1. Spirit Fanfics >
  2. Os Cavaleiros do Zodíaco: O Céu é o Novo Inferno >
  3. O Tempo é de Viver (parte 2)

História Os Cavaleiros do Zodíaco: O Céu é o Novo Inferno - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Segunda parte do capítulo três!
Espero que gostem!
Boa leitura!

Capítulo 7 - O Tempo é de Viver (parte 2)


- Você estava certa Marin, coisa boa não é - Disse Shina apreensiva.

O Cavaleiro Celestial levanta o braço e abre a palma da mão para o céu carregando energia até que ela se transforme em uma lança feita de pura energia elétrica. Então em nanossegundos ele lança de forma muito rápida a energia em direção ao Seiya. Pouco antes de Marin, Shina se coloca na frente de Seiya levantando a guarda defendendo com os braços cruzados. No momento do impacto ela faz um movimento abrindo-os separando a energia pelo meio e fazendo ela se dissipar descendo pelos seus antebraços e jogando no ar com as mãos abertas.

- Você não é o único que controla eletricidade! - Disse Shina indo para ataque.

Ela levanta o punho direito com as unhas compridas carregando eletricidade roxa, assim como as do próprio anjo, e tenta atacar da forma mais rápida que conseguisse, ela salta e cai em cima do Cavaleiro Celestial que não esboçou nenhuma reação.

- ESPERE, SHINA! - Gritou Marin próxima ao Seiya.

- GARRAS DE TROVÃO!

Ela cai e transpassa as garras elétricas pelo tórax do anjo, porém é como se não tivesse o atingido. Ele começa a se dissipar como uma miragem. Era uma imagem residual que ficou de tão rápido que ele se movimentou. Para elas ele ainda estava parado naquele local. Shina se desespera e ao se virar ele está caindo do céu formando um triângulo com as mãos carregando uma esfera elétrica no meio dele.

- Hãã! MÁXIMA ALTITUDE!

Ele cai com tudo em cima de Shina largando a energia em cima dela causando uma grande explosão. Ele sai caminhando tranquilamente do meio da poeira levantada em direção a Marin e Seiya.

- Ele é rápido demais. O que eu vou fazer?

Então Marin tomou a iniciativa e foi para o combate.

- Háá! Ataque Meteoros! - Uma explosão de meteoros saiu do punho de Marin na velocidade do som indo em direção ao anjo.

O Anjo voou em direção aos meteoros e facilmente se desviou de todos até chegar na frente de Marin.

- Impossível! - Pensou ela.

O Anjo deu um golpe forte no abdômen dela e depois com um impulso arremessou-a para dentro da casa quebrando a parede do lado de fora da varanda.

O anjo se aproximou de Seiya indefeso na cadeira de rodas e proferiu algumas palavras:

- Você desrespeitou os deuses. O Olimpo quer a sua cabeça, Pégaso. E eu pretendo pegá-la hoje custe o que custar. Eu queria poder lutar com você pra derrotar aquele que superou alguns deuses e provar que eu sou mais forte e que eu posso me tornar um Deus. Mas acho que você nunca mais vai acordar desse coma.

O Anjo ergueu um dos punhos mirando no pescoço de Seiya e então disse sussurrando para ele:

- Lembre-se do nome do seu algoz. Ícaro.

Então ele fez o movimento.

 

*****

 

Descendo a colina rapidamente, em um determinado ponto, Atena e Shun são atacados de surpresa. Curiosamente os ataques foram em direção apenas de Shun. Eram várias flechas de energia. Ele facilmente se defendeu de todas fazendo movimentos de bloqueio com suas correntes.

- Quem são vocês!? - Perguntou Shun de forma séria em posição de combate.

Eram várias mulheres segurando arcos e tinham feito uma emboscada para eles.

- Somos Satélites, guerreiras da Deusa Ártemis.

- O quê? Minha irmã tinha prometido que nos dariam tempo!! - Exclamou Atena.

