História Original - Noite fria (oneshot) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 42
Palavras 2.793
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Meus floquinhos, sabe... Mês que vem é Natal né... Então...
Eu queria saber o que vocês querem que eu escreva de especial :D SIM! VOU DEIXAR VOCÊS ESCOLHEREM SIM!!!
Tenho alguns planos, e quero que escolham!
1: Fazer um capítulo extra da minha fanfic "Livres como o vento", gigantesco aliás!
2: Fazer um compilado de casais em uma única oneshot, bem prolongada e com muita safadeza! (Eu sei que vocês gostam seus tarados!)
Oki né... Então é isso! E mais uma coisa!
POR FAVOR ME PERDOEM POR DEMORAR A POSTAR ALGO NOVO!!! ;-;
Shiawasena dokusho!

~Fujoshi Rainha-da-Neve~

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Original - Noite fria (oneshot) - Capítulo 1 - Capítulo único

"Você é a minha chave, você me destrava. Mantenha-me perto, mantenha-me segura, mantenha-me feliz.”

-Jessie J

 

.:Domingo, 12 de Novembro:.

-22:30-

   Fazia frio aquela noite, mesmo sendo primavera. Também chovia muito. Mas o que se poderia fazer, se aquele ano de 2017 teve o inverno mais frio dos últimos anos? Tsuki se encontrava deitado no sofá, prestando atenção na programação da TV. Mesmo sentindo frio, ele não estava com roupas adequadas ao momento, usando uma blusa de tecido fino e um short curto, e estava sendo aquecido por apenas uma coberta, que parecia ser insuficiente no momento.

 

Tsuki: Mas que droga... -Resmungou, pegando o controle da televisão e passando por vários canais, em busca de algo que o agrade. Sem sucesso, nenhuma programação realmente o estava chamando a atenção do garoto por agora.

 

   Pegou seu celular, começando a mexer no mesmo de forma bem aleatória. “Não havia ninguém online... Será que haviam se reunido em algum lugar e não o avisaram?” Foi aí que se lembrou. Estavam todos reunidos na casa de uma amiga da turma, para passarem a noite. Entrou no grupo POCAHONTAS [Sim, o nome do grupo da minha sala é realmente esse. É cada doido que nomeia os grupos, né?], e viu o aviso da colega. Resolveu ir para lá, afinal, estava totalmente entediado em casa. Nem se importou com as horas, só colocou um moletom preto por cima de sua blusa, e trocou o short por uma calça jeans. Pegou seu guarda-chuva, e abriu a porta de sua casa saindo da mesma.

.

.

   Demorou por cerca de 10 minutos para chegar na casa da amiga. Olhou no relógio, eram 22:40. Mas pra que se importar com o tempo? Morava sozinho, tendo ninguém para o vigiar. Poderia agora, ficar até de madrugada acordado que não teria nenhum problema. Bateu na porta da casa da amiga, que atendeu gentilmente, lhe permitindo entrar em sua residência. Olhou para os lados, e viu Josh, seu melhor amigo, ou melhor, era assim que o outro se auto apresentava. Mas não tinha nada contra isso. Foi para perto do mesmo, que sorriu calorosamente ao ver.

 

Josh: Pensei que não iria vir, seu chato! -Deu um leve soco no braço do mais alto, que riu.

Tsuki: Os melhores chegam por último!

Josh: Exibido! -Se irritou, enchendo suas bochechas de ar e fazendo biquinho. O maior simplesmente deu um leve tapa nas bochechas do menino, fazendo o ar sair pela sua boca, fazendo ambos derem uma breve risada.

 

   Nem todas as pessoas da turma estavam ali. Talvez estivessem ocupadas com algo. Era mais provável que estivessem em vez dali, em suas casas fugindo do frio e com seus familiares. Tsuki só estava ali, pois sua família morava bem longe de si, em outro estado. Sempre fora assim, foi criado por uma velha amiga da família. Quase nunca via seus pais, e agora o garoto tinha seus 19 anos. Sabia se virar muito bem. Se mudou de sua antiga cidade, para estudar em uma escola melhor. Conheceu novas e boas pessoas, entre elas, Josh. Um garoto de cabelos negros e olhos claros, e mais baixo que si.

 

   O menor desde que o conheceu, sempre quis mostrar ser o melhor companheiro. Às vezes, o mesmo irritava o mais velho, por ser grudento demais. Ambos eram muito diferentes. Afinal, como não seriam? Tsuki, com seus 19 anos, era mais alto, e tinha alguns músculos definidos por baixo de sua roupa, e consequentemente mais forte e corajoso. Tinha olhos cor de mel e cabelos castanhos; Josh tinha 18 anos, era mais magro e baixo, de pele bem pálida e encantadores olhos, da cor de uma esmeralda, na qual os mesmo eram perfeitamente cobertos por seus cabelos da cor da noite.

