História Os Deuses da Mitologia - Capítulo 61


Escrita por:

Visualizações 43
Palavras 2.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


olá! cheguei dessa vez com minha maninha narrando o capítulo. <3
n sei muito o q comentar aqui hj kk tô com fome kk

Capítulo 61 - ANNABETH - Um plano silencioso


Fanfic / Fanfiction Os Deuses da Mitologia - Capítulo 61 - ANNABETH - Um plano silencioso

ANNABETH

Coatlicue ia lentamente acordando enquanto eu listava mentalmente as preparações para meu plano. Todos já haviam decorado as suas partes e estavam se colocando em posição para elas. Sam e Frank disfarçados dentre as cobras de Coatlicue? Confere. Percy? Uma troca de olhares com Percy indicou silenciosamente que ele ainda lembrava da parte dele. Então, confere. Apesar de ainda não ser necessário para mim me esconder com meu boné, era importante que Hazel, Nico e Anúbis estivessem escondidos sim. Eu estava torcendo para que Coatlicue estivesse antes concentrada demais em nossa luta para notar que os três haviam saído ilesos da briga que havia deixado eles velhos demais. Mas ao menos por enquanto, acho que podíamos nos dar ao luxo de eles ficarem escondidos atrás de um muro de pedra que havia ali. Até para eles pouparem as forças. Assim, Hazel, Nico e Anúbis? Confere. 

Por motivos óbvios, a parte que eu estava mais preocupada era com Frank e Sam. Esperava que o fato de estar no meio de tantas cobras disfarçasse o cheiro deles. Também esperava que as cobras não notassem que havia intrusos entre elas. Até o momento por enquanto, elas não pareceriam ter reclamado embora meu coração apertasse a cada sibilo dado por elas. 

As cobras ficaram, subitamente, completamente caladas quando Coatlicue terminou de acordar. Com olhos pesados como se ela não houvesse dormido direito à uns dias, ela olhou ao redor e fungou o nariz brevemente abaixando a cabeça deixando o rosto escondido. 

- Mate-me logo… - disse Coatlicue desanimada - se minha incompetência é tão grande a ponto de não conseguir ganhar de alguns semideuses…. Pra que eu sirvo então?

- Essa água funciona rápido mesmo pela cara. - comentou Percy. 

- Coatlicue, o que vocês estão fazendo na Pirâmide do Sol? - eu perguntei na esperança de talvez aproveitar aquele momento para conseguir um pouco de informação.

- E ao menos importa? Vocês já estão aqui… vejo que Tlaloc e Huehueteotl-Xiuhtecuhtli já foram derrotados. - resmungou ela logo começando a deixar as lágrimas escorrerem pelo seu rosto que lentamente começou a ficar com uma expressão de raiva - É INJUSTO! NOS ESFORÇAMOS TANTO PARA ATIVAR O FEITIÇO E AÍ VOCÊS CHEGAM…. NÃO… TALVEZ JÁ ERA PRA SER ASSIM O TEMPO TODO NÉ? PORQUÊ TUDO QUE EU FAÇO DÁ RUIM NO FINAL! Talvez seja mesmo minha culpa no final das contas… como quando só porquê dei luz para Huitzilopochtli meus outros filhos resolveram me matar…

Eu troquei rapidamente um olhar com Percy. Me pergunto se estávamos pensando a mesma coisa. Quanto à mim, estava estranhando a imagem que era ver uma deusa que tinha um visual bem intimidador considerando principalmente seu colar de caveiras naquele estado.

- Estou me sentindo na necessidade de pedir desculpas pra ela. - resmungou Rosa.

- Eu não. - disse Percy - Então… Coatlicue… como é exatamente esse feitiço que vocês fizeram?

- O feitiço… - disse Coatlicue lentamente soltando um pesado suspiro desanimado - … como se eu soubesse muitos detalhes dele. Ixquitecatl tentou me explicar mas, nada surpreendentemente, fui incompetente demais para entender as partes mais complicadas.

- Ixquitecatl… - repetiu Rosa parando pra pensar um pouco - acho que Tlaloc mencionou ele no começo.

- Deus do que? - perguntei.

- Dos feiticeiros. - explicou Rosa.

