História Os Herdeiros do Destino - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Rin Nohara, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Shion, Suigetsu Hozuki, Tayuya, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Comedia, Drama, Faculdade, Festas, Gaaino, Intrigas, Musica, Naruhina, Naruto, Nejiten, Romance, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 466
Palavras 4.914
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLHA QUEM VOLTOUUUUUU???
HAHAHAHAHHA
gente essa fic eu ja tenho ela toda escrita, mas por falta de tempo as vezes eu demoro ANOSSSSS pra postar, mas agr que o Enem ja ja vai acabar e dps a minha outra prova, eu vou estar livre pra postar ela TODINHA pra vcssssss <3
Eu amo dms esse cap, espero mt mt mt q gostem!

Dps de domingo eu vou responder vcs seus lindos, mt obrigada pelos comentários lindos e sejam bem vindos leitores novos!!!

Ps: ainda não chegamos aos finalmentes hein!
Link das músicas ali embaixo! BOA LEITURAAA!

Capítulo 20 - Capítulo 20


Fanfic / Fanfiction Os Herdeiros do Destino - Capítulo 20 - Capítulo 20

Capitulo 20

“Desafios são bons às vezes,

Ele nos faz superar medos,

Erros e problemas.

Quando ele é dado por uma causa maior,

Ele pode mudar a nossa vida.”

Anteriormente...

Tenten, Sakura e Hinata estavam no banco de trás do porsche vermelho conversível de Temari, como elas vinham fazendo desde o inicio da brincadeira. As três tinham os olhos fechados e sentiam o vento bater contra seus rostos. Um silêncio tomava conta do ambiente, como o único momento de paz que aquelas garotas teriam durante noite. Hinata e Sakura encaravam o céu estrelado, tentando aplacar a tontura causada pela bebido – já que não eram tão acostumadas assim a beber tanto – e ao mesmo tempo tendo um pequeno deja vú da época em que as duas se escondiam no terraço da mansão Haruno e observavam o céu e as constelações, esse era o hobby de Sakura, enquanto o de Hinata era desenhar.

— Manda aê Tema, qual vai ser o meu desafio? - Sakura perguntou sem abrir os olhos. Temari sorriu malignamente, se a Haruno tivesse conhecimento desse simples movimento, teria sentido seu sangue gelar de medo.

— Você vai ter que beijar o Sasuke.

Um silêncio diferente do anterior se instalou no carro, ele era constrangedor, desconfortável e assustador. Depois do que pareceram horas, Sakura abriu lentamente os olhos – assim como Hinata e Tenten – e olhou para Temari, ainda sem acreditar.

— Tudo bem Temari, pare de brincadeiras e vamos ao que interessa: Qual vai ser o meu desafio?

— Já disse, quero que beije o Sasuke. – A loira mais velha enfrentou as esmeraldas de Sakura através do espelho retrovisor. A rosada arregalou os olhos e só conseguiu pronunciar uma frase.

— O Absinto Ino.

Ino passou a garrafa para a rosada ainda de olhos arregalados – assim como todas – enquanto Sakura bebia direto do gargalo vários goles da bebida, Ino questionou Temari pelo olhar, nem mesmo ela tivera coragem de fazer isso.

Sakura afastou a garrafa da boca e a passou para Ino novamente, limpou os lábios com as costas da mão, ela logo sentiu sua cabeça pesar ainda mais. A Haruno agarrou a lateral da cabeça com as duas mãos e gemeu.

— Aconselho que encoste a cabeça no banco e respire fundo Sakura-chan... – Sussurrou Hinata, fazendo o que ela mesma havia instruído. – Isso realmente ajuda a clarear a mente quando se está no nosso estado.

Sakura seguiu o exemplo de Hinata e fechou os olhos, não estava acreditando que Temari tinha feito isso com ela. A rosada sentia seu estômago se revirar em ansiedade e seu coração acelerar, coisa que ela nunca havia sentido antes de nenhum beijo com outro cara.

