1. Spirit Fanfics >
  2. Os Cinco Toques de Uma Meretriz >
  3. Capítulo Oito

História Os Cinco Toques de Uma Meretriz - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, surpresa heheh
Dois capítulos de uma vez só, quem diria não é!

Mas bem, como eu achei q a personagem principal estava meio sem sal, eu tentei mostrar um pouco mais a personalidade que eu escolhi para ela. Então eu espero do fundo do meu coração que vcs notem a diferença.

Mas é só isso mesmo, boa leitura!!!

Capítulo 8 - Capítulo Oito


Fanfic / Fanfiction Os Cinco Toques de Uma Meretriz - Capítulo 8 - Capítulo Oito

»» Capítulo 08 ««

 Ao pisarmos naquele lugar percebemos a grande agitação. Olho pra Jessi surprisa e a mesma dá de ombros. Estavam todos ocupados com os preparativos do evento. E agora você talvez me pergunte, que evento? Bem, deixe-me explicar.

 Ontem, depois daquela noite um tanto quanto agitada, Jessica e eu fomos acordadas por inúmeras notificações em ambos os celulares. Assim que nossos cérebros começaram a raciocinar, como as mensagens estavam chegando ao mesmo tempo, chegamos a conclusão mais óbvia: era algo relacionado a agência.

 De primeira não entendemos muito bem, não havíamos feito nada de errado. Então decidimos ir ver do que a tratava todo esse escarcéu. E bem, não tinha nada a ver com nós, em específico ou com nossa conduta, mas sim um evento. Uma grande empresa estaria dando uma festa e estava disposta a pagar por uma noite de diversão para seus convidados e empregados. Minha feição não foi muito diferente da de Jessica que  torceu o canto da boca em repulsa. Um evento desses significa velhos nojentos se achando por estarem "comendo novinhas". Que nojo!

 Enquanto esses pensamentos vêm em mente, vou até a sala e pego uma garrafa de bebida que havia sobrado da noite anterior, e dou um belo e longo gole. Jessi que havia me seguido e mantinha uma expressão totalmente descontente, toma a garrafa de minhas mãos e faz o mesmo. Seria bom se pudessemos beber igual ontem, mas não termos tempo para isso. Um fato curioso é que eu acordei com nenhum indício de ressaca, e aparentemente Jessica também não.

 Entre as diversas mensagens algo que estava bem destacado era que deveríamos chegar na agência às oito da manhã, e bem... Já eram dez pras sete, e como eu não sou uma pessoa que se arruma em menos de meia hora, levantei rapidamente  e comecei a agilizar as coisas.

  Bom, resumindo foi exatamente isso. Agora estou em um salão acompanhada de mais umas cinquenta garotas recebendo orientações sobre como se portar diante daqueles pervertidos, e principalmente, ser submissa a todo momento. Se eles quiserem nos espancar, nos torturar, nos humilhar, é isso que deveremos deixar que eles façam, sem contestar, afinal o cliente tem sempre razão. 

 Três filas são formadas, e em sua frente três balanças respectivamente. Era o dia da pesagem. Por mais que eu tivesse me matado na academia todos os dias e seguido a risca a dieta eu estava com medo. Aquelas que não mantêm seu peso em cinquenta e três quilos, independente de sua altura, é agredida e deixada sem alimento até que esses quilinhos extras sejam expelidos de seu corpo. Pode parecer loucura, mas não é. O fato de estarmos na Coréia do Sul, onde os padrões de beleza são essenciais para praticamente tudo, torna as coisas mais difíceis. Até por que eles querem encaixar todas essas garotas, sendo a maioria estrangeiras, no padrão de beleza deles.

 Logo chega a minha vez e por sorte estava com os quarenta e três quilos. Fiquei surpresa por ver que nenhuma das cinquenta mulheres estavam a cima do peso, nem que fosse por quilogramas. Após a pesagem começa a seção de embelezamento. Unhas, depilação, hidratação dos cabelos e peles e tudo mais. Deveríamos estar perfeitas para caras que se quer toam banho.

 A medida que a noite se aproximava a ansiedade e o desespero de todas as moças, incluindo eu, aumentava. O dia passou até que rápido após tanto escolher roupas, sapatos e acessórios, e quando me dei conta, já estava em uma limusine com mais sete mulheres sendo levadas até uma casa noturna. Os automóveis param em frente ao local e um a um entregam as garotas. Então somos conduzidas até interior da casa. Inspiro fundo e consigo sentir o aroma da luxúria. Um certo tempo já havia se passado e os convidados estavam prestes a chegar. Olho meu reflexo no vidro de uma das mesas alí dispostas, fazendo-me sentir como um objeto, projetado para dar lucro. Escuto falas não muito longe daqui, e então, ainda me olhando naquele vidro, minha expressão abatida e cansada dá lugar a de uma mulher sedutora. Olho para frente e vejo todos aqueles homens adentrando o lugar, todos já mordiscando os lábios, gritando e falando coisas obscenas. Eu já havia vestido minha máscara, a de uma prostituta submissa e provocadora, então, vamos ao trabalho!

 Sem demora acho um homem a quem começo bajular e a dar atenção. Ele me guia até uma mesa onde seus colegas já estavam sentados rodeados de mulheres. Ele se senta primeiro e alterna o olhar entre mim e seu colo, logo entendo o recado e me sento no mesmo com um sorriso provocador. Durante toda sua conversa chata sobre finanças da empresa, que ao meu ponto de vista eu sabia mais do que eles todos, a mão do mesmo alisava minhas pernas, e de vez em quando se atrevia a subir um pouco mais do que o normal. O cara começou sutilmente a  por a mão em minha intimidade, e por mais que eu estivesse odiando aquilo tudo, me virei para ele mordendo os lábios, como se eu estivesse louca para que ele me fodesse. 

