História Os dois lados da mesma moeda - Capítulo 77


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Rosie Huntington-Whiteley
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Bangtanboys, Bts, Chimchim, Jeongguk, Jhope, Jimin, Jin, Jungkook, Kook, Namjoon, Park Jimin, Rapmonster, Suga, Suspense, Tae, Yoongi
Visualizações 1.258
Palavras 2.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sinceramente, eu estou bem chateada, decepcionada, desapontada, e nossa... Muito frustrada!
Eu passei tipo, boa parte do tempo me dedicando a essa história mais do que eu deveria, estudando o assunto de gêmeos, me informando e isso não é minha obrigação, não mesmo.

Nem todos fazem isso, nem todos os autores pesquisam os assuntos que eles abordam em suas fanfics. Às vezes deixam suas fanfics incoerentes e recebem um grande apoio.

E pesquisar não é minha obrigação, eu faço porque eu gosto e quero cada vez aprimorar minha escrita de uma forma que a história não seja incoerente.
Eu não tenho obrigação de atualizar a fanfic 'imediatamente' para leitores que não apoiam nunca, nunca aparecem para incentivar, nem no privado – isso é pra esses que dizem que não aparecem por causa de "timidez" –, e quando aparece é pra falar "Continua" ou pra fazer um texto criticando o capítulo DESTRUTIVAMENTE.

Eu sei que tem pessoas que não gostaram do Jimin ter morrido, mas poxa, a história não é só "Jimin" e se vocês não gostaram, sinto muito, mas isso não faz da história ruim porque o personagem preferido de vocês morreu.

Entretanto, teve uma VOTAÇÃO para escolherem, sinto muito se vocês não estão satisfeitos com o resultado, mas quem escolheu foi vocês, a maioria, eu deixei na mão de vocês.

E se vocês não perceberam, o título NÃO TEM "Imagine Jimin" e nem tinha quando eu postei. E mesmo se tivesse, quem vocês imaginam quando o assunto é o Andrew? O Jimin, não é?

Então não adianta a criatura vir dizer que a fanfic é do Jimin, NÃO É! Já deixei bem claro isso no início. A fanfic não é de ninguém e se caso eu quiser fazer a personagem principal ficar com o Andrew ou talvez até sozinha, se eu quiser, eu posso. Então não venham vocês que nunca aparecem para dar um incentivo, nunca aparecem pra motivar, vocês que nunca aparecem pra falar nada querer exigir na história dos outros, criticando a história destrutivamente porque vocês não tem esse direito.

Respeitem.

Respeitem a autora das histórias que vocês gostam, se caso ela teve que matar um personagem que vocês gostam, teve um intuito, teve um motivo pro decorrer da história.

Eu sempre quis abordar um romance original, mas sem tirar as interações com o grupo, queria fazer algo diferente e emocionar vocês. E consegui, não é? Porque vocês choraram com a morte do Andrew, pelo menos foi isso que comentaram.

E outra, desde o início eu sabia que um iria morrer, só não sabia quem. Eu queria emocionar vocês, essa era minha intenção desde o início e isso eu consegui. O que significa que eu não sou tão ruim assim e que minha história não é tão 'bosta'

Eu sei que é chato estar falando isso. Eu queria poupá-los de estar lendo esse desabafo. Já faz muito tempo que isso vem tirando minha paciência, mas tudo tem limite, isso está me sufocando e eu preciso falar. Tem leitores que não mereciam estar lendo isso e acreditem, eu não estou generalizando. Acreditem, eu não gosto nem um pouco de estar falando isso pra vocês, chega a dar agonia escrever essas palavras, mas cara, sei lá, eu vejo a quantidade de views e a quantidade dos comentários, parece que eu estou escrevendo para as paredes, parece que ao chegar nesse nível da história, todo o esforço foi em vão.

Eu não vou mentir, não vou ser hipócrita, realmente gosto de ler textos, e sou muito grata pra quem faz, da mesma forma que vocês gostam de capítulos grandes. Porém, não precisa escrever um texto, NÃO É ISSO QUE EU ESTOU PEDINDO. Só estou pedindo para os FANTASMINHAS darem um sinal de vida. É o mínimo.

