1. Spirit Fanfics >
  2. Orgulho e Sensibilidade >
  3. Controle

História Orgulho e Sensibilidade - Capítulo 9


Escrita por: JessyAlencar

Capítulo 9 - Controle


Fanfic / Fanfiction Orgulho e Sensibilidade - Capítulo 9 - Controle

Está quase na hora do almoço e ainda não achamos ninguém que realmente se encaixe no perfil que estamos buscando para a nova coreógrafa da Aomg e da Hybe, eu já estava quase desistindo quando entra a próxima candidata, uma mulher negra, linda, dos cabelos cacheados e um corpo escultural, ela estava usando um sobretudo preto curto e uma bota de salto alto, ela tinha um sorriso malicioso e me lembrava muito a Diana.

Candidata - Olá! Bom dia a todos, me chamo Jane e é um prazer conhecê-los, sei que não tenho experiência como coreógrafa e nem mesmo nenhuma formação em dança, porém dança é a minha paixão desde os 15 anos, especialmente o K-pop.

Simon - E quantos anos você tem agora querida?

Jane - Agora eu tenho 21 anos.

Simon - Ok. Pode começar a sua apresentação e boa sorte!

Ela dá um sorriso lindo e começa a apresentação. Ela tinha escolhido uma dança do grupo feminino de K- Pop Girl Crush que era bem sensual, assim que a música começa ela tira o sobretudo e está com uma saia curtíssima de colegial que nos dá a visão de suas belas coxas torneadas e uma blusa branca de colegial amarrada abaixo de seus seios, ela dança sensualmente rebolando e se empinando,  em alguns momentos é possível ver parte de sua  bunda e todos ficamos empolgados, ela mantém um olhar sensual e percebo que me olha fixamente, ela finaliza a apresentação fazendo uma abertura total de perna e todos nos impressionamos.

Simon - Bem, isso foi...Muito interessante.

Conversamos e decidimos que ela seria chamada para mais alguns testes e se até lá não houvesse ninguém melhor ela seria selecionada, com isso resolvido, decidimos tirar o resto do dia de folga e decido ir almoçar com a S/N, antes disso vou até o banheiro e vejo a Jane saindo de lá já com uma outra roupa, um vestido bem curto e colado que ressaltava as suas curvas, ela me olha com malícia quando percebe que estou a admirando.

Jane - Gosta do que vê Senhor Park?

Ela se aproxima e posso sentir seu perfume forte.

Jay - Gosto muito do que vejo.

Jane - Gostaria de ver mais?

Ela se aproxima mais ainda e toca no meu braço me causando arrepios.

Jay - Talvez.

Jane - Bem Sr Park quero que saiba que sou uma menina muito esforçada e vou fazer de TUDO para conseguir essa vaga.

Jay - Tudo?

Ela morde os lábios carnudos que estão cobertos por um batom coral e assente com a cabeça. Ela tira um papel da bolsa e parece anotar alguma coisa, ela dá um beijo no papel deixando a marca de seu batom e e coloca no bolso da minha calça fazendo cara de safada.

Jane - Esse é o meu telefone, se precisar de alguma coisa, qualquer coisa, me liga.

Ela pisca para mim e tenta sair dali, mas eu a puxo pelo braço encostando meu corpo no seu, ela está de costas para mim e eu sussurro em seu ouvido.

Jay - Pode deixar que eu vou ligar.

Ela me olha mais uma vez, dá um sorriso e sai dali. Resolvo me apressar e ir buscar a S/N para almoçar comigo e depois passar o resto do dia com ela. Entro no carro e me dirijo até o Studio, estaciono um pouco mais a frente pois não havia vaga mais próxima, desço do carro e fico encostado no mesmo esperando ela sair pois quero surpreendê-la. A frente do Studio esta cheia de mulheres, provavelmente mães esperando suas filhas, logo vejo algumas crianças saindo do Studio com roupas de bailarina e pouco a pouco a frente do Studio fica vazia, vejo um homem alto com um terno preto parado na frente do Studio segurando uma rosa vermelha, provavelmente pai de alguma das crianças, logo vejo a S/N saindo e trancando a porta, ela se aproxima do homem com um sorriso no rosto e isso me irrita, descido ir até lá e vejo ele entregando a Rosa para ela, eles se abraçam e ele tenta beijá-la, mas ela vira o rosto, eu já estou possesso e minha vontade é dar um soco nele.