 O homem continuou conversando e observando todos naquela roda, um senhor me chama a atenção. Ele me parecia familiar. Está verto que meu pai fundou sua empresa junto com coreanos, fazendo com que eu tivesse contato com eles desde que me entendo por gente, mas não tenho certeza se já o vi antes. 
 
 O homem que praticamente me molestava pede licença, ele precisava ir ao banheiro. Saio de seu colo e me sento em seu lugar quando o mesmo se levanta. Agora eu me encontrava do lado daquele senhor intrigante, e quando o olho, para a minha surpresa ele já estava me olhando.

 

 – A senhorita é muito linda sabia? – Diz ele se aproximando de meu ouvido. 

 

 – Oh, que gentileza a sua, senhor... 

 

– Sr. Byun. Mas me chame apenas de Gook Hyun. - Sem saber muito como agir pela maneira que esse velho me olhava, agora foi minha vez de pedir desculpas e me retirar do local.

 


 No caminho até o banheiro pego uma taça de champanhe da bandeja de um garçom gatinho que ficou me encarando, e entro no toilette. Ao entrar posso escutar gemidos, de uma mulher, e barulhos de... Bem, você sabe o quê. Me apoio na pia olho para o espelho. Então começo eu encaro a pessoa a minha frente, e poxa vida... Como ela está linda. Esses cabelos soltos e esse vestido curto sexy faziam-me enxergá-la uma mulher forte, mas talvez muitos alí só a enxergassem como uma mera meretriz... Pego minha taça e a viro de uma vez só, buscando no álcool a coragem necessária para retornar a aquele inferno.

 Novamente visto meu falso sorriso  e saio daquele banheiro. Na porta do mesmo haviam muitas pessoas saciando seus desejos sexuais. Helloo galera, existem quartos nesse lugar para esse tipo de coisa! Olho para o chão tentando esconder meu semblante desaprovador e tentar seguir em frente. No meio do caminho, uma mão segura meu braço firmemente, e quando olho para ver o ser quase caio dura. Essa praga de novo não... 

 

 – Hyunshik... 

 

 – Minha querida S/n, que bom te ver! 

 

 – O que você está fazendo aqui? – Lhe pergunto com uma expressão de quase tédio e olho para sua mão que me segurava esperando que o mesmo me soltasse, o que por fim não aconteceu.

 

 – O que eu estou fazendo aqui? A empresa na qual eu TRABALHO está dando está festa. – Ele dizia como que esfregando em minha cara que ele havia conseguido um bom emprego em uma boa empresa.

 


 Dessa vez eu o olho com total tédio e dou de ombros, como se suas palavras não tivessem me magoado.

 


 – Okay, agora me solte. Preciso voltar pra lá. – Digo séria.

 


 – Acho que não... Eu tenho uma missão pra você. – Um sorriso malicioso surge em seus lábios e o vejo retirando um pequeno papel do bolso e balançando-o. 

 

 – Que porra é essa? – Minha paciência já estava se esgotando.

 


 – É o papel que me permite derramar a minha porra em você essa noite. – Mais do que nunca ele parecia um adolescente virgem falando besteiras, e eu apenas rodei meus olhos e tomei o papel de sua mão checando se era mesmo um pedido com meu nome. E quando vejo que de fato era jogo o papel para o alto e saio andando em direção aos quartos enquanto aquele babaca vindo atrás de mim. Durante o percurso o escuto rindo, e quando chegamos em um dos quartos, abro a porta para que ele entrasse primeiro. Passando pela porta o infeliz me rouba um selinho.

 Entro no cômodo e tranco a porta. Respiro fundo e me olho para o rapaz que estava sentado de maneira relaxada na cama e me aproximo, depois  me virando de costas para ele. 

 

 – E aí, como vai ser? Vai vir tirar meu vestido, vai ficar aí só olhando ou espera que eu faça um striptease você? – Digo sem paciência.

 

 – Você me deu duas boas opções. – Ele diz se levantando e vindo ao meu encontro. – Mas vou escolher a primeira... – Sussurra em meu ouvido enquanto abraça minha cintura com uma das mãos e a outra abrie o zíper do meu vestido deixando-o cair sob meus pés.

 

 – Vem com o papai gatinha! – Fala em um sussurro.

 

 

 Eu me viro para ele e o empurro na cama, logo subindo em cima do mesmo.

 


 
 
 – Saiba que agora com a vontade que eu te beijarei é a vontade que eu tenho de esmurrar a sua cara, seu cretino. – Minhas mãos que estavam enroladas em seus cabelos o puxam para mais perto do meu rosto. Por um momento eu analiso sua face, e ele é tão bonito... Lembro que nem sempre fomos assim, como cão e gato. Mas ele me fez algo horrível...

 


 Esses pensamentos me trazem à tona um sentimento que eu jurava ter apagado do meu coração. O ódio. Olho para a boca de Hyunshik e a beijo com voracidade. Como eu disse, eu o beijaria com vontade que eu tenho de socá-lo, então provavelmente essa boquinha amanheceria em carne viva. 

 

 

 

 Ah Hyunshik, seu maldito... Eu te odeio tanto, mas você nem imagina o quanto...

 


Notas Finais


Até a próxima, desculpe qualquer erro e se cuidem contra o COVID-19!!


Byeee ~❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...