História Os Guardiões do Olimpo - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Amizade, Aventura, Deuses Gregos, Mitologia, Monte Olimpo
Visualizações 1
Palavras 1.854
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Mais uma confusão em que o nosso brigão favorito se mete (Bom, espero que seja o favorito de vocês também), desta vez as coisas começam a ficar mais sérias, espero que gostem!

Capítulo 3 - Quase sou morto por um lobo gigante de três cabeças


Fanfic / Fanfiction Os Guardiões do Olimpo - Capítulo 3 - Quase sou morto por um lobo gigante de três cabeças

Já era hora da saída e por incrível que poderia parecer eu descia para o pátio conversando com Dylan, o aluno novo realmente era legal, ele entendia de uma forma que nenhuma outra pessoa entendia o que eu falava, digo, minha forma de pensar. Quando chegamos até o pátio principal e caminhamos para o portão de saída foi onde nos separamos.

— Até mais. — Disse á Dylan.

— Até amanhã, brother. — Ele respondeu.

O jeito como ele parecia ser tranquilo e auto-controlado me dava agonia, mas ele era mesmo legal. Eu percebi que havia um carro preto parecido com uma limosine — Notei que era o mesmo carro que eu tinha visto mais cedo — parado em frente ao colégio, mas para minha surpresa vi Dylan caminhar na direção dele, quando ele se aproximou do carro, um homem de roupas elegantes e sociais o cumprimentou e ele entrou no carro, eu podia esperar qualquer coisa do aluno novo, menos que ele era um "playboyzinho".

Acabei por deixar isso para lá, caminhei na direção do ponto de ônibus, passei por uma rua e haviam algumas pessoas caminhando junto comigo, alguns eram alunos que também iam pegar algum ônibus para ir para seus bairros, outras eram pessoas normais mesmo. Enquanto andava percebi que a van preta que eu tinha visto antes ainda estava lá, parada no mesmo lugar, foi quando percebi alguma coisa estranha acontecendo, olhei para as pessoas ao meu redor e percebi que elas estavam caminhando mais lentamente, quase parando.

— Mas que droga... É essa... — Murmurei.

Alguma coisa estava errada, mas o que era aquilo? Era como se o tempo ao meu redor estivesse parando de forma sobrenatural. De repente ouvi passos atrás de mim vindo na minha direção, me virei para trás e vi um homem de longos cabelos negros meio arroxeados, ele era alto e vestia um terno preto, sua pele era pálida e seus olhos eram cinzas.

— É um prazer encontrá-lo aqui, Lorde Zeus. — Ele disse á mim, mas tive a impressão de que falara isso de forma sarcástica.

— Zeus? — Perguntei. — Olha cara, eu não sei de qual banda de emocore você veio, mas eu me chamo Zack.

O homem cerrou os olhos friamente para mim, era como se quisesse me matar, ele estralou seu pescoço e com uma velocidade incrível apareceu em minha frente, ele tinha uma expressão maligna no rosto apesar de sério.

— Vejo que ainda não sabe quem é de verdade...

— Quem é você? — Perguntei á ele, mas eu tinha uma leve impressão que já o conhecia de algum lugar.

Ele riu.

— Sou Minos O controlador do tempo , líder dos três juízes do submundo. — Sua voz era carregada de orgulho e de firmeza.

— Legal. — Respondi.

A minha resposta causou fúria no tal Minos, ele me pegou pelo pescoço e me levantou com somente uma mão.

— Zomba de mim, não é? — Ele perguntou aflito. — Zeus o rei do Olimpo, sempre auto-confiante e prepotente...

— Eu já disse que não sei do que você está falando.. — Tentei falar forçadamente enquanto sua mão apertava meu pescoço.

— Isso não importa, o mestre precisa de você vivo... Por enquanto.

Nesse momento Minos me soltou, mas milésimos de segundos depois disso senti que fui golpeado na nuca e minha visão foi escurecendo rapidamente, á partir daí não vi mais nada.

...