Eu sei exatamente que é contra as regras exigir comentários, eu queria deixar claro pra quem não entendeu, pra quem não soube interpretar o meu desabafo que eu NÃO estou exigindo NADA, eu estou desabafando. A verdade é que é chato e cansativo escrever para as paredes.

Mas se você quiser não apoiar e continuar sendo um fantasma, beleza! Direito seu, opção sua. Isso me entristece, mas não posso negar que é um direito seu. Agora, não é um direito seu querer vir me xingar, ou xingar a história porque o personagem preferido de vocês morreu, isso é muita infantilidade e uma falta de respeito do tamanho do universo.

Se coloquem um pouco no lugar do autor das histórias que vocês gostam, ele disponibiliza gratuitamente os capítulos pra vocês.

Então se você não aparece nunca pra apoiar e incentivar porra nenhuma, então você NÃO TEM DIREITO NENHUM de vir exigir continuação; VOCÊ, FANTASMA, NÃO TEM DIREITO DE EXIGIR NADA, COLOQUE-SE NO SEU LUGAR! Inferno! Não tem direito nem de criticar nada. Se fosse pelo menos um leitor presente, tudo bem. Porém, eu não aceito que nenhum fantasma venha exigir nada de mim, NADA.

EU NÃO SOU OBRIGADA A NADA.

Eu disse isso, porque tem pessoas maldosas e escrotas que rondam pelo spirit para denunciar histórias pelos motivos mais idiotas do mundo, APENAS POR MALDADE. Desculpa, mas é verdade. Tem histórias que são muito boas, mas são excluídas por deslizes idiotas que as vezes o autor deu porque não prestou atenção e tal, e por causa de pessoas invejosas, a história é excluída.

E SIM, a pessoa denuncia por maldade!

Porque uma pessoa que tem CARÁTER, ela tenta ajudar e diz: "Olha, isso aqui é fora das regras. Sua história é muito boa, não quero que ela seja excluída, então tenta corrigir"
Cara, eu já fiz isso e elas agradeceram. Eu já vi erros bobos de autoras, que foram cometidos por falta de atenção, porém que poderiam causar uma exclusão da fanfic e pra isso não acontecer, para que ela não sentisse a tristeza que é todo um trabalho ser excluído, eu fui avisá-la.
Porque se eu não tivesse avisado, provavelmente alguém maldoso iria denunciar por maldade ou por inveja da história que está fazendo "sucesso", fica escondido tentando achar um errozinho idiota pra apertar o botão do denúncia. Eu sei disso, e é por esse motivo que eu procurei um beta do site pra essa história, pra não ter esse problema.

Mas isso não vem ao caso. Eu fugi do foco sem querer, enfim... Voltando;

Vocês estão gostando? Custa dar um apoio para as autoras que vocês gostem? Isso é extremamente importante.
Só isso mesmo, pronto. Desabafei.

Ah, antes de vir perguntar "Você vai continuar quando?!" A resposta é: Não sei.

Essa fanfic agora está em hiatos.

Sinto muito.

Capítulo 77 - Dezesseis ou doze?


Fanfic / Fanfiction Os dois lados da mesma moeda - Capítulo 77 - Dezesseis ou doze?

Hoje eu faço três meses de gestação, ou seja, doze semanas.

Meu pré-natal já foi realizado com urgência na oitava semana, assim que descobri que estava grávida de gêmeos, sendo assim um risco muito maior de aborto. Ao estar grávida de gêmeos, as preocupações são redobradas e o pré-natal é muito mais que essencial.

A gravidez de gêmeos é considerada de risco, pois, em sua maioria, os bebês nascem prematuros. E ao estar ciente disso, ciente sobre os riscos ao estar grávida de gêmeos, risco de passar a dor sentimental ao ter um aborto espontâneo, iniciei meu pré-natal imediatamente. O pré-natal tinha que ser realizado rigorosamente.

Apesar de todos os riscos que eu fiquei ciente quando descobri que estava grávida de gêmeos, assim que alcancei aos três meses, doze semanas esses riscos diminuem consideravelmente graças a Deus.

Tive muito medo de ter um aborto espontâneo novamente, por isso tomei todos os cuidados possíveis, como não sair contando pra todo mundo que eu estou grávida. Não saio mais tanto de casa, e quando saio uso uma roupa mais larga para que ninguém perceba nada.

