1. Spirit Fanfics >
  2. Orphet >
  3. Reunião

História Orphet - Capítulo 211


Escrita por:


Capítulo 211 - Reunião


Todo Especialista, tem um único objetivo em comum que os une e ao mesmo tempo os separa.

Que é se tornar o ser vivo mais forte neste universo.

A busca pelo conhecimento e iluminação, esses objetivos são os "Ideais" da maioria, no entanto, nada desses dois é real, o desejo mais simples e puro dos especialistas, é conseguir força.

A maioria desiste, e vai viver sua vida mortal, O que separa o mortal, dos especialistas é que diferente dos mortais, os especialistas estão buscando formas de ir a diante, consequentemente conseguindo romper, enquanto os mortais esperam e definham, é uma separação simples.

A maioria desiste por vários motivos no entanto tudo pode ser resumido com o desejo de não querer ir além, a pessoa as vezes desiste, as vezes fica com medo, e isso gera na estagnação.

O nome Especialista é uma generalização, os Especialistas são seres que se especializam em um cultivo, ou vários deles, e cada classe ou profissão transmite um caminho e uma forma diferente de conseguir o mesmo objetivo.

O maior problema no caminho de um especialista é que em seu caminho, seus desejos, se tornam mais intensos, sua personalidade muda, e sua própria vontade fica maior, por conta disso todo tipo de esquisitice e classes aparece nesse mundo.

A Guerras desde os primórdios são constantes.

............

Estar em casa é algo realmente confortante.

Não é um local feito para se ficar sempre, mas toda vez que se esta esgotado, exausto ou irritado é o melhor local para sarar as feridas.

Zukan abriu os olhos depois de uma confortável noite de meditação.

Apesar de estar com os olhos abertos, seu cérebro ainda estava ligando, passando por um momento de resfriamento, durante sua meditação, foi quando esse carinha mais trabalhou, transformando informação em curto prazo, a longo prazo.

A radiação produzida pelo seu próprio espirito começou a se manifestar lentamente, o termo radiação é muito variado praticamente encare como uma corrente de energia poderosa especializada em matar seres vivos.

Quando a clareza veio e zukan se sentou ele olhou para o lado e viu Chang, sentada ao lado da sua cama.

Ela vestia um longo vestido negro e suave, que realçava suas curvas e seios fartos, seu rosto gelado mostrou um rubor vermelho que tornava aquele rosto adulto lindo.

Chang já passou dois anos em um casamento, No entanto quando sua linhagem chegou ao limite e ela foi atormentada por seus grilhões, seu marido a abandonou, procurando um especialista mais forte.

Essa era a ruina, de todo especialista que estuda o sangue antigo.

-Como esta meu bebe?- Ele perguntou a fazendo sorrir e se aproximar da sua cama.

A solidão, raiva e a angustia que passou nos últimos anos levou a mulher a beira da loucura, ela estava sozinha, e essa solidão a consumia e destruía, ela queria alguém, no entanto sua própria raiva afastava as pessoas.

Sorrateira e furtivamente ela entrou em baixo da coberta, aquela mulher grande e experiente agita como uma criança gentil e adorável.

-Estou bem, senti sua falta a 7 dias, então preparei um minuto para vir hoje, eu queria saber se posso usar seu laboratório de pesquisa, Xin conseguiu fazer uma descoberta, mas que vai exigir um tempo e um laboratório adequado para confirmar-

-Claro, sem problemas, encontraram um rastro de energia do seu ancestral real?- Ele perguntou enquanto ela concordou com a cabeça.

Chang não queria sexo, pelo menos não hoje, ela apenas o pegou a força e abraçou entre seus seios enquanto falava sobre tudo o que pensava e fazia.

Sobre as emoções e desejos que tinha, sejam Positivas ou Negativas, zukan logo acalmou seu corpo, quando esses warlocks queriam contato corporal eles não se importavam com a hora ou local, muito menos com uma conversa, eram como bestas que vinham e faziam ate se sentir satisfeitos.

Portanto ele apenas calou a boca e a abraçou.

Nem tudo necessita de um sermão, nem tudo necessita de uma discussão, se tem algo que ele aprendeu nos últimos anos interagindo com pessoas é que quando elas desejam desabafar, não opine, não mude o assunto, só cale a boca e escute.

Muitas vezes tudo o que alguém precisa é ter alguém te ouvindo.

Depois de alguns minutos Chang olhou para baixo observando dois olhos sérios a encarando, e nesse momento ela sorriu como se estivesse satisfeita.

Zukan sabia que precisava trata-la como um bebe agora então seus braços fizeram força e seus músculos incharam enquanto seu braço esquerdo ia para suas pernas.