- Suponho que ele que tenha feito o tal feitiço? - deduzi.

- De certa forma… - resmungou Coatlicue cabisbaixa - Ele, Quetzalcoatl e Naunet juntos. Mas Quetzalcoatl e Naunet não ficaram muito aqui.

- Naunet não está mais aqui então? - perguntou Will falando bem o que eu estava pensando.

Melancolicamente, Coatlicue negou com a cabeça enquanto eu já pensava em um milhão de coisas e olhava para o caminho que levava até a Pirâmide do Sol. Isso não afetava muito o meu plano, claro, teríamos que provavelmente dar um remanejamento no Percy, que era nossa aposta para lutar contra Naunet, mas de resto, estava tudo bem acho. Quer dizer, tirando o fato de que Coatlicue estava muito calma para meu gosto. Talvez “calma” não fosse a palavra certa. “Desanimada” talvez? Parte de mim esperava que a água do Cocytus não durasse muito já que era tão pouco e considerando que Coatlicue era uma deusa.

- Para onde Naunet foi, Coatlicue? - perguntou Will.

Coatlicue parou um pouco para pensar e deu de ombros com um olhar triste no rosto. Era meio triste ver aquela sombra do mais puro desânimo e talvez até desesperança que dava para ver no olhar de Coatlicue. 

Um pensamento lá no fundo da minha mente começou a se perguntar como eu tinha aparentado quando eu e Percy caímos no Cocytus. Com um tremelique, tentei jogar aquela memória para longe novamente junto com os sentimentos horríveis que aquela água extremamente gelada havia trago junto. Cair no Cocytus foi tão no começo da nossa terrível aventura pelo Tártaro que às vezes ele parecia algo bobo comparado com todo o resto.

- Eu não estava lá na hora, Mictlantecuhtli não me acha importante o suficiente para isso. - desabafou Coatlicue.

- Mi… Mic… Miclante-o-quê? - disse Percy.

- M-Mictlantecuhtli. - gaguejou Rosa ficando estranhamente pálida e negando com a cabeça com medo - Coatlicue é uma coisa mas… Mictlantecuhtli… não é sem motivo que o nome dele significa “Señor del lugar de los muertos”... ele manda na camada mais profunda do submundo. Foi dele que nasceu o costume do Dia de Muertos… mas ele não tem nada de colorido como o Dia de Muertos é.

- Claro… quem vai ligar para mim quando se tem alguém como Mictlantecuhtli? - questionou Coatlicue - Um dia eu fui tão importante quanto… antes de Mictlantecuhtli nascer. Mas as coisas mudam.

Ah, claro, era meio difícil lembrar que Coatlicue era uma deusa da morte. Ainda mais naquele estado que ela estava no momento.

Enquanto eu anotava mentalmente o nome de outro deus com o qual nos preocuparmos, Will se agachou na frente de Coatlicue chegando numa distância que talvez fosse perigosa demais. Tanto que, com o canto do olho, pude ver Hazel e Anúbis tendo que segurar Nico pra impedir ele de sair correndo do esconderijo para salvar ou alertar o Will.

- Will, por favor, não chegue tão perto dela. - eu pedi.

- Calma… tá tudo bem… - garantiu Will olhando para mim e então trocando o olhar para Coatlicue que parecia mesmo tão desanimada que só ficava encarando o chão - Hey, Coatlicue, você não sabe mesmo dizer nada do feitiço que fizeram na Pirâmide do Sol? Tenho certeza que você é bem inteligente.

- E-Eu não sei… Eu… - disse ela começando a parecer meio confusa enquanto, bem lentamente, ia levantando o olhar para Will - Eu ouvi Naunet mencionar sobre “o que muitos têm em comum”.

- As enchentes? - perguntei.

- Não… Também…  - disse ela começando a ficar com o olhar de maior confusão ainda e começando a olhar ao redor dela também. Eu acho que o efeito da água do Cocytus estava acabando, mas queria pegar mais informações enquanto ainda desse tempo - … era… o que construíram em comum… importante…

Eu, Rosa, Will e Percy nos entreolhamos pensando naquela breve dica. Além de enchentes, o que outras mitologias têm em comum além das enchentes? Algo que eles construíram que era importante? Mas importante para o plano deles ou importante para quem construiu?