- Apenas estamos seguindo as ordens de nossos superiores. Calisto nos mandou aqui para interceptá-los e nós cumpriremos nossa missão! - Diziam elas.

- São mulheres! Não quero machucá-las - Pensou Shun.

Então elas levantaram seus arcos novamente e criaram suas flechas de energia amarela. Isso significa que elas dominam algum vestígio de cosmo para criarem estas flechas. Mas ainda sim não eram fortes o suficiente.

- Vocês têm certeza de que querem lutar? Não quero ter que machucar vocês - Disse Shun.

- Está nos subestimando por sermos mulheres?! Ataquem! - Gritou uma delas.

- Vocês não são páreas para mim - Disse Shun calmamente de forma natural se defendendo de todas as flechas facilmente.

- SHUN! CUIDADO! - Gritou Atena.

Várias outras flechas vinham nas costas de Shun, estas pareciam ser mais potente do que as das primeiras Satélites. Então Atena usou seu cosmo e as paralisou no ar antes que pudessem acertar Shun.

- Obrigado, Saori! - Disse Shun olhando para trás.

Os dois olham para ver de onde veio as novas flechas. As primeiras Satélites aproveitam o momento de distração e batem em retirada. Estas pareciam ser bem mais fortes e usavam uma armadura negra bem diferente das Satélites comuns.

- Por que estão nos atacando!? Por acaso isso é uma armação pra nos fazer lutar e dizerem que nós rompemos o acordo!? - Dizia em tom alto Saori.

- Nós somos as forças especiais de Raskumon. Estamos apenas seguindo as ordens de nossa superior Calisto.

Elas descem do ponto alto onde estavam e cercam Atena e Shun.

- Saori, tome cuidado, eu sinto que essas guerreiras dominam o cosmo muito mais do que as primeiras Satélites. São perigosas, por favor, fique atrás de mim - Disse Shun preocupado com a desvantagem numérica - Eu poderia acabar com mil das Satélites normais, mas estas sinto que são muito traiçoeiras - Pensou por último.

- Venham! Eu luto com vocês - Disse mais uma vez Shun sério e determinado.

Elas o atacam de várias direções e ele usa a Defesa Circular de forma bem larga protegendo ele e a Saori no centro de todas as flechas. Então ele toma a dianteira indo para o ataque.

- Agora é a minha vez! Onda Relâmpago! - Atacou Shun.

Sua corrente foi lançada rapidamente fazendo formas de relâmpagos em direção delas derrubando-as uma de cada vez.

- Eu não ataquei com força letal. Mas se continuarem no nosso caminho não terei escolha - Disse Shun determinado mais uma vez abrindo os braços mostrando suas correntes.

- Ele é muito poderoso... - Disse uma delas enquanto todas tentavam se levantar com dificuldade.

- Vocês são guerreiras muito fortes, mas não o suficiente pra me derrotar - Disse Shun num tom natural.

- Por favor, nos deixem em paz! Saiam do caminho assim ninguém precisa se machucar! - Disse Saori pedindo para as Satélites da força especial.

Shun estava na frente dela preparado para qualquer movimento que elas fizessem, estava concentrado pois sabia que tinha algo de estranho nelas.

Repentinamente a corrente pontiaguda que é designada primariamente para o ataque apontou para trás dos dois indicando que havia um inimigo ameaçador. Então rapidamente Shun tenta se virar, mas pouco antes disso acontecer uma flecha de energia vermelha veio a uma velocidade incrível e o atingiu com força total nas costas bem no meio da coluna. Shun dá um grito forte de dor aguda e desmaia enquanto seu corpo desabava no ar até atingir o chão batendo a cabeça.

- Víbora Carmesim - Disse o nome de seu ataque, a atiradora, após ver que conseguiu derrubar Shun.

 

*****

 

Assim que Ícaro iniciou o movimento rapidamente Marin moveu-se para perto dele e segurou seu punho com uma mão e o socou forte no rosto com a outra enquanto dizia:

- Você não vai matar o meu discípulo!! - Rangendo os dentes.

