História Dois lados - Capítulo 143


Escrita por: ~

Visualizações 158
Palavras 545
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 143 - Thiago


Eles assistiam a um filme quando Mari recebeu uma mensagem:

- Gatinho, tenho que ir.

- Ah, agora? Mas aqui tava tão bom....- ele diz. Mari estava fazendo carinho na cabeça dele, que ronronava.

- Eu combinei de ir pra casa da Hanna e do Yin, amor.

- Você vai dormir fora hoje?

- Vou

- Que maldade. Vou acordar sem você.

- Amor, temos que desaprender a só dormir juntos. É quando um de nós dois viajar?

- Você tem razão. Mas é tão difícil dormir sem você.... acordar com minha mão fora da sua cintura então... Impossível. Desaprendi a dormir sem você, princesa.

- Vamos ter que aprender a dormir separados de novo.

- Pra que? Daqui a pouco a gente vai dormir juntos pro resto da vida mesmo.

- Ainda falta um ano.

- Não me desanima não, Mari!- ele riu - Me deixa acreditar que falta pouco tempo pra você acordar na minha cama pro resto da vida.

- Nós temos que começar a organizar esse casamento. Olha com o pessoal da biblioteca e essas coisas....

- Mari, respira. Você já tá começando a ficar nervosa.

- Eu quero que tudo saia perfeito!

- Você vai estar lá. Já vai ser mais que perfeito.- ele a beijou - Agora... melhor você se arrumar.  Do jeito que o Yin é, daqui a pouco já está batendo aqui.

Ela correu pro quarto e se trocou. Colocou uma calça jeans e uma blusa branca, o cabelo preso em um rabo de cavalo e um par de coturnos azuis.

- Beijo,loiro.- deu um selinho no namorado e andou rumo a porta 

- Carona?

- Não. Vou de moto - sorriu 

- É o que!? Você tem uma moto!?

- Claro que tenho! Mas ela tava na casa dos meus pais. E nem a Aly sabe da existência dela. Tô indo, te amo, fui- saiu

Ela desceu as escadas e foi para a garagem. Saiu com sua Harley Davison preta deixando o prédio para trás . Antes de tudo, queria passar um tempo sozinha. Sempre estava com alguém, seja Adrien, Mary, Yin, Nino ou Hanna. Ela sempre estava acompanhada. Era bom voltar aos velhos hábitos. Por aí, sozinha em cima de uma motocicleta. Passou na T&S e comprou um café. Tom e Sabine não estavam lá, apenas Thiago continuava. Ele trabalhava lá desde que a padaria havia virado esse sucesso. Era alto, moreno, com expressivos olhos cinza e um sorriso encantador:

- Boa noite, senhorita Cheng.- sorriu 

- Thiago, quantas vezes eu já te disse pra me chamar de Mari?- ela sorriu de volta

- Me desculpa, é o costume. Então? Dando uma daquelas suas misteriosas voltas com sua morto?

- Nem tão misteriosas. Você sabia.

- Agora o resto do planeta não. Como você conseguiu esconder uma máquina dessas!?

- Você não faz ideia...

"Até que foi mole. Escondo do mundo que sou a Ladybug"

- Vou pegar sei café.

- Sempre sabe o que todos vão querer, Não é mesmo,Thiago?

- É o meu trabalho - riu e entrou 

Ela saiu da cafeteria e vagou por aí. A sensação de acelerar naquela moto era indescritível. Diferente de qualquer outra coisa. Só não podia abusar da sorte. Ela era esperta, sabia das consequências de acelerar


Notas Finais


Suspeito esse Thiago?
Chuto que não, mas nessa fic aprendemos a duvidar de todo mundo kkk
https://goo.gl/images/TXBTi7
Moto da Mari, galera


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...