Jay - Atrapalho alguma coisa?

O olhar da S/N se ilumina quando ela me vê e ela pula em mim me abraçando.

S/N - Oiiii! O que você está fazendo aqui?

Jay - Decidi fazer uma surpresa e vir almoçar com a minha garota, não posso?

Ela sorri e me abraça mais apertado ainda, ela parece muito feliz, mas estou incomodado com o homem que quase a beijou nos olhando.

S/N - Claro que pode! Eu amei a surpresa. Jay esse é o Yan meu amigo e nós íamos sair para almoçar, tem problema se ele for conosco?

Jay - Claro que não! Amigo da minha garota é meu amigo também. Prazer sou o Jay Park namorado da S/N.

Digo estendendo uma mão para ele e colocando a outra ao redor da cintura dela, queria que ele soubesse que ela pertence a mim. Ele me analisa por alguns instantes com um ar de superioridade e aperta minha mão de forma firme.

S/N - Vamos então?

Jay - Claro.

Vamos a um restaurante simples, porém aconchegante próximo ao Studio e me sento ao lado da S/N colocando a mão em sua coxa. 

Jay - Então, Yan, de terno a essa hora do dia, você trabalha com o quê?

Yan - Eu sou advogado.

Eu olho para ele com deboche.

Jay - Nossa, parece chato, eu sou cantor e dono de duas empresas na Coreia.

Yan - Sim, para algumas pessoas defender o meio ambiente e ajudar a salvar o mundo como advogado ambientalista pode parecer chato para pessoas fúteis. Poucas pessoas entendem de fato o quão necessário é o papel de um advogado nisso, estou trabalhando em um caso que luta pela preservação da floresta amazônica e do povo indígena, mas realmente, para pessoas como você isso deve ser chato.

Ele me responde de forma ríspida e minha raiva sobe.

S/N - Então gente, vamos pedir?

A S/N diz tentando mudar o assunto e ele muda totalmente o olhar quando se volta para ela.

Yan - Claro princesa, eu já até sei o que você vai pedir mesmo.

Yan e S/N - Carne seca com abóbora.

Eles dizem ao mesmo tempo e eles começam a sorrir um para o outro, ele estava jogando comigo, queria me mostrar que a conhece bem, mas se ele queria jogar eu não iria recuar. Eu coloco meu braço ao redor do ombro dela e começo a passar meus dedos distraidamente pelo pescoço dela e percebo que ela se arrepia. Logo pedimos e rapidamente eles trazem nossos pratos, terminamos de comer e estamos conversando, a conversa parece um ping-pong de provocações entre eu e ele e a S/N parece desconfortável, o celular dela começa a tocar.

S/N - Gente eu vou ter que ir ali fora atender, pois são os responsáveis pela agenda do Teatro Municipal, me desejem sorte.

Jay - Boa sorte!

Yan - Boa sorte princesa.

Ele diz para ela com um sorriso no rosto e ela se afasta para atender o telefone, quando ele  olha para mim seu sorriso se transforma em sarcasmo.

Jay - Então, você quer a comer a S/N?

Yan - Ela é uma mulher, não um pedaço de carne, mas é claro que alguém como você não sabe diferenciar não é mesmo?

Ele arqueia a sobrancelha como se me desafiasse, eu dou um sorriso sarcástico mas estou quase explodindo de raiva.

Jay - Então está me dizendo que não está tentando comer ela?

Yan - Estou dizendo que quero ser namorado dela. Eu sempre a tratei como minha princesa e nunca a vi como um pedaço de carne.

Jay - Hummm.. Você chama ela de princesa né? Eu chamo ela de baby, enquanto ela chupa o meu pau.

