História Os Cavaleiros do Zodíaco: Guerreiros da Esperança - Capítulo 7


Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Apolo, Ártemis, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Personagens Originais, Seiya de Pégaso, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shun de Virgem, Shunrei
Tags Ares, Atena, Cavaleiros De Bronze, Cavaleiros De Ouro, Cavaleiros De Prata, Os Cavaleiros Do Zodiaco, Personagens Clássicos, Personagens Originais, Reviravoltas, Sagas, Saint Seiya, Universo Alternativo
Visualizações 69
Palavras 3.730
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Luta, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo especial escrito por Line_de_Sereia! Sigam ela e acompanhem as histórias dela também se puderem, elas possuem em sua maioria Saint Seiya como principal tema, além de serem histórias ótimas e bastante criativas, garanto a todos que irão se divertir bastante lendo elas!
________________________________________
OP01: Asas da Esperança!

Além deste céu infinito, poderemos alcançar
Além das limitações, nossos feitos irão chegar
O portal para o desafio celestial, para nós enfim se abrirá!

Quebrando sempre os nossos limites, vamos lá!
Batalhando numa velocidade além da luz
Buscaremos alcançar o brilho divino que sempre nos conduz!

Com extrema determinação em vossos olhos
Seguimos superando inalcançáveis desafios
Elevando nossas forças além dos sentidos
E tornaremos esta lenda em realidade!

Mesmo totalmente derrubados sob o chão
Nossos sacrifícios não podem ter sido em vão
Levante-se novamente quantas vezes for necessário!
Para enfim alcançar o milagroso brilho dourado!

Combinando fúria e poder!
Ninguém poderá nos vencer!
Quebrando os limites da imaginação, deuses irão estremecer!

Quebrando sempre nossos próprios limites!
Realizando até os milagres mais impossíveis!
Carregaremos até o fim as chamas de vossa esperança!
________________________________________

Capítulo 7 - O encontro dos Cavaleiros Renegados de Bronze! (Parte I)


Fanfic / Fanfiction Os Cavaleiros do Zodíaco: Guerreiros da Esperança - Capítulo 7 - O encontro dos Cavaleiros Renegados de Bronze! (Parte I)

- Sibéria, 07:00 AM. (No mesmo momento que Masaaki encontrou-se com Ares.)

Na Sibéria estava num frio mortal de -10°C. Akemi e Tadashi acabaram de chegar à Mansão Oculta na Sibéria.

Tadashi: Que frio insuportável é este? É aqui que se reúnem os renegados? Estou quase morrendo congelado...!

Akemi: Fique tranquilo, ao menos aqui estamos seguros sob qualquer perseguição de Ares... Vamos tomar algo como um chocolate quente enquanto esperamos os outros chegarem. (Além de isso ser bem mais quente que o normal.)

Tadashi: Hum... Tudo bem... 

Ambos se dirigem a cozinha e Akemi vê de longe Kin, uma jovem mulher de cabelos ruivos bem longos, em frente ao fogão, preparando o jantar para receber os novos integrantes do grupo.

Kin: Ah, oi filhinha! Você chegou bem? Precisa de alguma coisa?

Tadashi: (Filha? Mas essa mulher aparenta ser tão jovem...)

Akemi: Oi mãe. Eu vim só fazer um Nescau quentinho!

Kin: Não quer me dar uma ajudinha no jantar?

Akemi: Não, estou cansada. Eu quase morri lá na Inglaterra, não que isso seja algo surpreendente...

Kin: Ah é mesmo, você está toda ferida! ~ expressou bastante preocupação até notar o jovem Tadashi atrás dela, observando-o com curiosidade. - Quem é o seu amigo?

Tadashi: Eu sou Tadashi, o Cavaleiro de Bronze de Lobo.

Kin: Imagino que a batalha entre vocês dois tenha sido difícil.

Tadashi: Mas como você sab-...

Kin: Eu sou Kin de Áries. Amazona de ouro de Áries, esposa de Shinichi e mãe de Akemi.

Akemi: Acabou o showzinho? Não precisa fazer uma apresentação gigante toda vez que conhece alguém novo...

Kin: Fica shiu, Akemi. O cara não pode saber que você tem mãe não?

Akemi bufa estressada, fazendo rapidamente seu Nescau e o de Tadashi.

