1. Spirit Fanfics >
  2. Os Cavaleiros do Zodíaco: A Era Mitológica >
  3. Traição! A Reunião Divina!

História Os Cavaleiros do Zodíaco: A Era Mitológica - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Com o apoio de Ivy Maciel, André Luiz, Gabriel Silva, Moisés Lopes, Walter Gustavo e Saory Christini.

Capítulo 1 - Traição! A Reunião Divina!


Fanfic / Fanfiction Os Cavaleiros do Zodíaco: A Era Mitológica - Capítulo 1 - Traição! A Reunião Divina!

O Olimpo. Um mundo onde a luz transborda. Dizem estar além das estrelas, é um mundo onde os deuses observam os humanos. No universo, há muito tempo, houve uma guerra entre deuses e titãs que estremecera toda a galáxia. Ao fim dela, Chronos, o pai de todos foi derrotado pela união de poderes dos seus três filhos, os mais poderosos entre os olimpianos. Eles eram: Zeus, dos céus; Poseidon, do mar e Hades, do mundo dos mortos. Eles utilizaram uma técnica que uniu o poder dos três em um único alvo, fazendo com que uma explosão próxima ao Big Bang acontecesse, dando um fim àquela guerra. Enfim a paz reinara entre os deuses, até que se abrem as cortinas de uma nova era.

Capítulo 1: Traição! A Reunião Divina!

Era dia. Num lugar além da Hiperdimensão, servos e lacaios dos deuses faziam uma festa próximos á diversos templos. Esse lugar era o Monte Olimpo. Os olimpianos estavam comemorando a vitória dos deuses, e num palácio enorme logo no topo do monte, os mesmos se reuniam em uma espécie de confraternização. Na sala principal, todos os Doze Tronos estariam ocupados por Zeus, Poseidon, Hades, Hera, Athena, Artemis, Apolo, Ares, Afrodite, Hermes, Hefesto e Dionísio.

—A guerra trouxe cicatrizes, mas também nos trouxe a glória. Os planetas gerados por Gaia finalmente estão em nossas mãos. - dizia Zeus, num ar de imponência, sentado no trono Central do Olimpo, logo ao lado de Poseidon e Hades.

—Foi uma batalha surreal. - disse Poseidon —Mas... qual rota devemos seguir agora?

O Deus da Morte fitara Zeus com um olhar ameaçador. Ele sabia que estava na hora de repartir tudo que foi conquistado na guerra e que Zeus não o entregaria a Terra tão facilmente. Nesse momento, após a pergunta do Poseidon, todos aguardam uma resposta do mesmo, que não vem. Logo, a Deusa do Amor abre um sorriso.

—Queria deixar claro que eu não me interesso por nada que foi conquistado por vocês. - Afrodite ri.- Até porque, nunca precisei de permissão ou bens para escravizar mortais.

Ares bufa, um tanto irritado.

—Meus homens foram iludidos por conta do seu controle e eles não respondem mais ao meu cosmo! Eu adoraria discutir sobre esse incidente agora que nossa principal guerra teve fim! - dizia o Deus da Guerra, com um tom de ódio.

—Isso não importa, Ares.-Hefesto olhava para Zeus.- Eu não me interesso por nada disso, então pode tirar a mim também dessa divisão de territórios.

O olhar cor-de-vinho do Dionísio parecia um tanto perigoso, assim como sua expressão. Ele parecia analisar a situação, com um sorriso um tanto maldoso.

—Eu estou tranquilo em relação á isso, senhor Zeus. Não me interesso também em sair do Olimpo.

Hermes continuava implacável como sua expressão e olhar.

—Ares, sabemos que não é hora de decidir isso. Eu sou um dos que não precisa de nenhum daqueles planetas, mas eu ouvi dizer que você queria o planeta Marte...

Ares retrucava.

—Silêncio, Hermes! Pra um deus que gosta tanto de coisas mortais como você, é até estranho que você não queira o planeta Terra.

Hermes desvia o olhar.