Eu digo o provocando e penso que ele vai partir para cima de mim, mas ao invés disso ele dá uma risada irônica e balança a cabeça em negativa demonstrando desdém, sua atitude me irrita ainda mais.

Jay - Que foi?

Yan - Essa sua frase de moleque. Dá para perceber que você é só um playboy mimado que não sabe nada da vida ou sobre mulheres.

Eu cerro meus punhos e dou um soco na mesa, estou pronto para partir para cima dele, mas vejo a S/N se aproximando e ela parece muito feliz.

S/N - Nossa nem posso acreditar, depois de meses de ensaio finalmente eu e a minha companhia de dança faremos uma apresentação de ballet esse sábado no Teatro Municipal, estou tão feliz!

Yan - Parabéns princesa! Você merece! E é claro que eu estarei lá na primeira fileira te aplaudindo como sempre.

Jay - Parabéns baby! Também estarei lá assistindo de Camarote a sua apresentação. 

Eu levanto a puxando para um abraço e desço minha mão da sua cintura para sua bunda. Ele desvia o olhar travando a mandíbula e ela fica sem graça. Logo saímos dali e voltamos a porta do Studio, ele se despede dela e vai embora. Eu fico no Studio pois quero assistir ela dando aula, fico encantado com a forma como ela é doce com as crianças e é uma excelente dançarina, ela executa os movimentos com perfeição e leveza me deixando hipnotizado. A aula termina e logo as meninas vão embora. Estamos sozinhos e ela está guardando algumas coisas que estavam espalhadas, ela se abaixa para pegar alguma coisa e eu me aproximo por trás dela me esfregando em seu corpo, ela sorri e eu corro minhas mãos por seu corpo alcançando seus seios.

Jay - Estou curioso com uma coisa.

S/N - É o que?

Eu aponto para o canto da sala onde havia uma barra de pole dance.

Jay - Para quê serve aquilo em um Studio de ballet?

S/N - Vou te mostrar.

Ela sai de perto de mim, abre um armário pega um salto extremamente alto e o que parece ser um short preto curtíssimo e um top. Ela vai até o vestiário e antes de sair ela diz.

S/N - Vai na minha playlist que já está conectada a caixa de som e da play em uma música chamada " What love can be " do Kingdom Come e senta na almofada que tem próximo a porta.

Eu obedeço e logo começa a tocar uma música extremamente sensual, as luzes do Studio mudam de cor ficando vermelha, eu me sento e logo a vejo saindo do vestiário com os cabelos soltos e usando um batom vermelho. Ela me olha de forma sedutora e anda como se desfilasse indo até a pole dance, quando ela se aproxima ela começa a rebolar sensualmente me dando a bela visão de sua bunda avantajada, ela começa a escalar a barra e logo está fazendo diversas acrobacias que me deixam louco, ela sabia me seduzir como nenhuma mulher havia feito antes e eu estou hipnotizado, após algum tempo dançando ela fica de quatro no chão e vem até mim engatinhando e só de olhar para ela já estou duro. Ela engatinha ao meu redor e quando chega na minha frente ela inclina seu tronco para frente expondo sua bunda para mim e eu não resisto e começo a passar a mão nela. Ela me olha e balança o dedo em sinal de negativa.

S/N - É proibido tocar na professora.

Já estou quase louco de desejo e ela se aproxima subindo no meu colo e começa a rebolar, mas toda vez que tento tocá-la ela tira minhas mãos, até que eu troco as posições fazendo ela ficar de bruços e puxo levemente seu cabelo enquanto fico por cima dela roçando meu membro que está pulsando de desejo em sua bunda e sussurro em seu ouvido.

Jay - Você sabe o quanto eu estou tendo que me controlar para não te comer aqui mesmo nesse chão?

