História Os anjos também vão até o inferno por amor - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anjos, Céu, Demonios, Hoseok, Inferno, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Namjin, Namjoon, Religião, Romance, Seokjin, Taehyung, Taeseok
Visualizações 342
Palavras 2.353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Lemon, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores!
Não demorei tanto agora, né?

Capítulo 14 - A víbora


Se passaram apenas alguns dias, mas, para Jimin, pareceu uma eternidade inteira.


Taehyung podia ser muito bonito por fora, mas era o próprio inferno por dentro. Não era a toa que o mesmo era o próprio diabo.


O demônio fez Jimin o satisfazer sexualmente durante todos os dias - Desde sua captura. - caso contrário o humano ficaria sem comida ou água.

Jimin aguentou firme durante os dois primeiros dias inteiros, mas chegou uma hora que não suportava mais a fome e a sede o preenchendo.

Bem… Não havia nada de errado em ceder, não é? Afinal, era apenas sexo. Jimin fez sexo por dinheiro sua vida toda, fazer algumas vezes a mais não lhe faria algum mal, não é? Por isso cedeu ao demônio, sem reclamar.

O que o preocupava de verdade era Seokjin…


Já haviam dias que não tinha notícias do anjo médico e tinha medo de pensar no que haviam feito com este. Tinha medo que fizessem o mesmo que fizeram a Jungkook quando o anjo ficou preso no inferno...

Imaginar Seokjin preso pelas asas e gritando de dor o dava náuseas e pensar que toda aquela merda estava acontecendo por sua causa o fazia se sentir ainda pior.


Seus pensamentos foram interrompidos pela porta do quarto sendo aberta.

Tinha mais essa. Jimin fora obrigado a ficar no quarto de Taehyung, preso apenas naquele ambiente, vestido apenas com uma camiseta que mais parecia um vestido enorme, esperando pelo demônio o desejar. Era, de certa forma, como um escravo sexual, o que também não era lá muita novidade para o humano.


Taehyung adentrou o cômodo e fechou a porta atrás de si, sorrindo maliciosamente para Jimin.

-Está pronto? - Perguntou o demônio.


-Tenho escolha? - Jimin revirou os olhos. Havia passado o dia todo sem comer ou beber algo e estava se sentindo fraco e necessitado.


-Tem a escolha de ficar com fome e sede.


Jimin tornou a revirar os olhos.

-Nossa, como você é inteligente, Taehyung. - Disse ele. - Até senti meu QI despencar uns dez pontos depois dessa merda que você falou. Acho que a galinha pintadinha transmite mais conhecimento do que você.


Taehyung sorriu maliciosamente, sem se importar muito com as provocações do Park, e se aproximou da cama, à passos lentos.


É… Com certeza Jimin se arrependeria do que havia falado.



XXXXXXXX



Jeon Jungkook sofreu para conseguir uma poção que mudasse sua aparência. Ele realmente não queria que o povo do inferno o visse com suas asas e rosto angelical, sabia que aquilo terminaria mal, então optou pela poção.


Jungkook não queria ter tido que voltar para aquele lugar horrível, onde fora torturado anteriormente, mas precisava encontrar Willian, Jimin e Seokjin.


Já haviam se passado alguns dias desde quando chegou ao inferno e aquele lugar lhe parecia cada vez mais terrível. Claro que, por ser um anjo, o Jeon não tinha a pele queimada, problemas respiratórios ou qualquer tipo de incômodo em seu físico, mas, apenas ver os outros sofrendo, já era uma tortura para sua alma extremamente pura pura.

O anjo sabia que Park Jimin e Kim Seokjin haviam ido atrás de William então, teoricamente, se ele encontrasse Willian encontraria Jimin e Jin… Ou era isso o que esperava que acontecesse.


