1. Spirit Fanfics >
  2. Os Fora(s) Da Lei e De Uma Garota! - BTS- >
  3. Gloss Labial

História Os Fora(s) Da Lei e De Uma Garota! - BTS- - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Gloss Labial


2 SEMANAS DEPOIS...





__ Obrigada... - agradeci quando algum dos inúmeros policiais da delegacia colocou uma pasta com novos casos na minha mesa, estava farta disso tudo já, mas era minha profissão...

Estava lendo um boletim de ocorrência hiper extenso quando o mesmo policial que colocou a pasta na minha mesa, abre a porta da minha sala novamente porém coloca somente a cabeça pra dentro do cômodo

__ Tem um garoto aqui querendo te ver... - propagou

__ Deixe entrar... - falei no automático sem nem mesmo olhar pra quem quer que fosse

__ Foi mais fácil do que eu pensei... - falava o garoto recém-chegado enquanto andava despojadamente até mim, que estava atrás da mesa

__ Você!?

__ Eu sei, visitinha ilustre, não é?

__ Inesperada, talvez... - falei enquanto via o garoto se sentar na cadeira posta na frente de minha mesa

__ Estava passando e decidi parar aqui...

__ Algum motivo aparente? - perguntei largando o boletim de ocorrência na mesa para cruzar os braços diante do peito

__ Sim. Estava com saudades! - propagou sorrindo de orelha a orelha

__ Ah, conta outra, Jungkook... - falei descrente e vi que o garoto somente queria me bajular para conseguir algo, provavelmente

__ Yah, é verdade! Vim te convidar pra almoçar comigo também...

__ Não tenho tempo pra esse luxo... - falei voltando a analisar o papel anterior, talvez assim ele se canse e vá embora. Ou me deixará louca na insistência

Pra mim almoçar fora era um "Luxo" pois eu NUNCA tive tempo para realizar tal proesa, eu mal saio pra beber uma água...

__ Mas hoje vai ter! Vamos, prometo que não vou tomar muito do seu tempo!

__ Não! - respondi com o papel em frente o rosto, tentando ler

__ Vai, por favor!

__ Não...

__ Eu pago! - falou como se fosse um gênio por ter dado tal conclusão e eu lhe olhei com uma das sobrancelhas arqueadas por cima da folha

Dinheiro não era o problema pra mim, eu sequer tinha um animal pra me dar despezas então vivia com a conta intacta e recheada, mas não é sempre que alguém vai bater na sua sala e falar que vai pagar seu almoço, né?

Vamos aproveitar essa oportunidade e extravasar...

__ Vai me levar pra comer o que eu quiser? - perguntei já com um restaurante em mente

__ Tudo o que você quiser, mocinha...



[...]




__ Nunca pensei que você tivesse um paladar tão refinado, senhorita Hye

__ Isso se deve ao fato de você não me conhecer nem um pouquinho... - falei e me deliciei com uma ostra posta em meu prato

__ Tem razão... - falou e se ajeitou na cadeira em minha frente -__ Me conte mais sobre você! - pediu enquanto bebia sua água com gás, e eu lhe devolvi com um olhar encabulado

__ Você é invasivo assim de natureza com todo mundo, ou isso foi adquirido somente comigo?

__ Isso é um dom, senhorita Hye... - falou cínico enquanto se encostava na cadeira, esperando meu pronunciamento

__ Me chamo Hye S/N, tenho 23 anos e sou delegada. - falei desdenhosa enquanto comia agora uma batata frita. Total equilíbrio entre coisas finas e coisas comuns

__ Mora sozinha? Em que bairro?

__ Isso lhe interessa? Vem cá... -lhe olhei- __ Você quer assaltar minha casa? Já vou logo te avisando que uma planta que sumir de lá, te colocarei como primeiro suspeito - o avisei e voltei a comer

__ Eu só queria te fazer uma visita

__ Eu detesto visita

__ Até a minha?

__ Jungkook, tenha santa paciência! Nem minha mãe me visita hoje em dia...

__ ARRÁ! ENTÃO VOCÊ MORA SOZINHA!

__ Garoto, enche esse boca de comida e fica calado ou eu perco a paciência e te dou um apagão com minha arma de choque...

__ Não está mais aqui quem falou - levantou as mãos em rendição e voltamos a comer, em silêncio dessa vez, apenas com trocas de olhares discretas e escondidas um do outro às vezes

__ Sei que eu sou um docinho, mas peça outro tipo de sobremesa por agora, okay? - falou enquanto olhava o cardápio após a refeição para pedir a sobremesa, enquanto o garçom retirava os pratos agora vazios

Tinha como ele ser mais insuportável? Bom, não quero pagar pra ver

__ Não é como se eu apreciasse esse tipo de "docinho"... - debochei e ele me olhou indignado

__ Você é lésbica? Mas você não era noiva do tal fardadinho lá?

__ Quanta invasão na minha vida, hein garoto? Vamos embora, não quero mais nada - falei me levantando e pegando minha bolsa que estava pendurada no encosto da cadeira

__ Mas eu quero! - rebateu

__ E quer o quê, paspalho?

__ Quero passar o restinho de tempo com você! - relatou- __ Ainda temos quarenta minutos pra relaxar...

__ Podemos relaxar em outro lugar? Tipo, eu na delegacia e você na puta que o pariu? - falei tais palavreados baixo para que ninguém ouvisse minha insutileza

__ Esse "Puta que o pariu" é na sua casa?

__ Você já me torrou a paciência... - falei saindo de vez do restaurante e quando ia atravessar a rua pra parar um táxi, meu pulso foi segurado pelo branquelo atrás de mim

Eu poderia me desvencilhar desse aperto facilmente, mas deixei que ele me levasse até seu carro, pagar e pegar táxi não era pra mim...

