1. Spirit Fanfics >
  2. Orgulho Lufano >
  3. Enxergar-se

História Orgulho Lufano - Capítulo 1


Escrita por: e melodyday


Notas do Autor


‹ NOTAS DA ADMINISTRAÇÃO [♡]:
“PLOTS24H” são feitos por fora dos ciclos mensais ou especiais, as histórias não seguem um único tema e trazem enredos variados. O destino é imprevisível e, por esse e vários outros motivos, nós devemos sempre ter orgulho de quem somos. Fiquem com ‘’Orgulho lufano’’, uma fanfic que trás nossa querida solista Somi como progatonista.

‹ NOTAS DO AUTOR [♡]:
Eu sou orgulhosamente da Sonserina, mas a Lufa-Lufa tem um lugar muito especial no meu coração ♡ Eu amei desenvolver esse plot, e espero que a leitura seja igualmente agradável ♡

Capítulo 1 - Enxergar-se


Jeon Somi vinha de uma família de bruxos em que todos sempre eram selecionados para a Sonserina e, certamente, o esperado era que desse continuidade a esse legado. No entanto, por ironia do destino e para sua surpresa e de todos ao seu redor, o chapéu seletor colocou-lhe na Lufa-Lufa, justamente a Casa que menos desejava integrar. 

Decerto que não fora fácil aceitar aquele fato. Por muito tempo, acreditou fielmente que o chapéu, já velho e esfarrapado, havia cometido um erro terrível. Afinal, como poderia uma garota puro sangue, vinda de uma linhagem inteira de Sonserinos, cair na pior Casa de Hogwarts? Tinha certeza absoluta que era impossível o Chapéu Seletor estar certo em sua escolha, apesar de todos os professores e seus pais dizerem-lhe constantemente que o objeto mágico nunca cometia erros e sabia bem o que estava fazendo. 

Desanimada e cabisbaixa, disse a si mesma que era a maior vergonha da família ─ mesmo que seus pais sempre lhe afirmasse o contrário. Por mais que todos os Jeon's, com exceção de seus avós, dissessem que não havia problema algum em ser parte da Lufa-Lufa, Somi se recusava a aceitar. Tudo o que queria era apenas ser da Sonserina como suas amigas, tendo todo o orgulho de vestir o uniforme e dizer com o peito inflado que fazia parte da melhor Casa de Hogwarts; aquela cujas cores eram verde e prata e possuía o símbolo da serpente, graças ao seu fundador ofidioglota. Entretanto, seu sonho inteiro foi por água abaixo e a culpa era de um artefato mágico de inteligência duvidosa. 

"Vejo em você determinação e coragem, além do desejo profundo de justiça para todos aqueles que são injustiçados constantemente. Há um conflito interno, eu percebo, mas tenho certeza que se dará melhor na… LUFA-LUFA!"

Foi o que Chapéu lhe dissera, gritando a última parte em voz alta, anunciando assim sua sentença para todos no Salão Principal. Consideraria aquele como o pior dia de sua vida, porém, o primeiro dia de aula mostrou-se ainda pior, sendo um completo desastre. Somi recordava-se claramente de ter chorado a noite inteira na cama de seu dormitório devido à toda a frustração, sentindo-se completamente impotente por não poder fazer nada além de seguir sua vida e aceitar que nada era como desejava.

A verdade era que nunca tivera nada contra a Lufa-Lufa, apesar de seus avós lhe dizerem coisas ruins e menosprezarem os integrantes daquela Casa. Tivera uma boa criação por parte dos pais, que ensinaram-lhe a jamais julgar ou desprezar alguém por motivos tão banais como aquele. Todavia, quando foi anunciado que trajaria o uniforme com brasão de Texugo, ao invés da Serpente chamativa, um estranho e repentino ódio foi despertado em seu âmago, deixando-lhe decepcionada consigo mesma e desesperada para provar que o Chapéu seletor estava errado.