Em poucos minutos, escuta-se um barulho estranho vindo do lado de fora da Mansão. Tadashi se estica até uma janela enquanto toma seu Nescau para ver e Akemi corre até a porta para recebê-los. Assim que descem do helicóptero, Aurora rapidamente analisa o estado de sua pupila.

Aurora: Você foi atropelada durante o tempo que fiquei fora?

Akemi: Muito engraçado, mestre Aurora. Foi, fui à Inglaterra ver a rainha e ela me deu um bote de boas vindas. ~ A moça responde com ironia.

Tadashi se dirige a frente da casa para ver os recém-chegados. Observa friamente a face de cada integrante. Yumi, Kenji, Satoshi, Aurora, e por último Katsuo, no qual trocaram olhares indiferentes e repugnantes.

Katsuo: Humpf. Desde quando estes britânicos viciados em chá têm direito de vir a esta digna mansão de gelo? Zamasu Jr. ~ diz com intenção de puxar brigar com ele, acabando por receber um soco de Tadashi em sua face.

Tadashi: O que você disse, bastardo?

Katsuo: O que você escutou, ou por acaso é surdo também?!

Tadashi: Vai se arrepender por ter dito tais palavras!!!

Yumi: Parem!! Não briguem! Nós somos um grupo!! ~ Disse desesperada e preocupada, mas ignorada pelos rapazes, e então Aurora dá um pequeno choque em ambos os garotos, o que faz eles voltarem a sua atenção ao cavaleiro de Aquário.

Katsuo e Tadashi: Aiaiaiai...!!!

Aurora: Vamos conversar depois... Nós três.

- Meia hora depois, dentro da Mansão na Sibéria.

Todos estavam reunidos na mesa. Kin e Shinichi estavam ajudando a servir, mas cada um pegava seu prato. Kin perguntava um pouco dos rapazes, sobre a vida, família... E era respondida friamente, todos diziam curtas palavras relacionadas a isso, além de todas elas passarem um sentimento de tristeza.

Akemi: (...) ~ levantou-se da mesa, sem dizer nada.

Akemi não gostava nem um pouco do clima pesado que estava no ar. Saiu de casa para tomar um ar gélido para refrescar sua cabeça.

Yumi a segue. Aproxima-se e senta-se perto dela para conversar.

- Yumi... Algum problema? ~ perguntou para a jovem Atena.

- Acho que todos nós estamos com algum problema aqui... ~ respondeu a pergunta de Akemi.

- Os meninos... Agh...! Não tenho culpa. ~ fecha seu punho, expressando raiva em seu olhar.

- Não vim aqui culpar ninguém. Queria conversar sobre o que você acha, ou se tem algo que possamos fazer... ~ diz com extrema calma.

- Eu acho... Que eles são uns bobões. E que você deveria estar preocupada mais consigo que com os moleques. ~ diz enquanto observa a aurora boreal nos céus, sem mudar sua expressão.

Yumi arregala os olhos ao ouvir a resposta da amazona de Águia. Suspira, e resolve deixá-la a sós por um tempo, enquanto esta se levanta e volta para casa.

*   *  *

No jantar, Satoshi e Kenji estavam se olhando friamente, que nem Katsuo e Tadashi. Fênix e Dragão iam pegar o mesmo prato de arroz para acrescentar as suas porções. Satoshi pega, mas Kenji bate na mão dele para o arroz cair sobre a mesa.

Satoshi: O que foi...? Ficou maluco?

Kenji: Cala boca! Eu sei que você tava olhando para minha irmã!

Kenji não estava errado. Por um instante, Satoshi necessitou admirar por um instante a beleza de Yumi. Infelizmente o irmão viu e interpretou errado. Mas Dragão tinha apenas admiração pela reencarnação da deusa Atena.

Satoshi: Kenji... Acalme-se um pouco...!

Katsuo sentiu repúdio instantâneo por Tadashi assim que o viu. Não conseguia suportar sua presença ali. Até seu jantar estava sendo engolido a seco.

Aurora: (...)

Aurora observava discretamente a situação, começou a desconfiar que o clima entre os meninos estava meio pesado, porém era cedo para tirar tais conclusões.

Shinichi: Hehehe... Eu mal posso esperar para ver a reação deles na hora de irem dormir.

