1. Spirit Fanfics >
  2. Origins >
  3. Jornada

História Origins - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Capa bem ruim, mas sustenta ;^;
Eu tava de boa lendo um livro sobre o trabalho infantil, aí surgiu a ideia de fazer essa fanfic (uau)
Enfim, é isso ,_,

Espero que gostem! <3

Capítulo 1 - Jornada


23:19

Já era tarde da noite, e os três irmãos caminhavam diante da densa neblina, e do frio chão. Era possível escutar os vários disparos vindos de longe. 

O fogo de espalhava nas folhas e nos ramos das árvores, derretendo um pouco do gelo que estava no tronco e nos galhos. 

A pequena garota balbuciava palavras, enquanto tremia e arrastava seus pés na neve, assim como seus irmãos; todos estavam sendo procurados por caçadores, e a única maneira de não serem pegos era se escondendo nas sombras.

Avistaram uma caverna e se forçaram a correr o mais rápido possível até o local, sentindo o sangue congelando.

Entraram, enquanto o irmão mais velho tentava fechar a entrada com uma grande rocha ao seu lado. Sua respiração errática deixava claro que estava extremamente cansado e fraco. Se ajoelhou, sentindo seu corpo se rendendo, enquanto caía no chão lentamente. Desmaiou, com sua cabeça dolorida e seu corpo machucado.

Leon chegou mais perto de Sandy, preocupado se o mesmo estaria morto ou apenas desmaiado. O balançou, murmurrando seu nome, sem obter respostas. 

Escutou barulhos de passos vindos de fora da caverna. Se levantou rapidamente e foi até a irmã mais nova, a abraçando com força e escondendo o rosto em seu pescoço. A garota sorriu, o abraçando de volta.

As grandes bolas de canhão atingiam o chão e as pedras, fazendo sons altos e perceptíveis; era amedrontador. Seu coração batia com certa rapidez. Mordia seu lábio inferior para não gritar de medo, arranhando um pouco as costas de Nita.

Sangue escorria de seus braços e suas pernas, fazendo com que ele se soltasse dos braços de sua irmã e deitasse no chão, ficando com a visão embaçada, até desmaiar junto ao seu irmão.

04:56

Não conseguiria dormir mais que isso. Acordou em plena madrugada, se encontrando entre os irmão, que ainda dormiam. Chegou perto de Sandy e o chacoalhou, obtendo como resposta apenas um sussurro.

Leon, vá dormir, ainda é cedo...— Respondeu, segurando a mão do garotoEle não disse nada, apenas fez um sinal de "não" com a cabeça. —Não consegue mais dormir, não é? Ok. Vamos lá fora procurar por comida.

Se levantou, sentindo a dor dos socos e chutes que levou pelo corpo. Ajeitou sua postura, fazendo um carinho nos cabelos azulados do mais novo, que fez a expressão de "aprovo isso".

Arrastou a pedra pra um lado, vendo o lado de fora da caverna; ainda estava um pouco escuro, mas era possível enxergar as grandes árvores. Foi até Nita, na intenção de acordá-la, passando a mão por sua bochecha esquerda.

Já é hora de acordar? Continuo cansada...— Perguntou, afirmando logo em seguida. Não conseguia abrir um dos olhos devido à uma cicatriz que a deixou assim. Esfregou aquele lugar, tirando um pouco da água que caíra em seu rosto enquanto dormia.

Temos que ir procurar por comida. Não é toda hora que se vê algum animal por aí.— Respondeu, acariciando getilmente seus cabelos.

Ergueu-se, bocejando e lacrimejando um pouco. Arrumou seu pequeno vestido e esticou seus braços. Seu rosto doía e suas pernas ainda estavam trêmulas de medo e frio.

Sandy... e se nós encontrarmos algum caçador no caminho? Eles não se cansam de jeito nenhum!— Se abraçou e olhou para o chão.

—Relaxa, eu vou proteger vocês.

A caminhada foi longa. Nada pelo caminho, apenas a fria brisa e a neve os acompanhava. Sandy segurava uma tora de madeira, a ajeitando em seus braços; não era grande, mas seria bem aproveitado.

Leon não ficava quieto. Olhava para todos os lados com medo, às vezes, tropeçava em algo ou até em sua própria sombra. Esboçava claras expressões de medo, enquanto tentava acompanhar os irmãos. Acabou caindo e sujando suas roupas de terra.