Ele a carregou no colo firmemente fazendo seu rosto ruborizar, e depois de levar ate o corredor do laboratório a colocou no chão, Chang abriu a porta e olhou para aquele belo laboratório prateado só para ela.

Zukan por outro lado foi para seu banho, e depois tomou seu café da manhã enquanto observava os visitantes que chegaram a poucos minutos, Sidrus o avo de Chely estava na sua casa, aquele esqueleto estranho tambem, ele se perguntava porque aquela coisa estava por aqui.

Não só eles com o katarina e Chely, zukan olhou para a data era o dia 480 do ano, só agora ele percebeu que trabalhou por mais de 7 dias consecutivos na preparação da cidade, foi dificil já que o conhecimento de nivel:6 é complicado de Entender e Aplicar.

-É constrangedor ve-los observando meu trabalho assim....- Ele pensou enquanto terminava seu café da manhã.

..........................

Sidrus ao chegar se deparou com uma cena inimaginável.

Ele sinceramente ate se perguntou se tudo era um sonho.

Sua neta, Chely estava o esperando para recepciona-lo, não só isso como pela primeira vez ela não vestia uma armadura, mas sim um vestido branco e bonito, seus cabelos ainda estavam amarrados em dois pompons, com dois laços vermelhos, e ela usou batom e maquiagem.

Essa cena que os vampiros viram de cima das aves os desconcertou completamente , aquele monstro mau humorado, irritadiço, que te atacava com qualquer sinal de ofensa agora olhava para eles com as duas mãos nas costas, um vestido bonito e um rosto infantil e delicado.

"Estou sonhando? Fiquei preso em uma ilusão?"- ele olhava para os lados percebendo que os outros vampiros tambem estavam chocados.

O que aconteceu aqui!!

Douglas e Chely os aguardava junto das crianças, que se vestiam com Dispositivos magicos, eles pareciam estar conversando animadamente, dessa vez havia 27 crianças entre eles da equipe de exploração.

Sidrus pousou na plataforma e desceu do seu corvo, seus olhos fixos em Chely que corria em sua direção.

PLAF- Ela saltou e abraçou sua cintura.

Fazendo o vampiro que estava preparado para receber uma porrada se contrair instintivamente, no entanto tudo o que ele recebeu era um abraço gentil.

-Bem Vindo a Eskavir avô como foi sua viagem? Como esta mamãe e papai?- Sidrus olhou para baixo, os outros vampiros tambem encararam chely.

Suas bocas abertas e olhos selvagens.

O que estava acontecendo aqui!

Sidrus que nunca recebeu um abraço ou sinal de carinho da sua neta que não fosse um murro em suas entranhas, ficou completamente confuso, olhando para os lados como se estivesse perdido.

-Não se preocupe, Chely esta mais relaxada ultimamente, não aconteceu nada demais com ela- A voz de douglas soou em sua mente.

-Sem lavagem cerebral?-

-Sim, ela esta apenas de bom humor-

-Sem ....lavagem cerebral?-

-É-

-IMPOSSIVEL!!= Sidrus gritou em seu coração, Depois de abraça-lo Chely foi para trás com um olhar gentil, Sidrus percebeu que ela estava perfumada, suas sobrancelhas se cruzaram, e seus olhos observaram todos ali.

Caindo em um esquilo.

Aquela criatura era enorme, vestia um traje de exploração pequeno e adaptado para seu corpo, e conversavam com as outras crianças naturalmente.

"Foi ele? essa criatura é bizarra? Ele fez lavagem cerebral em chely?"

-Senhor aquele esquilo falante é muito suspeito- Um dos vampiros disse, provavelmente com o mesmo pensamento.

Sidrus procurou se acalmar, não que ele estivesse incomodado com esse comportamento, mas a mudança foi tão drástica que ele simplesmente sentia uma conspiração bizarra por trás disso.

Seus olhos caíram em douglas.

-Mestre por favor, o que aconteceu aqui?-

-Você lembra do problema Que essa garota tinha em seu sistema digestivo?- Claro que ele lembra.

Desde a derrota que sofreu naquela A-1, Chely por algum motivo não conseguia mais ingerir sangue diretamente e guia-lo para seu núcleo vampiro, era um problema estranho que eles não conseguiam resolver.

-O problema foi resolvido, devo admitir que tambem fiquei surpreso e curioso sobre o metodo usado, apesar de...-

-É segredo- Chely disse com um olhar frio.

-Bom, de qualquer forma, desde que se recuperou tem ficado de extremo bom humor- Sidrus suavizou seu olhar, isso explicava algo.

Mas não tudo.

Desde a infância.