 Então já eram mais de 22h, Shinichi resolveu apresentar os quartos onde os meninos ficariam, com um grande sorriso no rosto.

Shinichi: Crianças, já terminaram de jantar? Vou apresentar o quarto de vocês.

Katsuo: Não somos crianças!! ~ Ele bufou e Yumi caiu na gargalhada.

Shinichi: Como quiser, Atena... Sigam-me, crianças.

Todos os jovens seguiam Shinichi em fila indiana, numa velocidade tranquila. Cada jovem ia admirando detalhadamente a mansão de Aquário, com excessão de Katsuo e Akemi por já serem familiarizados com o local. Chegando ao quarto, cujo seu interior era estreito, havia apenas seis camas lado a lado, bem juntinhas, todas parecendo uma grande cama larga.

Shinichi: Bem, aí estão suas camas, crianças. Tenham uma boa noite.

Então o cavaleiro sai e fecha a porta na chave, deixando-os lá e então desceu até a cozinha, encontrando-se com Kin e Aurora.

Kin: Por que você fez isso? Eles podem estranhar.

Aurora: Não se preocupe, isso é apenas um teste de como eles vão se sair. Estaremos de olho neles no quarto de cima, poderemos vir aqui se algo de muito anormal acontecer.

Shinichi: Não se preocupe com nada, Kin! Tenho certeza de que eles irão se dar bem logo logo.

Kin: Hm... Está bem então.

- Dentro do quarto.

Akemi: Entããão... é isso! Vamos decidir com qual cama iremos ficar.

Katsuo: A do canto é minha, já vou logo falando mesmo! ~ cruzou seus braços, sorrindo de maneira confiante.

Kenji: Akemi, durma do lado de Yumi, e eu dormirei do outro lado.

Satoshi: Hmm, posso sentir cheiro de irmão ciumento vindo forte de você.

Kenji: O que foi que você disse?

Tadashi: Isso de dormir do lado da Yumi é só desculpa para ficar com a cama maior...

Yumi: Meninos, não briguem! Eu posso ficar com qualquer cama!

Katsuo pegou seu velho smartphone do bolso e começou a filmar tal cena escondido, no caso de acabar acontecendo alguma briga.

Satoshi: Eu tenho essa impressão também! A Akemi pode ficar numa ponta e a Yumi na outra.

Akemi: Ei, eu escolho a cama que eu fico!!

Kenji: A cama da ponta é muito pequena pra Yumi! Ela vai ficar desconfortável!

Tadashi: Não estou nem aí! Ela só tem 1,55 m de altura, a cama é perfeita para ela.

Akemi: Pois você devia estar! Ela é a Atena! E dane-se a altura dela!

Enquanto isso, no quarto de cima, Kin, Aurora e Shinichi estavam ouvindo tudo.

Kin: Não devíamos interferir?

Aurora: Relaxa, agora que eles estão se entendendo.

Kin: Tá falando sério??

Shinichi: Enquanto eles não se matarem, sim! Eu estou me divertindo bastante com isso também... Hehehe!

- Meia hora depois, no quarto dos jovens cavaleiros.

 Todos já estavam agasalhados em suas camas. Akemi na primeira, Yumi na segunda, Kenji no próximo, Tadashi ao lado, Satoshi na quinta cama e Katsuo na última.

Katsuo: (Por que eu sempre me ferro no final!?) ~ diz enquanto está deitado na menor cama.

O quarto estava com a luz apagada. O jovem Pégaso é o primeiro a dormir, e logo começa a roncar, incomodando Tadashi.

Tadashi: Que horrível Katsuo, dá pra escutar seus grunhidos daqui! Vê se entope essa boca com um pano e dorme de uma vez.

Nessa hora, ele acaba acordando irritado, com seu sono leve.

Katsuo: Eu nem mexi com você, ô babaca! Fique quieto aí se não eu vou te fazer dormir na base da porrada!

Akemi: Genteee, to tentando dormir!!

Satoshi: Fiquem quietos, seus trouxas!

Kenji: Trouxa é você, seu bastardo filho da puta!

Yumi, ao ver aquela zorra, levantou-se da cama, ligou a luz, ficou em pé na cama e gritou bem alto:

- PAAAREEEEEEM!!!!! Se vocês não ficarem quietos, eu vou fazer vocês dormirem abraçados!!!