Ao pensar mais profundamente, meu primeiro chute talvez ficariam em templos. Praticamente todas as religiões têm templos. Mas, depois de pensar em templos, eu cheguei em pirâmides. Afinal de contas, o nosso problema principal do momento não estava na Pirâmide do Sol? Mas, quais povos além dos astecas e dos egípcios tinham pirâmides? Por mais que a Pirâmide do Sol não tenha sido literalmente feita pelos astecas. Acho que ouvi falar de templos e mausoléus na China e em algum lugar do Sudeste Asiático que lembravam ou eram pirâmides. Isso contava? Mas olhando por outro lado, será que tinha outras coisas também? Deuses? Mitos de heróis? Não sei. Ainda era pouca informação mas era alguma informação.

Talvez nós tenhamos ficado muito tempo pensando sobre as dicas que conseguimos obter, pois só notei tarde demais quando o olhar de Coatlicue foi voltando para aquela irritação de antes. O efeito da água do Cocytus estava acabando.

No último segundo eu vi Coatlicue fazer força para se livrar ou romper as faixas de linho que se amarravam ela. Minha primeira reação, foi alertar Will.

- Will, cuidado! - exclamei puxando ele para longe da deusa.

Foi meio desengonçado, já que ele estava agachado e eu não, mas foi o suficiente para afastar ele alguns centímetros da deusa. Esses centímetros foram mais do que o suficiente, pois ela logo se soltou das faixas de linho se erguendo e abrindo amplamente os braços.

Coatlicue olhou para nós brevemente com um olhar frio de raiva e rangendo os dentes levemente, mas ela não ficou muito mais lá. Eu realmente torcia para que ela não tivesse mesmo encarado muito a gente antes de ela dar um grande salto para trás se afastando de nós. Ouvi Will soltar um suspiro de alívio quando ela se afastou indo para a Pirâmide do Sol.

- Ela não parece ter notado que levou Frank e Sam junto com ela no meio das cobras né? - perguntou Will.

- Não… - respondi - Espero que eles fiquem bem.

Não ficamos nem um pouco preocupados por Coatlicue ter escapado. Quer dizer, nossa preocupação era com Frank e Sam apenas. A ideia sempre foi deixar Coatlicue escapar para que Frank e Sam pudessem entrar sem ninguém perceber.

- As cobras não pareceram ligar… - disse Rosa - Fiquei checando eles mas… talvez eu tenha confundido eles com as outras depois de alguns minutos.

- O fato de a Naunet não estar aqui muda nossos planos em alguma coisa? - perguntou Percy.

- Sim e não. - eu disse enquanto ia até onde Hazel, Nico e Anúbis estavam e os outros me seguiam - A esposa de Tlaloc… como é o nome dela mesmo?

- Chalchiuthlicue. - disse Rosa - Ela é uma deusa das águas, dos rios, do mar… essas coisas.

- Chal. Pra ficar fácil de lembrar. - disse Will.

- Então ainda tem alguém perfeito para você lutar, não se preocupe. - eu disse.

- Eu bem preferia não ter ninguém pra lutar. - disse Percy - Talvez alguém na entrada da Pirâmide do Sol só pra falar “Olá, bem vindo. Ali fica a Pirâmide do Sol, o feitiço maluco tá ali, é só apertar o botão vermelho que o feitiço desliga e tudo volta ao normal.”

- Vocês alguma vez tiveram algo fácil assim? - perguntou Rosa.

- Muito pelo contrário. - resmungou Nico - Sempre é fácil para começar a dar ruim, nunca o contrário.

- Me lembrou de um certo nariz que sangrou na hora errada… - eu disse e Percy bufou e logo soltou um suspiro.

- Nem me lembre. - resmungou ele.

- Acho que vou querer ouvir essa história depois. - disse Rosa soltando uma risada leve.

- Até lá… podemos fazer nossa parte logo então? Não quero deixar Frank sozinho com a Sam por muito tempo lá dentro. - pediu Hazel.