Fui abrindo os olhos devagar, olhei em volta, minha visão girava um pouco... Percebi que estava num tipo de sala fechada, havia somente uma janela á minha frente, a sala não era tão grande. Eu estava amarrado em uma cadeira e havia uma lâmpada logo acima de mim que iluminava a sala, notei também que não tinha nem sinal do tal Minos Controlador do não sei o que, me esqueci.

Eu comecei a ficar nervoso e apavorado, mas não de medo, eu queria encontrar aquele cara e socar ele. Por que eu estava amarrado aqui? Por que me trouxeram para cá? E por que Minos me chamou de "Zeus"? Eram perguntas que eu queria descobrir, mas depois de dar um fora dali. Tentei mecher meus braços para folgar a corda, mas estava muito bem apertada, eu conseguiria frouxar a corda, mas demoraria um pouco, mas não desisti. Tentei por alguns minutos e enfim consegui afrouxar a corda e me livrei, havia somente uma porta e uma janela, tentei abrir a porta mas ela estava trancada, minha única chance era quebrar o vidro da janela e dar o fora dali.

Contei até três e então saltei pela janela e caí do outro lado junto com os estilhaços de vidro, mas não me cortei muito. Eu tinha saído num tipo de corredor, eu podia ver uma luz no fim dele, então saí correndo para lá para tentar alcançar o fim. Quando enfim cheguei, antes de sair na luz percebi que haviam muitos homens de máscara armados com armas de alto porte, como fuzis por exemplo. Aquele lugar era bem parecido com um tipo galpão abandonado, eu não conseguia imaginar o que eu estava fazendo ali, mas já que estava ali tinha que dar um jeito de dar o fora sem morrer. Fui me esgueirando por uns tonéis de líquido inflamável que estavam agrupados em fileiras laterais, dali eu já pude ver um enorme portão que dava para a saída, ele estava semi-aberto, mas era muito grande e eu conseguiria passar por ali tranquilamente.

Eu continuei andando agachado bem devagar para que ninguém pudesse perceber minha presença, mas então eu ouvi um som estranho, na verdade não era exatamente um som, era como o barulho de patas de um animal bem grande pisando o chão. Me levantei de leve e olhei entre as pequenas gretas entre um tónel e outro e quando consegui ver o que era quase caí para trás em apavoro, era um enorme lobo gigante de três cabeças, sua pelagem era cinza e preta e em cada cabeça a cor dos olhos eram diferente, variando entre azul, vermelho e verde. Aquele monstro parecia estar farejando alguma coisa, eu estava torcendo para que não fosse eu, mas para o meu grande azar aquele bixo enorme estava vindo na minha direção, farejando o ar com seu enorme fucinho. Eu estava começando a suar frio, eu não estava acreditando que havia mesmo um lobo de quase cinco metros de três cabeças farejando o meu cheiro, eu só conseguia pensar na morte, mas respirei fundo e devagar e reergui minhas forças e continuei me esgueirando mais rapidamente, meu coração batia muito rápido, eu já estava vendo o fim dos tóneis e logo á frente, uns quatro metros até a saída.

Eu estava tão preocupado em chegar logo na saída que quando me aproximei do fim dos tóneis dei de cara com o enorme fucinho do lobo gigante, nesse momento eu fiquei paralizado, eu nem consegui respirar, aquelas três cabeças com olhos de cores direfentes cada uma me observavam como se eu fosse um intruso, ou um mero lanchinho. Sem pensar eu tomei uma rápida decisão muito inteligente: CORRER! Eu pulei um dos tóneis e saí correndo como se aquilo dependesse da minha vida (E dependia!) era tudo ou nada, se eu não conseguisse sair pelo portão eu ia ser morto de alguma forma dolorosa. Quando eu estava prestes a chegar no portão da saída o lobo gigante saltou tão alto e caiu justamente na minha frente, quando ele fez isso os "soldados" armados notaram que eu estava ali tentando fugir na cara dura e me cercaram junto com o lobo, eu olhei para os lados e eu estava realmente cercado.