Todos: Oh... T ^ T)

Katsuo: (Eu queria dormir abraçado só se fosse com a Yumi ou a Akemi-)

Kenji: Qual é Yumi! Não estamos mais morando no orfanato pra fazermos isso!

Yumi: Mas ainda estamos lidando com pessoas humanas, irmão!

Tadashi se vira em sua cama e se embrulha até a cabeça, dizendo:

- Por mim já deu, boa noite.

Após isso, todos ficaram quietos, deitaram em sua cama e dormiram. Akemi sussurra para Yumi:

- Bom trabalho. ~ manda um sinal de beleza com seu polegar, piscando pra ela.

Aí que a moça responde:

- Fiz isso por todo mundo. ~ sorri de volta, fazendo o mesmo gesto.

- Na manhã seguinte, 10:00 AM.

Todos os jovens estavam sentados à mesa para tomar o café da manhã que Kin preparara novamente. Ela era uma excelentíssima mãe, amazona e cozinheira.

Akemi: Está delicioso, mãe.

Katsuo: Verdade, Kin! Isso está muito bom! Apesar de que sua mão sempre foi muito boa com esse tipo de coisas como cozinhar!

A amazona de Áries sorriu. Em seguida, Aurora e Shinichi entraram na sala agasalhados e com malas.

Akemi: Ué, vocês vão sair?

Aurora: Meus jovens...

Shinichi: É o seguinte, nós três iremos sair para fazer planos sobre como agir com as constantes ameaças vindas do Santuário.

Kin: Em dois dias estaremos de volta.

Akemi/Katsuo: DOIS DIAS? ~ Exclamam assustados.

Aurora: Calma, nós deixamos uma lista de afazeres para vocês não ficarem parados. Não se preocupem com nada.

Tadashi: Eu não acredito nisso...

Yumi se matava de rir com as expressões dos jovens cavaleiros indignados.

Kin: Como estamos no inverno, vamos mantê-los trancados aqui para ficarem seguros.

Satoshi: Estão nos tratando como crianças!

Aurora: Nós estamos protegendo vocês. Ares não pode saber quem são os indivíduos que irão derrotá-lo, quanto menos se exporem, melhor.

Kin: Sem contar que vocês têm Atena no meio de vocês, então é mais um motivo para se unirem em equipe.

Katsuo pega a lista de afazeres e começa a ler com um tom de voz mais máscula, cujo foi organizada por Aurora.

-> Dia 1 <-

- Akemi e Yumi lavarão e secarão a louça após o café da manhã e almoço.

- Tadashi e Kenji irão lavar e varrer a casa.

- Satoshi e Isaac vão preparar o almoço e jantar.

 -> Dia 2 <-

- Yumi e Isaac irão polir os móveis da casa.

- Kenji e Satoshi vão fazer o almoço.

- Akemi fará o jantar e Tadashi lavará a louça.

Boa sorte! :D

 Ele ficou pensativo ao ler tudo, e indagou:

- O que acontecerá se um de nós descumprirmos algumas das tarefas?

Aurora o olhou sério e o respondeu:

- Se não conseguirem cumprir uma simples tarefa de trabalhar numa casa, quem dirá cuidar de Athena e derrotar as forças de Ares?

Tadashi: Uma coisa não tem nada a ver com a outra...

Kenji: Silêncio, Tadashi. A relação que um elemento possui com outro é a responsabilidade.

Kin: Exatamente, Kenji. Até mais, jovens!!

Os jovens se entre olham, desconsertados.

Akemi: (Tomare que meus pais não tenham saído pra comprar cigarro invés de planejar a revolta contra Ares.) Então... Qual é a primeira tarefa da lista, Isaac?

Katsuo: Bem... Você e Yumi irão lavar a louça, seu irmão e Tadashi vão limpar a casa e... Satoshi e eu vamos... Fazer o almoço.

Satoshi: Que?! Mas eu não sei cozinhar!!

Akemi/Yumi: Hahahahahahahahahahahahahahahahahaha!!!

Satoshi: Olha... Isso é um ultraje, eu nunca fritei um ovo na vida!

Akemi: Problema seu! Se vira aí!

Diz a amazona entregando-lhe uma colher de pau.

Satoshi: Mas que droga...!

