1. Spirit Fanfics >
  2. Original Me - Roman and Peter >
  3. Tenho certeza que sim...

História Original Me - Roman and Peter - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Leiam as notas finais!!

BOA LEITURA! 🍉

Capítulo 10 - Tenho certeza que sim...


Fanfic / Fanfiction Original Me - Roman and Peter - Capítulo 10 - Tenho certeza que sim...


Música do caps: Old me - 5 seconds of summer

🎞 

Roman caminhava para a Torre Branca enquanto mantinha um sorriso bobo nos lábios. Passara a manhã sorridente, pensando num tal lobinho acolá enquanto tentava seriamente ajudar sua mãe com algumas papeladas que precisavam ser assinadas urgentemente.

— Querido... preciso que vá buscar sua irmã no laboratório. Ela está fazendo alguns teste e eu preciso terminar isso aqui antes das sete! — Olivia dizia enquanto passava algumas pastas para a sua esquerda, as organizando pelas letras do alfabeto.

— Certo. — Disse Roman, distraído de mais para ao menos olhar para a mãe que, agora tinha já expressão de confusão e crusiosidade.

— O que tanto está tirando sua concentração hoje? Está avoado...sorridente, feliz. — Olivia dizia enquanto se preocupação em desviar o olhar diversas vezes entre o filho e as papeladas. Roman ficou tenso, mas tentou agir naturalmente, o que não funcionou muito.

— Eu estou...Agora irei pegar a Shel, até mais, mamãe. — Roman apenas se despediu com um aceno fraco e se encaminhou até o sofá maior, pegando seu casaco e o passando pelos ombros.

— É aquele cigano, não é? — Olivia teimou em o questionar, sua curiosidade estava um tanto mais ativa naquele dia, de fato.

Roman fechou os olhos e suspirou, sentindo todos os seus músculos travarem ao ser questionado tão diretamente, por estar tendo está conversa logo hoje, logo agora.

— Se eu disser que não, você vai acreditar? — Roman ainda tentou a sorte, mas ela decidiu que não estaria do seu lado agora. Olivia riu com a pergunta boba e um tanto inocente, percebeu que Roman ainda não tinha crescido muito. Continuava a ser o mesmo garoto de dez anos atrás...

— Não. — Roman suspirou pesado e virou-se para encarar a mãe, que continuava no mesmo lugar, parecia não ter mexido um músculo sequer, mas agora seus lábios estavam em uma fina linha, um sorriso maldoso nos lábios, a curiosidade nos olhos chegavam a assustar. — Eu tenho ouvidos, Roman. Sei quando meu filho vira assunto na cidade.

— Sim...você sabe. — Disse Roman tão baixo que Olivia teve de ler os lábios do garoto para entender, de fato.

— Se divirta com ele, faça o que quiser, mas você tem um contrato de casamento, precisa o cumprir, sabe que precisa disso, est-

— Não. A sua empresa precisa, não eu.

— Roman cortou sua fala, enquanto ajeitava o casaco e começava a caminhar para fora da sala da presidência.

— Nossa empresa. Não esqueça, ela é tão sua quanto minha. Agora vá buscar Shelley, ela está a sua espera. — Disse por fim e logo começara a fazer as anotações e separar a papelada novamente. Roman bufou baixinho e abriu a porta de vidro, passando pelo corredor e pegando o elevador que o levaria para o laboratório de consultas particulares.

— São só papéis, Roman...só papéis. — O quase loiro disse a si mesmo, enquanto se olhava no espelho do elevador e percebia que não havia arrumado os cabelos da forma que sempre os arrumava. Eles estavam lisos e sem o gel, os deixando naturalmente soltos sobre a testa, particularmente Roman havia gostado disso, Embora parecesse ainda mais jovem do que aparentava ser.

O elevador apitou e as portas se abriram. Roman chegara ao andar predestinado e agora estava indo até a sala onde Shelley estaria o esperando. Roman pediria desculpas caso ela estivesse aborrecida.

Ele abrira a porta, encontrando sua irmã jogando xadrez junto de uma enfermeira que já lhe era familiar. Seu sorriso voltou aos lábios novamente ao encarar sua irmã se divertindo, mesmo ele não sendo tão fã de jogos de tabuleiro, ficou feliz ao ver sua irmã aparentemente radiante, com tão pouco...