Foi seguindo essa lógica que começou sua procura. Vasculhou o inferno prestando atenção em cada detalhe, em cada rosto, em cada voz rouca, mas o lugar era enorme e não era como se Jungkook tivesse muito tempo para procurar pelos amigos ali. O anjo sabia que sua poção duraria pouco tempo e precisava achar à todos antes que o frasco acabasse.


Jungkook tirou o vidro do bolso da calça e o destampou, bebendo um gole pequeno do conteúdo. Fez uma careta ao sentir a poção queimar enquanto descia pela garganta. O gosto era sim muito ruim, mas valeria a pena. Precisava encontrar seus amigos e o irmão.


Não era uma coisa muito comum encontrar crianças no inferno. As poucas que nasciam ali - Filhas dos mortos. - eram resgatadas por anjos em suas missões, então foi bem simples perguntar por um garotinho de cabelos loiros e encontrar boas respostas. Falar com os residentes do inferno era algo que assustava um pouco o anjo moreno, mas valia o sacrifício.


A informação que recebeu fora a de que William fora visto sendo levado por uma mulher alta, cabelos escuros e carregados de cachos, pele bronzeada e olhos levemente esverdeados. A tal moça morava um pouco longe do local onde Jungkook recebeu a informação e seria mil vezes mais rápido chegar até lá voando, mas era melhor não arriscar ser visto.


O anjo caminhou até a casa da moça dos cabelos cacheados e olhos esverdeados - Se é que podemos dizer que os residentes do inferno tinham casas, sendo que todos moravam em ruínas destruídas ou moradias improvisadas com materiais baratis e em péssimas condições, exceto aqueles que ficavam dentro da moradia de Taehyung. - sem parar para descansar. Não tinha tempo para aquilo.


O inferno era um lugar curioso - No mal sentido. - e novo demais. Claro que Jungkook já havia estado ali antes, mas esta era a primeira vez que realmente prestava atenção no ambiente à sua volta. O chão de terra quente queimava os pés das pessoas descalças e deixava a pele em carne viva, os cabelos dos mortos tinham as pontas chamuscadas e a extensão ressecada e parecida com pelo de animal mal tratado, a grande maioria ali estava desprovida de roupas e tinha os lábios partidos e olhares cansados, cheios de olheiras roxas e amarronzadas, desesperados e, até mesmo, tristes. Todos tinham certa dificuldade para respirar, como se o ar fosse feito de enxofre, e alguns delirava e falavam sozinhos, caminhando, aparentemente, sem rumo.


O lugar não era apenas triste, era algo a mais, uma coisa fora do normal, era cruel e insano.


A caminhada foi longa e Jungkook até deixou algumas lágrimas escorrerem por sua face enquanto via a situação daquelas pessoas - Sempre escondendo sua sensibilidade, para não chamar muita atenção. - mas tudo passou quando chegou até a moradia da moça dos cabelos cacheados e olhos esverdeados, que era um tipo de templo pagão destruído e envelhecido.


Jungkook sentiu seus músculos tensionam e suspirou ao sentir um friozinho na barriga.

Willian devia estar lá e o anjo precisava achar uma forma de salvá-lo e levá-lo de volta para o céu.


Adentrou o lugar, pisando nas pedras do chão destruído e um tanto moído. O ambiente era bonito e lembrava a Jungkook da época em que as pessoas acreditavam em vários Deuses e toda aquela loucura. Aquela época fora, no mínimo, interessante. Seres humanos eram tão criativos…


O lugar era imenso e levou certo tempo para que Jungkook chegasse ao centro do templo e encontrasse uma escada que levava para um tipo de porão, um buraco no piso de pedra, num formato quadrado, com a escada em seu interior.


O anjo respirou fundo, estufando o peito forte, tomando coragem para adentrar a escuridão, e se aproximou da escadaria.

Que Deus o ajudasse, amém. - Não que Deus pudesse fazer algo no inferno… Aquele acordo não o permitia…


Jungkook não gostava de se lembrar do acordo ou da guerra no céu, tudo ainda era muito intenso para si, então apenas empurrou esses pensamentos para o fundo de sua mente, desejando, apenas, que estes sumissem dali, como se nunca tivessem sequer existido.