 * * *

Akemi e Yumi seguiam conversando animadamente enquanto lavavam a louça. Satoshi separava alguns ingredientes do almoço. Carne, temperos, óleo e sal. Assim que termina, se dirige ao cavaleiro de Pégaso que estava lendo um livro de receitas.

Satoshi: Pronto, Katsuo. E agora? O que vamos fazer com tudo isso?

- Não tem nada aqui nesse livro de ajude. Eu não estou entendendo porcaria nenhuma... ~ responde, confuso com o tal livro.

Satoshi: Então... Vamos para o plano B!

Katsuo: Que plano B? Eu nem sabia que tinham planos envolvidos nisso. ~ Indagou enquanto Satoshi mexia no celular e indo em direção de Akemi perguntar-lhe qualquer coisa, voltando imediatamente aonde estava.

Satoshi: Coloquei a senha do WI-FI, agora a gente pode procurar um tutorial!

Katsuo: Aeeee!! Até que você foi esperto agora.

Os dois seguiam as instruções feitas no vídeo, o que não significava que eles estavam bem sucedidos.

Satoshi: Seu burro! Ele disse que era para amaciar a carne antes de temperar!

- Calma aí, esquentadinho. Eu sei o que tô fazendo! ~ responde enquanto tempera a carne.

Após isso, Katsuo coloca a carne para fritar e acaba se distraindo, queimando um pouco da carne. Satoshi vê e apaga imediatamente o fogo. O Pégaso, sem graça, o olha como se esperasse um “pode me brigar, dessa vez não me importo”.

Satoshi: Por sorte só fui eu que vi. Vamos limpar a bagunça.

Katsuo vira-se de frente, incrédulo com o otimismo do companheiro.

- Sério isso? Não vai me bater ou falar mal? ~ Questiona o Satoshi.

- Não, claro que não. Estamos juntos nessa. ~ Responde ao Pégaso.

Katsuo deu um pequeno sorriso de canto, feliz, por parecer que talvez tivesse ganhado um amigo. Satoshi retribui.

 * * *

Tadashi passava o pano úmido sobre o assoalho brilhoso da mansão enquanto Kenji jogava toda água suja fora. O silêncio predominava entre eles.

Kenji: Como está se sentindo?

Tadashi: Péssimo. Eu queria estar dormindo, mas por sorte estou limpando uma casa que não é minha, e no final das contas, para não ganhar nada.

Kenji: Você vai proteger minha irmã.

Tadashi: Eu sei...

Kenji: Fale-me um pouco sobre você, Tadashi.

Tadashi: Não sou de me abrir.

Kenji suspira e responde:

- Olha cara, você não precisa mesmo. Mas assim como você, eu tô morrendo de tédio e só quero que isto acabe o mais rápido possível. Então, como estamos em dupla, facilitaria tanto para mim quanto a você se conversássemos um pouco para passar o tempo.

Tadashi o olha de lado, com uma expressão de indiferença. Pega os panos sujos das mãos de Kenji e diz:

- Só posso dizer que perdi uma pessoa importante antes de vir para cá.

Kenji: Hm... Conte-me mais...

Tadashi: Seu nome era Liz, e ela... Era a luz da minha escuridão. Mas... Sua chama foi apagada por causa dos desgraçados de Ares! – diz o mesmo quebrando a vassoura ao meio com uma mão. Kenji fica perplexo ao ver a expressão do cavaleiro.

Kenji: Desculpe-me por fazê-lo se lembrar disso...

Tadashi simpatiza com a educação de Kenji.

Tadashi: Rá, a culpa não é sua. É por isso que estou aqui. Eu vou acabar com o desgraçado de Ares. Com ou sem vocês.

Kenji: A união faz a força, Tadashi. Quanto mais gente, melhor.

Tadashi: Isso é o que vamos ver.

Chega a hora do almoço, e todos se reúnem na mesa.

Yumi: Vamos ver se os meninos cozinharam bem!

Tadashi: É bom essa comida estar gostosa, pois com a fome que estou, posso arrebentar sua cara.

Katsuo: Fica frio aí, demos nosso melhor!

Akemi: Ficar mais frio do que está agora é praticamente impossível, Isaac.

Todos menos Tadashi e Kenji: Hahahahahahahahahaha!

Tadashi e Kenji: (...)

