História Orgulho e Preconceito - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Narusasu, Naruto, Orgulhoepreconceito, Romance, Sasuke, Sasunaru
Visualizações 137
Palavras 2.156
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oie...

dose dupla de sasunaru hoje :)

como estão vendo, mais um capítulo de o&p pra vocês...

espero que gostem

Capítulo 2 - Ervilhas, Chapéus e Danças


• Capítulo I •

Mesmo assegurando para sua esposa que não visitaria os novos moradores, o Sr. Namikaze decidiu fazer totalmente o oposto.

Ele até conseguia imaginar como seria a reação de Kushina e das filhas ao receberem a notícia do baile que planejara com o próprio jovem Nara.

Mas ele nada disse até uma certa noite.

A família se encontrava ao redor da mesa em um jantar rotineiro. Naruto e Ino cochichavam baixinho sobre algum assunto sem importância. Sakura e Tenten fingiam que ninguém as via arremessar ervilhas do prato para debaixo do objeto de madeira, e Hinata apenas comia silenciosamente tentando não se incomodar com a barulheira de suas irmãs.

- Belo chapéu, filho - Minato dirigiu seu olhar até a pequena cartola que Naruto vestia.

Kushina bufou discretamente, mas continuou cortando a carne em seu prato.

- Obrigado, papa - O garoto Namikaze deu um sorriso nada discreto, daqueles que ilumina até a caverna mais escura existente - Estava lendo um livro e nele dizia que a pessoa que usa vários modelos de chapéus, tem mais chance de atrair boas energias para si.

- Isso é estupidez - Hinata afirmou, ainda com os olhos sobre o prato de comida.

- Como sempre, você e seus livros bobocas - Ironizou Sakura - Quando você vai crescer, Naruto?

Esses tipos de comentários já eram conhecidos por Naruto, que nem fazia mais questão de ouvi-los por inteiro. O intelecto medíocre de algumas de suas irmãs precisava urgentemente ser estudado.

- Pois Naru tem a preferência na leitura, diferente de vocês que só se importam em arranjar um homem para sugar todo o dinheiro do pobre coitado - Ino amava suas irmãs, porém odiava quando via esse comportamento vindo das mesmas. E defender Naruto era seu trabalho desde quando era apenas uma criança - Quem sabe ele não vire um escritor famoso?

- Ou um velho que não se casou aos 40 anos e vive de papéis mofados e tinta - A garota de estranhos fios rosados forçou uma "tosse" ao recitar tais palavras.

Hinata quis fazer outra observação mas logo desistiu ao notar o olhar melancólico do irmão. Decidiu mudar seus pensamentos para a nova música que estava compondo recentemente.

- Como eu dizia, acho que nosso Naruto vai ficar encantador usando esse chapéu no baile que fomos convidados - O Sr. Namikaze quase riu das reações que apareceram na mesa - Pelo próprio Shikamaru Nara.

Após jogar a bomba, Minato levou uma das mãos para a taça que continha alguma bebida desconhecida pela narradora e deu um longo gole apenas esperando a gritaria que estava por vir.

O ar estupefato das filhas - e surpreendentemente, de Naruto - era exatamente o que ele queria causar. A primeira a reagir de jeito exagerado fora a ruiva com quem era casado.

E ele não esperava o contrário.

- Os meus nervos, homem - Kushina se levantou e rapidamente se jogou para abraçar o marido - Um dia você me mata com essas notícias.

Assim, o jantar se transformou em um verdadeiro tumulto.

- Ah meu Deus, eu não tenho vestido - Sakura exclamava.

- Ino, você precisa me emprestar aquela sua fita vermelha - Tenten segurou a mão da irmã e a apertou em um gesto fraternal.

- Não! Eu também quero a fita.

- Eu pedi primeiro, testuda.

É essencial dizer que essa discussão durou até minutos antes do baile inciar.

Ino, com um sorriso nada amigável, pensava nas várias formas de manipular suas irmãs e tirar proveito de tudo aquilo. Abriu ainda mais seu sorriso, orgulhosa de si mesmo, quando pensou nos dias que seguiriam em que não precisaria lavar suas roupas, pois teria duas pessoas fazendo isso para ela.

A filha de peculiares olhos perolados revirava os olhos a cada comentário fútil das garotas na sala de jantar.

E com o desafio de não tentar demonstrar uma animação fora do normal, Naruto apenas sorriu com a agitação das demais. Mas por dentro, estava morrendo de ansiedade. Ele sempre quis que uma de suas irmãs se casasse pois além de ajudar na renda da família, também traria boas energias - assim como seu chapéu - para os que viviam na casa. E se por acaso ele encontrasse alguém que lhe chamasse atenção?

