postei fotos de Netherfield Park- Residência dos Tennant- e de Longbourn- Residência dos Oswald- nos capítulos anteriores.

Boa leitura.

Foto: Salão de refeições de Netherfield Park.

Capítulo 3 - Convite.


Fanfic / Fanfiction Orgulho e Preconceito. - Capítulo 3 - Convite.

Após o bale, já em Longbourn, Clara se preparava para dormir, quando ouviu batidas na porta do seu quarto.

- Pode entrar. - Ela disse, sentando-se em sua cama.

- Clara, vim para lhe desejar boa noite. - Explicou Rose, adentrando o cômodo

- Sempre gentil, minha querida. - Dirigiu um sorriso carinhoso à irmã.

- Bem, e também vim para lhe perguntar o que achou do Sr. Tennant. - Confessou, sentando-se na cama, ao lado de Clara.

- O que você achou dele, Rose? - Replicou, Clara.

- Bem, eu o achei um rapaz elegante, educado... uma companhia bastante agradável...

- E também um rapaz muito bonito. - Clara disse, dando um sorriso travesso à Rose.

- Sim, ele é muito bonito. - Rose disse,  dando um leve sorriso.

- Então, você gostou dele?- Perguntou, curiosa.

- Como eu disse, ele é uma companhia bastante agradável. - Desconversou 

- Rose, você entendeu o que eu quis dizer. Não sei a razão de você ter tanta dificuldade em dizer o que sente.

Rose era uma jovem doce e possuía uma natureza amável. Porém, ela tinha uma certa dificuldade em demonstrar o que sentia, por medo de se decepcionar, caso o objeto do seu afeto não a correspondesse. Mas, com Clara ela conseguia se abrir. As duas irmãs tinham uma relação muito próxima e Rose confiava totalmente em Clara.

-Está bem, eu gostei dele. - Admitiu - Embora, eu não saiba dizer se ele sentiu o mesmo em relação a mim.

-Não pode estar falando sério, Rose? Ficou óbvio para todos no baile que o Sr. Tennant ficou encantado por você.

-Será mesmo, Clara?

- Com certeza, Rose! Ele dançou com você quase a noite toda e quando não o fazia, não tirava os olhos de você. Por que você acha que a mamãe está tão radiante? - As duas riram, se divertindo.

- E você, Clara. Se divertiu no baile?

- Sim, me diverti muito!

-Mamãe tem razão quando diz que Matthew é claramente apaixonado por você. Enquanto vocês dançavam, eu pude ver isso, ele sorria de um jeito tão especial para você.

- Eu e o Matt somos apenas amigos, Rose. Para mim, ele é como um irmão mais velho.

- Pois para mim, vocês formam um lindo casal.

- Rose, o que você achou do Sr. Capaldi? - Clara perguntou, desejando mudar o rumo da conversa.

- Bem, eu o achei um homem educado, de boa aparência... porém, sério demais. Nem ao menos dançou.

- Eu até o convidei para uma dança, mas ele recusou o convite.

- Clara, como teve coragem de convidá-lo para dançar? - Rose perguntou, espantada.

-Não entendo o motivo do seu espanto, Rose. O que há de espantoso em convidar um cavalheiro para dançar?

- Bem...nada. - Respondeu. - Eu apenas a julguei por mim mesma. Sou tímida demais para convidar um rapaz para uma dança.

- Bem, como se não bastasse a forma ríspida com a qual ele declinou do convite.- Continuou, Clara. - Eu ainda o ouvi dizer para o Sr. Tennant que eu sou tolerável e que não sou suficientemente bonita para ele.

- Que homem mais deselegante! - Exclamou, Rose.

- Ah, Rose. - Clara disse, suspirando. - Olhando para aqueles lindos olhos, eu poderia facilmente perdoar esse excesso de vaidade dele.

- Clara, você é impossível! - Sorriu. - Então, você gostou do Sr. Capaldi?

-Não... não. - Apressou-se em negar. - Mas, eu não vou negar que o achei um homem bastante interessante.

As duas permaneceram conversando por horas. Elas possuíam uma típica relação entre irmãs. Eram companheiras e confidentes uma da outra, às vezes se desentendiam, mas rapidamente esses desentendimentos eram superados.




No dia seguinte, em Netherfield Park, durante o café da manhã, todos conversavam sobre o baile ocorrido na noite anterior.

- Eu adorei o baile! - Exclamou Amélia, animada. - Mal posso esperar para o próximo.

- Eu também, irmã. - David disse, igualmente animado. - Me diverti tanto. Só lamento o fato de ter acabado tão cedo.

- Cedo? - Replicou Peter, pousando sua xícara de chá sobre a mesa.- Pois para mim, o baile pareceu ter durado uma eternidade.

- Rabugento, como sempre. - Amélia comentou. Peter apenas deu de ombros e voltou a bebericar o seu chá.

- Eu também me diverti muito no baile. - Rory disse. - Estava muito animado. E as pessoas daqui se mostraram muito simpáticas.