Athena observava em silêncio, enquanto Artemis e Apolo esboçam um sorriso sarcástico, como se soubessem de mais alguma coisa.

Zeus respira fundo.

—Pois bem, já que é assim eu também não me importo, podem se apossar do que quiserem, contanto que deixem o Sol com Apolo, a Lua com Artemis e a Terra com a Athena.

Um silêncio tomava o local. A atmosfera começava a tremer e o cosmo de Hades começa a se elevar e se mostrar agressivo, no momento em que o mesmo levanta de seu trono.

—Eu sabia!! Como sempre, só pensando nos seus filhos, Zeus!! Eu já havia dito durante a guerra que se vencêssemos Gaia, a Terra seria minha!! -Hades grita, furioso.- Mas eu já sabia que você agiria dessa maneira, por isso eu me oponho!!

—Então era isso... -diz Ares, que dava um sorriso.- Interessante, muito interessante!

Poseidon analisa a situação.

—Hades não está errado. Porém eu creio que possa haver uma outra forma de resolver isso.

Zeus, ainda sentado em seu trono, observa Hades, que está com o cosmo elevado o olhando furioso.

—E o que você pretende fazer exatamente, irmãozinho?

Hades cerra os punhos e puxa sua espada.

—Eu irei lutar.

No segundo seguinte, o Deus da Morte já estaria trajando sua Kamui, que seria a armadura que somente os deuses podem trajar. Logo, o mesmo partiria pro ataque com sua espada, saltando até Zeus pronto pra dar um corte, porém seu corpo se paralisava em pleno ar, assim que Zeus lhe apontava o dedo direito.

—Escolha errada. -dizia num tom de soberba o deus dos céus.- Não se esqueça de que fui eu quem lhe deu esta Kamui, meu irmão. Enquanto estiver com ela, todos os seus movimentos podem ser restringidos.

Hades indigna-se com aquela situação humilhante.

—E-Eu não posso me mover, não é possível!! Mas, ainda assim... Não foi em vão...

Podia-se notar um breve arranhão na face do deus dos deuses, ainda que houvesse evitado Hades.

Hera preocupa-se. Athena observa sem muita reação.

—Huh. Parece que eu subestimei o poder da Espada do Mundo dos Mortos. Mesmo lhe evitando, o poder dela ainda me atingiu, mesmo que tenha sido um mero arranhão. -Zeus levanta do seu trono, com um ar grandioso e furioso.- Você sabe o que isso significa, não é mesmo??

Poseidon olhava a situação preocupado, pensando no que havia acabado de acontecer.

"Hades, seu idiota..." - pensava o mesmo.

—Eu não tenho medo de você, Zeus!! A maior traição aqui foi a sua!! - dizia Hades, ainda paralisado no ar.

—Não tenho que ouvir argumentos de um traidor. - Ao dizer isso, Zeus aponta sua mão aberta para o Deus da Morte e fecha seu punho, fazendo com que a Kamui de Hades saísse de seu corpo, livrando assim Hades do controle e fazendo o mesmo cair no chão. - Não pense que eu preciso do controle da Kamui para te enviar ao seu próprio mundo dos mortos! E você não precisa mais dela também!

A armadura se juntava sozinha e iria para trás do trono de Zeus.

Hades se levantava, irritado.

—Você vai se arrepender disso, Zeus!!

Zeus retruca. Sua voz era alta e ecoava imponente.

—Isso não é o suficiente!! Hades, á muito tempo não concordamos em muitas coisas e essa foi a gota d'água! Serás exilado do Olimpo pelas minhas próprias mãos!!

O cosmo de Zeus queimava, e ao invés de tremer somente o local, tremia todo o Olimpo e até mesmo os céus. Logo, o mesmo gerava uma energia invisível que repeliria Hades do palácio, abrindo um buraco na parede. Hades continuava sendo repelido, voando pra fora do Olimpo, até chegar na Hiperdimensão, onde ficaria caindo e vagando eternamente.

Hades gritava de ódio o nome do irmão, jurando vingança.

No Olimpo, todos os deuses mostraram certa preocupação em seus olhares.