Ando sempre com uma garrafa de água por perto, com a gravidez gemelar, tenho que ter cuidados redobrados como: Medir a pressão arterial regularmente, fazer uma alimentação pobre em sal, beber dois a três litros de água por dia e cumprir o repouso indicado pelo meu obstetra; tomar os remédios prescritos pelo obstetra para baixar a pressão; estar atenta e saber identificar os sintomas de pré-eclâmpsia como pressão arterial igual ou superior a 140 x 90 mmHg e ganho de peso repentino.

Ao atingir três meses de gestação, já é possível ver os movimentos dos bebês através das ultrassonografias. Também sei que já é possível sentir os chutes advindos desses movimentos de bracinhos e perninhas, porém não senti.

Boa parte das minhas preocupações e as preocupações de Andrew acabaram, a etapa mais crítica do desenvolvimento do bebê está ultrapassada e o risco de aborto espontâneo, como eu disse, desceu drasticamente.

Minha maior preocupação durante esses três meses além do aborto espontâneo, era o risco de síndrome de dawn que pelo que eu soube é comum na gravidez gemelar.

Até hoje, não sei como, mas eu consegui esconder das pessoas que eu estava grávida usando o método de usar roupas escuras e largas, e claro, sair menos de casa.

No começo, sabia que teria uma grande intensidade na atividade hormonal do meu corpo, portanto tive que reforçar os cuidados de limpeza de rosto e aumentei os cuidados com hidratação da minha pele, seria essencial.

Tive que ter cuidados nutricionais, tive também que engordar propositalmente pelo bem dos bebês, não me importei muito com isso na hora, eu iria correr atrás do prejuízo depois que eles nascessem. Porém, com uma alimentação equilibrada e variada que segundo meu nutricionista deve incluir: proteínas (peixe, carne, ovos, queijo, soja, legumes, frutos secos); hidratos de carbono (pão, preferencialmente integral, batata, massa, arroz, leguminosas); sais minerais (ovo, peixe, carne bem cozinhada, batatas, cenouras, feijão verde); fibras vegetais (cereais, legumes); vitaminas (frutas) e gordura  – preferencialmente azeite puro. Todos recomendados por meu nutricionista.

Meu nutricionista faz a lista sobre quais alimentos eu devo ingerir, os cuidados e tudo mais e essa lista eu dou ao Andrew que faz as compras para mim no supermercado.

Agora que as chances de aborto espontâneo diminuíram, eu e Andrew já podemos finalmente nos mudar para o Canadá, Andrew está correndo atrás disso, ele pediu para que eu deixasse tudo com ele que ele daria um jeito.

Estou confiando nele cem porcento. Pode ser burrice, mas também pode não ser. Eu só sei que do jeito que eu estou, não tem como correr atrás de certas coisas, já que minha gravidez é considerada de risco. 

A verdade é que eu não entendi direito; ele não me explicou muito bem, porque, coitado... Andrew está se virando nos trinta para que tudo ocorra da melhor forma e para que eu fique o mais confortável possível. Ele tem sido tudo pra mim. Meu apoio, meu psicólogo, cozinheiro e até meu massagista e eu... Bem, eu infelizmente não sei como ajudá-lo em seus problemas na situação que eu me encontro mesmo sabendo que a solução de todos seus problemas são bem claros: Ir embora da Coréia e também sua sensibilidade em fortes emoções. 

Depois que ele desmaiou em uma consulta, eu fiz ele marcar uma consulta com o Neurologista, isso não é normal. Toda vez que ele tem uma emoção grande, ele desmaia, ele também tem um trauma muito grande em relação a sangue e exames com agulha. Toda vez que ele vê sangue ele passa mal, mas meio que isso não faz sentido, pois ele assiste filmes normalmente, mas quando ele vê sangue pessoalmente, ele passa mal. 

Ele contou sobre sua infância ao Neurologista e o médico disse que por conta das tantas vezes que a cientista o torturava para fazer suas experiências, Andrew acabou criando traumas em relação a agulhas, sangue e essas coisas... E sobre o desmaio, Andrew apenas é sensível a momentos de fortes emoções o que é bem comum. 