- Eu concordo, querido. Gostei especialmente da Srta. Mary e do Sr. Matthew Smith . Os dois são ótimas pessoas, me diverti muito conversando com eles.

- Eu também os achei ótimas pessoas. - Concordou, Rory.- Embora eu tenha achado a atenção do Sr. Matthew para com você um tanto exagerada.

- Não precisa ter ciúmes, Rory. - Amélia sorriu para o marido. - O Sr. Matthew está claramente interessado na Srta. Oswald mais nova, Clara.

-Não é de se estranhar. - David comentou. - Ela é uma jovem muito bonita, não mais que a Srta. Rose, mas é.

- Eu concordo, David. - Disse, Rory. - Eu também a achei muito bonita, apesar de ser um pouco baixinha.

- Um pouco baixinha é gentileza da sua parte, Sr. Willians. - Peter disse. - A Srta. Oswald é uma coisinha minúscula. Ela deve ter a mesma altura do elfo daquele livro do Shakespeare, " Sonhos De Uma Noite De Verão" .

- Que maldade, Peter. - David o censurou.

- Cuidado para não cair na própria armadilha, Sr. Capaldi. - Amélia o advertiu com um sorriso irônico.

- Não estou entendendo o que quer dizer, Sra. Willians.

- Sabe o que dizem. Quando um homem desdenha muito de uma mulher, é só uma maneira de esconder o interesse que sente por ela.

- A senhora só pode estar delirando para insinuar que eu esteja interessado na Srta. Oswald.

- Não tente me enganar, meu caro. - Amélia falou. - Eu vi a forma como  o senhor olhava para ela, enquanto a mesma dançava com o Sr. Matthew.

Peter nada disse, mas Amélia observou que suas palavras causaram um certo desconforto nele.

- David, você pareceu ter se divertido muito com a Srta. Rose, ontem. - Comentou, Rory, mudando o curso da conversa, a fim de acalmar os ânimos entre Amélia e Peter.

- De fato. - Confirmou. - A Srta. Rose é encantadora. Ela é tão linda e doce. - Suspirou. - Por mim, eu passaria a eternidade dançando com ela.

- David, você está apaixonado? - Amélia perguntou, entusiasmada.

- Eu não sei dizer com total certeza. - Confessou. - A única certeza que eu tenho é que estou muito ansioso para revê-la.

- Por que não a convida para o chá da tarde hoje? - Sugeriu, Amélia.

- Me parece uma ótima ideia.

- David, não faça isso. - Peter o advertiu. - Lembre-se do que eu disse. As moças daqui fazem de tudo para conseguirem um bom casamento e contam com a ajuda das suas familias para isso. Se você convidar a Srta. Rose para vir a Netherfield Park um dia depois do baile, a familia dela  vai encarar tal gesto como um eminente noivado entre vocês no futuro.

- Se pensarem assim, não estarão tão longe da verdade. - Peter balançou a cabeça em negação com o comentário de David. - Mas, talvez não seja de bom tom convidá-la.

- Ah, essas convenções que só atrapalham. - Reclamou, Amélia. - Mas, talvez eu tenha uma ideia para fazer a Srta. Rose vir até aqui, sem você precisar convidá-la.

- Qual ideia? - David demonstrou interesse.

- Bem, não haverá nada de errado se eu fizer o convite. Posso convidá-la para o chá da tarde, alegando que apreciei muito a sua companhia e que gostaria de conhecê-la melhor - o que não será nenhuma mentira-  como Netherfield Park também é sua casa, nada impede que você esteja aqui na hora do chá.

- Que ideia fabulosa, Amélia! - David exclamou, bastante animado.

- Amy sempre tem ideias engenhosas. - Rory comentou, orgulhoso da esposa.

- Vou escrever um bilhete convidando-a agora mesmo.

 Dito isso, Amélia seguiu para a biblioteca, onde escreveu um bilhete, convidando a Srta. Rose Oswald para o chá da tarde em Netherfield Park. Em seguida, encarregou um mensageiro de levar o bilhete até Longbourn.



Na residência dos Oswald - como era de se esperar - o assunto principal ainda era o baile promovido pela familia Smith.

- O baile foi um sucesso! - Exclamou Missy Oswald, bastante empolgada. - Como todos puderam ver, o Sr. Tennant ficou encantado pela nossa Rose.

- E mesmo se não tivessem visto, a essa altura já saberiam, já que a senhora se encarregou de contar ao condado todo como o Sr. David ficou encantado por nossa filha. - O Sr. Oswald disse, olhando brevemente para a esposa e logo voltando sua atenção para o jornal que estava lendo.

- As boas noticias devem ser compartilhadas. - Missy disse, orgulhosa.

-Mamãe, eu acho que a senhora não deveria criar tantas espectativas. Talvez o Sr. Tennant não esteja tão encantado quanto a senhora afirma. - Disse, Rose.