“Droga!” Ela não queria isso, não assim, do nada. E o pior de tudo, era por um desafio e a Haruno nem ao menos sabia se ele iria retribuir. Merda, ela nem ao menos queria que fosse assim! Queria que fosse ele a dar o primeiro passo, que ele se apaixonasse por ela, que ele a respeitasse. Como era boba... Uma boba apaixonada sonhando com o primeiro beijo no cara cujo era dono desse sentimento. Ela queria que ele sentisse o mesmo. Sonhos. Era bem provável que ele a expulsasse aos berros e jamais desse uma chance para ela novamente. Ou pior, que ele se aproveitasse dela, usasse e depois a jogasse fora. E Haruno Sakura não queria isso, não nascera para receber isso. Ela sabia do fundo do seu coração, que seria capaz de perder a cabeça se Sasuke a usasse. Se ele a destruísse.

Temari estava receosa, ela queria que assim Sakura soubesse quem Sasuke realmente era, o que a aguardava se ela continuasse a nutrir sentimentos por ele. Se ela continuasse permitindo que esses sentimentos evoluíssem. Mas não queria que a amiga sofresse, e a Sabaku acreditava que se ela sofresse agora, não seria tão ruim quanto seria se sofresse no futuro, quando seus sentimentos estivessem muito mais aflorados. Não queria ver a bela flor de cerejeira que Sakura era se apagar. Assim como não queria que o mesmo acontecesse com a doce Hinata. Mas por enquanto, a oportunidade que tinha era com a rosada. E a aproveitaria.

— Agora se preparem. Nós temos uma festa para ir. – Temari acelerou o carro logo que acabou de falar.

***

— Nossa... A festa está bem cheia. – Comentou o ruivo com roupa de pirata – que consistia em uma calça de pirata caqui que estava por dentro das botas masculinas de cano longo, blusa de botões branca com um tecido fino e somente os dois últimos botões fechados, deixando a mostra o peito branco e musculoso, um cinto marrom com uma réplica de um facão que qualquer pirata teria - observando o ambiente a sua volta com um sorriso no rosto.

— Concordo... Tomara que eu encontre a minha morena hoje e você a sua rosada. – Comentou o moreno – que usava uma calça jeans escura, uma blusa de botões branca com as mangas puxadas até o cotovelo, um tênis vans preto, um colete preto e uma gravata vermelha – seu sorriso maior do que tudo.

— Acho meio difícil Hayato... – O ruivo suspirou decepcionado. – Naquele dia, no Ferro Velho, a Karin deixou bem claro que odiava a Sakura, assim como a Hinata. Agora, advinha por quê?

— Não precisa nem dizer... – Hayato resmungou, olhando por trás do outro. – Dá para saber pelo jeito que a Karin está pendurada no pescoço do Uchiha.

— Como sempre esses dois atrapalham a nossa vida. O Uzumaki eu até entendo, o que você fez com ele no passado foi uma grade merda, mas o Uchiha? Esse bastardo não largo do meu pé há tempos. Tudo para defender o amiguinho dele. – Sasori resmungou. – Sorte sua que você é meu irmão, seu imbecil. Porque as merdas em que você me mete já teriam me feito quebrar a sua cara.

— Calma aê mano... Não se estressa, acho que você precisa de uma bebida... – O moreno ergueu as mãos enquanto falava como se estivesse se rendendo. – Você sabe que eu não tenho culpa de nada, nem sabia que ela tinha dono.

Hayato olhou por sobre o seu próprio ombro em direção ao bar, mas ficou irritado quando percebeu que não havia nenhum barman. Sasori iria mata-lo.

— Acho que o barman resolveu desaparecer. – Ele deu um sorriso forçado.