 

   Tsuki encantava quase todas as garotas da escola, e até, alguns garotos também. Entres esses, Josh. Esse era seu segredo, guardado a sete chaves pelo menino. Tinha medo de que se seu amado descobrisse isso, iria o rejeitar e rir de si.

 

-23:28-

   O mais velho havia passado um pouco mal na casa da amiga. Josh, como o bom amigo que sempre foi, resolveu o levar para casa. Chegando lá, o fez beber água, e tomar um remédio para dor de cabeça.

 

Josh: É melhor você tomar um banho quente e ir se deitar! -O menor encarou o outro, que também o olhou, assentindo com a cabeça e indo rumo ao banheiro. Mas antes de entrar, deu uma pequena pausa e olhou para o menor.

Tsuki: Pegamos chuva vindo para cá, se quiser pode tomar banho também. Eu te empresto algumas roupas secas. -O mais novo concordou, e usou seu celular quase sem bateria para mandar uma mensagem para seus pais, avisando que dormiria na casa de um amigo. De forma nenhuma, ele iria deixar o outro sozinho num estado desses. Além do mais, chovia como nunca lá fora.

 

   Assim que desligou o telefone, se sentou no sofá da sala, jogando em seu celular para se distrair. Logo, o restante da bateria acabou. Deitou seu aparelho em cima da pequena mesa de centro que ali tinha, começando a encarar o chão, entediado. Ouviu a porta do banheiro sendo aberta, e encarou o corredor que dava ao cômodo, observando algo que Josh nunca imaginou em ver em sua vida.

 

   O mais velho estava apenas com uma calça larga e cinza, sem nada tapando seu peitoral definido. Seus cabelos castanhos estavam molhados, fazendo com que o deixassem um pouco mais longos e cobrissem mais seus olhos. Aquilo, fez com que o menor corasse até os pés, e sentisse um calor subir pelo seu corpo. Precisou desviar o olhar rápido. “Céus, aquilo era perigoso demais! O que Tsuki estava pensando ao sair do banheiro daquele jeito?!”. Sacudiu sua cabeça, tentando afastar seus pensamentos.

 

Tsuki: Josh? Não vai tomar seu banho? -Arqueou uma sobrancelha. O outro balançou sua cabeça positivamente, indo ao banheiro, a passos ágeis. Fechou a porta a trancando logo em seguida. Olhou para o meio de suas pernas. Havia ficado duro, só com aquilo. Suspirou pesadamente, abaixando sua cabeça. Excitado, do jeito que estava, teria que se masturbar ali mesmo. E o pior, justamente na casa da pessoa que amava...

 

   Retirou suas roupas, e entrou no box, abrindo o chuveiro logo em seguida. Deixou seu corpo ser lavado. Quase gemeu ao sentir seu pênis sendo molhado pela água quente. Era agora ou nunca... Agarrou a base de seu membro com certo força, e começou a movimentar sua mão lentamente por toda a extensão, permitindo um baixo suspiro sair de sua boca. Continuou com os movimentos, escorregando as costas pela parede fria até estar sentado no chão.

 

   Apertou a glande do membro, soltando um gemido sôfrego. Continuou assim, e massageando seus testículos ainda. Aperfeiçoou mais os movimentos, gemendo mais alto que antes. Estava pedindo para que Tsuki escutasse, pois estava fazendo barulho demais.

 

   Levou dois de seus dedos à sua boca, umedecendo-os. Tudo sem parar de se tocar. Quando já estava bom, levou seus dígitos até sua entrada. Gemeu, ao sentir ser invadido. Começou a imaginar que ali, era o mais velho tocando em si daquela forma. Enlouqueceu ainda mais, enquanto começava a mexer os dedos em seu interior lentamente. Aos poucos, ia aumentando a velocidade. Já gemia alto o suficiente para alguém daquela casa ouvir, mas não conseguia mais se controlar. Gozou forte no chão, mas a água do chuveiro lavou seu esperma rapidamente.

 

   Ainda estava ofegante, então esperou sua respiração se normalizar. Terminou seu banho rapidamente, mas foi aí que se deu conta. Havia esquecido de pegar uma toalha e umas roupas secas. Vasculhou por aquele banheiro todo em busca de algo que pudesse se secar, mas nada achou. Novamente, este ficou corado. Abriu um pouco a porta, e colocou a cabeça pra fora.

 

Josh: T-Tsuki... Faz o favor... -O mesmo apareceu ali, para sua sorte. Ou azar... Estava nervoso por estar daquele jeito. -Eu esqueci a droga da toalha e alguma coisa para me vestir...