Ícaro ficou levemente atordoado com o golpe, Marin em sequência deu um chute no ar girando para trás e acabou jogando-o para longe. Após pousar firme no chão ela se levanta em posição de combate.

Ícaro quando parou de deslizar no chão foi surpreendido por Shina encostando-o nas costas com uma massa de energia elétrica carregada devolvendo a explosão que ele tinha feito nela. Logo ela se afastou dele e após a poeira baixar novamente ele parecia intacto.

- Vocês têm espírito de luta. Mas são uma piada perto de mim.

- Cale a boca! - Disse Shina indo para o ataque.

Ela faz uma sequencia de golpes, ele desvia de todos, pega no pulso dela e arremessa ela em direção a Marin e Seiya.

- As duas irão pagar por terem encostado em mim.

- Você não é um Deus! Não passa de um súdito seguindo ordens - Disse Marin em resposta.

Marin chamou a atenção de Ícaro.

- Garota, o seu cosmo me incomoda.

Ícaro voou para cima das duas, Shina tomou a frente tentando contê-lo mas foi inútil, com um chute na cabeça ele arremessou ela para cima de Seiya que caiu com seu corpo inanimado junto com ela virado no chão assim como a cadeira de rodas. No chão atordoada, Shina olha para dentro da casa e manda os assistentes e enfermeiros se esconderem no fundo da casa.

Ícaro vai até Marin e a pega pelo pescoço levantando no ar. Enquanto Marin sufocava Shina gritou:

- MARIN! Não!

Por um momento Ícaro hesitou na sua mente ao ouvir esse nome. Ele olhou para Shina estranhando a situação. Ele volta a olhar para Marin e decidiu tirar sua máscara.

A olhar o rosto de Marin, que agonizava sendo sufocada, ele a solta imediatamente surpreso. Ela cai fraca no chão frente a ele e Shina rapidamente trás em resposta lançando seu Garras de Trovão pra cima dele que salta para trás se defendendo de braços cruzados.

- Deixe a Marin em paz. Eu serei sua adversária - Disse Shina determinada.

- Já chega. Cansei de brincar com vocês. - Disse Ícaro de forma aborrecida.

Ele salta para o alto novamente e voa em direção a Shina acumulando cosmo no seu punho direito e então ele solta seu ataque:

- PUNHO DO ANJO!!! - Gritou com raiva.

Por pouco Shina conseguiu desviar porem ao socar o chão o poder causou uma onda de choque derrubando tudo em volta. Era um poder destrutivo incrível. Marin, Shina, Seiya e sua cadeira de rodas voaram para mais longe.

- Seiya! - Disse Shina preocupada olhando para o lado.

- Esqueça o Pégaso amazona. A sua hora chegou!

Por um breve momento através de seu aborrecimento e determinação em matar Shina ele esqueceu-se de Marin que o interceptou acertando um golpe.

- LAMPEJO DA ÁGUIA!!! - Gritou Marin invocando seu poder acertando um poderoso chute no rosto de Ícaro que voou longe e caiu atordoado no chão.

Sua máscara tinha caído ao seu lado. E ao se virar se levantando Marin olhou bem para o seu rosto e ficou surpresa.

- Tohma!? - Perguntou ela.

Ele se enfureceu e colocou a máscara de volta.

- EU NÃO SOU MORTAL! - Disse enfurecido - Já chega! Já passei muita vergonha com vocês duas. Sabem que não podem me derrotar.

- E quem disse que estamos tentando te derrotar? - Disse Shina.

- Como assim? - Pensou Ícaro - Hunf, que desculpa esfarrapada, diz isso porque não são páreas para mim - Continuou.

- Você acha, Tohma? - Disse Marin testando-o.

- Sinto muito, você deve estar me confundindo com alguém. Meu nome é Ícaro.

Ele encara Marin e Shina..