Ares demonstrava choque.

—É... Impossível.

—Hades acabou de desobedecer Zeus... -dizia Poseidon, hesitante. - ...isso foi tolice.

Athena suava frio.

—Eu posso sentir o cosmo de Hades á milhares de quilômetros de distância!!

—S-Sem chance... - Afrodite tremia. - Como ele voou a essa distância nesse curto espaço de tempo??

Zeus caminha até o centro dos tronos e usava o seu cosmo para reparar o buraco na parede que havia feito ao lançar Hades.

—É uma nova era para nós, os deuses do Olimpo.

O barbudo grisalho Zeus, após reparar o palácio, olha para seus subordinados, os deuses Olimpianos.

—Essa reunião está encerrada!

Athena se levanta de seu trono e é a primeira a sair do palácio. Ao passar pela beleza olimpiana, pássaros cantando e flores coloridas ela se lembrava do sentimento de ódio de Hades. Sua preocupação era óbvia, pois apesar de não concordar com seu pai, ela o temia. Então, ela vai ao seu templo, localizado no Olimpo. O local era bonito, com colunas gregas, símbolos de coruja e livros. Perante sua estátua no templo, a deusa de cabelos alaranjados via seus quatro subordinados, que estariam esperando pela mesma.

—Então vocês já estão prontos... Agradeço que virão comigo.

Um homem de cabelos caramelados com uma armadura totalmente prateada sem constelação alguma, mas que teria um arco prata nas costas, se ajoelhava com os outros três ao seu lado, com um sorriso seguro e confiante.

—Eu, Polius, aquele que tem o dom da proteção entre os guarda-costas de Athena, irei acompanhá-la.

Os outros três se ajoelham também, se apresentando formalmente para a missão.

—Ergan, com o dom da arte, a acompanhará mais uma vez, deusa Athena. - O homem mais alto entre os quatro prateados, tirava seu elmo mostrando seus cabelos azuis escuros, um pouco espetados. Seu corpo era bem forte.- Estarei ansioso para fazer parte de uma missão tão importante.

A única mulher entre os quatro sorria, se ajoelhando.

—Até porque nós quatro provamos nossa força na guerra contra os Titãs. Somos deuses menores, mas ainda somos deuses poderosos, não tem com o que se preocupar.

Athena sorri.

—Muito obrigada, Nike.

Ao lado de Polius, Nike e Ergan, o quarto que tinha olhos escarlates, ao se ajoelhar, eleva o seu cosmo. Ele era roxo e cheio de violência.

—Athena! Juro derramar sangue de todos aqueles que ousarem atravessar o seu caminho! Sejam eles humanos ou deuses! Eu, Theon, com o dom da vitalidade prometo esmagá-los!

O sorriso de Theon, o homem com cabelos roxos e curtos, era maligno.

Todos no local mostrariam uma certa tensão ao ouvir as palavras de Theon, e Polius o fitava com desconfiança. Athena então ignora esse clima.

—Agradeço pelo empenho dos quatro... E então, vamos?

Ela andava junto com eles até a parte de fora do templo, na qual eles voavam na direção dos céus, indo pelo espaço. Do Olimpo, podia-se ver ao longe, cinco luzes voando na direção das estrelas. O destino deles é o planeta Terra! A origem dos Cavaleiros de Athena começa agora e muitas surpresas estão por vir.

Prévia do capítulo 2:

Athena e seus subordinados chegam na Terra e acabam caindo nos Cinco Picos Antigos de Rozan! Chegando lá, um sábio parecia esperar a sua chegada. Poderia mesmo a sabedoria humana junto com suas profecias, prever até mesmo os passos dos deuses? Em meio a essas dúvidas, algo triste acontece, que coloca em cheque os sentimentos do homem justiceiro, com o poder do dragão. Enquanto isso, Poseidon lentamente começava a dar seus passos, para a dominação do mar.

No próximo capítulo de Os Cavaleiros do Zodíaco: A Era Mitológica!

 Conflito! A Triste Justiça!

Você já sentiu o cosmo??



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...