História Os casos de Namjoon - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Personagens Originais
Tags Bottompk, Kim Namjoon, Namjin, Rap Monster, Revelaçoes, Sadomasoquismo, Yaoi
Visualizações 284
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá amorecos, tudo bem?

Muito obrigada pelos favoritos e comentários do primeiro capítulo.
Quero avisar à alguns leitores que, se não curtem conteúdo sexual, não leiam.

Sem mais enrolação, então vamos lá. 🌚😅

Boa leitura ♥

Capítulo 2 - II - Capítulo dois


Fanfic / Fanfiction Os casos de Namjoon - Capítulo 2 - II - Capítulo dois

o saberia começar a contar meu primeiro caso com a psicóloga. Acho que foi algo tão inesperado que até mesmo eu me assusto. Ao longo de minha vida ouve vários casos e, nenhum deles eram iguais. Uns selvagens, outros carinhosos. Como eu contaria para ela que sempre fui um sádico? Assim, vou contar tudo do começo.

Não sei ao certo mas, lembro que foi na minha faxa dos 15 anos. Mamãe trabalhava o dia inteiro e, minha irmã mais velha nunca ficava em casa. Típico daquelas irmãs que saem escondido da mãe para ficar com o famoso drogado. Bom, minha irmã não era diferente. Naomi vivia trocando de namorados - escondido da minha mãe, óbvio - e me pagava doces para, não contar seu segredo à ninguém. 

A mesma era suja como dizia meus pais. Naomi passava dias fora de casa e, quando voltava estava em um estado deplorável. Eu gostava muito da presença dela, mas a mesma não pensava dessa maneira. Minha irmã me maltratava de todas as formas possíveis, fazendo de tudo para me vê na merda. Só que um dia, ela mudou completamente. 

Ainda era de manhã e, mamãe havia saído para trabalhar. Meu pai trabalhava fora da cidade e era raro às vezes em que ele voltava para casa. Naomi ainda estava dormindo pois havia chegado de uma festa, pela manhã. Fiquei parado em frente da televisão, procurando algo útil para assistir e, estava bastante frustrado por não encontra algo bom. 

Ouvi passos vindo da escada e, imediatamente vi minha irmã descendo. A mesma resmungava algo sem sentido e completamente sem noção. Nada delicada, a mesma pegou o controle de minha mão, se jogando ao meu lado no sofá. Naomi usava apenas uma blusa branca, que ficava enorme em seu corpo e, usava uma calcinha amarela de renda. Ela não estava nem um pouco incomodada em mostrar suas partes íntimas. 

─ Não tem nada que preste nessa televisão. ─ resmungou a mesma, me fazendo revira os olhos. 

─ Não tem nada que você goste, né? ─ disse ríspido, ganhando em troca um olhar matador de minha irmã.

─ Tem razão, vou pôr algo que eu gosto. ─ disse assim por final, escolhendo o canal proibido. Mamãe me proibiu de acessar aquele canal, não sei o porque. 

─ Naomi.. ─ disse assustado. ─ A mamãe não deixa eu assisti esse canal. ─ disse receoso, mas minha curiosidade estava a mil.

─ Ela não está aqui, bobinho. ─ a mesma apertou meu nariz, me fazendo praguejar. 

Não se importando, a minha irmã selecionou o canal. De começo não achei nada demais, pois havia apenas dois homens conversando. 

─ Que sorte, chegamos bem na hora do programa gay. ─ Naomi disse rindo alto e, como sempre fiquei paralisado. 

No momento seguinte os homens não conversavam e sim, se beijavam. Ambos trocavam carícias e toques maliciosos. Podia jurar que meu rosto estava idêntico a um pimentão, pois aquilo era tão errado mas tão gostoso. Naomi parecia não ter vergonha, a mesma assistia o filme sem expressa absolutamente nada. Gemidos manhosos foram ouvidos por mim e, agora os protagonistas do filme estavam nus e os mesmo tocavam suas intimidades. 

─ Isso é excitante. Não é, nam? ─ minha irmã perguntou sarcástica, mas não dei a mínima pois estava concentrado demais naquela cena erótica. 

Aquele filme era insano e, não sabia descrever como estava me sentindo pois era um misto de sensações. Céus, eu estava excitado. A ereção no meio de minha pernas era bem visível e, tentei esconde-la de minha irmã mais velha. 

─ Namjoonie.. ─ voltei a atenção para Naomi e a mesma apertava seus seios com a mão esquerda, enquanto a mão direita massageava sua boceta. 

─  O-oque você está fazendo? ─ perguntei incrédulo e oque ganhei em troca foi um aperto forte em minha ereção. 

─ Deixa a sua irmãzinha, te fazer gozar ?─ Naomi disse em um sussurro e,  rapidamente assenti. 

Eu estava quente demais para recusar, e na real eu nem sabia o que era gozar. Acho que não é algo ruim, pois Naomi não faria algo que me prejudique. Minha irmã mais velha ajoelhou em meu lado no sofá e, passou a dar beijinhos em meu pescoço, enquanto acariciava meu pênis por cima da bermuda folgada, que eu usava. 

─ Tira essa bermuda, Namjoonie. ─ eu odiava aquele apelido, mas naquele momento aquilo estava sendo um estímulo para minha excitação.

Tratei de obedecer a mais velha e, ela não perdeu tempo de segurar em meu pau, como sua mão direita. Naomi fazia movimentos repetitivos, de cima para baixo e, vice-versa. Eu não reprimir um gemido quando a mesma apertou meus testículos, e agora a mesma não usava mas sua blusa e nem sutiã. Eu ainda podia ouvir os gemidos roucos vindo da televisão e, esse foi uma ajuda para oque estávamos fazendo. 

─ Você é tão grande, bebê. ─ sussurrou minha irmã, próximo ao meu ouvido. 

Achei que iria morrer, pois aquele orgasmo durou alguns minutos e tinha sido meu primeiro. Naomi simplesmente fingiu que nada aconteceu e, levantou indo em direção da televisão, desligando a mesma. 

Minha irmã parou em minha frente e segurou meu maxilar, dizendo sua última frase antes de sair. 

Agora você escolhe irmãozinho. Você quer foder ou ser fodido? 

[...] 

Contava tudo calmamente para a psicóloga que parecia ter usado drogas antes de vim para essa seção, pois a mesma estava tão calma e compreensiva. Assim que terminei de contar meu primeiro caso, a doutora apenas anotou algumas coisas em sua prancheta e, passou a me analisar. 

─ Devo perguntar o que você escolheu ? ─ a mesma perguntou risonha e, fiz o mesmo que ela. 

─ Escolhi foder. ─ disse simples e a mesma assentiu. 

Talvez desabafar não foi tão ruim assim, pois parecia que eu havia retirado um peso enorme de minhas costas. 

─ Nossa seção termina aqui, mas antes tenho algo a perguntar. ─ ditou a mesma, antes que eu me levantasse. 

─ Prossiga. ─ disse calmamente e, a doutora sorriu em troca. 

─ Quem foi seu segundo caso? ─ perguntou receosa e, sorri lembrando de algo muito interessante. 

─ O nome do meu segundo caso, se chama Jung Hoseok. 


Notas Finais


Eita, caramba. 🔥😅

E aí, vocês estão gostando?
Comentem, por favor. 🍀🌚

Até a próxima, bebês.♥

Meu perfil: @Bottompk ♥✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...