Começamos então a nos preparar para ir até a Pirâmide do Sol também. Para Hazel, Nico e Anúbis, isso significava apenas entrar nas sombras ou sei lá como explicar melhor o que o Anúbis fazia. Só sei que ele foi checar Sadie que ainda estava lá do lado de Alícia antes de se juntar à Nico e Hazel.

Quanto a mim, tudo o que eu precisei foi colocar o meu boné para então ficar invisível enquanto Percy tentava olhar mais ou menos para onde eu estava.

- Tome cuidado. - disse Percy num tom carinhoso.

- Principalmente você. - eu disse tirando rapidamente o boné para dar um leve beijo nele. Não me pareceu uma ideia muito boa acabar dando um susto nele ao tentar dar um beijo ainda invisível - Você e Rosa são os únicos que não vão estar escondidos.

- Eu sei. - disse Percy abrindo um doce sorriso para mim alguns segundos antes de eu voltar a pôr o boné.

Eu não podia ver onde estavam Hazel, Nico e Anúbis, mas só podia torcer para que eles estivessem fazendo a parte que eu havia separado para eles. Da mesma forma, eu tinha que fazer a minha parte. Inspirei profundamente e comecei a andar pelo grande corredor rodeado de construções antigas que levava até a Pirâmide do Sol. 

Antes de vir até aqui, eu havia feito meu dever de cada direitinho ainda em Nova Roma. Ou ao menos o melhor que dava pra fazer dadas as circunstâncias. Teotihuacan havia caído a muito tempo. Aliás, caiu duas vezes. Então, por maior que fosse a fama asteca do lugar, não foram os astecas que haviam construído aqueles grandes templos e a grande pirâmide que se erguia no horizonte.  Eu não cheguei a pesquisar o porque o caminho que levava até a Pirâmide do Sol se chamava Avenida dos Mortos ou algo assim, mas talvez tenha a ver com o tanto de sacrifícios que já haviam sido feitos ali.

Menciono tanto a Avenida dos Mortos pois talvez seja um fator que influenciou o novo adversário que surgiu em nosso caminho. Ou talvez não. De toda forma, eu estava tentando andar o mais rápido que podia sem fazer barulhos grandes. Já tinha cruzado metade do caminho da longa Avenida dos Mortos até que o chão começou a tremer. Sentindo minhas pernas ameaçarem ficarem bambas, eu parei de andar por alguns minutos e ouvi um som estranho atrás de mim.

    Eu me virei e vi que o som estranho que ouvia era do chão se abrindo bem no meio do caminho entre eu e Percy. Mas, óbvio, não seria um buraco como qualquer outro. Um barulho arrepiante, como quando o vento sopra de um jeito estranho, parecia emanar dele junto com fumaça cinza bem escura.

Eu sabia que deveria seguir andando e torcer para tudo dar certo ali, mas não pude evitar ficar alguns minutos mais enquanto Percy e Rosa se preparavam para lutar contra o que estava saindo do buraco. A minha melhor descrição de o que saia do buraco era chamar de monstro. O ser que saía do buraco parecia uma mistura de uma pessoa com um enorme esqueleto. Ele tinha provavelmente uns 2 metros de altura, tinha até grandes orelhas cinzas mas seu rosto era quase a cópia escarrada de uma caveira com dois buracos vazios para os olhos, um pequeno buraco triangular para o nariz, e grandes dentes brancos completamente expostos. Por debaixo da grande capa dourada, preta e vermelha e do saiote preto, ele era extremamente magro. Mas isso não o deixava menos arrepiante. Até porque ele parecia estar sujo de sangue.

Preocupada com Percy, eu queria ficar ali ou até mesmo voltar para ajudá-lo. Mas eu sabia que essa não era a minha missão do momento. Então, com o coração doendo muito, eu me virei e continuei o caminho até a Pirâmide do Sol de onde eu já começava a ver, em seu topo, Coatlicue gritando com duas pessoas que eu não sabia quem eram e que também gritavam com ela.

Eu parei na base da pirâmide por alguns segundos antes de subir lentamente no seu primeiro degrau. Certificando-me que ninguém parecia notar minha presença, eu continuei.


Notas Finais


por favor comentem ;~; mesmo q seja aquele bobo 'continua'. eu adoro cada comentário e sempre tento responder


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...