Sobre a mudança para o Canadá, eu entendi é que ele tem alguns "amigos" no Canadá, colegas, não sei bem o que são... Ele conseguiu fazer amizade no Canadá com algumas pessoas.

Eu acho incrível a capacidade de Andrew de fazer amizades, isso é um pouco incoerente com o fato de que ele tenha passado anos de sua vida preso e sozinho. As pessoas que o conhecem e que não conhecem a história dele com Jimin, tem uma opinião positiva sobre ele.

Andrew conseguiu entrar em contato com um conhecido dele chamado Zac. Segundo Andrew, ele conheceu Zac porque os dois tinham amigos em comum, e Andrew na época achava que quanto mais amigos ter, é melhor. E não sei como, mas Andrew, assim como Jimin e Taehyung sempre tiveram facilidade de interagir com os outros. Existem pessoas que são mais tímidas para fazer amizades, mas esse não era o caso deles, talvez seja uma característica genética.

Andrew quer alugar um apartamento em Toronto, pelas indicações infalíveis de Zac que está cuidando disso lá. Com Zac lá em Toronto, Andrew usa a internet para achar um apartamento legal, um apartamento decente pra ficar pelo menos até o momento do parto dos bebês.

Assim que os bebês nascerem nos mudamos para uma casa confortável, bem estruturada para crianças. Para isso tem que ter dinheiro, e bem, isso não é problema para nenhum de nós.

Apesar de eu ter parado de trabalhar por conta de problemas pessoais, já que na época que eu me divorciei de Jungkook, engravidei pela primeira vez e tive esses problemas que foram vindo um atrás do outro que me fizeram me afastar do meu emprego e me impediram de voltar.

Além de recomendações médicas, tive as recomendações de meu pai dizendo que o melhor naquele momento era eu me afastar do emprego, que eu não teria problemas financeiros e tudo mais já que apesar de tudo aquela empresa é a minha herança. Como ela é a minha herança, eu ainda recebo a mesma quantia que eu recebia quando eu trabalhava nela, claro por causa de meu pai que deixou claro que não permitiria que eu passasse por problemas financeiros sem necessidade. Apesar de receber esse dinheiro, eu não gasto muito com coisas que não são necessárias, além de contas de luz, de água, telefone e etc.

Andrew tem a herança de sua mãe, que é bastante dinheiro... Realmente é bastante dinheiro que foi dividido entre ele e Taehyung na época que todos achavam que ele era o Jimin, porém mesmo depois que Jimin morreu, os familiares decidiram respeitar a vontade de Jimin e não entregá-lo a polícia. Portanto, dinheiro não é algo que devemos nos preocupar.

Sobre o sexo dos bebês, nós não descobrimos ainda o sexo dos dois, porém sabemos que um é menino, agora se o outro é ou não, nós não sabemos. Entre a nona e a décima semana, fiz o exame da sexagem fetal, um teste de sangue. Ele detecta a presença do cromossomo Y no sangue então, na ausência dele, é positivo para meninas. 

Mas se um Y estiver presente no sangue, dá para dizer que pelo menos um dos bebês é um menino. E sim, ele estava presente no meu sangue, ou seja, um dos bebês é um menino com certeza, agora não sabemos ainda se o outro é um menino também, apesar desse teste no sangue não ser cem porcento confiável. Isso eu vou saber na consulta da décima segunda semana, no caso essa. Porém, a certeza maior é apartir da décima oitava semana.

Eu já tinha tomado meu banho e me arrumado para ir a consulta com a minha ginecologista obstetra, ou seja, Dra. Charlotte.

Estava naquele exato momento, sentada na poltrona em meu quarto aguardando o momento que Andrew saísse do banheiro para irmos a consulta marcada.

— Vamos logo, estamos atrasados. — Eu disse.

 Já estou pronto. — Disse ele, saindo do banheiro.

Realmente, de nós dois, ele é o que mais demora pra se arrumar. E olha que eu me considero demorada nesses assuntos de se aprontar para sair, porém Andrew demora mais.

Me levantei e o acompanhei até a saída do quarto, para em seguida deixar o apartamento. Assim que saímos, trancamos a porta e fomos em direção ao elevador, fazer as mesmas coisas.