— Vou procurar algum garçom então. – Sasori resmungou e foi procurar qualquer um que parecesse um garçom ou barman. Estava completamente irritado por não poder fazer o que tanto queria: Encontrar Sakura e terminar o que tinha começado. Estava louco pela Haruno desde aquele dia, ela não saia da sua cabeça, sua boca rosada e carnuda... Seus olhos verdes – brilhantes e grandes – seus cílios de boneca, seu curto cabelo macio e rosa claro... Seu corpo esbelto e bem formado – mesmo com seios médios, ela tinha uma cintura estreita e nádegas avantajadas, assim como as cochas, do jeito que ele gostava – sua personalidade explosiva... Seu sorriso... Tudo bem Sasori. Chega. Pensou, enquanto balançava a cabeça para afastar o pensamento e continuava em sua busca.

Hayato foi em direção ao bar, sabia que seu irmão estava um pouco irritado e ele concordava com isso. Queria encontrar a sua morena novamente, poder conversar com ela. Provar mais dela, sentir sua pele macia, ver mais uma vez os olhos perolados e brilhantes, sentir o cheiro de baunilha que ela exalava, beijar seus lábios carnudos... Ela parecia uma boneca de porcelana: delicada e linda. E ele a queria novamente. O mais rápido possível.

— Eu preciso de uma bebida... Urgente. – sussurrou para si mesmo, caminhando até o bar e pulando o balcão, estava pouco se lixando para barman. Pegou vários tipos de bebidas alcoólicas e entornou um pouco de cada dentro de um recipiente de alumínio, onde o barman usava para misturar e fazer os drinks, junto de um pouco de energético. Enquanto sacudia a bomba alcoólica, ele ouviu uma voz conhecida dizer alto e embolado.

— Acheiiiii Sah-chan! Dois bancus leindos pra nós, vamos bebê muitoooo!

— Saê Atanih-Hina, vamos bebê muito!

Hayato se virou lentamente e quanto deu de cara com uma morena e uma rosada, arregalou os olhos.

— Só pode ser sacanagem.

— Ei moço! Trás bebida pra nós aquie! – Sakura ordenou, mas um segundo depois ela começou a bebericar um copo de vodca que estava ali no balcão, largado. E o pior, Hinata também bebia dali. Hayato estava sem reação enquanto observava as duas, Sakura usava uma camisola rosa choque com babados brancos e uma pantufa rosa bebê nos pés, agora Hinata... Hayato sentiu algo apertar contra as suas calças, só com a visão daquela morena, usando uma lingerie preta e de renda... Estava completamente excitado e a sua ereção apertava sua calça. Meu Deus, um dia essa mulher ainda me mata.

O moreno sacou o celular e começou a digitar freneticamente.

Hayato: Ei mano, vc não sabe o que aconteceu.

Sasori: Oq?

Hayato: Sua rosada está aqui, no bar, usando apenas uma camisola curta que deixa tudo a mostra.

Sasori: Tá de sacanagem?

Hayato: Nem um pouco.

Sasori: Já tô chegando.

Hayato riu e bloqueou a tela do seu Iphone o guardando no bolso logo em seguida. Essa noite ia render. Disso ele definitivamente sabia. O moreno voltou a observar a sua morena.

Atualmente...

Give Me Love – Ed Sheeran

“Me Dê Amor – Ed Sheeran

Dê-me amor como ela Porque ultimamente tenho acordado sozinho

Pinte lágrimas escorrendo na minha camiseta

Disse a você que os deixaria ir

E que vou lutar pelo meu espaço

E que talvez eu te ligue hoje a noite

Depois do meu sangue virar álcool

Não, só quero te abraçar”

Sakura sentiu um arrepio por toda a sua coluna e suas pernas bombearem. “Agora... É a minha vez”, essa frase ressoara na sua mente, mas ela não teve tempo o suficiente para pensar.

Sasuke soltou a mão de Sakura e enfiou seus dedos nos cabelo curtos e rosados sem poder se controlar mais. O Uchiha colou seus lábios sem pudor, mas diferente da Haruno, ele não deu um selinho. Oh não... Uchiha Sasuke invadiu a boca da rosada em um beijo desesperado e cheio de desejo. O moreno a apertou mais ainda contra si e aprofundou mais o beijo, sua língua explorava cada canto da boca de Sakura, que com apenas o toque que Sasuke dera em sua língua, começou a corresponder à altura.