Dou um tapa em sua bunda e saio de cima dela, ela demora algum tempo para levantar e sei que ela está me desejando tanto quanto eu a desejo. Ela me olha e posso perceber que ela está arfando de desejo, ela se levanta e vai até o vestiário para trocar de roupa. Ela fecha o Studio e vamos para a casa dela, chegamos e logo vamos juntos até o banheiro para tomarmos um banho juntos, já estamos excitados e tirando a roupa um do outro, ela ja está nua e se ajoelha na minha frente, ela começa a tirar meu cinto, quando ela abaixa minha calça o papel com o telefone da Jane cai no chão e ela pega olhando a marca de batom, ela fica algum tempo encarando o papel e quando finalmente olha para mim seus olhos estão cheios d'água. Droga porque eu não joguei esse papel fora? Ela não diz nenhuma palavra, só me entrega o papel, se levanta e tenta sair do banheiro, mas eu a puxo de volta beijando seu pescoço e descendo até seus seios.

Jay - Vem cá baby, eu ainda não terminei com você.

Ela acaba cedendo e tomamos um banho delicioso. Ela me chupa até eu gozar, eu tento estimular ela com os dedos, mas ela não consegue gozar. Saímos do banho e ela está estranha, calada, ela faz um jantar delicioso e comemos em silêncio enquanto assistimos uma série, após algumas horas já está tarde e vamos para a cama, eu a puxo para que ela deite no meu peito e apesar dela não ter dito nada sei que ela está chateada. Eu odeio dar explicações e estava feliz por ela não ter me cobrado uma. Então porque me sinto tão culpado?

Jay - S/N?

S/N - Sim?

Jay - Aquele papel que você viu com o número de telefone, eu quero que você saiba que não significa nada.

S/N - Tá tudo bem Jay, eu não tô te cobrando nenhuma explicação. Boa noite.

Ela vira de costas para mim e eu a abraço por trás ficando de conchinha com ela. 

Jay - Eu não durmo abraçado com alguém a 4 anos... Não me interesso por alguém a 4 anos. Você é especial para mim e espero que você saiba disso.

Ela fica em silêncio por um tempo, mas depois se aconchega em mim e diz.

S/N - Eu sei.

Ficamos assim até finalmente pegarmos no sono. No dia seguinte acordo com ela me chamando para tomar café de banho já tomado, eu levanto, tomo banho e tomamos café juntos. Hoje era o dia do exame no ginecologista e a noite seria a festa de gala que eu a levaria, hoje eu finalmente saberia se ela estava mentindo ou não. Eu estava nervoso e ansioso ao mesmo tempo. Saímos de casa e eu a deixo no Studio indo até a empresa, a Jane volta para uma nova apresentação e apesar de termos outras candidatas ela parece a melhor, hoje ela sai apressada dizendo que se apresentaria em um evento, então não temos muito contato. Já está quase na hora do almoço e passo no Studio para buscar a S/N, almoçamos e nos dirigimos até a clínica onde haveria a consulta, estamos sentados aguardando a nossa vez e ambos estamos nervosos. Logo vejo um médico que não parecia ter nem 30 anos se aproximar e chamar o nome da S/N , eu me levanto na mesma hora e digo.

Jay - Nem pensar, quero uma médica mulher.

Médico - Senhor eu sou perfeitamente capaz...

Antes que ele possa terminar eu vou até a recepção e após algum estresse consigo que ela seja atendida por uma médica que era loira, magra e parecia ter por volta dos 40 anos. Estamos na sala do exame e a médica pediu para que eu me retirasse mas a S/N permitiu que eu ficasse, após alguma resistência da médica ela resolveu deixar. Ela começa a examinar a S/N e após algum tempo ela diz.

Médica- Bem, não vou poder fazer exames muito profundos, pois vejo que seu hímen não foi rompido, então aparentemente está tudo bem, não tem nenhuma secreção ou corrimento e por você não ser sexualmente ativa dificilmente você terá alguma doença.

Eu mal posso acreditar no que estou ouvindo, ela realmente estava falando a verdade.

S/N - Mesmo assim doutora, nós dois gostaríamos de fazer os exames de Dst.

A médica faz os exames e rapidamente constatamos que somos ambos completamente livres de doenças sexualmente transmissíveis.