Tadashi é o primeiro que prova da comida. Dois segundos após meter a primeira colherada na boca, ele cospe no chão e encara todos, estupefato.

- O que você fez com a carne?! Isso tá horrível, muito salgado!

Yumi prova também, dizendo:

-  É mesmo...

Satoshi: Relaxa gente, não tá tão mal assim. Pelo menos está bem temperado; vou pegar refrigerante pra disfarçar...

Katsuo acha estranho o modo com que Satoshi o tem defendido. Porém acha bom e nada reclama.

Kenji: Isso era pra ser o que mesmo?

Satoshi: Ham, bife acebolado.

Tadashi: Não sinto nem gosto de cebola aqui.

Satoshi: É que essa parte o Katsuo se esqueceu de colocar.

Katsuo: (Me entregaram!!)

Todos acabam por aceitar a situação, e continuam a comer. Após um tempo, Akemi diz:

- O que vocês sugerem para gente fazer hoje para passar o tempo?

Satoshi: Treinar! O que acham?

Akemi: Acho ótimo!

Tadashi: Acho péssimo!

Katsuo: Quero é dormir!

Yumi: Na situação atual em que estamos, acho que treinar não seria uma péssima ideia...

Kenji: Verdade.

Akemi: Fechou então! Somos quatro contra dois que não querem treinar. Ganhamos.

* * *

Após as louças lavadas e enxutas do almoço, a galera se reúne para treinar.

Kenji: Mas que sacanagem! Aurora nos trancou na mansão! Como vamos treinar lá fora?

Katsuo: Com isso não devemos nos preocupar, tem uma saída escondida pelos fundos da cozinha.

Akemi: Quem chegar lá fora por último é o ovo podre! ~ diz e sai correndo.

Yumi: Aaah, não!!! ~ sai correndo atrás dela.

Katsuo corre também, mas Satoshi e Tadashi correm e o empurra para trás, fazendo com que Pégaso chegasse por último.

Akemi: Isaac é o ovo podre, hahahahahaha!

- “Hahaha.” – debochou Issac. – Vamos rir para a palhaça não perder o emprego dela!

Kenji: Chega disso, vamos começar.

Katsuo e Satoshi são os primeiros, levantam-se voluntariamente para treinarem juntos, Katsuo estava se acostumando com a ideia de que sua presença agradava a Satoshi. Ambos mantêm-se em posição ofensiva e se atacam com chutes, Satoshi segura a perna de Katsuo e o empurra para longe. Este último se levanta dando uma rasteira em Satoshi, que o ataca com um Cólera do Dragão, deixando Pégaso desmaiado.

Yumi: Isaac! Satoshi, não era pra atacar de verdade!

Akemi: Teoricamente isso vale, já que eles estão treinando... O Katsuo que não aguenta brigar com ninguém, esse bunda mole.

Yumi corre para ver a situação de Katsuo, que estava desacordado.

Tadashi: Relaxa que ele vai ficar bem, Yumi. Agora eu que quero lutar com você, Satoshi.

Satoshi: Eu também desejo isso!

O telefone toca de dentro da casa e Akemi vai atender.

Akemi: Alô? Pai? Sim. Estamos todos treinando lá fora, saímos pela porta dos fundos. Tá tudo bem sim. Ish, sério isso? Beleza, deixa comigo. Tchau, outro.

Enquanto Satoshi e Tadashi estavam trocando socos, Akemi se intromete no meio deles e fala bem alto para todos ouvirem.

- Gente, prestem atenção! Temos que entrar em casa agora!

Todos: Oh!

Yumi: Por quê?

Akemi: Está vindo uma terrível tempestade nessa direção! Devemos nos proteger. Meu pai que avisou, vamos?

Todos: Vamos.

Satoshi carrega Katsuo que ainda estava desmaiado, e os outros o observam um pouco, mas nada comentam.

 * * *

Após entrarem em casa, uma tempestade de gelo assola todo o ambiente em que estavam há poucos segundos, torna-se branco como um cenário vazio. Frio como Cocyte, e sombrio como um lugar demoníaco.

Satoshi deixa o Pégaso no sofá e diz:

- Ainda bem que seu pai nos avisou, senão teríamos virado bonecos de neve agora.

Yumi chega da cozinha com uma panela cheia de chocolate quente.

