História Os 4 Cavaleiros do Destino: Em Busca de Vingança. - Capítulo 16


Escrita por: e QueenOf_Ice

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aventura, Irmãos, Magia, Mistério, Poder, Romance
Visualizações 1
Palavras 737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Estamos aqui de novo!!! E desta vez um capítulo recheado de lembranças. Apreciem a leitura galera!

Capítulo 16 - Sua verdadeira natureza


Precisava ficar sozinho e longe de todos, então fui até a macieira esperando que ninguém viesse ao meu encontro. Jay certamente me procuraria, por isso, subi em seu galho mais alto e peguei uma deliciosa maçã. 

-John, O que fazes aí? (Percebi a presença  de Uramys  somente quando sua voz extremamente grave me fez arrepiar.) 

-Ah tio... (Às vezes  possuía medo de falar com ele, mas depois de ouvi -lo mais  cedo conversando com Lucky, nem queria lhe dar satisfações.) -Precisava de um tempo pra pensar.

-E estar em cima de uma árvore comendo uma saborosa maçã te faz pensar melhor? (Tentava ser gentil,mas nem mesmo tentando ser agradável, sua face deixaria de mostrar sua falsidade.)

-Você  sempre pensa melhor quando se tem uma boa digestão. (Afirmei claramente.) -E estas deliciosas maçãs me fazem lembrar quando papai contava as histórias que vovô Erick lhe transmitia. 

-Eca! (Titio nunca gostou que mencionassemos o nome de nosso avô.) -Precisava ouvir isso mais uma vez. 

-Afinal tio.... (pensei bem antes de falar.) -Por que não gosta de ouvir o nome do vovô?

-John, meu sobrinho. Por  causa do seu avô Lifeland  não está em minhas mãos. (Disse bem pensativo como se estivesse pronto para usar sua "maquinação maligna" sobre mim.)

- Não entendo-te  tio... (Pulei no chão curioso para entender a origem do mais venerado "reino da paz e da vida".) 

-Tudo começou quando papai se tornou rei... (Afirmou logo após de sentar-se ao meu lado no chão.) -Desde então eu e seu pai crescemos prontos para um dia governar Lifeland. Eu como o rei e seu pai como o primeiro-ministro.

A minha situação com Alamys era idêntica à história de Uramys, mas meu irmão treinando para ser rei e já eu, tentando ser alguma coisa que não envolvesse o sangue azul. 

-Mas tudo mudou quando conhecemos uma doce plebeia, Elizabeth Evans, a sua mãe... (Titio demonstrava seu ódio por seu terrível olhar angustiante.) - Nós  dois nos  apaixonamos pela mesma mulher e, acredite se quiser, ela me amava.

-E então por que ela se casou com meu pai?

-Marcus desejava o trono e a sua mãe. Então usou de tal inveja contra mim que foi capaz de dizer ao rei que quebrei a minha honra, e  não merecia o trono. E  por isso, O reino foi lhe dado em meu lugar, e  casou -se  com Elisabeth.

-Apesar de ter feito vários absurdos, nunca pensei que papai poderia fazer tal ato. (As  lágrimas escorriam de meu rosto.)

-Eramos tão próximos que nem acreditara  no que meu próprio irmão fez, foi capaz de de trair-me e casar -se com o grande amor de minha vida. (Tentava fazer minha cabeça.)  - Seu pai não é quem você pensa.

-E o senhor? (Disse levantando do gramado.) -Com que finalidade quis me contar isto? 

-John não estou lhe entendendo. (Talvez Sabrinne  adquiriu seu sinismo com meu tio.) -Por que ages  assim?

-Não seja tolo tio. Meu pai reconheceu os seus erros. (Papai tinha suas péssimas atitudes , mas não justificava Uramys lhe desrespeitar a honra que ainda lhe restava.) -Quem garante que o senhor não deseja o trono?

-O trono tem que ser meu nem que use de todas as minhas forças! (Alterou seu tom de voz olhando no fundo dos meus olhos.)

Ele estava completamente obcecado no reino, que poderia fazer de tudo para ter Lifeland  em seu poder.

 -E você... não pode corrigir-me ao falar de seu pai, já que nem o respeita quanto as suas decisões.

-Tem razão, eu não posso. Mas o senhor não pode tratá-lo assim. Somos uma família, e  uma família não age assim.

-Você  é ingênuo John. Não vê que seu pai me trata como se eu não tivesse importância alguma? (O ódio subia  a sua cabeça.) -É por isso que não me sento  na mesa para jantar com vocês.

Ele começava a mostrar a sua verdadeira natureza, mostrando seu ódio  profundo sobre papai.

-Sabes tio... papai sempre mereceu o trono. (Seu  olhar furioso curvou-se à  mim logo depois de usar tal ironia.) -Agora preciso voltar aos meus aposentos, depois de amanhã temos o baile. Adeus tio Uramys, ou melhor, ex-herdeiro  do trono.

Saí dali e o dexei sozinho, certamente, estava se corroendo por dentro de ódio e raiva por mim. Às  vezes, eu tinha mais haver com meu pai do que eu imaginava.

E naquela noite estava disposto a perdoar os meus pais e irmãos. Mas, deveria ligar minha atenção em meu tio Uramys, suas atitudes  começavam a me preocupar com a proteção do reino.


Notas Finais


E agora John começa a desconfiar das atitudes maléficas de Uramys.
Espero vocês no próximo! Bye Bye pessoal.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...