— Shelley...— Roman se aproximou, sendo finalmente notado por sua irmã e Rose, a enfermeira. — Boa Tarde, Rose, Hm...já posso levá-la?

— Ah sim, pode levá-la, Sr. Godfrey. Apenas peço que a observe por algumas horas. Ela está tomando um novo remédio e precisamos saber se ela não terá alguma alergia ou afins... — Disse a moça.

Que expressava um doce sorriso e um tanto carinho ao encarar a menina a sua frente, que sorria para ambos em contentamento.

Roman assentiu e pegou a mochila da irmã, a colocando nas costas e vendo que a mesma se levanta e abraçava Rose, que retribuiu toda contente e sorridente. Roman achou genuíno a forma que ambas se trataram, e era óbvio que Shelley tinha um carinho enorme pela cuidadora de sua saúde.

— Vamos lá, garota, vou comprar aquele sorvete que você tanto ama!

Shelley juntou-se ao irmão e segurou em sua mão, a apertando e sorrindo em sua direção, dando por fim um tchau em aceno para Rose, que também retribuiu e os observava seguir para fora do laboratório.

A garota contava com uma certa dificuldade como havia sido o seu dia. Errando algumas palavras e sendo corrigida gentilmente pelo irmão, que estava se divertindo com as aventuras de Shelley.

— Também tenho muitas coisas pra te contar...mas antes, vamos comprar o sorvete e vamos pra casa assistir filmes e comer coisas escondidos da mamãe.

Roman sussurrou a última parte, enquanto tinha uma Shelley rindo e assentindo sem parar com a cabeça. Ambos contentes pela campainha um do outro. Roman sentia realmente falta de sua irmã, já que nos últimos tempos, andava ocupado com a empresa e a escola, e tinha Peter...

Peter conseguiu mudar seu mundo e o colocar de cabeça pra baixo tão rapidamente que assustava Roman. Conseguiu com que o lado que Roman prometeu nunca mostrar a ninguém, se mostrasse naturalmente, sem nem ao menos ele notar ou ter controle disso.

Peter não tinha ideia de como ele podia controlar Roman, do quanto Roman se importava com o que ele pensava de si. E ele se entregou de bandeja, e agora está sentindo as consequências disso, e ele particularmente está amando.

***

Roman finalmente estava em casa, junto de Shelley e Frank, a girafa de pelúcia de Shelley.

— Qual filme vamos assistir primeiro? — Shelley o questionou, usando desta vez o celular, estava um pouco cansada de falar.

— Hm...que tal assistirmos Scooby-Doo?! — Roman exclamou.

Pegou o controle da TV e se jogou no sofá, largando os sapatos em qualquer canto e se ajeitando junto se Shelley, que se encostava ao lado do irmão e sorria, assentindo em concordância.

Ótimo, Roman pensou. Finalmente teia uma justificativa não tão infantil pra ele poder assistir o seu desenho favorito sem ninguém o chamar de criança. Odiava ser tachado como alguém não maduro, ele claramente era...mas não muito.

***

Já passava das oito da noite quando Roman lembrou que teria de ir pegar Peter, então rapidamente se despediu de sua irmã com um beijo na testa. A mesma já dormia há alguns minutos, então nem perceberia a saída do irmão, mas para o caso de ela acordar antes ele deixara um bilhete breve, em cima da mesinha de centro.

— Volto logo, Shel...— Disse por fim, sorrindo ao ver ela tão serena dormindo profundamente.

Roman fechou a porta de casa e se encaminhou até o carro, dirigindo Finalmente para a casa de Peter.

***

Merda, disse Roman. Passava das 20:15 quando ele chegou a casa de Peter, então logo saiu do carro e foi até a porta do trailler, dando apenas dois socos, o que foi suficiente para que a porta se abrisse rapidamente e um Peter cheiroso surgisse a sua frente.

