1. Spirit Fanfics >
  2. Os Herdeiros da Profecia de Sonserina >
  3. Cinco dias..

História Os Herdeiros da Profecia de Sonserina - Capítulo 75


Escrita por:


Capítulo 75 - Cinco dias..


Fanfic / Fanfiction Os Herdeiros da Profecia de Sonserina - Capítulo 75 - Cinco dias..

– Olho-tonto está.. morto. – Remo disse, deixando uma lágrima cair. 

– Ele se sacrificou por mim.. – Jorge falou, sério.


Após essas palavras, Harry se permitiu sair dali. Ele se direcionou para fora da sala de estar. Ele estáva fora da toca.

Gui, também sentiu que algo estáva faltando, em seu coração. Perder um grande amigo dias antes de seu casamento é possívelmente a quebra do clima feliz de se juntar com outra alma.

Sophia ficou sem acreditar. Aquele que era tão bom. Tão amigo e leal. Ela não tinha aceitado que tinha perdido mais alguém.

– Primeiro são James e Lílian.. vi Lílian morrer e não pude fazer nada. Depois, fui obrigada a matar duas pessoas que eu tanto amava. Agora.. Alastor. Quem mais vai ser? Luna? Harry? Eu estou cansanda de perder tantas pessoas! Ninguém merece passar por isso que estou passando.. – Sophia falou, quase chorando.

Logo após falar isto, Sophia foi para fora da toca. Harry estáva sentado no chão, chorando.

– Harry.. 

Sophia o abraçou fortemente. Ela respirou fundo. Era como se Harry fosse o seu ponto de paz. 

– Estámos juntos. Eu e você; sempre! 

– Mesmo? Por que? Depois de tanta coisa, ainda tenta fortalecer nossa amizade. Deveria ter raiva de mim..

– Porque quando o sol brilhar, brilharemos juntos! Te disse que estaria aqui para sempre. Disse que sempre seria sua amiga. O que eu jurei, eu vou cumprir até o fim. Saiba que ainda teremos um ao outro! Essas coisas horríveis nunca ficarão entre nós! Você é parte da minha entidade daqui para a eternidade!

Harry sorriu e abraçou mais ainda Sophia. Sophia deixou lágrimas saírem.

– Quando a guerra fizer a parte dela.. quando o mundo tiver dado as cartas.. se estiver muito difícil, juntos, poderemos consertar tudo, Harry. 

– Obrigada, Sophia.. – Harry falou, enquanto limpava suas lágrimas.

Eles pararam de se abraçar. 

O momento que eles tiveram foi nescessário, para Harry perceber que ele não era uma aberração que só dava problemas para todos. Afinal, em uma guerra, inocentes também se vão..

– Eu te amo, testa rachada! – Sophia falou, sorrindo.

– Também te amo. Estou com você.. para tudo! – Harry disse, colocando sua mão no rosto de Sophia.

Eles passaram um tempo, conversando. Era madrugada, então, os dois entraram para dentro da toca.

Todos já haviam ido dormir. Menos Gui, que estáva lendo um livro, sentado no sofá da sala de estar.

Harry, percebeu que Sophia queria conversar com Gui, então, subiu as escadas.

– Gui.. sei que era bastante amigo de Alastor e.. só quero que saiba que sinto muito. Eu não queria que isso acontecesse.

– Está tudo bem. – Ele respondeu. – Lembra de quando você era bem pequenininha? Quando tinha oito anos?

Sophia assentiu. 

– Eu tinha dezoito. Foi quando vi você pela primeira vez. Quando nossos olhos se encontraram e conheci a melhor pessoa de todos os tempos. Minha garota! Minha irmã mais nova. 

– Você.. sempre me ensinou que desistir não é uma opção, não é? Sempre cuidou de mim e sempre me protegeu. Agora, eu tenho quase dezoito e você.. está se casando, criando uma família. É tão diferente..

– Sim.. sabe, quando você tinha oito anos, eu.. não te olhava do jeito que olho para você, agora. Você era uma criança adorável! Sempre sendo boazinha! Não era como Fred ou Jorge, que eram ao contrário de você. 

– O que está querendo dizer?

– Quero dizer que.. antes, eu te olhava como uma irmã, mas.. te olhei de um jeito diferente, quando esteve aqui, ano passado. 

– Gui, você vai casar.. 

– Eu sei. Por esta razão, estou lhe contando isso. Crescemos juntos e, eu não deveria olhar para você, deste jeito, entende? – Ele falou, colocando sua mão em cima da mão de Sophia.

– Você está com Fleur, não é? Está se casando com ela e.. eu estou com Luna. Não me leve a mal, eu acho você maravilhoso, mesmo com cicatrizes, mas.. somos amigos, melhores amigos!