Por anos, dedicou-se àquele desafio que impôs a si, recusando-se a ouvir qualquer pessoa que a contrariasse. Do seu ponto de vista, todos estavam errados e simplesmente não compreendiam o seu lado. O erro era claro, estava bem diante dos seus olhos, entretanto ninguém parecia enxergar, aceitando facilmente aquela mentira descabida. E sendo a única que aparentava aperceber-se da situação, era sua responsabilidade mostrar-lhes a verdade e provar o quanto estava certa desde o início. Isso até aquele dia.

Era seu quarto ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts e encontrava-se na sala da diretora depois de um mal entendido. Ouviu um sermão por horas a fio, mantendo sua pose de boa aluna, sem contestar, apesar de achar injusto visto que não tinha qualquer culpa no ocorrido. Após um aviso de um dos professores sobre um assunto urgente, fora deixada sozinha na enorme sala com um pedido de que deveria esperar até o retorno da mulher de meia idade.

Entediada, Somi observou o ambiente com olhos curiosos e analíticos, parando o olhar em um objeto específico: o causador de todo o caos de seus últimos anos. Ali estava o Chapéu Seletor, inerte e sem vida, com sua aparência velha e esfarrapado, aparentando estar acumulando poeira em uma das prateleiras. No exato instante, levada pelo instinto, caminhou na direção do artefato mágico até ser capaz de observá-lo de perto, pensativa. Depois de uma breve reflexão, tomou-o em suas mãos com certa hesitação, antes de colocá-lo sobre sua cabeça, assim como fizera em seu primeiro ano, quando ainda era uma garota de onze anos empolgada para ser integrante da Sonserina.

—  Jeon Somi —  a voz inconfundível e grave do Chapéu se fez presente em sua mente, deixando-lhe nervosa, como anos atrás. ─ Vejo que ainda está em conflito consigo mesma.

─ Não há conflito, apenas a certeza de que você cometeu um erro ─ respondeu com convicção, estufando o peito.

─ Tem realmente certeza disso?

─ É claro! ─ Exasperou-se em pensamentos. ─ Não há como uma garota como eu estar na Lufa-Lufa.

─ Uma garota como você?

─ Sim, uma garota como eu, que sequer possui as características dos integrantes dessa Casa.

─ Pois lhe digo o contrário, você está exatamente onde deve. ─ Aquela afirmação deixou Somi ligeiramente irritada, resultando em um grunhido baixo. Iria retrucar e apontar o seu ponto de vista, entretanto antes que pudesse formular uma frase inteira em pensamentos, o Chapéu continuou: ─ Reflita, Jeon Somi: você irá passar o resto de seus anos em Hogwarts tentando provar o que não é, ou finalmente irá aceitar a si mesma?

Aquela pergunta definitivamente pegou Somi de surpresa. Sua mente pareceu dar pane, presa em um loop eterno com o questionamento ecoando em seus pensamentos. Naquele dia, mesmo após voltar para seu dormitório e enfrentar as aulas restantes, as palavras do Chapéu Seletor não saíam de sua cabeça, deixando-lhe pensativa e aérea o dia inteiro e os que seguiram desde então.

A partir daquele momento, Jeon Somi passou a repensar suas ideias e questionar o porquê de estar tão convicta sobre o artefato mágico estar errado em sua seleção. Afinal, realmente desejava ir para a Sonserina, ou era apenas uma expectativa das pessoas ao seu redor, que acabou tomando como sua?

Somi passou anos desperdiçando seu tempo para provar o que não era, até perceber um motivo para enfim se enxergar verdadeiramente e se orgulhar do que era. Teria finalmente seu orgulho lufano.


Notas Finais


Escrever hp!au com gg é simplesmente TUDO pra mim!

‹ CRÉDITOS [♡]:
▪ CAPA — @hyeseon.
▪ BETAGEM — @nemoratrix.
▪ PLOT — @zouisince.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...