“Dê-me um pouco de tempo ou queime isso

Vamos brincar de esconde-esconde para virar isto

Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

Minha, minha, minha, minha, me dê amor”

O Uchiha começou a empurra-la cegamente, Sakura não sabia como conseguia manter-se de pé, não sabia o que estava acontecendo com o seu corpo, ele tremia de excitação, seu coração bombeava e sua perna estava mole, ela só não caiu no chão porque o moreno a agarrava e a mantinha presa a si com uma força incrível, mas gostosa.

Sasuke parou de empurrá-la quando sentiu seus corpos baterem contra uma cômoda, impaciente, o moreno passou o braço – que antes estava enterrado nos cabelos rosados – por sobre a mesa, fazendo com que todos os produtos e utensílios que ali estava caíssem no chão e um barulho terrível de vidro se quebrando fosse ouvido. Mas nenhum dos dois se importou. O Uchiha se afastou um pouco e segurou Sakura pela cintura, a erguendo para que ficasse sentada em cima da cômoda e sucessivamente a sua altura.

“Dê-me amor como nunca deu antes

Porque ultimamente tenho desejado mais

E faz algum tempo, mas ainda sinto o mesmo

Talvez eu deveria deixá-la ir

Você sabe que vou lutar pelo meu espaço

E que vou te ligar hoje à noite

Depois que meu sangue estiver se afogando em álcool

Não, só quero te abraçar”

Ele não sabia o que havia dado em si, mas no momento em que Haruno Sakura juntou seus lábios em um selinho... Ele tentou se controlar, mas fora em vão. Ele perdeu todo o controle. Sakura, não aguentando a separação, agarrou a cabeça de Sasuke com as duas mãos e o puxou contra si novamente, colando seus lábios mais uma vez. Agora em um beijo controlado pela Haruno. Ela começou a explorar sua boca com o mesmo afinco que ele demonstrara antes, enquanto Sasuke subia a mão esquerda pela sua cocha e apertava aquele local com força, sua mão foi subindo mais e mais...

“Dê-me um pouco de tempo, queimaremos isso

Vamos brincar de esconde-esconde para virar isto

Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem

Minha, minha, minha, minha, oh me dê amor

Me dê um pouco de tempo, ou queime isso

Vamos brincar de esconde-esconde para virar isto

Tudo que quero é o sabor que seus lábios permitem “

Até ficar por dentro da camisola fina, ele apertou suas nádegas com força no exato momento em que Sakura dava uma pequena mordidinha no seu lábio inferior, para chupá-lo logo em seguida. Eles se separaram novamente para recuperar o ar, Sasuke apoiou sua testa na de Sakura, enquanto depositava leves selinhos nos lábios rosados, carnudos e, agora, inchados. Sakura desceu as mãos pelo seu pescoço, ombros, braços e as movimentou em direção a sua blusa social preta, enfiando-as por dentro do tecido e o arranhando levemente ali, por cima dos músculos.

Sasuke gemeu levemente e voltou a beijá-la, agora com menos fervor. Ele estava louco, perdido, excitado... Não sabia o que aquela garota havia feito com ele, mas isso não era normal.

 

“Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

Minha, minha, minha, minha, oh, me dê amor

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor, amor”

— Sasuke-kun...- Sakura gemeu sussurrante, enquanto chupava seu lábio inferior novamente. E foi esse gemido que pareceu despertar Sasuke de vez. O moreno se afastou assustado e encarou Sakura.

Ela estava sentada em cima da mesa com as pernas abertas – onde ele estava há alguns poucos segundos – sua camisola estava erguida até a cintura – deixando a vista sua calcinha branca e cheia de corações, Sasuke nunca havia ficado tão duro com a visão de uma calcinha com corações – a alça direita da camisola estava caída no ombro, revelando o sutiã branco com corações que fazia conjunto com a calcinha, e ali ele tinha uma pequena visão do seio direito, médio e alvo, ela respirava entrecortada, seus lábios estavam levemente inchados e ela tinha um brilho nos olhos que o fez querer sorrir. E ele não sorria com facilidade. E ele queria possuí-la ali, naquele momento.

