1. Spirit Fanfics >
  2. Os Incríveis 1 >
  3. Justiceiros Atentos

História Os Incríveis 1 - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Os Incríveis

Capítulo 2 - Justiceiros Atentos


Fanfic / Fanfiction Os Incríveis 1 - Capítulo 2 - Justiceiros Atentos

Em mais um dia normal e cansativo no trabalho de Beto, ele vai embora, chegando em casa tropeça num skate e quebra o retido carro, ele tenta colocar denovo, mas não consegue, ele levanta o carro mas uma criança vê e Beto coloca o carro como se nada tivesse acontecido.

No jantar, Beto vê um jornal

Beto: Olho Laser.

Helena: Você tem que ler na mesa, Beto?

Beto: Ahn, é.

Helena: Porções menores, Flecha. Ai! E você, Vi? Como foi na escola?

Violeta: Nada a declarar.

Helena: Você quase não tocou na comida.

Violeta: Não tô afim de bolo de carne.

Helena: Então, o que é que você quer?

Flecha: O Toninho Rodrigues!

Violeta aponta a colher para flecha.

Violeta: Eu falei cala a boca, seu mala sem alça.

Flecha: Ué, o que ela quer?

Helena: Não gritem na mesa!

Flecha: Ela ia comer se tivesse Toninho à bolonhesa.

Violeta: Agora chega!

Violeta pula em cima de Flecha.

Algum carro chega na casa ade Beto

Flecha: Ai! não vale campo de força!

Helena: Beto! Não fica parado aí! Você precisa apartar!

Beto: Você quer que eu aparte? Ok, eu vou apartar. Eu tô apartando!

A campainha toca, e Flecha abre.

Flecha: Oi, Lúcio!

Lúcio: Fala, apressado. Oi, Helena.

Beto: Volto mais tarde.

Helena: Aonde vocês dois vão?

Beto: Hoje é quarta.

Helena: Ah, dia do boliche.

Lúcio: Boa noite, crianças!

E eles vão embora

Policial: Do terceiro distrito de Municiberg, numa infração 23-56 em progresso, solicitando ajuda.

Beto: 23-56? O que é? É, roubo. Quer pegar um ladrão?

Lúcio: Que coisa triste. Vai acabar em cana.

Beto: Uhu! Uhu! Haha! Que isso, Lúcio. Se anima. Câmbio.

Lúcio: Isso é meio vergonhoso, cara. Ficar dirigindo assim em circulos, ah, e para de falar "Câmbio" depois de cada frase, tá cansando rápido. 

Beto: Relaxa, ei, talvez o Barão ForMal esteja de volta! Vocês eram melhores amigos, não é? Heheh

Lúcio: Ah, cara! Lembra daquela vez que ele me prendeu no castelo dele? Um castelo! Cara, olha o ego do sujeito! Eu tava andando lá pelo covil dele, cuidando do meu lance, e aí do nada ele me lança pela parede! Aí eu fiquei na pior, porque mais um raio da morte e eu já era. E o que que esse Barão Von Mal faz, quando eu tô nessa situação?

Beto: Hum, começa um discurso.

Lúcio: Começa um discurso. Aí começa com aquelas frases feitas de como eu sou mais fraco que ele, como a minha derrota é inevitável, como o mundo em breve será dele! Blá, blá, blá, blá. Embromação! Quer dizer, o cara tava comigo na mão e não calava a boca.

Beto: É bom ouvir esse papo da nossa época, Lúcio. A gente devia fazer mais isso.

Lúcio: Não devia não. Sério, Beto, você tem uma família agora.

Beto e Lúcio chegam no lugar do crime.

Beto: Tá quieto demais. Chegamos tarde?

Policial: 23-56 foi um alarme falso. Todos os oficiais podem retornar.

Lúcio: Considere isso um sinal. Agora, vamos jogar boliche, cara.

Policial: Os oficias precisam de auxílio para um 23-19 no centro de Municiberg.

Beto: Na mosca! A ajuda tá chegando, rapazes!

Lúcio: Tá! Mas aposto cinquinho que já vai estar tudo resolvido quando a gente chegar lá.

Beto: Eu topo!

Eles chegam no lugar do crime

Beto: Ah, cara, os policiais já pegaram ele.

Lúcio: Vou falar mais uma vez... Isso é triste.

Beto: Mas eu sinto falta, Lúcio. De ajudar as pessoas. Era o meu propósito.

Lúcio: Beto, a sua família é o seu propósito agora.

Beto: Por que não os dois?

Policial: Quaisquer policiais que não estejam ocupados, tem uma senhora com um gato preso numa árvore que precisa de uma ajudinha.

Beto: Ouviu isso? Vamos ajudar alguém antes de voltar pra casa. Vambora.

Senhora: Desce, Bichano. Vamos, desce.

Beto: Oi, tá tudo bem, senhora?

Senhora: O meu gato, Bichano, não quer descer.

Beto: Não se preocupe. Vamos ajudar o seu Bichano a descer, não é, Lúcio?

Lúcio: Uhum, é claro. É um pra te ajudar.

Senhora: Muito obrigada.

Beto: Isso não deve demorar muito.

Lúcio: Fica tranquilo, fica tranquilo...

Lúcio sobe na árvore.

Lúcio: Vem cá, Bichano! Bom menino,não tenha medo!

Senhora: Muito obrigada por me ajudar.


Notas Finais


Os Incríveis 1


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...