História Os Filhos das Minhas Esposas - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias After School, Bangtan Boys (BTS), Girls' Generation
Personagens E-Young, Hyoyeon, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Ka-Eun, Lizzy, Nana, Raina, Rap Monster, Seohyun, Sooyoung, Suga, Sunny, Taeyeon, Tiffany, V, Yoona, Yuri
Tags Bts, Irmãos, Mães
Visualizações 6
Palavras 1.269
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - . . .omma. . .


Escolheram um estofado circular com uma mesa no centro, e sobre esta uma grelha. A garçonete aproximou-se para anotar os pedidos, dos quais RapMo nem tentara entender no cardápio.

- Qualquer coisa desde que não tenha pimenta, por favor. - RapMo.

Ela lhe sorriu ao notar o sotaque incomum acompanhado de um paladar incomum. No lado oposto da mesa Suga o desafiou.

- Traga muita pimenta. A mais forte que tiver mais a parte dele. - Suga.

- Você vai passar mal com tanta pimenta. - V-Kim.

- Isso é um desafio? - RapMo.

- Não, eu apenas quero comer pimenta. Não é problema meu se você tem problema com pimenta. - Suga.

- Então eu quero água gelada. Muito gelada. A mais gelada que tiver. Gelo líquido.

- Esses dois são loucos. Um suco de laranja pra mim. - Jimin.

- Uma coca-cola pra mim. Pra vocês também? - V-Kim.

- Sim. - Jung e Jungkook.

- Qual a bebida mais forte da loja? - Jin.

As bebidas chegaram antes dos alimentos ainda crus, e Jin estava na metade de seu copo de uísque sem gelo. Suga também pediu um igual, para não deixar que bebesse sozinho, mas mal bebera.

RapMo observava sem entender e sem questionar, mesmo quando a mesa ficou repentinamente silenciosa após uma palavra grogue de Jin, segundos antes de voltar à vida. Jin pediu por mais e mais uísque, sem perceber que o terceiro copo era esvaziado no de Suga - que ficou apenas no primeiro - e que a partir do quarto vinha com pouca água gelada e gelo, para diluir. Se não fosse desse modo estaria dormindo sobre a mesa há tempos.

- Você dançando? Quero ver! Eu vou assistir! - Jin.

Sua risada era estrondosa, divertida.

- É, tenho um mês para aprender. RapMo vai me ensinar. - Jimin.

- Eu posso tentar. Eu também não danço bem. - RapMo.

- Ao menos já sabe que tipo de música vai dançar? - V-Kim.

- Sei lá. O que é mais fácil? Romântica? - Jimin.

- Talvez algum passinho de funk clássico. Isso foi moda no Brasil. - RapMo.

A risada alta novamente, com um sorriso entristecido de Suga. Jin bebeu mais um gole.

- E eu acho que deveria aprender alguns golpes. - Jung.

- Podemos ensinar isso. - Jimin.

- É. E me ensinem também. A dançar e a lutar. - Jin.

- Coma mais, Jin. - Suga.

Ele abriu a boca para mais uma porção de carne que Suga insistia em por na sua boca, mas depois parou de comer o que lhe davam, e a voz arrastada cada vez menos era entendida. Em breve não sabia mais onde estava, ou quem o ajudava a estar sentado, e não mantinha mais nada em foco.

- Devia… Devia estar aqui. Ia gostar dela, vocês… Ela ia. De vocês. - Jin.

- De quem está falando? - RapMo.

Jin continuou com o que só fazia sentido na sua cabeça, com os olhares sérios de quase todos, e a observação divertida de RapMo, que começava a se constranger.

- Qual é, ele já deve ter ficado bêbado antes… - RapMo.

- Que dia é hoje? - V-Kim.

- Foi na semana passada. - Suga.

- Acho que ele não percebeu. Deve estar se sentindo culpado por não ter lembrado. - Jimin.

- Não, até ver aqueles peixes hoje.

- E eu não tinha percebido até agora. - Jungkook.

- Por isso ele comprou aquele aquário do tamanho da parede. Ele sempre fica com o humor estranho nessa época. - Jimin.

- Eu não estou entendendo. - RapMo.

- … cada um, gostado deles, omma. - Jin.