“M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor

M-minha, m-minha, m-minha, oh, me dê amor

M-minha, m-minha, m-minha, me dê amor”

— Puta que pariu. – Rosnou e saiu do quarto com uma rapidez impressionante, como se estivesse sendo perseguido. E ele realmente estava fugindo. Uchiha Sasuke jamais desejou tanto uma mulher como naquele momento.

Sakura olhou para a porta, e diferente de qualquer outra reação, a rosada apenas ficou lá... Olhando, até que seu cérebro embriagado começou a processar o que havia acabado de acontecer. E um sorrisinho nasceu ali, nos seus lábios rosados e inchados. E esse sorrisinho foi se tornando um sorriso aberto. E então, ela começou a gargalhar.

— Eu não acredito... – Sussurrava repetidas vezes, ainda rindo de felicidade.

***

Naruto bateu a porta, transtornado. Como Hinata, Hinata, pode fazer isso? Andar por aí seminua e ainda por cima dançar daquele jeito com o Hayato? Ele botou a Hyuuga no chão e começou a andar de um lado para o outro.

— Qual é a merda do seu problema Hinata? Como você foi... Como você foi capaz de dançar daquele jeito com aquele desgraçado!? – O Uzumaki puxava os fios do seu cabelo loiro em um gesto tanto nervoso quanto raivoso. – E pior! Seminua! Se-mi-nu-a! Onde está a sua roupa!? Posso saber? – Naruto nem ao menos dirigia um olhar para a Hyuuga, estava tão furioso que nem isso conseguia fazer. – Não acredito nisso... Como o Neji não viu isso!? Ele devia estar louco’ttebayo! Meu Deus, eu falei Dattebayo. Eu não falo isso há séculos. Olha o que você fez Hinata! Isso tudo porque estou preocupado com você. Você não devia ficar perto daquele bastardo filho da mãe! Não mesmo! Ei, porque você não está me respondendo? Pos-

O loiro finalmente parou de falar ao ver a cena que se desenrolava a sua frente. Hinata estava agachada no chão, completamente alheia às reclamações de Naruto, ela estava brincando com as orelhinhas do coelhinho em sua pantufa como se fosse à coisa mais emocionante do mundo.

— “Sniff sniff”, acho que o coelhinho Edgar faz “sniff sniff”, porque “sniff sniff” é um barulho bonito para o coelhinho Edgar. – A morena riu baixinho e continuou falando, agora com uma voz diferente, um pouco mais grossa, em uma imitação barata de uma voz masculina. – Atanih-sama, eu sou o coelhinho Edgar e faço “sniff sniff”, me ame. – Hinata mexeu as orelhinhas para frente e para trás e então voltou a sua voz normal. – Ai meu deus, que coelhinho lindo! Ele faz “sniff sniff”, eu te amo coelhinho Edgar! Adeus Clodofildo traidor!

Naruto estava perdido. De que adiantava discutir com Hinata naquele estado? Sério, ele achava que ela era uma pessoa que jamais ficaria desse jeito. Mas sempre há uma primeira vez para tudo né?

O loiro suspirou e se aproximou da Hyuuga, apoiando uma mão em seu ombro para chamar a sua atenção. Devia fazer o que estava ao seu alcance para ajuda-la a ficar um pouquinho mais sóbria.

— Tudo bem Hinata, vou te dar um banho rápido. Vem. – Naruto a puxou pelo braço, para que ela ficasse em pé. A morena estava mole e ria muito enquanto o loiro passava um braço pela sua cintura e a guiava para o banheiro, tentando ignorar a todo custo o estado que Hinata se encontrava. Não o estado mental, e sim como ela estava vestida.

Eles caminharam para o banheiro, o Uzumaki carregando praticamente todo o peso da morena, e ao entrarem no ambiente, Naruto começou a guiar Hinata em direção ao boxe.