– Sim, eu sei! E, eu amo nossa amizade! Não quero que pense mal de mim. Sei o que aconteceu com você, em 1995. Sei o que fizeram com você e não quero que pense que quero fazer alguma coisa com você. Eu senti algo naquele dia, ano passado, mas, foi só naquele dia; eu apenas queria que você soubesse; O que quero dizer é que.. já é quase adulta e estou me casando.. essas coisas não podem acontecer. Não quero magoar Fleur.

– Eu sei! Não quero que pense mal de mim. Eu não estava tentando te "seduzir" ou qualquer coisa deste tipo. Não quis desrespeitar você ou Fleur. – Sophia falou, olhando para Gui. – Obrigada por contar.. acho que a sinceridade está sendo essencial nesses tempos..

– Tem razão! – Gui concordou, enquanto a abraçava. – Eu te amo.

– Te amo, também. – Sophia falou, sentindo um beijo em sua testa.

Logo após esta conversa, Sophia subiu as escadas. Se encontrou com Remo, enquanto subia.

– Oi pai. 

– Olá, meu amor. Ainda não foi dormir?

– Eu estáva conversando com Harry e.. depois, eu e Gui conversamos um pouco.

– Oh, sim! Sabe.. acha uma boa ideia irmos visitar a família Lovegood amanhã? 

– Sim, sim! Estou sentindo saudades de Luna.. – Ela o respondeu, dando um sorriso bobo, ao se lembrar da sua loirinha.

– Está perdidamente apaixonada. Vejo em seus olhos o quanto a ama.

– Nossa.. dá pra perceber assim, tão fácil?

– Sim! Esse sorriso bobo, quando fala sobre ela não esconde! 

Assim, Sophia sorriu, enquanto olhava para o teto e lembrava da Lovegood.

– Sophia, acho que já está na hora de conversarmos um pouco, não é mesmo? 

Ninfadora, que estáva ali perto, escutando a conversa dos dois, deu um passo.

– Lupin, por favor! Este tipo de conversa é muito constrangedor. 

– Tonks.. acho que papai está certo. Eu deveria ter contado há bastante tempo. Só que.. eu não sabia como contar. 

– Venha, estamos no quarto de Carlinhos. Delphini está dormindo, acho que lá é melhor para conversarmos.

Então, os três foram para o quarto. Delphini dormia feito um anjo!

Eles se sentaram no tapete, que havia no chão.

– Tem certeza que quer falar sobre isto?

– Sim, Tonks.. 

Remo respirou fundo.

– Com quem foi? Quando foi e onde? – Remo perguntou, olhando para Sophia.

– Lupin! Por favor!

– Está bem.. é.. foi com a Luna, minha primeira vez. Quando eu tinha. quatorze anos, nas férias. Quando eu estáva indo para o quinto ano. Foi na nossa antiga casa, em Baker Stree.. Eu e Luna estávamos brigadas e.. aconteceu. 

– Então, já sabia sobre este tipo de coisa, naquela época?

– Pai! Em Hogwats, eles ensinam sobre isso no quarto ano. 

– Mas, como foi? Você.. gostou? Se sentiu bem? – Remo perguntou, nervoso.

– Eu estáva bêbada. Lembra, quando teve o meu aniversário? Meus amigos foram para lá e.. eles fizeram uma "cerveja amanteigada alcoólica." Eu não me lembro exatamente..

Remo se sentiu aliviado por ter sido Luna. 

– Obrigada por contar. Agora.. vamos dormir, já está tarde! – Remo falou, se levantando.

– Pai, agora que já estamos seguros, pode ir buscar o Adri. Ele está lá no número º12. – Sophia falou, enquanto se levantava.

– Não esqueça de trazer as nossas malas e as das meninas. – Tonks disse,

– Por falar nelas, onde elas estão? – Sophia perguntou, olhando para Tonks.

– No quarto de Gina, junto com Hermione! 

– Gina.. Gina. Sempre ela! – Sophia falou, colocando suas duas mãos em sua própria cintura. – Acho que não vou conseguir dormir sem um banho. Vou esperar o senhor! Vai aparatar e.. vai ser rápido!

– Está bem. Não vou demorar. – Remo falou, se preparando para aparatar.

Logo assim, em um piscar de olhos, Lupin já não estáva mais ali. 

– Tonks, eu acho que vou tomar um ar.. preciso pensar um pouco.

– Claro! Qualquer coisa, estou aqui.

– Obrigada..

Sophia saiu do quarto de Carlinhos, e logo, desceu as escadas. Foi para o lado de fora. Se sentou no chão, encostada na parede, perto da porta de entrada da toca e começou a chorar.

os pensamentos de Sophia estávam um pouco pesados. Culpa, tristeza, dor.. havia de tudo ali, naquela mente. 

Mesmo estando rodeada de amigos, como Hermione, Harry, Rony, Fred, Jorge ou Gui, ela se sentia sozinha. Mas, uma coisa, um sentimento, tentava dizer que ela não estáva. Pensou em seu passado, presente e futuro. Pensou em tudo que passou. A perda de seus padrinhos, a perda de seu primo, de seu grande amigo, Dumbledore e agora, de uma pessoa muito querida como Alastor. Um ataque de ansiedade estáva se formando, enquanto Sophia chorava.