— Me desculpe pela demora...eu estava em casa cuidando de minha irmã e-

— Não tem problema, Roman! Eu estava assistindo TV e acabei me distraindo. —

O sorriso de Roman de abriu ainda mais e ele umideçeu os lábios, notando o quanto Peter estava gostoso com aquela calça skinny e a jaqueta jeans caramelo. Os cabelos caiam lindamente quase sobre os ombros e um sorriso bradava os lábios que lhe eram tão chamativos.

— Uh...tem baba escorrendo aqui, Roman. — Peter apontou pros próprios lábios, zoando Roman descaradamente, e isso tirou uma risada constragedora da parte do mais novo, que agora tinha as bochechas avermelhadas e o olhar baixo, tentando desviar o foco do garoto a sua frente.

— Estou brincando...Ahm...vamos? — Peter se aproximou, desligando a luz do trailler e fechando a porta atrás de si, mas teve de se virar para trancá-lo, assim ficando de costas para Roman. Que não perdeu tempo e já erguia o rosto, em busca de sentir o cheiro gostoso que emanava do garoto com quem trocava carinhos demais.

Seu nariz roçou genuinamente no ombro do mais velho, que ao perceber que estava sendo cheirado apenas aproveitou para tirar sarro do quase loirinho, mas deixaria isso pra depois. Agora ele só queria sentir o abraço quente do mais alto, que já passava os braços pela cintura de Peter e soltava um moxoxo de puro deleite.

— Diz que sentiu minha falta... — Roman sussurrou contra o pescoço de Peter, que apenas fechou os olhos e decidiu sentir o toque.

— Eu senti sua falta, Roman. — Disse baixinho, virando-se de frente para o mais novo e colocando os braços ao redor de seu pescoço. — sentiu a minha?

Roman sentiu Peter dedilhar sua nuca, descendo os dedos lentamente até seus ombros de deixando um leve aperto ali. Peter sorria, esperando a resposta do mais alto, que ao notar a animação e a esperança do outro, sentiu um formigamento na boca do estômago. Se sentia nervoso? Sim, com certeza.

— Eu senti sua falta, Peter. — Seus lábios foram umedecidos novamente, deixando explícito seu nervosismo. — Precisamos ir...minha irmã está sob minha observação.

Roman disse por fim, quebrando o abraço e segurando a mão de Peter, que agora comentava o quanto a tarde tinha sido boa e que sua mãe finalmente poderia de mudar para uma casa melhor, junto de Peter, caso ele quisesse.

Roman sorriu contente com a novidade, sentiu-se feliz pelo outro, e de fato estava.

Ambos entraram no carro, colocando os cintos de segurança de si dirigindo até a mansão Godfrey.

— Acha que sua irmã vai gostar de mim?

A voz de Peter se fez presente depois de um longo silêncio confortável. Roman o olhou ligeiramente e sorriu, notando a preocupação que o outro deixava eminente na pergunta.

— Tenho certeza que sim...mas só depois que os ciúmes dela passar! Ela é muito apegada a mim, Lobinho. — Disse o mais novo, por fim dando um sorriso e voltando o olhar para a estrada.

— Senti falta do Lobinho também. — Peter admitiu, fazendo ambos rirem e voltarem a ficar em silêncio, aproveitando a presença um do outro.

O vento gelado entrando pelas janelas de ambos, fazendo os cabelos de Peter baguncar e os de Roman voarem livremente. A cena parecia coisa de filme...Onde o casal está feliz em uma viagem de carro, esperando chegar ao destino para enfrentarem os problemas que viriam em seguida, mas que no final daria tudo certo e estaria tudo nos conformes.

Mas ambos sabiam que não era como nos filmes...na vida real o final nem sempre é planejado, e muito menos feliz.

🎞

...


Notas Finais


VOLTEI CAMBADA!

JÁ DERAM VIEW NO MV DE WATERMELON SUGAR??? VOCÊ VIRAM AQUELA BELEZA? ESTOU SURTANDO AINDA!

enfim...

Estão bem? Se cuidando e em casa?

O que acharam o capítulo de hoje? Peço perdão pelos erros, estou corrigindo aos poucos!!! E me desculpem por ser curtinho. Decidi escrever agora a noite e é isso aí...espero mesmo que tenham gostado.

Não esqueçam de comentar e favoritar! Obrigado a todos...

Besunabunda🐍

And...WATERMELON SUGAR HIGH🍉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...