- Na semana passada foi o aniversário… da morte da mãe de Jin. - Jungkook.

- Eu sinto muito! - RapMo.

- Foi há mais de dez anos, mas ainda é difícil pra ele. - Jimin.

- E só ele que já… Algum de vocês…

Teve receio de continuar, porque sabia que era uma ferida que nunca cicatrizaria, porque ele mesmo não tinha mais sua mãe. E a cada momento em qual se dizia, era como se a verdade se tornasse mais cruel.

- Jimin, Jungkook, e eu, ainda as temos. - Suga.

- Então V… - RapMo.

V-Kim deu de ombros, limpando a boca em um guardanapo.

- Pra me encontrar o nosso pai a procurou bastante. E no fim fui achado em um orfanato. Só tenho um arquivo com o nome dela. Talvez tenha sido enterrada como indigente. - V-Kim desviando o olhar para mais um pedaço de carne. - Ou não aguentou essa coisa que nosso pai fez e se livrou de mim pra se livrar do problema.

- Bota maluquice nisso. - RapMo.

- Ele manteve um diário da época. - Jungkook.

- Isso é estranho, mas talvez esteja viva em algum lugar.

- Ela o deixou! - Suga.

- Talvez não seja má pessoa. Ou tenha se arrependido… O que você diria pra ela se pudesse vê-la?

- Sei lá. Suga está certo, ela me deixou. Viva ou morta não importa mais. - V-Kim.

- ...omma… - Jin.

- Acho que estamos prontos pra ir embora. Podemos voltar outro dia. - Jung.

- Sim, claro! - RapMo.

- Pode acertar a conta, Jungkook? - Suga.

- Vou com ele. - Jung.

Suga saiu do lado de Jin, permitindo que Jimin e RapMo levantassem um Jin embriagado e ir para o carro na frente. Jungkook assumiu o volante e Suga passou o braço pelos ombros de Jin, a fim de mantê-lo ereto no caminho.

- Su… Suga. - Jin.

- Estou aqui. - Suga.

A mão débil tentou alcançar o bolso com as chaves.

- Rua.. outra… - Jin.

Percebia que não passava o que queria dizer, por isso insistiu em apenas um nome.

- Sh... Sh… - Jin.

- Shin? - Suga.

- ...in.

- Certo, eu ligo pra ele.

- Vai ligar a essa hora? Nem sabe o que ele quer dizer. - Jimin.

- Vou. Deve ser com relação ao apartamento. Vai demorar até Jin conseguir explicar. - o outro lado da linha atendeu de imediato. - Shin, Jin está tentando algo. Acho que alguma rua. De cartão… Não entendi bem. Não. Sim, ele bebeu demais. No bolso? Certo, achei. Obrigado. Desculpe incomodar a essa hora. Bom descanso.

Suga alcançou o bolso do terno de Jin, e tirou o cartão do bolso, girando-o nos dedos para conseguir ler depois de V-Kim acender a lampada da cabine.

- É o endereço do apartamento. Coloca no GPS, V. - Suga.

- Podemos deixar isso para amanhã. - Jungkook.

- Jin vai se incomodar, além da ressaca.

Rodaram mais um pouco, com a moto seguindo atrás, e pararam diante de uma delegacia. RapMo deixou a moto aos cuidados de Jung e caminhou rapidamente até o carro.

- Aconteceu alguma coisa? Com Jin? - RapMo.

Suga lhe passou as chaves pela janela.

- Fim da linha pra vocês. Seu apartamento é nesse prédio. - Suga.

- Ah, claro. Na frente da delegacia… - RapMo.

Jimin pegou a mochila deles no porta malas, deixando aos cuidados de RapMo.

- Mas Jin está bem? - RapMo.

- Vai ficar, depois da ressaca. Nunca o vi beber muito, ou nessa época. Só se isola, e muda o humor. Quase nunca bebe. - Jimin.

- RapMo! - Suga.

- Diga! - RapMo se aproximou da porta do carro.

- Jin te comprou, a época fria esta chegando, e não quer quer seus dedos congelem!

- Obrigado por cuidar de mim. - RapMo.

- É. Cuida de Jung.


Notas Finais


Omma: mãe.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...