Talvez uma garota como aquelas princesas que protagonizavam os livros por quais era fascinado: com cabelos brilhantes, pele macia e voz sedutora.

Sim, um garoto pode sonhar.

- Ah se eu pudesse ver uma das minhas filhas instalada em Konoha, feliz e satisfeita - disse a Sra. Namikaze ao marido - E todas as outras igualmente casadas, não desejaria mais nada.

- E Naruto, óbvio - Minato soltou uma risada seca com a cara desaprovação de Kushina - Querida, você tem que aceitar que um dia ele irá sair da proteção de suas asas. Um dia ele terá sua própria família.

- Eu sei - A ruiva curvou sua cabeça e suspirou - Infelizmente, eu sei.

 

(…)

 

Foi necessário apenas dois dias para Shikamaru retribuir a visita feita pelo Sr. Namikaze. Ambos tiveram uma extensa conversa sobre a importância da economia no país e sobre o desvanecimento das morais em um casamento. Toda essa faladeira fora presenciada apenas pelas estantes e livros na biblioteca. E claro, por sua esposa que escutava tudo atrás da porta, na intenção de não deixar nenhuma de suas crias se intrometerem no diálogo.

Nara tinha alimentado a esperança de ver uma das garotas sobre cuja formidável beleza tanto ouvira da boca da figura paterna daquela casa.

Mas viu apenas Minato. 

Suas filhas e filho tiveram mais sorte: consenguiram olhar por detrás de uma janela do segundo andar, até descobrirem que ele usava casaco azul e montava um cavalo acinzentado.

Naruto ainda não sabia que negócio poderia tê-lo levado à cidade, e até pouco depois de sua chegada ao condado de Hertfordshire, começou a achar que o Sr. Nara estivesse sempre em circulação de um lugar para outro, e que nunca se mudaria totalmente para Konoha, como era esperado. Já Ino sugeriu que talvez ele só estivesse alí para encontrar uma esposa e quando encontrasse voltaria para a grande Londres. 

- Ou talvez ele já tenha alguém em mente e só veio pelas festas - Sakura teorizou.

- E por qual razão ele viria até nossa casa? - Tenten perguntou.

- Educação? Conhecer os novos vizinhos? Criar um contrato de terras? - O segundo filho, sempre o mais esperto, murmurou várias opções.

Fazendo as irmãs murcharem em decepção.

Até a véspera do baile, animaram-se ao saber que o anfitrião tinha trazido apenas seis mulheres de Londres, cinco eram suas irmãs e uma era sua prima. 

Ou seja, nenhuma pretendente em seus caminhos.

O dia do baile fora uma confusão sem fim.

Kushina se levantara primeiro que todos na casa e logo se pôs para cozinhar um café da manhã digno da realeza. A mesa era adornada por vários tipos de pães, bolos e doces. O aroma do café preto se fundia com o cheiro dos ovos pré-cozidos, conquistando cada cômodo da casa. O ar era tomado pelo cítrico das laranjas espremidas no jarro de vidro favorito da ruiva. Finalizando assim, uma refeição completa para sua linda família.

As vestimentas já se encontravam perfeitamente passadas e apenas esperavam para ser usadas. Então não teria que se preocupar com essa parte.

O próximo que aparecera na cozinha fora, inesperadamente, Naruto, que sempre teve o costume de se levantar tarde. O filho trazia de baixo dos braços um exemplar de algum de seus livros, e em seu rosto era possível perceber duas, quase imperceptíveis, olheiras.

Mas Kushina notou de imediato.

- Posso saber qual razão dessas bolsas em seus olhos, rapaz? - Levantou as sobrancelhas e terminou de mastigar o pedaço de pão que comia.

- Nervosismo provavelmente - Não mentiu - Uau, essa mesa 'tá muito bonita, espero que gostosa também.

Naruto até lambeu os lábios com água na boca.

- Desde quando minhas comidas não são gostosas? 

- Não posso dizer o mesmo daquelas ervilhas - Fez sua melhor expressão de nojo ao relembrar do gosto sem graça do legume.

- Ora, seu…

- BOM DIA FAMÍLIA! - A irmã mais velha surgiu gritando aos quatro cantos do mundo. 

Ino nunca mudava mesmo. Naruto sorriu com o efêmero pensamento.

- Fala baixo, garota - A Sra. Namikaze repreendeu - Acha que é com esse comportamento que você vai conquistar o jovem Shikamaru?

- E quem disse que é ela que vai o conquistar? - Tenten, com um bico no rosto, questionou. De súbito, Sakura entrou no cômodo ao lado de Hinata, que mantinha um olhar de poucos amigos.

- Eu disse. Ino tem uma beleza inigualável, tenho certeza que o Sr. Nara vai se apaixonar por ela na mesma hora que a vir - Kushina estava se sentindo confiante - Agora se sentem e aproveitem a comida.

