História Os garotos de Omelas - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Jikook Vhope Namjin
Visualizações 9
Palavras 957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção Adolescente, Lemon, Magia, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Annyonghaseyo 💓
Boa leitura

Capítulo 3 - Capítulo III


Fanfic / Fanfiction Os garotos de Omelas - Capítulo 3 - Capítulo III

Quando Hoseok se aproximou do menor para tentar ajudá-lo, Jimin abraçou Jeon com sua única força que o restava.

- Ei! Se acalme, ele não vai te machucar, só vai ajudar. - Jeon falou calmo com uma voz tão serena que todos ali presentes acharam que nunca iam ouvir.

- Eu não vou te machucar, sou amigo do Kook, não fique com medo - Hoseok se aproximou mais, fazendo com que o menor se encolhesse. O mais velho decidiu se afastar para o menor se acalmar.

E eles ouviram passos e cães latindo novamente, mas por sorte os guardas passaram direto do buraco, Jeon suspirou aliviado.

Jimin já estava mais calmo e com os curativos que Jeon fizera no menor.

E com roupas mais quentes, por incrível que pareça, o menor não queria se desgrudar do Jeon, estava o abraçando parecendo que nunca mais ia o soltar. O menor se sentiu seguro, como nunca em sua vida havia sentido antes. De algum jeito, sabia que Jeon ia o proteger.

- Está com frio pequeno? - Jeon perguntou acariciando levemente seus cabelos pretos. O menor negou balançando a cabeça.

- Que bom, se sentir algum frio me avise okay? - o menor assentiu.

- Você sabe falar ou só entende algumas coisas?

- E-eu c-consigo falar u-um p-pouco.- o menor falou pausadamente estava muito fraco, quando o mesmo terminou de falar, só viu sua visão ficar turva, tudo começou a rodar como nunca, sua visão ficando preto aos poucos surgindo a escuridão.

Após alguns segundos ele se sentiu sumir, sua consciência tinha apagado.

Jeon se assustou pois o menor já não o apertava como antes, o mesmo foi olhar e o viu com os olhos fechados seus lábios entreabertos e roxos. Logo o mais novo se apavorou.

- Jimin! Jimin! Acorda! Por favor! Ei! - Jeon o mexia e nada, o cutucava, fazia de tudo para acordá-lo mas o menor não respondia.

- Jungkook! Para com isso! Ele desmaiou - Jin pegou no ombro do mais novo - você vai machucá-lo.

É só um desmaio por ele estar muito fraco ele se esforçou para falar.

- E-ele vai ficar bem hyung? Eu tô com medo de perder ele.

- Vai sim Kook tenha fé. Ele é forte, sobreviveu todos esses anos, sendo torturado e muito mais, nenhum garoto sobreviveu até a idade dele.

- A-ai, K-kookie, K-kookie, d-doi.

- Ei, Jimin, calma, eu tô aqui vai passar essa dor. Eu fiquei tão preocupado.

- K-kookie

- Hum?

- O-obrigado

- Não agradeça Jiminie, poupe suas forças, você está muito fraco.

Jeon o abraçou delicadamente enquanto os outros ficavam os observando sem falar uma palavra sequer, exceto Yoongi que já estava no vigésimo quinto sono.

- Pode dormir pequeno, não vou sair do seu lado. Nunca.

- Jeon ficou fazendo carinho no cabelo preto do menor até ele pegar no sono. O menor estava com a cabeça em cima do peitoral de Jeon dormindo como um anjo, um anjo lindo, fofo, e que principalmente precisava de todo o carinho do mundo.

- Gente, amanhã iremos partir para a estação okay? - Jeon falou baixo para não atrapalhar o sono do menor. Apesar de ser três horas da manhã Jeon não conseguiria dormir, estava preocupado demais com o pequeno e frágil garoto que dormia em cima de si.

Todos já tinham ido dormir.

- Ah Jimin, será que eu tivesse tomado a atitude de resgatar você antes estaria nesse estado? Eu me arrependo tanto pequeno. Me desculpem - Jeon acariciou as costas do menor, com os olhos marejados.

- K-kookie v-você n-não tem c-culpa. E-eu que d-deveria p-pedir.

- Pequeno você está acordado?

- S-sim. M-me d-desculpa Kookie,

e-eu não q-queria te a-atrapalhar.

- Você não me atrapalha em nada pequeno, a partir de agora, eu vou sempre cuidar de você.

- E-eu gosto d-de v-você Kookie.

- Também gosto muito de você meu pequeno. - Jeon deu um selar em sua testa tentando passar conforto para o menor.

Jeon ficou fazendo carinho no menor até eles pegarem no sono. (Sim, por milagre que pareça Jeon dormiu).

DIA SEGUINTE

Já eram sete e trinta da manhã quando Jeon acordou em um pulo assustado com o menor.

- N-não N-não m-machuca o Jimin n-não n-não.

- Jimin! Jimin, ei! Acorda, eu tô aqui sou eu, Kookie.

- K-kookie, K-kookie. - Jimin o abraçou fortemente, procurando proteção de alguma forma. - t-tenho m-medo.

- Não precisa pequeno, eu sempre vou te proteger, sempre vou estar ao seu lado. Vou ter que refazer seus curativos confia em mim? -Jimin assentiu soltando o maior para que pudesse fazer os novos curativos.

- Você está com fome? - o pequeno assentiu e logo Jeon foi pegar um sanduíche natural com recheios muito gostosos, que Jimin nem fazia ideia de que era.

Pois o menor só comia restos de comida velha, migalhas com um pratinho de comida por dia. Ele estava muito magro e com evidências de uma forte anemia.

Jimin encarou o sanduíche receoso, mas achou aquilo bonito, com várias cores diferentes em destaque no meio do pão.

- Pode comer pequeno, é muito gostoso você vai ver, prove! - Jimin deu uma única mordida e já estava com os olhos arregalados e brilhantes de tão gostoso que aquele sanduíche estava.

- Huuumm. K-kookie é m-muito b-bom. - Jeon sorriu e ficou observando o pequeno comer, apesar de que o menor estava com fome ainda sim, comia com a maior delicadeza do mundo, o maior achou isso estranhamente fofo.

- Você já acabou de comer agora vou fazer seus curativos. - Depois de uns quinze minutos o maior terminou de fazer os curativos, limpou os ferimentos, passou uma pomada para dor em cima e depois cobriu com uma gaze. - pronto pequeno, está doendo em algum lugar? - o menor balançou a cabeça para o lado negando. - que bom! Vamos ter que seguir agora, vou te levar no colo okay?

- Sim.

- Gente tá na hora de irmos!


Notas Finais


Annyeong 💓
Espero que vocês tenham gostado desse capítulo ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...