- Que disparate! - Exclamou. - É clara que ele está! O homem dançou quase todas as canções com você, além do mais, eu o ouvi dizer ao Sr. Smith que achou você a jovem mais linda de todo o baile. Com certeza, o Sr. Smith ficou decepcionado, visto que ele e sua esposa estavam almejando um enlace entre sua filha Mary e o Sr. Tennant, por essa razão ofereceram um baile em sua residência. Mas é claro que Mary não teria a menor chance con você em seu caminho.

-Mamãe! - Rose a reprovou.

- Eu não disse nada demais - Deu de ombros. -  Mary é um primor de moça, eu a tenho em grande estima. Porém, a beleza dela nem se compara com  a sua. Até Clara - que não é nenhuma beldade- é mais bonita que Mary.

- Obrigada pelo elogio, mamãe! Se é que eu posso chamar o que disse de " elogio"  - Disse, Clara.

- Nunca conheci uma criatura mais educada que a senhora. - O Sr. Oswald comentou, dirigindo um sorriso sarcástico à Missy.

- Como eu estava dizendo. - Continuou Missy, ignorando o comentário do marido. -  O Sr. David Tennant ficou nitidamente apaixonado por você, Rose. Eu não dou duas semanas para que ele a peça em casamento.

- Mamãe, para com os exageros. - Pediu, Clara.

-Não estou exagerando! Vocês podem escrever o que eu digo. Muito em breve, haverá um casamento na familia.


Nãoo demorou muito até que o mensageiro chegasse a Longbourn, trazendo consigo o bilhete da Sra. Amélia Williams para a Srta. Rose Oswald.

- Eu disse! Eu disse! - Exclamou Missy, correndo até a sala, onde toda a familia se encontrava, com o bilhete em mãos. - Isso acaba de chegar de Netherfield Park. - Entregou o bilhete à Rose. - Leia em voz alta.

- É da parte da Sra. Amélia Williams. - Rose começou a ler. - Ela está me convidando para o chá da tarde hoje em Netherfield Park. Diz que apreciou muito a minha companhia e que deseja me conhecer melhor.

- Ah, como eu disse, logo teremos um noivado. - Missy deu um largo sorriso.

- Vá com calma, querida. - Sr. Oswald aconselhou. - Um convite para o chá da tarde não é garantia de noivado. Além do mais, o bilhete é da parte da Sra. Amélia, não do Sr. David.

- É óbvio que é o Sr. David qume deseja ver Rose. Mas, para não dar muito na vista, pediu à irmã que fizesse o convite. - Missy falou, com impaciência. - Ou o senhor é um tolo, ou tem prazer em me irritar, Sr. Oswald. - O marido apenas ignorou o comentário de Missy.

-Mamãe, temos que preparar a carruagem para que Rose vá até Netherfield Park - Disse Clara.

- Ela vai à cavalo. 

- À cavalo? - Replicou Clara.-  Mamãe, já viu como está o tempo lá fora? Está ameaçando cair uma forte chuva.

- Eu sei disso. - Disse, com um meio sorriso.

- Mamãe,  isso está parecendo mais um dos seus estratagemas. - Desconfiou, Clara.

-Não é nada disso, Clara! - Fingiu estar ofendida. - Como sabe, nós só possuímos uma carruagem. Hoje, eu preciso ir ao centro, e vou precisar dela, de modo que Rose terá que ir à cavalo.

-Não importa. - Rose disse. - Eu chego em Netherfield Park antes que a chuva comece. Vou me arrumar agora mesmo!

Dito isso, Rose foi até seu quarto demonstrando estar bastante animada. Clara ainda olhava para Missy com desconfiança.



Em Netherfield Park, David andava de um lado para o outro, enquanto esperava por Rose.

-Acalme-se, David. - Pediu, Amélia.

- Ela já deveria ter chegado - Ele disse, demonstrando nervosismo.

- Talvez ela não venha, David. - Comentou, Rory. - Está chovendo muito.

- Se ela tiver um pingo de sensatez, não virá mesmo. - Disse Peter. - Ninguém em sã consciência se atreveria a sair de casa com essa chuva.

 Mal Peter terminou de falar e Jane - uma das criadas da casa- entrou no salão social, anunciando que a Srta. Rose Oswald havia chegado. Todos se levantaram para recebê-la, assumindo expressões preocupadas ao verem o estado em que ela se encontrava.

 Rose estava encharcada, trêmula, pálida e não parava de espirrar.

- Srta. Rose, está bem? - Perguntou David, aproximando-se dela.

- Eu...estou. - Respondeu, com dificuldade.

 Mas todos conseguiam ver que Rose não estava nada bem.







Notas Finais


Olá, pessoal.

Não há nada de errado em ser uma pessoa baixa. Eu mesma sou - meço 1,52 de altura- uma vez compararam minha altura com a do elfo Puck do livro do Shakespeare. Eu achei uma comparação engraçada, por isso, mencionei ela na historia. Porém, se alguém achou uma comparação pejorativa, peço que me perdoe, pois não foi a intenção.

Enfim, espero que vocês tenham gostado desse capitulo.

Até breve.

Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...