Se levantou com ajuda de Nita, que continuar segurando a mão do mais novo. Abraçava o braço da garota, ainda olhando para todos os lados. Percebeu como recebia carícias em seus cabelos levemente escuros, fazendo com que se acalmasse.

Relaxa pequeno, não consegue fazer isso nem por um segundo?— Movimentou sua cabeça, fazendo um sinal de "não". Pararam no meio da estrada de terra. A mais velha se ajoelhou em frente ao menino, que a olhava com medo.

Leon... eu sei que a última vez que os caçadores te pegaram foi extremamente assustador... mas eu preciso que você fique calmo! Assim como aquele dia, tenha certeza que Sandy e eu iremos te salvar. Pode ser?— Os olhos do irmão brilharam, de repente, a coragem tomou conta de seu corpo, fazendo o mesmo ir ao lado do maior deles, ficando ao seu lado e demonstrando bravura.

Resolvendo se vai encarar os perigos tá floresta? Então vá em frente, a escolha é sua.— Deu uma pequena risada e acariciou a bochecha de Leon, que apenas sorriu como resposta.

O peso começou a enfraquecer seus braços, fazendo com que largasse aquela tora de madeira no chão e se sentasse, os descansando.

Sandy, falta muito para chegarmos à vila mais próxima?

—Se eu não me engano, andando por mais alguns minutos e chegamos. A entrada é cheia de armadilhas, então peço que tomem cuidado.— Os dois assentiram com a cabeça. — Eu tenho que arranjar alguma maneira de levar isso sem que meus braços começem a doer, se não, vai ficar mais difícil de ir...

—Você não consegue cortá-la e depois guardar?

—Tá, e de onde vai vir o machado e a bolsa?— Nita havia se esquecido completamente desse detalhe. Abaixou sua cabeça e permaneceu em silêncio, enquanto pensava em alguma alternativa.

Leon, sem entender nada, apenas ficou quieto em seu canto, enquanto olhava a estrada. De repente, avistou alguém. A névoa deixava tudo embaçado, dificultando sua visão. 

Uma pessoa alta, que usava roupas oficiais do Reino de Swarell e carregava algo; se assustou, pois conseguiu reconhecer aquele rosto. Se escondeu atrás do irmão e apertou sua blusa.

Calma lá pequeno! O que houve?— Viu ele apontar para "o fim" da estrada. Forçou sua vista, mas não viu nada.

Acho que ele 'tá alucinado de novo. Se acalma Leon! Você cismou com eles desde aquele dia...— A irmã comentou e colocou as mãos na cintura, o encarando.

Vai que ele realmente viu alguém? Não se sabe. 

—Pensa em tentar procurar por quem ele viu? Não acho muito seguro...

—Vejamos pelo lado bom... vai que ele pode nos ajudar? É difícil carregar isso aqui durante 10 minutos consecutivos sem pausa. Talvez ele tenha um machado e uma bolsa para nos dar.

—Então vai na fé. 

Se levantou e andou até onde Leon havia apontado. Procurava pelo anônimo que aparecera há poucos minutos, mas acabou por não encontrar ninguém. Se perdeu quando tentou voltar, e apenas foi para o nada. Nenhum barulho, nenhuma pessoa, nenhum animal, nenhuma planta...

 Como conseguiu se perder tão facilmente?

Esfregou os olhos e tentou novamente. Ouviu passos, se aproximando lentamente. Quando sentiu uma mão em seu ombro, deu um pequeno pulo, assustado.

Finalmente, quem estava por ali. 

Olá jovem, o que faz nesta grande floresta?

—Estava procurando pelo senhor...

—Por mim? Um pouco inesperado, eu digo. Enfim, algo a conversar sobre?

Parou por ali e continuou a falar com o homem. Explicava sua situação, seus irmãos e sua caminhada. Compreendendo claramente, entregou à Sandy uma bolsa com um machado dentro, o deixando espantado.

Muito obrigado senhor, nem sei como recompensar pela imensa ajuda.— Carregava ambos por cima de seu ombro, ainda olhando para o anônimo misterioso que ainda não mostrou sua face.

—Não preciso de nada, meu caro. Se quiser ir para o vilarejo mais próximo, siga reto durante alguns minutos, e encontrará um poço. A partir dele, você procura o caminho, já que nem eu sei onde fica...— Aquela neblina começou a sumir, deixando tudo mais claro. Virou as costas, olhando ao seu redor, e quando menos esperava, ele sumiu.