Desde que era um bebe.

Essa criatura era mal humorada e orgulhosa, o motivo de ter ficado doente era puramente sua raiva e ódio, Vampiros são intensos, e Chely não é diferente, ainda mais ela que tem uma linhagem pura.

Vampiros não tem o sistema de Escape dos humanos, que tendem a relaxar com o tempo, eles acumulam, acumulam e acumulam, e isso para qualquer emoção, o que os torna distorcidos, e estranhos entre a comunidade dos especialistas.

Eles tem sentimentos, no entanto a forma como esses sentimentos afetam suas almas é diferente da dos humanos.

Desde muito cedo Chely era alguém tirânico, ela devorou todas suas irmãs e irmãos de berço, só por conta de coisas inúteis como um brinquedo, um tapa, qualquer mínima coisa que a ofendia, ela simplesmente ia e matava.

Isso a deixou sozinha entre os vampiros, que a temiam mais do que tudo, mesmo os mais velhos tinham medo dessa coisa já que quando se tornasse um adulto, poderia ir ate eles e simplesmente devora-los.

Portanto sempre incluíam chely nos círculos sociais, já que indiretamente, suas linhagens eram influenciadas pelo sangue em suas veias, os vampiros a temiam mas ao mesmo tempo.

Dependiam dela completamente.

O que acalmou essa criatura maligna?

Ao ver Chely conversando com os mais velhos e os vampiros da sua idade normalmente Sidrus sentiu uma série de emoções complicadas.

-Soberano douglas, quem foi o responsável por tratar Chely- Ele falou com um rosto sombrio ninguém sabia o que ele estava pensando.

-Foi o irmão mais velho deles, aquele alquimista zukan, ele me mostrou algo interessante sobre os vampiros que não percebi, vocês retem fluido dos seres que absorvem, e tambem suas impurezas eu nunca vi por esse ponto de vista suas artérias são como recipientes e seu sangue não circula mas fica armazenado talvez purificar essas impurezas armazenadas possa ser uma forma de aumentar a força dos vampiros- Ele começou a falar em termos técnicos demonstrando seu hobbie estranho novamente.

-Estava sempre la mas eu nunca vi, me pergunto se minha alma esta apodrecendo e estou ficando velho demais- Ele falava Enquanto andava em círculos.

O lich adorava falar sozinho.

-Entendo, vou falar com ele agora- Ele disse olhando para Chely que realmente se desculpou com um vampiro adolescente que espancou a alguns dias.

A criatura estava tão assustada que estava em pânico pensando que era algum jogo sádico.

-Tudo bem, temos permissão para entrar no castelo, no entanto você não pode entrar nas unidades especiais, que são as estações de amostras não registradas todas estão marcadas com a placa vermelha-

-Certo-

.....................

A Nave Publica de transporte da federação pousou na plataforma fazendo com que Katarina e Tiria que estavam a varias horas de viagem desce-se as escadas com seus familiares.

-Essa nave quase me matou do coração- Harland terceiro disse com o rosto vermelho, nunca em sua vida pensou em se mover tão rapidamente.

Ele adorou as naves, simplesmente amou, o velho olhava para o dispositivo de transporte com um olhar faminto como se quie-se ter uma agora par pilotar.

-Sim, você se acostuma- Katarina falava o ajudando se equilibrar, outros representantes das ilhas estavam presentes tambem, todos olhando para os prédios diante deles com uma expressão bem surpresa.

Essa "Academia" era bem única por assim dizer.

Depois da área de pouso feita de pedra na praia, você se depararia com um cais, feito de tijolos cinzentos, era esteticamente bem arrumado, esse cais tinha espaço atualmente para dez navios.

A cidade diante deles era cheia de estações estranhas com placas e equipamentos bizarros Dentre eles estava a estação de tratamento de agua, que aparentemente pegava a agua salgada e convertia em agua doce por processos alquímicos.

Jarros de sal saiam dali constantemente por maquinas que as levavam para outras estações na forma de prédios de apenas um andar, mas bem espaçosos.

As maquinas produziam o tempo todo, e alem dessa área de produção, havia a região residencial composta por vários prédios cinzentos cada um com dez andares, essa arquitetura era estranha e nem um pouco comum nesse mundo.

No entanto Tiria sorriu.

"Isso é igual os prédios da sincronia, parece que ele esta se inspirando naquele local"- Havia ruas placas, uma praça enorme de pedra, com um Grande Relógio do sol no centro, o relógio dos sol estava ligado a todas as instalações, desde o cais, a área residencial com os alojamentos, ao castelo.

Aquele único relógio chamou atenção de tiria e seus familiares.