As implicações apenas aumentaram quando o loiro mais velho chegou com suas piadas ruins, em uma maneira de alegrar sua família.

 

(…)

 

A tarde se manifestou de um jeito estressante.

Eram gritos desesperados de um lado da casa. Eram risadas - ou lágrimas, da parte de Kushina - do outro.

Um caos total.

Os únicos que se divertiam com todo o sofrimento alheio eram Naruto e Ino, que já estavam devidamente arrumados e apenas esperavam o momento certo para irem ao baile.

Ino vestia um delicado vestido rosa claro com rendas brancas e para completar, luvas super finas que lhe davam uma aparência angelical se contasse com seu coque frouxo, ressaltando toda atenção para seus traços frágeis e realmente bonitos.

Já Naruto estava, para o horror de sua mãe, deslumbrante. O loiro usava vestes escuras, com direito a seu casaco mais caro do guarda roupa, uma gola engomada e sua cartola da sorte. Os fios dourados estavam impecáveis como esperado, sem falar dos olhos azuis mais cintilantes de todo o condado.

Estava de tirar o fôlego.

- Você está lindo, loirinho.

- Igualmente, loirinha.

Ao se encontrarem com as irmãs, trocaram olhares que diziam a mesma coisa: Boa sorte.

 

(…)

 

A viagem de carruagem não fora tão demorada pois o local da festa não era tão distante de onde moravam.

O soar dos outros cavalos podia ser ouvido a quilômetros, indicando a diversidade de pessoas que estariam na tão esperada festa.

Quando o meio de transporte parou em seu destino, Naruto e Minato logo saíram para abrir a porta para as mulheres de suas vidas. Cavalheirismo em primeiro lugar.

Muitas pessoas, de todas as extremidades de Hertfordshire, podiam ser vistas entrando na construção bege, localizada no território mais caro comparada as outras moradias.

- Imagina os instrumentos musicais que essa casa possui - Boquiaberta, Hinata literalmente babava com aquela visão. E sem aviso algum, correu para o salão principal - Vou procurar o piano, até mais.

A garota sumiu na multidão.

- Uma a menos - A menina que vestia turquesa, falou.

- Isso é cruel, Tenten.

- Você que é dócil demais, Ino.

A loira apenas suspirou em desistência. Não discutiria com ninguém naquela noite.

- Vamos Ino, precisamos encontrar pares para dançarmos - Naruto puxou a irmã e decidiram se perder na imensidão de corpos.

Arrancando um olhar preocupado da progenitora.

- Se acalma, mulher. Viemos para nós divertimos.

- Tem razão, desculpa - Segurou na mão do marido e entrou na casa. Acompanhados, é claro, de Sakura e Tenten que já esticavam seus pescoços procurando algo… interessante.

Seria uma longa noite.

 

(…)

 

Devido à falta de pares, Naruto se viu obrigado a ficar sentado pelas próximas três danças apenas observando suas irmãs se divertirem.

Era um tanto frustante.

O Namikaze mais novo não tinha nem coragem de trocar mínimas palavras com as moças solteiras, muito menos dançar com elas. E de acordo com a lei imposta pela sociedade, nenhuma mulher deveria convidar um homem para uma dança, e sim ao contrário. E Naruto achava aquilo uma enorme idiotice.

- Nenhuma lhe chamou a atenção? - Meio arfante devido aos movimentos que fizera, Ino perguntou.

- Não.

- Quer que eu lhe ajude com isso? - O maior sonho da irmã era vê-lo casado com alguém que ele verdadeiramente amasse, mas o garoto nem levantava sua bunda da cadeira para procurar esse tal amor de sua vida.

- Não precisa - Sorriu fraco - E você? Apostos que todos os homens da festa já estão caidinhos pela deusa de Hertfordshire e futura noiva do ricaço Shikamaru Nara.

- "Todos" - Usou um tom de voz irônico - Sabe Naruto, um dia você vai encontrar alguém que fará você engasgar com todas essas suas palavras. 

Ela sabia que sim.

- Vai sonhan…

O loiro apenas não terminou a frase pois o salão fora invadido pela presença das aparições mais aguardadas da festa.

Shikamaru Nara exibia um brilhante sorriso ao lado de uma figura que era, visivelmente, seu oposto.

Sasuke Uchiha havia chegado.


Notas Finais


yayyyy sasunaru vão se conhecer :))

GENTE EU ACABEI DE USAR O TÃO FAMIGERADO "COQUE FROUXO" NAS MINHAS FANFICS AKSNSNSNSB ATÉ EMOCIONEI AQUI

meu deus eu escrevi demais hoje, preciso de descanso nos próximos dois anos aaa

obrigada pela leitura e até breve <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...