Tsuki: Certo. -Foi para o seu quarto buscar o que seu amigo precisava, e o entregou. O mais novo agradeceu, fechando rapidamente a porta do banheiro em seguida. Se secou e se vestiu, e saiu do banheiro logo. Como esperado, as roupas do outro ficaram largas em si. Mas nada de problema com isso. Foi ao quarto do mais alto, e o viu procurando algo.

Josh: O que está procurando, hein? -O mais velho o encarou.

Tsuki: Um colchão para você se deitar para dormir! Ou quer dormir na sala? -O mais novo pensou um pouco. Se não tivesse nada para dormir, teria que ficar na sala ou dividir a cama com o outro. Entre todas as opções, a segunds seria a melhor para si. Mas, seria arriscado demais... O outro continuou a falar -Ah, enfim... Eu posso passar a noite no sofá, enquanto você fica na minha cama. Que tal?

Josh: Hein? Mas não seria injusto? A casa é sua, oras!

Tsuki: E você é meu amigo, oras! -Pegou seu travesseiro e algumas cobertas, e foi até a sala. Se ajeitou de forma confortável por lá, e logo adormeceu. O menor suspirou, e deitou-se na cama do outro.

“Tinha seu cheiro...” Era o que pensava. Logo, também caiu no sono.

.

.

 

.:Segunda-feira, 13 de Novembro:.

-02:13-

   Estava escuro na sala. Também fazia muito frio. O mais velho sentiu um peso em cima de si, e abriu os olhos lentamente para ver o que seria. Quando se deparou com Josh, dormindo. Arregalou os olhos, surpreso. Pensou em levantar e perguntar o que o outro estava fazendo ali, mas... Dormia tão profundamente, e calmamente, que dava dó de acordá-lo. Afagou os cabelos do pequeno, que se remexeu um pouco, afundando a cabeça em seu peito.

 

   O mais novo começou a despertar apenas com aquilo, pois seu sono era leve demais. Qualquer coisa, poderia o acordar. Olhou para o mais velho, que o encarava fixamente.

 

Josh: Hm... Tsuki...?

Tsuki: O que faz aqui? -Foi direto ao ponto, sua voz baixa em um sussurro. Não se incomodou tanto com a presença do menino ali, mas queria saber o motivo. Estava ele com medo de alguma coisa? Algum pesadelo?

Josh: H-hm? -Corou em mais de dez tons de vermelho. Encarou o chão, envergonhado. Seria melhor, dizer logo. Não gostava de mentir, ainda mais para o mais velho. -Eu só não queria ficar sozinho... Queria ficar aqui, perto você...

 

   Certo... Aquilo estava confuso até mesmo para o mais velho, que franziu levemente o cenho. O menor se sentou sobre a pélvis do outro, ainda encarando o chão, como se fosse a coisa mais interessante do mundo.

 

Tsuki: Por que isso, Josh?

Josh: ...Posso mesmo abrir o jogo com você? -O maior afirmou com a cabeça. Mas claro que podia! Tudo ficaria em segredo ali, se isso fizesse o menino se sentir mais confortável. -Tá... Eu... E-eu... -Buscava as palavras certas para dizer aquilo, mas lhe deu um total branco na mente. Suspirou com desconforto.

Tsuki: Você? -Tentava de certa forma incentivar o outro a continuar a dizer o que queria.

Josh: Eu... Ah esqueça... Ou melhor! Posso mostrar o que quero dizer...? Garanto que será mais fácil dessa forma, pelo menos para mim... -O maior assentiu com a cabeça, mas se surpreendeu ao ter seus lábios tomados em um breve contato. Não se afastou, sem reação alguma.

 

   Ficou de olhos abertos, enquanto o beijo não era quebrado. Gostou daquilo, então simplesmente fechou seus olhos, aproveitando para retribuir, e apreciar a sensação. Segurou levemente a cintura do pequeno, enquanto o mesmo enroscava os braços em seu pescoço. Com o tempo, aquilo se tornou do calmo para o necessitado, selvagem até, de certa forma. Na sala, só se ouvia os sons das línguas se chocando e da chuva que caía lá fora.

 

   O ar começou a fazer falta, mas nenhum dos dois se atreveu a se afastar. Mas quando não dava mais, foram obrigados a quebrar o ósculo. Se afastaram levemente, os lábios ainda próximos um do outro. Um fio de saliva ligavam as línguas de ambos. O mais novo se remexeu sobre o outro, que soltou um grunhido, como se fosse um gemido contido. O menor sentiu seu rosto esquentar, enquanto corava em dez tons de vermelho.

 

   Se sentou sobre as pernas do outro, vendo o membro duro do mais velho, coberto pelos tecidos das roupas. Ficou fitando por longos segundos, até que foi interrompido pelo maior.