Voltou para os irmãos, que jogavam pedras no lago ali perto. Sorriu e chegou mais perto, abraçando os dois por trás.

O achou? O que conseguiu?— Nita perguntava com entusiasmo.

—Tudo que precisávamos. Agora só vou cortar aquela tora e podemos seguir nossa viagem.

Sentado no chão, cortava a madeira em rodelas enquanto escutava os irmãos brincando. Adorava escutar as risadas do mais novo, percebendo que o mesmo não sentia o mesmo medo de antes.

Havia sido horrível o primeiro encontro dos três com o exército do reino; todos foram torturados, sem exceção.

Nita estuprada, Sandy espancado e ambos com Leon, além de deixá-lo exposto no centro do vilajero; foi apedrejado pelos moradores, sem nenhuma piedade.

Quando estava a um fio de morrer, foi salvo por alguém misterioso, e deixado no meio da floresta, juntamente à seus irmãos, que cuidaram dele durante meses, até as feridas sumirem.

Não é fácil fazer amigos quando você é um Oni. Neste reino, nenhum vilarejo sequer aceita algum ser que seja dessa espécie. Leon era o último sobrevivente, e viveria até poder trazer os outros de volta a vida.

Magia. Algo extremamente poderoso, assim como proibido em muitos lugares. Bull, o rei, era o único com acesso permitido para usar esse tipo de coisa, assim como a única bruxa, conhecida pelo apelido de "A Muda da Cela". Ninguém nunca a viu, apenas o Rei.

Terminando seu trabalho, guardou todas as rodelas de madeira na grande bolsa que levava junto consigo. Chamou pelos irmãos, para seguir com sua grande jornada em busca da paz, o que não seria fácil. 

Hey Sandy.— A garota puxou a manga de sua blusa. —Já parou para pensar se existe um antídoto para Leon?

—Essa é a pior opção. Ele sofreria muito para se transformar em um humano novamente. Não seria necessário apenas um remédio, assim como uma transmutação humana. 

—Transmutação?

—Precisaríamos usar Alquimia, outra coisa proibida pelo rei. E não é apenas a proibição que nos impede de fazer isso, assim como os perigos que existem na execução.

—Até fiquei arrepiada só de imaginar nas possibilidades de morte.— Esfregou seus braços e involuntariamente balançou sua cabeça. 

Apenas cuidemos de Leon. Ele precisa de atenção e carinho.— Chegou perto do menor, fazendo um cafuné em sua cabeça.

Continuaram a andar pelos caminhos de terra, sentindo calafrios percorrendo por seus corpos, devido à neve no chão.

O sol aparecia, o calor aumentava e a caminhada apenas continuava. Animais apareciam e o rio descongelava lentamente. Era bom sentir os raios atingindo seus rostos, os deixando quentes.

Leon dava pequenos pulos, chutando pequenas pedras que apareciam no caminho. Ouviu um sussurro, fazendo com que olhasse lara trás; nada. Acelerou o ritmo de seus passos, escutando os animais.

Sentia fome, diferente dos mais velhos. Chegou perto de Sandy, olhando para seus olhos e lacrimejando, fazendo com que o maior parasse e ficasse de joelhos em sua frente.

O que foi pequeno? 'Tá com fome?— Viu ele assentindo e se sentando na terra. O de cabelos roxos olhou ao redor, procurando por algo. Quando avistou o que queria, foi até o local correndo.

Venha aqui Leon.— O mais novo obedeceu, e se dirigiu até o irmão.— Você já consegue caçar?

Assentiu com a cabeça novamente, fazendo-o sorrir. Apontou para um cervo que estava ali por perto. O garoto saiu à toda velocidade, pulando em cima do animal e mordendo seu pescoço com brutalidade. 

Arrancou sua pele, e desceu pelo seu corpo, cravando seus dentes afiados na barriga do animal, que se debatia e gritava de dor. Sangrava muito, acabando por morrer.

O comeu com todo o prazer do mundo, acabando com sua fome e lhe dando mais energia que o normal. Arrancava toda a sua carne com raiva, mastigando e engolindo com rapidez.

Voltou para os irmãos satisfeito. Sorria e colocava os punhos cerrados na cintura, demonstrando felicidade. Nita riu, abraçando o pequeno.