— Eiiii... – A morena disse manhosa, enquanto o loiro tentava enfiá-la embaixo no chuveiro. – Não quero ir sozinha Naruto-kun... Atanih não gosta de água gelada...

Naruto parou por um instante e encarou Hinata, completamente confuso.

— Atanih?

— Sim, sou eu.

— Meu Deus. Hinata, você precisa desse banho urgentemente.

O loiro voltou a empurrá-la, mas Hinata empurrava a si mesma de volta utilizando os pés. Se Naruto a empurrava de frente, a morena apoiava os pés na parede oposta para que a força feita pelo loiro o atrapalhasse, quando ele tentava ir de lado, ela usava as mãos. Naruto já estava perdendo a paciência.

— O que foi Hinata!? Deixe-me te botar embaixo do chuveiro’ttebayo! Droga! Essa mania de falar dattebayo está voltando! – Trovejou completamente irritado.

— Não deixo. – Disse decidida.

— E porque não? – Respirou fundo, tentando ter paciência. Nunca foi muito disso... Mas como era a Hinata ali, ele tentaria ser.

— Por que eu não vou entrar sozinha. – A Hyuuga cruzou os braços e fez bico. Naruto evitou o máximo possível olhar para os seios da morena. Tinha que admitir, Hinata tinha a medida certa de seios. Pelo menos para ele.

— Ok... – Sussurrou Naruto, retirando o blazer e o jogando em cima do vaso sanitário. – Não se acostume, só estou fazendo isso porque você realmente precisa desse banho. A situação está crítica. – Ele retirou a mascara, a blusa de botões preta, a gravata e desafivelou o cinto da calça jeans a retirando logo em seguida. Diferente de Naruto, Hinata não teve pudor ao olhar. Estava tão chapada que fazia tudo o que a sua “eu” normal jamais faria. Ela olhou Naruto da cabeça aos pés enquanto o loiro estava dobrando a sua roupa.

Estudou cada membro, desde os cabelos loiros – agora curtos e bagunçados – até o rosto masculino e bem desenhado, as marcas de nascença na bochecha que a fazia ter uma vontade imensa de beijar aquele local, até o peito magro e musculoso, a pele bronzeada e linda, a tatuagem de uma raposa marrom-avermelhada com olhos vermelhos e nove caudas que tomava quase toda a sua costa larga e também musculosa - uma das suas caudas se perdia dentro da cueca boxer preta - até as pernas musculosas como a de um cara bem esportivo.

— Tudo bem, vamos. – O loiro se virou para Hinata e pareceu não notar a analise completa da outra. Ele caminhou até o boxe e entrou, aguardou Hinata entrar e quando a morena estava embaixo do chuveiro, se preparou para sair de lá sem nem uma única gota no corpo.

— Ei! – Hinata gritou o agarrando pelo braço e puxando para debaixo do chuveiro gelado. – Você disse que ia ficar comigo!

Naruto soltou uma gargalhada ao ver o olhar irritado de Hinata, até que era divertido ver a morena tão aberta assim.

Do I Wanna Know? - Arctic Monkeys

Eu Quero Saber? - Arctic monkeys

Você está com as bochechas coradas?
Você já teve aquele medo de não poder mudar
Do tipo que não sai como algo nos seus dentes?
Tem alguns ases na sua manga?
Você não faz ideia do quanto está envolvida?
Sonhei com você quase todas as noites esta semana
Quantos segredos você consegue guardar?
Porque tem uma música que descobri que me faz pensar
Em você de alguma forma
E eu a ponho para tocar sem parar
Até eu pegar no sono
Derramando bebidas no meu sofá