Bem… Claro que eles não sumiram. Não existe uma maneira de apagar o seu passado, mas a guerra havia o feito tanto mal - Psicologicamente. - que ele realmente queria poder destruir aquela memória.


Jungkook desceu o primeiro degrau da escada de pedra, tomando cuidado para ter certeza de que a estrutura não acabaria desabando abaixo de seus pés, e então, quando viu que estava firme o bastante, desceu os outros degraus, lentamente, tentando controlar seu coração maluco e o nervosismo intenso, prestando atenção em cada pequeno som que ecoava dentro daquele porão.


Conforme se aproximava do fundo a escuridão ia o tomando, deixando o ambiente cada vez mais bizarro e assustado, fazendo com que Jungkook estremece e acelerasse seus passos. Só queria chegar no fim daquela escada logo, pegar William e sumir daquele lugar assustador.


Seus passos ecoavam nas paredes e cada um deles fazia o Jeon levar um pequeno susto, mesmo que já esperasse pelo barulho. O cheiro do porão se tornava cada vez mais desagradável para si - Mais até mesmo do que o cheiro do laboratório de Seokjin. - e fazia seu estômago revirar. Cheirava a poeira, velhice e a mais alguma coisa terrível e podre. O lugar se tornava cada vez mais escuro, conforme se aproximava do final da escadaria, e aquilo não agradava Jungkook de forma alguma.


Chegou ao final da escada e, a essa profundidade, a escuridão era tanta que o anjo - Com uma aparência qualquer de humano. - não conseguia mais ver nada a sua volta.


Foi neste momento que ela surgiu. A pele bronzeada brilhava no escuro, os olhos castanho-esverdeados se destacavam na face bonita, como jóias, o corpo magro era atraente e tinha algumas curvas velas e simétricas, as pernas eram longas e bem torneadas, e os cabelos tinham cachos perfeitamente definidos e longos, caindo por seus ombros magros.

Era uma criatura linda e, ao mesmo tempo, assustadora. Era como uma personagem de ficção e Jungkook tinha a leve impressão de que já havia visto aquele rosto anteriormente.


-Se lembra de mim, Jeon Jungkook? - A voz era doce, suave, como a de uma cobra, e Jungkook já a havia ouvido antes. A moça levou as mãos de dedos longos e belos para seu vestido de escamas esverdeadas e ajeitou o tecido no corpo belo.



-Lucy. - Pronunciar aquele nome novamente o trazia uma nostalgia imensa. Uma coisa fora do comum, tão estranha e nova quanto aquele lugar em que se encontrava agora.

Não tinha certeza se rever aquela mulher era algo bom ou se devia tremer de medo e se afastar. Bem, isso sequer era uma opção. William precisava de si naquele momento e ele não podia abandoná-lo ali, como se não significasse mais do que sua desconfiança e medo.


-Olá, Jungkook… - Disse ela, a voz calma e melodiosa, quase como se canta-se em seu ouvido. Há muitos anos aquilo teria sido considerado lindo por si, hoje em dia era apenas assustador e lhe causava um frio na espinha. - Já faz muito tempo, não é?


Como ela o havia reconhecido?

Jungkook agora tinha uma face completamente diferente, por causa da poção. Tinha os cabelos ainda pretos, mas agora com leves ondas, os olhos azuis escuros e um tanto opacos, a pele levemente bronzeada e brilhante, limpa, o corpo forte, mas não tão definido quanto o seu de anjo e os lábios grossos e carnudos.


-Lucy… - Jungkook não sabia como agir, então resolveu improvisar alguma coisa. - Am… Estou atrás de alguém. Você pode me dizer se viu essa pessoa? - Tentou manter a voz firme, sem deixar seu medo transparecer.