Agora que você se sente melhor, podemos continuar andando, já que o caminho é longo e nós não chegaremos tão cedo na vila.

A manhã dos três estava apenas começando. Obstáculos podem aparecer repentinamente, assim como eles podem ser raptados novamente, sem uma gota de piedade.

Começava a fazer calor, mas a neve permanecia intacta. O vento estava favorável e ainda não haviam encontrado algo que os atrapalharia. Sandy carregava a bolsa, que continha a madeira e seu machado. Nita e Leon apenas observavam a paisagem ao seu redor; era algo lindo de se ver, poderiam ficar por ali durante horas, até dias.

—Como eu adoro esse lugar... pena que não possamos ficar, aqui é ótimo para se morar.— O mais velho comentou, olhando para o grande lago.

Seria a melhor coisa do mundo...— A garota complementou.

Sandy avistou o poço que ouviu falar. Correu até o local, se ajoelhado em sua frente. Não esperava que o encontrariam com tanta rapidez.

Esperava que fossemos gastar mais tempo caminhando... ainda bem que o encontramos cedo, se não eu já estaria acabado.— Colocou suas mãos na pedra que cercava a água dentro do buraco, olhando lá dentro.

Fechou os olhos por alguns segundos, pensando um pouco. Os abriu quando sentiu Leon colocar uma mão em seu ombro, o chacoalhando devagar.

A partir daqui, prestarmos mais atenção.— Se levantou, ficando neutro. — Não tenho uma mínima ideia de o que nos espera. Quero que andem juntos, ok?

Ambos os irmão assentiram e continuaram com a caminhada. A neve começava a cair, ficando mais forte a cada minuto. Não aguentariam ficar ali por muito tempo, então correram até um lugar seguro, o mais próximo possível.

Acharam uma pequena cabana abandonada, e decidiram ficar por ali. Sandy estava frustrado, não acreditava que sua jornada seria estragada por causa de uma "simples" neve.

De alguma maneira, teremos que continuar andando, mesmo que comece a nevar ou chover. O vilarejo de Swarell não fica muito longe daqui, eu acho...— Comentou enquanto fechava a porta. Nita o olhava preocupada, enquanto abraçava seus próprios joelhos.

Eu não acho que isso é uma boa ideia...

—Como assim?

—Sandy, vê se acorda! Por que estamos indo pra lá? Provavelmente todos irão nos entregar nas mãos dos guardas, então será o fim da linha para nós, e principalmente para Leon. Você não entende que estamos correndo perigo?— Chegou perto do garoto, o encarando com seriedade. Sorriu, dando uma risada.

Estamos indo atrás "dele", Nita.— Aquelas palavras a espantaram, fazendo com que se afastasse um pouco.

Você realmente que procurar "ele"?

—Sim. Ele é o único que pode nos ajudar. O único dos únicos.

—E se pegarem Leon? E se pegarem você? E se... alguém morrer?

—Se alguém for morrer, então vai ser o Rei.— Colocou suas mãos na porta, olhando para frente.— Eu vou precisar que vocês colaborem, não é fácil lutar contra alguém armado e com mais poder.

12:34

Sim, muito tempo se passou depois da conversa, e da pequena caminhada. Os três dormiam no chão daquela casa, sem nem saber o que acontecia do lado de fora.

Leon foi o primeiro a acordar. Levantou-se e foi até a janela, esfregando sua mão no vidro e olhando para o lado de fora; nada, apenas as árvores balançando por causa do vento.

Olhou para trás, percebendo que apenas ele estava acordado. Tentou fazer com que os outros dois despertassem. Apenas Nita conseguiu, Sandy estava dormindo profundamente, perdido no mundo dos sonhos.

Ele continua dormindo... já era de se esperar, hehe.— Sentou, chamando Leon para perto de si.

Acariciou seus cabelos, fazendo com que deitasse em seu colo, encostando a cabeça em sua coxa. A garota ficou assustada de uma hora para a outra; suas feridas, assim como a dos irmãos, haviam sumido, deixando apenas cicatrizes.

Não é possível... será que- —Foi interrompida quando escutou um grito vindo do lado de fora. Se levantou, indo até a janela e presenciando aquela cena perturbadora.

—E-eu já disse que não sei! Por favor, não me mate!— O homem implorava, cruzando seus braços e olhando para o guarda.