— Está rindo de quê? – ela rosnou, cruzando os braços. Naruto ainda ria, mas este riso foi morrendo aos poucos enquanto ele encarava a garota a sua frente. Ele prendeu a respiração. Hinata estava ali, com os cabelos negros molhados e grudados no rosto corado, nas costas e nos ombros, sua pele clara reluzia na luz fraca e seus olhos pareciam extremamente inocentes e brancos, seus lábios de boneca estavam crispados em sinal claro de irritação, seus braços estavam cruzados sob os seios, os erguendo mais ainda, seu sutiã preto com renas contrastava com a sua pele alva. Sua barriga lisa e sua cintura levemente estreita, suas cochas médias e proporcionais ao seu belo e curvilíneo corpo, seus pés pequenos e agora descalços. A água do chuveiro caia em sua pele, deixando-a totalmente arrepiada, o loiro ergueu o olhar novamente, encontrando o da morena, que estavam levemente nebulosos.

Sem perceber, Naruto foi se aproximando de Hinata, passando por baixo do chuveiro e a encurralando contra a parede. A água fria batia em suas costas, mas o calor que vinha do corpo de Hinata era o suficiente para fazê-lo ficar aquecido. A morena ergueu as mãos pequenas e as apoiou nas bochechas de Naruto, encarando a mesma e estudando com curiosidade o contraste de suas peles. O Uzumaki foi se aproximando sem nem ao menos se tocar disso, ele levou uma mão para a bochecha direita de Hinata e a outra para a sua cintura.

“(Eu quero saber?)

Se este sentimento é recíproco?

(Triste em vê-la partir)

Eu meio que esperava que você ficasse

(Querida, nós dois sabemos)

Que as noites foram feitas principalmente para se dizer

Coisas que você não conseguirá dizer amanhã” 

Tão rápido como poderia ser, o loiro capturou os lábios de Hinata, ele nem ao menos precisou pedir passagem com a língua, Hinata já havia aberto a boca e agarrava suas bochechas com força, com necessidade. O loiro mergulhou as mãos nos cabelos negros e molhados da morena a trazendo mais para perto enquanto explorava sua boca e brincava com a língua da mesma.

“Rastejando de volta pra você

Já pensou em ligar quando você tomou umas?

Porque eu sempre penso

Talvez eu esteja muito ocupado sendo seu para me apaixonar por outra pessoa

Agora que pensei bem sobre isso

Rastejando de volta pra você”

Hinata sentiu todo o seu corpo formigar e um calor se apossar de si, seu coração martelava e ela só queria ficar mais perto de Naruto. Mais colada. Mais. Mais. Mais. Mais dele. Naruto levou as duas mãos para a cintura de Hinata e a ergueu, a morena prontamente enlaçou a sua cintura com as pernas e apoiou as costas contra a parede. Suas mãos estavam apoiadas sobre os ombros largos e bronzeados do Uzumaki.

“Então você tem coragem?

Fico me perguntando se o seu coração ainda está aberto

E, se estiver, quero saber que horas ele fecha

Se acalme e faça um biquinho

Me desculpe por interromper

É que apenas estou constantemente no limite

De tentar beijá-la

Mas não sei se você sente o mesmo que eu sinto

Mas poderíamos ficar juntos

Se você quisesse”

Os dois se separaram por falta de ar e Naruto foi descendo os beijos em um rastro de fogo desde os lábios até o busto, passando pelo queixo e pelo pescoço. Ele distribuía leves mordidas e chupadas por onde beijava. Ele não sabia o que deu nele, e nem queria saber. Ele só soube de uma coisa naquele momento: estava ficando viciado em Hinata. Ela era doce e gostosa. Ele não conseguia mais parar. Ele não queria mais parar.

 

“(Eu quero saber?)

Se este sentimento é recíproco?

(Triste em vê-la partir)

Eu meio que esperava que você ficasse

(Querida, nós dois sabemos)

Que as noites foram feitas principalmente para se dizer

Coisas que você não conseguirá dizer amanhã

Rastejando de volta pra você

(rastejando de volta pra você)

Já pensou em ligar quando você tomou umas?

(você tomou umas?)