 

Tsuki: Se quiser fazer algo, que faça logo. Não vai demorar muito para que eu possa ficar dolorido. E como a culpa é sua... -Sorriu de leve, mas malicioso. Josh entendeu o recado, e com certeza, não iria deixar essa chance passar!

Josh: Faço o que você quiser, mas só se for você quem der as ordens... -Sussurrou baixo, fazendo o sorriso do maior aumentar. Riu baixo, mas sua risada se tornou um gemido quando seu membro foi sugado com força. Sentiu seu pau pulsar, sendo espremido pelas vestes.

 

   Suas roupas inferiores foram retiradas, e seu membro pulou pra fora, totalmente ereto e excitado, mostrando suas veias. O menino pareceu se assustar com o tamanho, mas não recuou. Lambeu toda a extensão, por fim, beijou a glande. Colocou na boca, por inteiro com certa dificuldade. Quase se engasgou, mas não o fez. Começou a mover a cabeça lentamente, enquanto que com uma das mãos acariciava o escroto. Conseguiu assim, arrancar gemidos de prazer do parceiro.

 

   Os movimentos se aceleraram, consequentemente, o prazer também. Mas o mais velho ouviu um grunhido, vindo do pequeno. Olhou-o, que com sua outra mão livre, apertava seu membro coberto pelas roupas. O mesmo já estava duro, e sua calça manchada de pré-gozo. Sentiu que ia gozar, mas não conseguiu avisar, devido seus gemidos que já estavam em um tom alto. Sem delongas, se desfez na boca do outro, que engoliu tudo sem reclamar. Lambeu a ponta do pau, tirando o que restava do gozo ali, arrancando um suspiro pesado do mais velho.

 

   Iria ajeitar a roupa do maior, se não tivesse sido impedido. Foi puxado para se sentar mais próximo do outro, fazendo o membro do mesmo ficar raspando em suas costas.

 

Tsuki: Sabe Josh, não seria só um boquete que eu queria de você. Que tal fazer a dose completa? -“Droga, quando que o outro havia ficado tão... Tão... Desse jeito?!”.

 

   Assentiu com a cabeça. Teve seus lábios tomados por um beijo necessitado, enquanto suas roupas foram retiradas. Interrompeu o beijo rapidamente, e começou a lamber seus dedos, sendo observado atentamente pelo outro. Penetrou-se com três, logo de uma vez.

 

   Juntou as bocas novamente, enquanto se preparava rapidamente. Queria se apressar, e ser preenchido logo pelo mais velho. Sabia que aquilo iria doer no início, mas mesmo assim estava disposto a continuar. Logo retirou seus dedos do interior, e sentou-se com força no membro do maior, tendo os gemidos de ambos sendo abafados pelo beijo.

 

   O ar se fez falta, então se afastaram. Mesmo com dor, o mais novo começou a rebolar lentamente no colo do parceiro. O membro sendo espremido pela entrada quente e apertada, que se contraia vez ou outra. O ritmo começava a aumentar, cada vez mais. Se alternava entre descidas e subidas, e reboladas. Aquilo estava enlouquecendo ambos, deixando-os em puro êxtase.

 

   O menor deu um longo e alto gemido, quando teve sua próstata acertada. Contraiu ainda mais a entrada, fazendo o mais velho delirar de prazer, revirando os olhos, por ter sua ereção espremida com força. Aquilo era fodidamente excitante e prazeroso. O mais novo já ia com toda força e velocidade, gemendo e gritando alto, ao mesmo tempo que se tocava na frente, e apertava seus mamilos. Olhou para o outro, que o encarava com os olhos nublados de desejo. Sua mente estava em branco, não havia mais sanidade ali presente, e a visão de ambos focava e desfocava. O mais baixo teve seu pescoço mordido, deixando uma marca dos dentes. Logo, recebeu um chupão deixando uma mancha roxa, que não sairia tão cedo dali.

 

   Sua próstata era acertada com força e ritmo, sendo esculachada cada vez mais. Não iria aguentar muito tempo. Seu corpo estremeceu, enquanto se desfazia em jatos fortes, soltando um longo gemido, que com certeza poderia ser ouvido de longe. Bastou mais alguns movimentos, que o outro também chegou ao limite. Caiu cansado por cima do mesmo, com as respirações dos dois descompensadas.

 

   Ajeitou a cabeça no peito do parceiro, completamente exausto. Foi abraçado, recebendo um beijo na testa e uma afagada nos cabelos. Riu, nunca que o outro iria perder esse costume de mexer em sua cabeça. Se cobriram com a coberta que estava ali, e deixaram-se dormir, mas antes, uma voz foi se ouvida.

 

Tsuki: Te amo pirralho... Com certeza amanhã você não anda! 


Notas Finais


Enfim, espero que tenham gostado! Me perdoe qualquer erro, ou algo parecido!
Mata Kondo, meus floquinhos de neve! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...