Já eram 04:33 da manhã. Dava para ver o sol acordar. 

Sophia estáva dormindo, ali mesmo.

Teve um sonho ou uma visão. Ela não sabia exatamente o que via ali; Olivaras estáva em um lugar.. Você-Sabe-Quem estáva falando com ele; Perguntando se Olivaras mentiu para ele. Outras coisas vieram naquele sonho. Sonhou quando ela, Harry e Dumbledore estávam sendo acusados, pelo ministério da magia, sonhou com as Horcrux. Logo depois disso, se assustou.

Após 15 ou 20 minutos, ouviu a porta bater. Harry estáva andando rápido, indo para longe da toca, com roupas de frio, por causa da madrugada. Ele levava a sua mala. Sophia se levantando rapidamente e foi correndo até ele.

– James! Onde vai? 

Harry ficou quieto, por alguns segundos, logo, respirou fundo e tomou coragem para falar algo.

– Não vai morrer mais ninguém! Não por mim! 

– Por você? Acha que o Olho-tonto morreu por você? – Rony falou, fechando a porta da frente e andando até os dois. – Acham mesmo que ele morreu por alguns de vocês? Acham que Jorge perdeu a orelha por vocês? Podem até ser os eleitos, mas.. isso é muito maior que vocês dois! Sempre foi maior! 

– Venham comigo.. – Harry suplicou, com seus olhos brilhantes, na esperança de Rony ou Sophia resolverem ir junto com ele.

– E deixar a Hermione? – Sophia perguntou, o olhando. 

– Tá doido? A gente não iria durar dois dias sem ela! – Rony disse. – Não contem a ela que eu disse isso, está bem?

– E.. além disso, ainda estamos com o rastreador! E tem o casamento!

– Não estou nem aí para o casamento! Sinto muito, não me interessa quem vai casar! Eu tenho que começar a procurar as Horcrux!

– Tenha paciência, James!! Nós combinamos que logo depois do casamento, iríamos começar a procurar!!

– Eu sei, Sophia, mas, eu sinto que tem alguma coisa errada! Eu sinto! Não está nada normal, e algo vai acontecer, se não adiantarmos logo!

– Harry, tudo está errado! Enquanto Você-Sabe-Quem estiver vivo, tudo vai estar errado! Por favor, só mais cinco dias..

– Quando mais demorarmos aqui, mais forte ele fica! É isto! 

– Não é uma boa noite para isso. Estaríamos fazendo um favor a ele! – Rony falou.

Assim, eles três ficaram em silêncio. Após um tempo, Harry jogou sua mala no chão e Rony a pego.

– Vamos.. – Sophia falou, colocando sua mão no ombro de Harry.

Então, os três começaram a andar, de volta para a toca.

– Acha que ele sabe? Digo.. essas partes da alma dele, as Horcrux.. são partes dele. Quando.. Dumbledore destruiu o anele vocês destruíram o diário de Tom Riddle... o que quero dizer é.. vocês destruíram partes dele. Então se matarmos as outras Horcrux, matamos o resto dele e mais ninguém vai morrer. 

– Anel? Que.. que anel é este que estão falando? – Sophia perguntou a Rony.

– Não sabe? – Rony perguntou, com um certo espanto.

– Nós destruímos o diário de Tom e Dumbledore destruiu o anel. Ele iria contar, depois de tentarmos destruir o medalhão de Salazar, se não estivesse sido morto.

Sophia logo ficou em silêncio, se falar nada. Os três continuaram a andar e foram para dentro da toca.

Era dia, as 09:32 da manhã. Todos estávam acordados.

Sophia vestiu uma blusa pequena e amarela, e usou uma saia branca. Seus cabelos, que eram curtos estávam longos, com a ajuda de suas habilidades, como Metamorfomago.

Sophia e Remo iriam fazer uma visita para os Lovegood. Sophia estáva feliz, pois iria rever Luna.

Todos estávam na cozinha, esperando o café da manhã.

– Bom dia! – Gina falou, se sentando na mesa.

– Bom dia! – Harry a respondeu, sorrindo.

– Está bonita, Sophia! Onde vai? – Elle perguntou, simpáticamente.

– Estou indo na casa de Luna. – Disse Sophia, sonolenta, ainda.

– Ah, então vai perder a chegada de Carlinhos! Ele me mandou uma carta! Disse que não vê a hora de lhe reencontrar! – Gina falou, olhando para Sophia. 

– Ele vem hoje?! – Sophia perguntou, olhando para Gina, com uma cara de espanto. – Droga! 

– Olha o palavreado! São nove da manhã, por favor! – Disse Remo, olhando para Sophia. – Vai ver ele, de qualquer modo, não se preocupe! 




Notas Finais


Música: Umbrella - Ember Island


Espero que tenham gostado, beijo de luz! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...