Acho que fui bonzinho demais...— Atingiu sua barriga, fazendo com que voltasse um pouco de sangue.— Essa é a última vez que pergunto, se não responder... vai ser pior para você. 

O estranho chorava muito. Estava coberto de sangue, enquanto se arrastava na neve, a manchando. O guarda mirou sua espingarda para sua cabeça, o olhando frustrado.

Cadê o garoto? Eu sei que teve contato com ele hoje, então me diga: onde ele está?

—E-eu não sei! Disse que estava indo para o vilarejo de Swarell, então de ter ido pelo leste...— Fechou os olhos, como se estivesse implorando por misericórdia.

Bom menino... mas não foi isso que eu queria como resposta— Sem pensar duas vezes, atirou no homem, fazendo com que seu corpo caísse por completo, pintando a branca neve de vermelho.— Vilarejo de Swarell? Interessante... começarei a investigar por lá. Vou alertar Bull.

Nita queria chorar, ver aquele homem ali a lembrava do dia em que seu irmão batalhou até estar em seu último momenro de vida, felizmente foi salvo por alguém. Mordia seu lábio inferior, querendo sair dali e ajudá-lo, mas era tarde demais; já estava morto, do que adiantaria?

Antes de abrir a porta, sentiu Sandy pegar em seu vestido, o puxando e fazendo com que a garota caísse no chão. Colocou a mão em sua boca fez um gesto de "não" com a cabeça. Leon estava ao lado do mais velho, apertando seu braço e choramingando. Ela não entendia nada, até perceber que ainda haviam guardar por perto.

Abraçou os irmãos com força. Tremia de medo e temia que fossem encontrados. Respirou fundo, olhando para baixo e chorando um pouco. Quando ouviu eles se aproximarem, os apertou com mais firmeza, contraindo os lábios.

Temos que sair daqui...— Sussurrou, olhando em sua volta, acabando por encontrar um alçapão no canto da casa. Engatinhou até lá, chamando pelos outros, que foram sem hesitar.

O abriu com cautela, mandando que o mais novo fosse primeiro, com Nita em seguida. Fechou o alçapão pela parte de dentro, enquanto via o túnel escuro em sua frente; eis o problema, ninguém enxergava o caminho, muito menos Leon.

Me dêem as mãos, vamos tentar passar por aqui.— Disse, pegando na mão dos mais novos. Andava com calma, pisando nos lugares com cuidado e forçando a vista.

Aqui é realmente escuro. Não vejo uma luz sequer.— Nita comentou, colocando sua mão direita na parede ao seu lado. Leon não sabia o que estava acontecendo, apenas queria chorar de medo, enquanto andava devagar. O mais velho, percebendo sua atitude, parou e o abraçou.

Não fica assim Leon... confie em mim, e saíremos daqui  pode ser?— Não obteve uma resposta, já que ele não sabia fala, e nem ao menos viu algum gesto do garoto, por causa de escuridão.

Sem perceber, já havia chegado ao final, mas permanecia escuro. Acabou empurrando uma porta e caindo no chão, junto aos outros dois.

Ok... pra que alguém fez o fim de um túnel em uma caverna?— Nita perguntou, se levantando.

Também queria saber... mas pelo menos fugimos dos guardas, olhe pelo lado bom e pare de reclamar!

Onde estamos?— Viram várias casas e algumas pessoas andando; estavam onde queriam, o vilarejo de Swarell.

Arriscariam suas vidas apenas para encontrarem aquele que os salvou. Sandy procurava uma maneira de andar escondido dos habitantes, pois corria risco de Leon ser descoberto. Guardas cavalgavam por todos os lados, enquanto os três apenas observavam tudo dali de cima. 

E agora? Se nos acharem, estamos literalmente mortos...

—A única maneira, é seguir em frente. O objetivo é ajudar Leon, então eu continuarei minha jornada. Posso contar contigo, Nita?— Perguntou, confiante. Ficou pensativa e extremamente perdida; não sabia o que fazer, e tinha medo de morrer. Sandy estendeu sua mão à garota, que olhava para baixo, vagando.

—...pode contar comigo.— Pegou na mão do mais velho, se levantando e o abraçando. O mais novo apenas os observava, extremamente ciumento.

Tá esperando o que pequeno? Vem cá!— O chamou, fazendo com que olhasse em si.

Que comece a nossa batalha...

(...)


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

(Erros de português?)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...