- Querem um pouco, pessoal?

Todos: Sim!!

Os cavaleiros se servem de caneca, e então Kenji, Satoshi e Tadashi começam a trocar palavras e elogios com as lutas de treinamento, o que em seguida se transformou em conversa. Yumi foi buscar um lençol e o colocou sobre Katsuo, então ela ajeitava delicadamente o Pégaso no sofá enquanto este abria os olhos, acordando.

Yumi: Que bom que acordou!!

O jovem tem como a primeira visão após despertar, a alva face de Atena. Bobo e sem graça, ele fica sem saber como agir.

- Eu... Uh, como vim parar aqui... Yumi? Onde estou...?

- Você está na mansão da Sibéria, bobo! Acontece que você levou um golpe do Satoshi e desmaiou, mas o mesmo te carregou até aqui.

- O Satoshi... ~ então ele olha para o amigo conversando com os outros dois meninos. “Obrigado.”

- Você se sente bem? Quer um pouco? ~ ela diz enquanto oferece chocolate quente para o jovem Pégaso.

- Aaah, minha cabeça dói um pouco... Mas sim, aceito esse Nescau improvisado! – diz, um pouco brincalhão.

- Ótimo! ~ sorri alegremente, um pouco corada.

Então, alguns minutos depois, Satoshi e Katsuo retornam à cozinha, pois precisavam preparar o jantar, como o combinado na lista.

- O que vamos fazer para o jantar? ~ Questiona para Satoshi.

- Acho que podemos fazer uma sopinha, já que estamos nesse frio. ~ Responde o Pégaso.

- Mas que frio? Eu não sentido frio algum... Deve ser por que eu estou acostumado com temperaturas bem abaixo de zero. ~ cruza seus braços, pensando um pouco. - Certo, mas você tempera a carne!

- Tudo bem, e você corta os legumes e verduras. ~ responde um tanto animado.

- Okay! ~ diz enquanto pega as verduras e legumes.

Yumi, que vinha lavar a louça, via ambos um pouco desconsertados em relação à sopa e resolve lhes ajudar. Ela começa a cortar rapidamente as verduras, e então Katsuo pega em sua mão para tirar da faca.

- Não precisa fazer isso, Yumi. Deixe-nos aprender! ~ sorri para ela.

Yumi olha corada para ele, por ter sua mão tocada tão de repente.

- Hihi! deixe isso com a gente. ~ diz o jovem Dragão.

Yumi: T-tá bom então...!

Os dois terminam rapidamente o preparo da comida. Tadashi aparece varrendo na cozinha e dá uma pequena encarada nos olhos dos dois cavaleiros. Que retribuem o olhar com indiferença.

Logo o jantar fica pronto e é servido. Akemi é a primeira que prova.

Akemi: Uh, isso ainda tá com um gosto estranho.

Kenji: Olha gente... Eu sinceramente gostei, tá melhor que o almoço.

Katsuo: Aeeeh, obrigado!!

Yumi: Concordo com Kenji. Está uma delícia. – O pégaso sorri.

Akemi: Vamos fazer uma brincadeira?

 Katsuo: Com um cepo de madeira? Zoas.

Yumi: Que meme antigo, haha

 Katsuo: Né? Esse meme é do tempo das cavernas.

Akemi: Não, idiota. Vamos fazer uma rodinha.

Satoshi: Gostei da ideia. Terminemos de jantar para começarmos isso!

 

 * * *

Após o jantar, Katsuo e Akemi saem pela porta de trás e fazem uma fogueira de acampamento, em seguida colocando vários banquinhos de madeira em volta para a brincadeira. Assim, todos os outros jovens vão até lá e se acomodam entre os assentos. Akemi para com uma garrafa de vidro e a coloca no chão de gelo.

Satoshi: Eita é o jogo da garrafa??

Tadashi: Já vou avisando que vai dar merda isso aí. Eu não vou beijar ninguém.

Akemi: Hahahaha! É um jogo da garrafa diferente. Nós vamos jogá-la, e naquele que a boca da garrafa apontar, esta pessoa irá contar um pouco da sua vida para todos ouvirem.

Katsuo: Posso ser o primeiro?

Akemi: Vai. – em seguida, Katsuo roda a garrafa e ela para em Kenji.

Continua na parte II!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...