Eu ia morrer sem saber o motivo ou o que eu fiz para merecer isso.

— Ei galera... Não precisa de armas, vamos conversar... — Tentei persuadí-los da forma mais idiota que eu pude.

Mas eles pareceram não ligar para o que eu estava falando, continuaram a mirar aqueles fuzis em mim, eu não vou negar que nesse momento eu senti medo, eu ia morrer com certeza, fosse baleado ou fosse sendo devorado por um lobo gigante de três cabeças. Meu coração começou a acelerar e eu senti uma coisa estranha percorrendo meu corpo, essa sensação, por um segundo, me passou coragem, era como se fosse uma corrente elétrica passando pelo meu corpo e aquilo me deu vontade de lutar pela minha vida, eu cerrei os punhos com raiva, meu corpo formigava, então eu pude ver que descargas elétricas de cor azul piscavam no meu corpo, e num momento de raiva eu abri os punhos e senti que poderia lançar aquelas descargas elétricas em todo mundo. Assim eu fiz naquele momento de raiva: lancei aquelas estranhas descargas elétricas em forma de uma rajada circular que se extendeu atingindo todos que estavam ali.

As descargas elétricas eletrocutaram os homens armados que caíram todos no chão, o lobo gigante foi atigindo, mas não pareceu ter se ferido muito, eu estava ofegante, o lobo gigante veio na minha direção e me desferiu uma cabeçada que me lançou contra á parede á alguns metros de distância, nesse momento eu caí com a mão no peito onde havia sido golpeado, o lobo vinha na minha direção rosnando ferozmente, seu rosnado parecia um motor de caminhão de tão grave e forte, ele com certeza ia me devorar agora. O lobo passou por uma poça d'água que provavelmente havia se formado por causa da chuva de ontem, ele vinha minha direção para me matar, mas quando ele passou pela poça de água algo estranho e mágico aconteceu, a água se ergueu como se estivesse viva e atingiu o lobo com uma velocidade incrível num turbilhão.

— Ei! Você está bem? Consegue correr?

Virei meu olhar para onde a voz vinha e quando vi a pessoa me surpreendi, era Dylan, o aluno novo. Ele parecia controlar magicamente a água e estava usando isso para derrubar o lobo gigante.

— E-Eu consigo! — Respondi me levantando com o resto de minhas forças.

Me levantei e Dylan olhou para mim.

— Vamos nessa! — Ele gritou.

Ele havia conseguido derrubar o lobo gigante de três cabeças com seu poder, nós então aproveitamos a chance para correr, mas aquele lobo gigante era mesmo um saco, ele levantou novamente e veio na nossa direção e desta vez estava assoprando fogo com uma de suas cabeças.

— Droga! — Eu exclamei. — Esse monstro não desiste.

— Aquele é Cérbero! — Disse Dylan. — Não vai desistir facilmente.

Dylan parou, Cérbero vinha como um trator na nossa direção, o monstro tentou nos golpear com a cabeça, mas Dylan fez uma barreira de água que nos protegeu, num último ato eu olhei para os tóneis de líquido inflamável e me lembrei das descargas elétricas que eu tinha conseguido fazer antes, tentei me concentrar para fazê-las de novo, novamente no calor da batalha senti meu corpo esquentando e formigando e novamente as descargas elétricas cintilavam no meu corpo.

— É agora, vai! — Dylan gritou.

Dylan usou a água e todas as forças que tinha para empurrar Cérbero contra os tonéis e assim o fazendo derramar o líquido, quando isso aconteceu eu disparei um raio no líquido e isso causou uma enorme explosão, rapidamente eu e Dylan pulamos portão a fora enquanto a explosão se extendeu por todo aquele galpão abandonado.


Notas Finais


E aí? Estão curtindo? Imagino que devam estar em dúvida com tantas coisas acontecendo com o pobre Zack, mas vão por mim, ainda há muito mais para descobrir!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...