__ Delegados são tão rudes assim mesmo? - indagou com o cenho franzido e uma dúvida me surgiu

__ Você trabalha com o quê, flor? - questionei curiosa

__ Eu não trabalho!

__ E como se sustenta, filhinho de papai?

__ Meu avô me deixou uma herança bacana. Mas não pense que não vou ficar desempregado por muito tempo, estou com uns planos diferenciados aí... - falou olhando pra estrada enquanto dirigia

__ E quais seriam esses "Planos Diferenciados"?

__ Eu quero ser desenvolvedor de games... - falou despreocupado e mesmo sem que ele visse, lhe olhei estupefata. Nunca imaginaria algo assim...

__ Interessante - expressei minha real surpresa e quando vi, já tínhamos estacionado na porta da delegacia

__ Eu mereço... - praguejei quando vi vários repórteres na porta do departamento policial, provavelmente pra me jorrarem questionamentos sobre um caso peculiar que eu estava cuidando pessoalmente

__ Te desejo sorte! - me encorajou quando saí de seu carro -__ Passo na sua casa qualquer dia...

__ Garoto, vá catar coquinhos! - esbravejei e fechei a porta de seu automóvel, e quando me viram, os repórteres e entrevistadores vieram feito formigas atrás de mim, e eu era um "docinho", ali no meio

Não respondi nada, sempre detestei todos seres especuladores dessa espécie. Apenas abaixei meus óculos de sol em frente ao rosto, minha saia, e lhes dei um belo vácuo

__ Saiu pra almoçar? - Wang me perguntou assim que entrei na delegacia -__ Comigo nunca tinha tempo!

__ Pelas plantas venenosas que existem no mundo! Todo homem que cruzar o meu caminho hoje, vai me tirar do sério? - perguntei irritada e entrei em minha sala vazia e geladinha, suspirando ao ter encontrado finalmente a paz que eu preciso

Me sentei na minha cadeira, desabotoei alguns botões da manga de minha blusa, tirei meus saltos e... passei o resto do dia abrindo ações, fazendo atualizações de fichas criminais e coisas chatas que eu sempre tive que fazer

Mas no meio disso tudo, o rosto daquele garoto maldito sempre me atormentava

Ele emanava uma áurea clara e divertida, e parecia não desistir de nada tão fácil assim. Até que... foi legal almoçar com ele hoje.

E ele é bonito e gostoso também... devo pontuar...



[...]




Hoje era minha folga, sexta feira! Tirei o dia para cuidar de mim mesma, de minha casa e passei a tarde toda dormindo, acordei com fome e decidi pedir comida pela internet. Tomei banho e esperei meu alimento chegar

Ding Dong, a campainha!

Me levantei saltitante do sofá, peguei o dinheiro em cima do painel da TV e abri a porta, levando um banho de água fria pelas minhas suposições e esperanças

Lhe encarei

Ele me encarou

Coloquei meus braços no batente da porta

Ele colocou suas mãos no bolso do moletom

__ Quando pedi sushi, não imaginei que seria esse peixe morto que eles me mandariam... - falei

__ Não vai ser gentil nem uma vez na vida e vai me convidar pra entrar?

__ Podemos resolver o que quer que seja por aqui mesmo...

__ Poxa vida, eu vim te ver, ingrata! - relatou impaciente e eu lhe olhei com desdém -__ E te trazer isso! - me mostrou meu gloss labial

Eu senti falta dele mesmo... digo, do gloss, ele foi caro e era bonito. Devo ter deixado cair no seu carro na última vez que nos vimos...

__ E você quer entrar pra me devolver ele? - debochei

__ Eu vim porque queria te ver mesmo. Eu poderia ter deixado isso na delegacia, mas preferi vir te ver toda desarrumada e despojada...

No meio daquela conversa fiada na porta de minha casa, o entregador chegou, eu lhe paguei e peguei minha embalagem de comida japonesa

Entrei e deixei a porta aberta, ele entenderia o recado, mas demorou pra entrar, e vi que agora tinha uma garrafa de vinho em suas mãos, ele provavelmente foi buscar em seu automóvel

__ Quer me embebedar? - perguntei zombeteira e lhe coloquei sentado nas cadeiras giratórias em frente o balcão da cozinha

__ Você consegue fazer sexo bêbada, delegada?


Notas Finais


Eaí?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...