Minha barriga não estava grande ainda, então usando roupas largas dava pra disfarçar, porém eu sabia que assim que chegasse na vigésima semana, não teria mais como esconder, ela já estaria aparente.

Decidi junto com Andrew que após essa consulta e após saber o sexo dos bebês hoje, iríamos a casa dos meus pais conversar com eles sobre tudo. Sobre sair do país, sobre os gêmeos, sobre tudo. Independente de suas reações, decidimos contar tudo hoje sem falta.

Minha mãe continua falando comigo todos os dias, meu pai fala comigo quando pode, apesar de não apoiar muito meu relacionamento com Andrew, meu pai continua sendo presente em minha vida, do jeito dele, mas é. 

Minha mãe conversa comigo literalmente todos os dias, até mais vezes no dia do que o necessário. E foi em uma dessas ligações que eu tive com minha mãe que eu resolvi marcar um dia para tomar o bendito chá que ela sempre me convida e – mesmo contragosto – ela pede para que eu leve Andrew comigo também, porque apesar de tudo, ela sabe que eu não vou me separar dele.

Não tenho e nunca tive do que reclamar com meus pais, eles sempre tentaram ser muito presentes em minha vida, me deram educação, amor e tudo que eu sempre precisei.

Chegamos na clínica mais uma vez, segui em direção ao balcão da recepção e fomos atendidos pela recepcionista da clínica.

— Olá, boa tarde! — Ela sorriu, gentilmente assim que nos viu.

 Eu tenho uma consulta agendada hoje, às quatro com a ginecologista obstetra Charlotte. — Eu disse.

 Claro, _____, certo? — Perguntou, com os olhos na tela do computador.

 Sim. — Eu disse.

 Ela já irá atendê-los, aguardem alí. — Ela apontou para os bancos de espera. Assenti e fomos mais uma vez para o tão conhecido banco de espera.

Aguardamos durante alguns minutos, Charlotte apareceu, me chamou e nós a acompanhamos.

— Preparada para saber o tão aguardado sexo dos bebês? — Perguntou.

 Sim! — Andrew respondeu por mim, ele estava muito ansioso com isso, mas quando eu digo muito, é muito mesmo.

A minha vontade a princípio era descobrir o sexo dos bebês depois do parto, pois assim ficaria um mistério legal, aquele suspense durante os nove meses. Porém, quando eu dei a idéia, Andrew ficou revoltado, fez o maior drama por conta disso. Ele disse que aceitava tudo o que eu quisesse, todas as minhas vontades, menos isso. Tudo menos aumentar o tempo de ansiedade dele.

Primeiramente, antes de começar o ultrassom, sentamos na cadeira em frente a mesa para conversar sobre os bebês, sobre como eu estou, sobre os exames que eu fiz durante essas semanas.

 Então você está com dezesseis semanas. — Disse ela e eu franzi o cenho.

 Não era doze? — Eu e Andrew perguntamos em uníssono.

 Não. São dezesseis semanas. — Afirmou ela.

 Andrew, não era você que estava contando as semanas? — Perguntei.

 Amor, eu nunca fui bom em matemática. — Disse ele. — Eu achava que era doze. — Deixou claro e eu respirei fundo.

 Você já sentiu eles mexendo? — Perguntou e eu me senti nervosa. Apartir da décima segunda semana que dá pra sentí-los mexendo dentro de nós e eu não sinto nada.

Nesse momento, fiquei com medo deles estarem mortos dentro de mim e eu nem ao menos perceber. Eles estavam muito quietos e minha barriga havia crescido sim, porém achei que com dezesseis semanas deveria estar maior.

 Não. — Respondi, receosa. — Eu não senti eles mexendo em nenhum momento, eu achei que eu estava com doze semanas ainda. Deixei que Andrew cuidasse dessa parte das contas. Mas pelo visto, pra ele, dois mais dois é igual a cinco.

 Ah, para, ____. — Disse ele. — É muita coisa pra mim também, eu me confundi só isso. Esse negócio de mês, trimestre, quinzena, dias, me deixa louco. Eu confundi tudo.

 Por favor, ____, deite-se alí. — Charlotte apontou pra maca.

