1. Spirit Fanfics >
  2. Os filhos do Imperador >
  3. Capítulo 7

História Os filhos do Imperador - Capítulo 7


Escrita por:


Capítulo 7 - Capítulo 7


Os filhos do Imperador


Shinsou estava na biblioteca real estudando um manuscrito quando um certo Ômega de cabelos dourados chegou ao local, Denki ficou o encarando por um longo tempo até que Hitoshi finalmente suspirou e perguntou:

- O que foi, Denki?

- Shin, quem é o Ômega mais bonito do reino?

O Alfa engoliu em seco, o menino parecia sério demais. E quando Kaminari estava sério algo realmente não estava certo, o loiro já estava começando a ficar inquieto com a demora do outro em lhe responder.

- ... Por quê? – perguntou desconfiado, sentia que se errasse a resposta aquilo poderia acabar com sua pobre vida.

- Responda a pergunta.

Hitoshi fechou os olhos e respirou fundo, quando os abriu de novo se assustou ao dar de cara com um leão.

- Você! – falou um pouco assustado – Para mim você é o Ômega mais bonito do reino, muito provavelmente... Não! Com certeza é o Ômega mais bonito do mundo.

- Acho bom. – o leão falou.

Shinsou suspirou “aliviado” quando o animal esfregou o focinho em seu corpo, hesitantemente passou a mão pela juba do leão que produziu um som que mostrou sua satisfação pelo carinho recebido.

- Por que está me perguntando isso?

- Porque eu me importo com a opinião do meu futuro namorado.

“É um delírio, uma loucura passageira, um sonho, isso não está acontecendo de verdade.” Shinsou pensou perplexo.

- Poderia repetir, por favor?

- Você vai ser meu namorado, já está decidido. – Kaminari decretou.

Por um momento o maior sentiu o coração falhar uma batida.


...


- Eijirou!

O ruivo – que segurava algumas caixas – se assustou ao ouvir o grito de seu príncipe, lentamente se virou para encarar o garoto irritado. Bakugou estava com os braços cruzados e irritantemente batia o pé no chão, pela expressão do menor logo pôde notar que uma tempestade se aproximava.

- Sim, Kat?

- Você namora?

- Não... – respondeu envergonhado, estavam no meio do corredor e alguns empregados os encaravam com curiosidade.

- Já beijou alguém? – sua irritação só triplicou ao ver as bochechas coradas do mais velho – Já?

- Si-Sim...

- Está proibido de fazer isso a partir de hoje!

O Alfa riu anasalado, o que estava acontecendo agora?

- Por quê?

- Porque eu proíbo, se eu ver você beijando alguém, eu... Eu... Eu mando te executarem na guilhotina! – olhou para o ruivo surpreso – E tenho o dito.

- Mas por quê?

- Porque você é só meu.

O guarda observou chocado o menino se afastar praticamente soltando fumaça pelas orelhas. Pôde ouvir algumas empregadas rindo de sua expressão completamente surpresa.

- O que acabou de acontecer? – perguntou para si mesmo.


...


- Pequeno. – Izuku sentou-se ao lado de Todoroki, o garoto sentado em um dos degraus de uma longa escada – Me disseram que você estava chorando hoje cedo, o que aconteceu?

- Hunf! – olhou emburrado para o outro lado.

- O que foi? – apertou a bochecha do garoto e o fez lhe encarar – Fala comigo, Shou.

- É tudo culpa sua, mentiroso. – resmungou.

Midoriya piscou seus olhos esmeraldas sem entender o que tinha feito, inclinou a cabeça em confusão, tal ação só fez o menino ficar ainda mais irritado.

- O que eu fiz, Pequeno?

- Não me chame assim! – gritou assustando o maior – Você prometeu que quando eu crescesse você namoraria comigo, mas estava beijando uma mulher e não adianta negar que eu vi. – fez beicinho ao sentir lágrimas chegarem aos seus olhos – Você mentiu pra mim.

Izuku tinha os olhos arregalados, não esperava que o garoto se lembrasse de tal promessa, muito menos que ainda estivesse interessado nisso.

- Eu não menti para você.

- Mentiu sim. – fungou – Você não vai mais namorar comigo? É por causa da cicatriz? Eu sou feio?

- O quê?! Claro que não, Shou, você é lindo.

- Então por que você não gosta de mim?

- É claro que eu gosto de você. – puxou o meio-ruivo para um abraço, o Ômega escondendo o rosto na curva de seu pescoço – Eu gosto muito. Mas você é muito novo pra mim.

- Você prometeu...

- Eu sei.

Izuku acalmou o menor até que o mesmo parasse de chorar, o menino agora parecendo muito envergonhado, porém com aquele olhar determinado que fazia Izuku sorrir como um completo idiota.

- Quando eu fizer dezesseis... Você me namora?

O Alfa riu.

- Se você ainda me quiser. – ficou surpreso ao perceber que realmente quis dizer aquilo.

- Então não beije mais ninguém. – pediu, as bochechas lindamente avermelhadas.

- Eu prometo. – tocou a bochecha do menor – Mais alguma coisa, meu príncipe? – o outro assentiu.

- Quando eu fizer dezesseis você vai falar com o papai para me pedir em namoro.

A cor sumiu do rosto de Midoriya.


...


Aizawa franziu o cenho ao notar que seus ex-alunos estavam muito estranhos no jantar, Izuku se recusava a olhar para ele, Kirishima não parecia querer segurar os talheres, principalmente a faca. E por algum motivo Denki estava novamente transformado em uma cobra e não desgrudava do pescoço de Shinsou.

- Aconteceu alguma coisa hoje? – o imperador teve que perguntar.

- Não. – os guardas responderam em uníssono.

- ... – os príncipes ficaram calados.

- E por que você estava chorando, Shouto?

- Não foi nada, papai. – sorriu – Eu já resolvi tudo.

- ... – Aizawa ficou em silêncio.

O moreno não sabia dizer o que lhe incomodava, no entanto realmente sentia-se desconfortável com a situação, olhou na direção dos guardas e os mesmos pareceram ficar tensos sob seu olhar.

Algo realmente não estava certo naquela situação... Ele só não sabia dizer o que era.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...