1. Spirit Fanfics >
  2. Os Guardiões >
  3. Capítulo 7

História Os Guardiões - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Capítulo 7


Fechei os olhos e esperei que o sono viesse. E não demorou muito, mas com ele, um sonho estranho apareceu.

_ Anna…

Não sabia se deveria atender aquela voz sussurrante.

_ Anna…

Eu conhecia a voz de algum lugar. Era Paul? Michael? Talvez, Fergus? Não. Não era deles, mas de alguém do passado. Mas, quem?

Meu corpo foi puxado com uma força extrema. Eu queria saber de quem era aquela voz! Tentei andar até a porta, mas algo me impedia de continuar. Olhei para a minha cintura e vi um par de braços cercando meu corpo. Havia alguém me abraçando, mas não reconheci quem era. Tirei os braços ao meu redor, mas não consegui. Ele realmente me prendia.

Me virei para olhá-lo. Percebi que era mais alto do que eu. Talvez da altura de Fergus. Mas quando olhei seu rosto, vi algo diferente nele. Sabia que não era Fergus, nem nenhum dos outros guardiões. Mas, havia algo que me atraia mais do que o normal. Olhar para aqueles penetrantes olhos azuis como o mar, e os cabelos negros como a noite, me fez mudar muitas das minhas opiniões. Não o conhecia, nem o vi em lugar algum. Eu queria me soltar dele, e o fiz. Mas ele era firme em me prender.

_ Quem é você? - perguntei.

Ele sorriu, mas não um sorriso qualquer. Parecia o sorriso de Mona Lisa. Apenas olhei em seus olhos e esperei. Senti ele se aproximar do meu rosto, sua respiração tocava a minha pele, e eu fiquei assustada.

Senti meu corpo ser sacudido e ao abrir os olhos, o rosto de Fergus estava perto do meu. Afastei-me e olhei ao redor. Como eu poderia ter parado no telhado da casa?

_ Anna! - gritou Paul atrás dele. - Você está bem?

Olhei para os outros que estavam um pouco mais afastados e assenti de leve, segurando-me nos braços de Fergus. Mac e Fox se seguravam nos pilares da casa, enquanto que Paul ainda estava na entrada de acesso.

_ C-como eu vim parar aqui? - perguntei a Fergus.

_ Você andou até aqui. - disse ele. - Venha, vamos sair daqui. - com calma, caminhamos devagar até a entrada, onde Paul estendia a mão para mim.

_ E a voz? - perguntei.

_ Voz? - disseram Fox e Mac. - Que voz?

_ A voz que me chamava… No sonho… - minha voz sumiu aos poucos. Eu realmente escutei alguém me chamar. Olhei para Fergus ainda confusa. - Eu… Disse alguma coisa enquanto dormia?

_ Só “quem é você”. - respondeu ele.

_ Vem. - chamou Paul. - Vamos voltar…

Por ser uma passagem estreita até a entrada, Fergus seguiu na frente, segurando minha mão com firmeza e, um por um, os rapazes foram passando. Quando Fergus finalmente entrou pela passagem, meu pé escorregou e meu corpo deslizou telhado abaixo. Meu grito se misturou aos dos outros, mas antes mesmo que eu encontrasse o chão, meu corpo foi segurado por enormes garras, fazendo-me planar temporariamente sobre o gramado.

Olhei para cima, e vi uma águia gigante me erguer, voando até o jardim dos fundos da casa e me soltou ali. Sentei na grama ofegante, enquanto a ave pousava majestosamente diante de mim e assumia a forma humana de Michael.

_ Obrigada… - agradeci.

_ Devia tomar cuidado. - alertou ele.

Fergus correu ao meu encontro e rapidamente começou a me examinar. Por suas palmas serem grandes e pressionarem algumas partes sensíveis do meu corpo, acabei por gargalhar devido às cócegas. Quando ele finalmente parou, eu já estava deitada, recuperando o fôlego, mas meu sorriso gradativamente foi morrendo ao ver sua expressão séria.

_ D-desculpa…

O moreno se ergueu sem dizer uma palavra e entrou na casa, enquanto Paul se aproximava e me ajudava a levantar. Tentei lhe dizer que minha queda não foi proposital, mas o outro apenas assentiu, gesticulando para que entrássemos, afinal, estava começando a ficar cada vez mais frio. Estava prestes a subir as escadas quando os ouvi conversarem.

_ É a terceira vez. - começou Fergus, e Michael franziu o cenho.

_ Terceira? - perguntou Fox.

_ O que aconteceu nas outras duas? - Mac o olhou.

_ Ela quase pulou do apartamento. - explicou. - Ela sempre sonha com a mesma voz e a mesma pessoa.

_ Será que não estava sonhando com o Gabriel? - brincou Fox.

_ Não. - negou ele. - Se fosse assim, ela teria mencionado o Cian.

_ Quem é Cian? - Michael o olhou.

_ Um garoto da escola dela. - resumiu. - Não sei muito sobre ele. A questão é que é sempre o mesmo sonho, do mesmo jeito.

_ Acha que tem a ver com… - sugeriu Paul.

Virei meu rosto aos poucos para o grupo e notei as expressões de Fergus mudar bruscamente. Num momento ele parecia apenas preocupado, mas suas feições passaram a ficar mais sérias, como se estivesse iniciando uma fúria descontrolada.

_ Não pode ser. - rosnou. - Ela teria mencionado…

_ Mencionado quem? - Fox os olhou.

_ Não, Paul. É impossível.

_ Ok. Eu estou boiando nessa conversa. - Mac os olhou. - Alguém quer explicar?

_ Fergus, calma. É apenas uma suposição. - explicou Paul.

_ Mas se for verdade, a vida dela corre perigo!

_ Do que vocês estão falando?! - berrou Fox, visivelmente curioso.

Fergus passou a mão no rosto, visivelmente nervoso. Paul suspirou pesadamente e Michael parecia ser o único que permanecia calmo naquela conversa. Nem Mac e nem Paul entendiam o que estava acontecendo.

_ De Hell. - disse Michael. - É de Hell quem estamos falando.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...