Médica - Bem, se vocês planejam ter relações gostariam de optar por algum método anticoncepcional?

Jay - Sim!

Médica - Bem existe a pílula porém ela só é eficaz após o segundo mês, o Diu, a camisinha, ou caso vocês prefiram existe a injeção que tem duração de um mês e eu posso aplicar agora mesmo.

A S/N me olha parecendo perdida e a médica percebendo isso diz.

Médica - Bem, vou me ausentar por um momento para que vocês possam conversar. Voltarei em alguns minutos.

Ela sai da sala.

S/N - O quê você acha?

Jay - Bem, eu só transo de camisinha, mas não quero usar com você, quero sentir você sem nada para atrapalhar.

Sinto que minhas palavras a afetam.

S/N - Então acho que o melhor é a injeção.

Jay - Concordo.

Logo a médica volta e quando escolhemos a injeção ela vai até a gaveta e tira o material para aplicação. Logo ela aplica a injeção na S/N que reclama um pouco da dor e saímos de lá. Eu estaciono em frente a casa dela, eu tenho que ir no hotel me arrumar e vou voltar a noite para buscá-la, ficamos algum tempo em silêncio dentro do carro parado e estamos parecendo dois adolescentes tímidos, agora que eu sei que ela estava sendo sincera minha vontade é entrar e fazer amor com ela agora mesmo, mas eu queria que a primeira vez dela fosse especial.

Jay - Eu venho te buscar às 19:00 horas, quero você bem linda para mim, vou preparar algo bem especial para nossa primeira vez, quero que você seja minha essa noite.

Ela sorri e seus olhos brilham para mim. Eu realmente estava hipnotizado por ela.

S/N - Mal posso esperar.

Eu a abraço e antes dela sair do carro eu a puxo para mim, nossos lábios estão a poucos centímetros um do outro.

Jay - Fecha os olhos.

Ela me obedece e eu pego uma caixa azul aveludada que estava com o conjunto de brincos e colar de rubi que eu comprei para ela. Eu abro a caixa colocando na frente dela.

Jay - Abre os olhos.

Ela abre os olhos e fica surpresa porém percebo que ela parece desapontada.

Jay - Quero que você use hoje a noite. Elas vão ficar lindas em você.

Ela abre a boca para falar algo, mas logo se cala.

S/N - Tudo bem.

Eu entrego a caixa para ela e logo ela sai do carro entrando em casa. Eu dirijo até o hotel e mal posso esperar para ter ela essa noite. Já pedi para que decorassem o quarto do hotel de forma romântica, com champagne, velas, pétalas de rosa sobre a cama e música romântica. É a primeira vez dela e eu queria que fosse inesquecível, eu estou todo animado, já tomei banho e estou vestido com meu terno preto, estou terminando de dar o nó na minha gravata quando o Simon bate na porta, a decoração já está pronta e o Simon parece não acreditar quando vê.

Jay - E então? Gostou?

Digo apontando para a decoração do quarto. O Simon entra e senta no sofá ele parece sério.

Simon - Está tudo lindo, mas o que você está fazendo?

Jay - Bem, eu descobri que ela estava dizendo a verdade, fomos ao médico e ela é mesmo virgem, então já que é a primeira vez dela decidi fazer algo especial.

Simon - E depois?

Jay - E depois o quê?

Simon - Depois que você transar com a menina o que você vai fazer?

Jay - Como assim Simon?

Simon - Para e pensa um pouco, ela é uma mulher bonita, se estava se guardando é porque queria fazer com alguém especial, alguém por quem estivesse apaixonada. Então qual é o seu plano? Tirar a virgindade dela hoje e dispensar ela amanhã? 

Jay - Eu não tinha parado para pensar nisso.

Simon - Pois devia pensar, ela não é uma qualquer que você pega em uma boate e come no banheiro, espero que você pense bem no que está fazendo para não magoar a menina.

Eu paro para pensar no que o Simon disse e ele tem razão. Eu não havia pensado nisso. O quê vou fazer agora?


Continua...








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...