- Duas amazonas de prata não são o suficiente para me deter.

- E que tal um cavaleiro de bronze? - Disse ironicamente uma voz marcante descendo lindamente do céu.

Era Hyoga descendo entre as nuvens e abrindo o céu azul novamente enquanto flutuava em direção ao chão com as asas da armadura de Cisne abertas nas costas. O ar gélido em torno dele fazia um som cristalino.

Hyoga pousa na frente dele e as asas da armadura se recolhem. Ele entra em posição de combate na frente de Ícaro que ficou sem reação.

- Nós estávamos apenas te distraindo, nosso objetivo era apenas te segurar o máximo de tempo possível, seu tolo - Respondeu Shina provocante.

- Desgraçados... - Resmungou Ícaro rangendo os dentes.

- Vai encarar? - Perguntou Hyoga de forma muito calma.

- Vocês vão viver hoje pra morrerem no amanhã. Eu voltarei - Disse Ícaro de forma séria.

- Estaremos esperando - Respondeu Hyoga.

Ícaro foi embora saltando em direção a um clarão que se criou em cima dele. Provavelmente um portal para o Mundo Celestial.

A armadura de Hyoga assim como a do Shun estava com algumas poucas rachaduras e estava com algumas lascas faltando, elas estão terminando de se recuperar da batalha contra Hades ainda.

- Vocês estão bem? - Perguntou Hyoga virando-se para trás.

- Sim, estamos - Respondeu Marin escondendo suas reflexões - Será você mesmo Tohma? - Perguntou-se mentalmente.

Então após perceber que o cavaleiro celestial derrubou um pingente quando foi atingido, ela o recolhe e guarda, então vai ajudar a Shina a levantar Seiya. Hyoga vai até a entrada da casa e ordena para que um dos assistentes ligue para a Mansão Kido e que chame Shiryu imediatamente.

 

*****

 

- SHUN! - Gritou desesperada Saori.

A atiradora aproximou-se dos dois.

- Atena, meu nome é Raskumon sou a líder das forças especiais das satélites. Não estou aqui para ameaçá-la, apenas temos autorização para matar seus cavaleiros caso eles estivessem no caminho.

- Mas foram vocês que nos atacaram! - Replicou Saori.

- Viemos por ordem da Senhora Calisto. Só queremos saber uma coisa, Atena. O que veio fazer aqui?

- O que você acha? Aqui é o meu Santuário.

Raskumon apenas encarou Saori. Ao se aproximar do corpo caído de Shun ela diz:

- No fim esse Andrômeda não é tão forte assim. E ninguém sobrevive ao meu ataque.

- Você foi uma covarde! - Diz Saori - Atacou por trás e de surpresa e ainda se acha como uma guerreira fenomenal. Não deixarei que encoste no Shun - Disse determinada se colocando entre Raskumon e Shun.

Raskumon deu de ombros.

- Hunf, ele já está morto. Agora por favor Atena. Diga o que veio fazer em Star Hill.

- Se eu tentar qualquer reação posso estar acabando com o acordo entre mim e o Olimpo e botando tudo a perder - Pensou Saori angustiada - Eu estava apenas visitando meus aposentos dentro do Santuário - Respondeu de forma calma e convincente.

- Se você continuar mentindo nós teremos que usar a força contra você. Sabemos que o Pégaso está numa casa com você. Se quiser nós podemos fazer uma visitinha a ele.

- Por favor, não! - Responde Saori aflita com medo de que algo acontecesse a Seiya.

De repente uma ave flamejante voa em direção a Raskumon que salta para trás desviando. O fogo se alastra em volta de Saori e Shun como um circulo protetor. E Ikki aparece caminhando entre as chamas saindo do circulo.

- Ikki! Que bom que você está aqui! Shun foi ferido precisamos levá-lo rápido! - Dizia Saori ansiosamente abraçando Shun no chão.