Porque eu sempre penso (porque eu sempre penso)

Talvez eu esteja muito (talvez eu esteja muito ocupado) muito ocupado Sendo seu para me apaixonar por outra pessoa

Agora eu pensei bem sobre isso

Rastejando de volta para você”

O loiro distribuía beijos pela parte exposta dos seios, por cima do sutiã. Com esse simples gesto, Hinata jogou a cabeça para trás e gemeu levemente, deixando Naruto doido. O loiro desceu as mãos da cintura da morena e com a direita agarrou a sua nádega e com a esquerda apertou a sua cocha. Porque só ele podia fazer isso. Hinata sentiu algo contra a sua intimidade, e soube que era a ereção do loiro, e isso a deixou com um calor insuportável. A Hyuuga agarrou sua cabeça novamente e o beijou com mais afinco, mais desejo, mais vontade e mais brutalidade.

“(Eu quero saber?)

Se este sentimento é recíproco?

(Triste em vê-la partir)

Eu meio que esperava que você ficasse

(Querida, nós dois sabemos)

Que as noites foram feitas principalmente para se dizer

Coisas que você não conseguirá dizer amanhã”

Naruto ficou surpreso, mas devolveu da mesma forma, Hinata explorou cada canto da boca do loiro, seu corpo formigava e queimava mais e mais, mas era um formigamento bom... Uma queimação boa... Ela nunca se sentiu assim na vida. Em nenhum momento. Ela chupou o lábio inferior de Naruto, enquanto arranhava suas costas levemente, fazendo o loiro gemer de encontro a sua boca.

“(Eu quero saber?)

Ocupado demais sendo seu para me apaixonar

(Triste em vê-la partir)

Já pensou em ligar, querida?

(Eu quero saber?)

Você me quer rastejando de volta para você?

Naruto ergueu as mãos pelas costas de Hinata e estava prestes a soltar o fecho do sutiã quando ouviu um gritinho agudo. Assustado, ele desceu Hinata e se afastou, olhando na direção da porta do banheiro onde uma garota desconhecida o encarava com os olhos arregalados.

— M-meu D-Deus! D-Desculpa! Eu só queria achar um banheiro e-

— Ultima porta do corredor à direita. – O Uzumaki respondeu um pouco atônito. O que ele estava prestes a fazer!?

— O-obrigada... – A garota sumiu atrás da porta completamente vermelha.

Naruto olhou para Hinata, a morena estava tão perdida quanto ele, mas as marcas do que acabaram de fazer estavam lá. Para quem quisesse ver. Seus lábios inchados, algumas poucas marcas vermelhas no pescoço e no busto – ao reparar isso o loiro corou um pouco, mesmo que não fosse do seu feitio – o cabelo longo, molhado e descabelado, a marca clara da sua mão na cocha clara e o chuveiro ligado. Naruto desligou o chuveiro e pegou Hinata pela mão, ainda não entendia o que havia acontecido consigo, ele simplesmente sentiu uma vontade louca de beijá-la e o fez.

— Vem Hinata. Vou te dar uma roupa. – Naruto a guiou para fora do chuveiro e a secou com a toalha branca que estava pendurada ao lado do chuveiro, depois de secá-la ele secou a si mesmo, pegou as suas roupas de cima do vaso sanitário e caminhou para o quarto, segurando sua mão.

Deixou-a sentada na cama e foi até o armário. De lá retirou um casaco preto e laranja que ele havia deixado ali da ultima vez que teve que dormir na casa da prima, foi até Hinata e o vestiu nela, a morena ainda estava atônita e não acreditava no que havia acontecido com ela. Sua mente processava tudo, mas parecia que o resultado não chegava a fazer efeito. A Hyuuga agarrou o casaco e se aqueceu com ele, estava com um pouco de frio depois da ducha gelada.

Naruto se vestiu rapidamente e a levou para fora do quarto, andou pelo corredor e encontrou Sakura parada em frente a uma porta com um olhar perdido e um sorriso enorme no rosto, ele a puxou pela mão também e desceu com as duas. Quando as conheceu ele nem ao menos imaginara que Hinata e Sakura trariam tantos problemas como andavam fazendo.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...