História Os indomáveis - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Brooklyn Nine-Nine
Personagens Amelia "Amy" Santiago, Charles Boyle, Jacob "Jake" Peralta, Personagens Originais, Rosa Diaz
Tags Amor, Amoradolescente, Amorescondido, Amyeperalta, Amysantiago, Armas, Aventura, B99, Brooklyn99, Fanfic, Faroeste, Força, Indomáveis, Insinuaçãodesexo, Investigação, Jakeperalta, Onelove, Palavrões, Peraltiago, Perigo, Romance, Seriederomance
Visualizações 6
Palavras 580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Tiroteio


Fanfic / Fanfiction Os indomáveis - Capítulo 3 - Tiroteio

Seria apenas mais um rosto no meio da multidão, alguém que não precisaria ficar o tempo todo olhando para trás ou para os lados. Desde que pudesse mudar de aparência, transformar-se numa pessoa por quem Otis Darby não estivesse procurando.


Um som agudo cortou o ar, seguido pelo barulho provocado pelos vidros da janela se quebrando. Agindo por puro reflexo, Jake jogou-se ao chão... surpreendendo-se ao constatar que, depois de tanta bebida, ainda tinha reflexos. Engatinhando rapidamente ele buscou proteção por trás do balcão do bar. Enquanto isso ouviu o barulho de espelhos e garrafas sendo estilhaçados, o fez cair nas costas dele uma chuva de álcool e cacos de vidro. 

Mais um tiro espocou.
— O que está acontecendo? — gritou o balconista, despertando do sono. — Abaixe-se, seu idiota! — respondeu Jake, também gritando, o que fez com que o homem corresse para onde ele já estava.


Inferno, inferno, inferno! Desta vez ele não havia previsto com a
necessária antecedência a aproximação dos perseguidores. Mesmo achando que talvez já não adiantasse tanto, sacou do revólver do qual não se separava nunca.


— Quem é o desgraçado que está lá fora? — gritou o balconista.
Jake passou a manga da camisa pela testa para limpá-la das gotas de suor. Ele sabia quem estava lá fora. Só podia ser Will Gunter, genro de Otis Darby. Pelo que ficara sabendo, a filha do fazendeiro havia morrido enquanto o pai e o marido dela estavam na prisão. Logo depois, pouco antes do disparo de Um terceiro tiro, ele viu de relance pela janela os cabelos muito louros do atacante, o que confirmava a previsão.


Jake sentiu uma onda de raiva, a reação de um animal acuado que não estava disposto a se entregar sem lutar até a morte. Olhando para a janela ele ergueu o revólver e fez pontaria. Desta vez atiraria para matar. Mesmo que não conseguisse isso, deixaria no homem uma marca, uma lembrança que poderia servir como prova da batalha que eles estavam travando e que inculparia o desgraçado.


Jake apertou os olhos, mirando a pequena abertura na janela. Com o dedo encostado no gatilho, ficou esperando para ver algo de relance, algum movimento. Mas agora havia apenas o silêncio.


Então Jake foi se erguendo, bem devagar, cautelosamente. Alguma coisa estava errada. Trinta segundos haviam se passado, se tanto. Três tiros, aos quais ele não havia respondido. Não era do feitio de Gunter retirar-se quando estava com a presa encostada na parede.


Tiros soaram na rua, juntamente com o som de um cavalo que se afastava, e os olhos de Jake se arregalaram ante o perturbador quadro que viu. Pendergast. Na excitação do momento ele havia se esquecido por completo do mestre-escola adormecido. Então sentiu um aperto no estômago. Uma mancha vermelha se espalhava num dos lados da camisa do homem. No outro lado, uma poça de sangue ia se formando no chão em conseqüência de um segundo ferimento. Pendergast não estava mais dormindo.


— Eles o atingiram!
Jake voltou os olhos para o balconista, que estava evidentemente chocado.
— Acho que foi algum tipo de vingança — continuou o homem, respirando com dificuldade, limpando nervosamente as mãos no avental amarrado na cintura. — Ouvi dizer que esse homem já foi ajudante de delegado.
Jake sentiu um frio na espinha ao ouvir aquilo e olhou novamente para Pendergast, que ainda estava com o rosto coberto pelo chapéu dele. Eles dois tinham praticamente a mesma estatura e usavam roupas parecidas. Gunter havia cometido um erro. Um erro fatal para Pendergast.


Notas Finais


Se estiverem gostando cometem por favor, bjos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...