Era um complexo artefato magico, com uma quantidade inacreditável de círculos mágicos e nós de energia, dentro e fora do mesmo.

As correntes de energia desse relógio do sol eram fracas mas extremamente precisas enviando ondas equilibradas de energia para todas as direções de tempos em tempos, era bem programado, de acordo com as horas.

E por ultimo estava a fortaleza principal, que tambem era um prédio, no entanto, esse em si era bem maior, e inclinado para o centro em suas quatro paredes, sua largura, comprimento e altura superava os alojamentos em cinco vezes.

A cidade toda foi feito com o mesmo sistema, mesmo material, e o mesmo método, era uma fortaleza incompleta de nivel:15 feita com uma combinação de vários conhecimentos alquímicos.

-Então isso é uma fortaleza magica?- Harland perguntou a Tiria, ele nunca viu um ambiente assim.

-Não, é uma fortaleza incompleta, é o limite daquele cara atualmente, no entanto esta bem melhor do que da ultima vez-

-Sim, não tem risco de uma explosão- Tiria falava se lembrando de memorias embaraçosas.

O grupo andou ate um mordomo que estava com as duas mãos nas costas, seus olhos caíram no pai de Tiria, e depois, caiu nas fadas, todas arrumadas e bem vestidas, e depois caíram no povo de Vastaia que tinha roupas militares.

-Bem vindo a nossa casa, Vou leva-los ao salão de recepção agora- Ele falava enquanto Tiria e katarina observavam a presença do outro grupo entrando no local tambem.

Eram compostos por vampiros e zumbis, essa raças imortais, tambem estavam andando em dois grupos, ate o centro.

-Parece que todos escolheram o mesmo dia- Katarina falava enquanto se mantinha um pouco em guarda.

-Isso é coincidência?- Tiria por outro lado cruzou as sobrancelhas.

-Urso grande!- Uma das crianças gritou de um dos corredores, e começou a correr em direção a katarina, as outras tambem vieram com suas perninhas curtinhas, enquanto os mais velhos ficavam constrangidos.

-A quantidade aumentou?- KAtarina perguntava enquanto tirava um dos garotos que se agarrou aos seus peitos.

-Continua a mesma, no entanto estão um pouco mais fortes- Tiria ficou um pouco constrangida, diferente dos vastaia seus familiares estavam ali sérios completamente em guarda.

Sua mãe era a única que tentava interagir, mas ate mesmo seu pai tinha um comportamento frio.

As fadas começaram a fugir das crianças não por querer brincar mas por não saber o que fazer, os malditos pestinhas correram atrás dos seus corpos pequenos atraídos pela beleza das suas azas e cabelo.

Eles nunca lidaram com esse tipo de curiosidade direta antes, portanto subiam ao céu e ficaram seguros das mãos fofas daquelas crianças constrangedoras.

-Zukan zukan zukan, a onde esta a onde esta- Tiria notou algo estranho.

Era um homem com cabelos brancos vestindo uma grande capa preta, ele andava rapidamente por toda a instalação com apenas seu cabelo amostra e seus olhos vermelhos.

Parecia uma assombração, que andava de um lado para o outro procurando de quarto em quarto.

-Senhor Jona a onde esta zukan?- Ela perguntou eles vieram aqui para ficar ate o jantar e ela queria matar a saudade.

-Esta na área de treinamento físico, terceiro andar sala 13-

-Hm...-

O clima era desconfortável, havia varios grupos de facções diferentes em uma única sala em distancia seguras se encarando com constrangimento.

Tiria pretendia ir para o nivel:3 da instalação no entanto aquela coisa em manto negro se moveu primeiro.

Tiria suspirou internamente, e se sentou ao lado da sua mãe e pai que encaravam um esqueleto grande.

A sala ficou em silencio, enquanto os quatro lados se encaravam.

-Tosse Tosse!- O esqueleto tossiu.

O que foi realmente estranho.

-Acredito que todos decidimos vir no mesmo dia, deve se realmente uma coincidência, vocês são parte da trindade, ouvi falar muito de vocês, deixe-me apresenta-los-

Aquele lich....

Ele estava feliz?

Sim ele estava realmente feliz.

Que tipo de Lich fica feliz em conhecer seres vivos?

Eles não eram amantes da destruição que odiava tudo?

Quanto mais Tiria ficava nessa sala mais sua visão de vida estava sendo quebrada.

O lich na frente dela estava realmente feliz e animado por conhecer humanos e fadas, parecendo uma avô que raramente recebe uma visita.

Havia duas possibilidades.

Ou esse Lich era uma aberração estranha.

Ou tudo o que ela aprendeu em sua vida estava errado.

E ela apostava que era o primeiro caso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...