- Fique calma, Atena. Está tudo sobre controle. Shun não morrerá - Respondeu Ikki sem tirar os olhos de Raskumon - Eu pretendo acabar logo com isso, não tenho tempo para maricas.

Raskumon se irritou:

- Continue nos subestimando e você caíra fácil, fácil, como o Andrômeda.

- Nem se atacasse dez vezes com seu golpe iria matar Shun. Você o pegou desprevenido. Numa luta justa ele poderia acabar facilmente com você - Respondeu Ikki fazendo com que Raskumou rangesse os dentes.

- Satélites Negras, ATAQUEM!

Elas lançaram várias flechas de energia na direção de Ikki que apenas saltou e chutou o ar criando uma onda de chamas que varreu as flechas no ar e em seguida Ikki foi para o ataque.

- Ikki, por favor, não as mate! Se fizer isso podemos estar arrumando mais problemas com o Olimpo!

- AVE FÊNIX! - Diz lançando seu turbilhão de chamas pra cima das satélites negras seguido da Fênix que deixou todas inconscientes - Não se preocupe, Atena. Não ataquei pra valer. Elas estão vivas. Mas se ficarem no meu caminho irei matar todas. Não sou tão bonzinho quanto meu irmão - Disse de forma séria.

As chamas em volta de Saori e Shun se apagaram. Ikki se aproximava dos dois quando Raskumou tentou pará-lo.

- Isso não vai ficar assim! Ninguém trata minhas satélites desse jeito, háá, VÍBORA CARMESIM!

A flecha voa furiosamente na direção de Ikki que simplesmente tira o corpo da frente e agarra a flecha vermelha no ar com a mão direita. Ele a lança de volta na mesma velocidade atingindo Raskumon no ombro.

- Droga! Não é possível, como esse homem é capaz disso!

Ikki se aproximou lentamente dizendo:

- Você não vai se render não é, então eu vou ser obrigado a tomar iniciativa.

Ele voou rapidamente em direção a ela e usou o Golpe Fantasma de Fênix fazendo-a ficar atordoada e cair no chão.

- Então é verdade... Seu poder é maior que sua fama, Ikki de Fênix... O mais forte dos cavaleiros de bronze... - Dizia Raskumon no chão com muita dor.

- Não, eu não sou o mais forte.

- O que? - Rangeu os dentes - Há outro cavaleiro mais poderoso que você?

- Sim. O Andrômeda que você derrubou hoje com um golpe surpresa. Sinta-se orgulhosa. Se ele usasse seu verdadeiro poder seria mais famoso do que eu - Disse Ikki indo até Saori que o ajudou a colocar Shun no ombro para ser carregado.

Então ela se levanta com muita dificuldade e Ikki apenas levanta o punho direito. Então Teseu apareceu. Um Anjo de Ártemis. Ele se colocou entre Ikki e Raskumon e após encarar Ikki que disse:

- Vai tentar a sorte?

Ele vira-se para trás e diz a Raskumon para recuar e que eles devem ir embora.

- Voltaremos a nos ver, Ikki de Fênix - Disse Raskumon sendo teleportada junto com as outras satélites. Por último até desaparecer Teseu ficou encarando Ikki.

Então Saori desceu a colina junto de Ikki carregando Shun nos braços.


Notas Finais


Espero que quem leu tenha gostado!
Não esqueçam de avaliar e contar para os amigos que gostam de Saint Seiya sobre esta história!
Meu muito obrigado!

Jogo de perguntas:
- Por que Calisto ordenou essa emboscada?
- Quem é Calisto?
- Quem é Tohma que Marin mencionou?
- O que vai acontecer com Shun?
- Concordam que Shun poderia ser o bronze mais forte se quisesse?
- Que segredo Atena/Saori revelou ao Shun?
- Qual foi a melhor entrada triunfal? Ikki ou Hyoga?

P.S.: Fiquem atentos, me ajudem a proteger a história de plágios!
P.S.2: Esse capítulo ainda não acabou, terá a parte 3 que tem muito a revelar ainda!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...