A moça sorriu, ficando ainda mais bela e macabra.

-Claro que sim, irmão. - Ela disse a última palavra com certa ironia e então riu soprado, se divertindo com o nervosismo do anjo moreno.


-Estou procurando um garotinho. Loiro e baixinho. Viu? - O anjo perguntou, após respirar fundo, ainda se esforçando para manter a calma.


O sorriso de Lucy aumentou e a maldade estava clara em sua face.

-Talvez eu tenha visto. - Disse ela. - Talvez não.


-Certo… - Jungkook sentiu as palmas das mãos suarem e mordeu o lábio inferior, tentando conter o nervosismo. - Bem… Se você o viu, onde acha que ele pode ter ido? - Insistiu no assunto.


-Oras, eu não sei. - Lucy respondeu, se divertindo ainda mais com aquela loucura. - Talvez eu o tenha prendido junto das minhas cobaias… Quem sabe? - E riu baixinho.


-C-Cobaias? - O Jeon perguntou, sentindo seu corpo tremer. - Cobaias para que?


-Oras Jungkook, você sabe que eu sempre gostei dos experimentos do Seokjin. Não acha que eles teriam muito mais resultado se feitos em pessoas reais ao invés de serem baseados em teorias malucas?


Jungkook arregalou os olhos e a mulher deixou seu sorriso crescer mais ainda ao ver aquela reação.

Lucy realmente havia mudado. Não era, nem de longe, a mulher que Jungkook se lembrava.


-Se não o viu irei embora. - Falou o anjo, tentando convencê-la a lhe dar alguma pista.


-Jeon Jungkook. - Disse ela e então riu alto. - Não achou que apenas chegaria aqui, me pediria o menino e então iria embora com ele, não é? - E riu mais ainda. - Você continua tão inocente… Tão puro… - E tornou a rir, maldosamente. - Aposto que nunca sequer pensou em sexo. - E a face assustada que se formou em Jungkook a fez rir mais alto ainda, escandalosamente. - Oh Jungkook… Você me mata… - Disse ela, ainda rindo alto. Aquela risada também seria linda se fosse a muito tempo atrás, mas agora era apenas assustadora.


-Quero o menino. - Disse o Jeon. Não queria ficar ali, preso naquela brincadeira doentia da cacheada, também não tinha muito tempo, então era melhor abrir o jogo com Lucy.


-Mesmo? - Perguntou ela, parando de rir para sorrir cruelmente. - Bem, se você quer algo que eu tenho então deve me dar algo que tem… - E analisou o corpo do anjo, cheia de malícia no olhar. - Não é?


O anjo estremeceu.

-No que está pensando? - Perguntou.


Lucy riu, novamente, fazendo aquele som ecoar pelo porão.

-Oras, Jungkook. De fato, você continua inocente. Eu pensava que já havia adquirido um pouco de malícia por causa da sua paixão.


-Que paixão? - Perguntou o moreno, franzindo as sobrancelhas.


-A que você sente. - Falou Lucy, ainda sorrindo largo. - Não se faça de bobo. - Ela pediu quando viu a careta de desentendimento do moreno. - Demônios conseguem sentir os sentimentos bons de todos. Precisamos disso para acabar com eles, não é? Como acha que eu soube que era você nesse corpo estranho? Eu posso te sentir, Jeon Jungkook.


-Desculpe, mas acho que não estou entendendo.


E ela tornou a rir alto.

-Tudo bem, vamos deixar isso pra lá. Tenho uma oferta para você. Se eu tiver o tal garoto loiro, terá que me oferecer algo para tê-lo para você, e eu não cobro barato.


-O que você quer? - Perguntou Jungkook, de imediato. Estava disposto a dar tudo de si.


A víbora sorriu, maldosamente, encarando Jungkook, maliciosamente.

-Quero você.


Notas Finais


Alguém tem alguma teoria sobre a Lucy?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...