Andrew é um cara muito ansioso, em um nível bizarro e talvez por conta de sua ansiedade ele acabou confundindo os números. Nesse período de gravidez suas unhas foram pro espaço de tanto foram roídas por ele mesmo. Nunca vi na vida alguém torcer tanto para que em minha barriga tenha um casal, ele levou isso muito a sério em um ponto de querer apostar comigo.

Eu apostei em dois meninos e ele em um casal. Quem ganhasse a aposta faria tudo que o outro quisesse por um dia inteiro, porém no caso dele ganhar, segundo ele, ele disse que eu teria que cumprir depois que as crianças nascessem e eu não achei que tinha um duplo sentido em sua afirmação, eu achei que o que ele quer fazer é algo bem do tipo "pular de paraquedas" ou algo daquela lista infantil que ele fez para ser cumprida antes de morrer. 

Ele realmente leva aquela maldita lista muito a sério para quem tem vinte e três anos. E bem, eu nem sei o que eu vou pedir caso eu ganhe, ainda não me decidi. Eu também não penso em nada malicioso, se fosse só algo malicioso seria fácil pra ele, então não. Eu quero algo que lhe desafie, mas eu tenho muito tempo ainda pra pensar.

Assim que deitei na maca, levantei minha blusa para que Dra. Charlotte possa fazer o ultrassom. Senti o gel na minha barriga, em seguida o transdutor deslizando em minha pele.

 Pode ficar tranquila, eles estão bem. — Disse Charlotte e eu suspirei aliviada.

 Então por que eles não se mexem ainda? — Perguntei.

 Isso é normal, fique tranquila! Não há nada errado com seus bebês. Eles estão perfeitamente bem. Já fizemos a coleta do seu sangue para fazer o teste para a checagem para ver se há algum tipo de cromossomopatia, ou seja, se tem algum perigo de caso de síndrome de dawn que era algo que lhe afligia e não tem, fique tranquila! Não teve nenhum problema. Está tudo certo, isso só significa que eles não são bebês tão agitados. E sabia que isso interfere na personalidade da criança? Por exemplo, isso pode significar que seus bebês vão ser crianças tranquilas, não trarão tantos problemas e enfim... Não há nada de errado! — Me tranquilizou.

 É um casal ou são dois meninos? Ou o teste de sangue estava errado e na verdade são duas garotinhas? — Perguntou Andrew.

 Os bebês estão aqui, Parker. — Charlotte encostou o indicador na tela e apontou para os dois bebês.

 Por que eles são tão feios? — Andrew disse mais do que deveria e eu arregalei os olhos. — Parecem dois Et's

 Andrew! — O fitei.

 Era pra mentir, amor? — Me fitou e eu comecei a rir desacreditada e desviei o olhar para fitar a tela com a imagem dos bebês.

 Aqui está o pezinho de um deles, olha Andrew. — Charlotte apontou para um dos pezinhos na tela.

 Mas isso é um pé, doutora? — Perguntou Andrew, fazendo a maior cara de nojo. — Mas que pé feio da porr*. Parece um pé de frango.

 Andrew! — O fitei com os olhos arregalados.

 Aqui é a cabeça de um dos bebês... — Disse Charlotte.

 Ah, mas a cabeça, eu estou vendo! — Disse ele, ainda incrédulo com o que via. — Se tem uma coisa que essas crianças vão ter é cabeça! — Riu. — Ok, parei... Qual o sexo deles? Eu preciso saber, sério...

 Ok... Vamos lá! — Começou ela, movendo o transdutor em minha barriga. — Um deles, é um garoto realmente. — Disse ela e eu sorri. Ela moveu novamente o transdutor. — A outra é uma menina! Parabéns, ____! Você é mãe de um casal!

 Eu estava certo! — Andrew começou a rir. — Eu sabia! — Sorriu, com lágrimas nos olhos.

 Parabéns! — Ela sorriu, enquanto Andrew estava comemorando em alto som igual uma criança.

 Andrew, comporte-se. — Dei risadas. — Recomponha-se, você ainda está em uma clínica.

 Desculpa, doutora. — Se conteve e voltou a pose séria.

 Tudo bem... — Ela riu. 


Notas Finais


Comentem o que acharam, não custa nada, né? É pra ser sincera? Então eu vou ser.

Eu não sei quando eu vou atualizar agora.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...