História Os instrumentos mortais - Sons dos Anjos - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, As Peças Infernais, Os Artifícios Das Trevas (The Dark Artifices), Os Instrumentos Mortais
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Aline Penhallow, Catarina Loss, Church, Clary Fairchild, Clary Fairchild (Clary Fray), Cristina Rosales, Drusilla Blackthorn, Emma Carstairs, Emma Carstaris, Irmão Enoch, Jace Herondale, James "Jem" Carstairs, Jem Carstairs, Jem Carstairs, Jessamine Lovelace, Jocelyn Fairchild, Julian Blackthorn, Julian Blackthorn, Kieran, Magnus Bane, Magnus Bane, Magnus Bane, Mark Blackthorn, Maryse Lightwood, Max Lightwood-Bane, Max Michael Lightwood-Bane, Octavian Blackthorn, Personagens Originais, Rafael Lightwood-Bane, Rainha Seelie, Robert Lightwood, Robert Lightwood, Simon Lewis, Tessa Gray, Tessa Gray, Tessa Gray, Tiberius Blackthorn
Tags Ação, Alec, Aventura, Caçadores De Sombras!, Cassandra Clare, Cassie, Clace, Clary, Herondale, Instrumentos Mortais, Izzy, Jace, Lightwoods, Lovelace, Luta, Magnus, Malec, Morte, Sangue, Shadowhunters, Simon, Sizzy
Visualizações 68
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Cidade do silêncio


Fanfic / Fanfiction Os instrumentos mortais - Sons dos Anjos - Capítulo 3 - Cidade do silêncio

~Anos depois do incidente~


Mary está sentada em uma das mesas do Takis lendo algo relacionado a romance antigo, presente que ganhou de Emma Carstairs do instituto de Los Angeles. Ela segurava o livro com a mão esquerda enquanto que com a mão direita atacava as batatas fritas. A garçonete fada chegou com seu milkshake, a garota agradeceu e voltou a sua leitura.

A Herondale está grande e linda, seu cabelo é comprido que cai em ondas nas suas costas, seus olhos um verde brilhante com o tom de dourado no fundo. Seu corpo começando a se desenvolver, a menina tem pernas fortes e duras assim como o resto de seu corpo por conta do treino puxado. Seus lábios são cheios, porém delicados. Sua pele branca com sardas e lisa feito porcelana. A menina se tornou uma beleza sem igual, por onde passava, caçadores babavam por ela mesmo tendo apenas dezesseis anos. Mary estava tão imersa no livro que mal notou a entrada de dois caçadores furiosos no local.

O primeiro a entrar foi Ethan Herondale, seus cabelos loiros ondulados precisando ser cortado como sempre, porém o charme é evidente, ninguém fica tão bonito com o cabelo desarrumado como Ethan fica. O uniforme deixa seu corpo ainda mais esbelto, os olhos do rapaz são exatamente iguais ao da irmã, assim como Mary onde Ethan passa, não tem um que não olhe.

O segundo a entrar foi Dorian. Dorian se tornou um homem alto, cheio de músculos, destemido, sangue frio e calculista. Seu cabelo vai até os ombros com um sidecut de causar inveja, seus olhos castanhos são como fogo, Dorian nunca perdeu uma luta quando é chamado para uma.

-Marysa! -Disse Ethan bem alto.

Mary abaixou o livro e olhou para o irmão, o olhar do rapaz não era dos melhores. A menina se encolheu. E tentou se esconder atrás da capa do mesmo. Torcendo para não ser vista.

Ethan encontrou os cabelos ruivos e andou até ela, o rapaz puxou o livro e deu um sorriso irônico para a irmã. Dorian o acompanhou sem dizer uma palavra, ninguém sequer ousou olhar na direção dele.

-Ethan…

-Sabe que horas são? -Interrompeu o rapaz.

Mary colocou mais uma das batatas na boca.

-Não…? -Deu um sorrisinho sem graça.

-Vamos. Papai e mamãe estão surtando.

Ethan pagou as coisas da irmã, e esticou a mão para mesma que aceitou mal humorada. Dorian pegou as batatas e o milkshake e ele mesmo comeu.


***


-Marysa Herondale onde pelo Anjo você estava!?

Perguntou Jace com os braços cruzados na entrada do instituto. Mary bufou furiosa, toda vez é isso.

-Por que vocês pegam tanto no meu pé? Eu sou uma caçadora, eu tenho treinamento! Eu sei me cuidar!!!! -Respondeu Mary irritada. - estava no Takis!

-Você sabe muito bem que não vemos problema em você sair sozinha, em ir caçar com seus primos, visitar seus amigos… O problema é que amanhã você irá até os irmãos do silêncio e…

-Todo mês é assim, pai. “Você vai até os irmãos do silêncio, tem que descansar.” Nenhum caçador vai nos irmãos com a saúde perfeita! Eu tenho a saúde perfeita! Eu não vou.

-Mary, escute seu pai… É importante. -Diz Dorian pela primeira vez.

-Não, não faz sentido! Eu não estou doente, estou perfeitamente bem. Agora se não se importam, eu vou para o meu quarto.

-Mary…

Ethan encostou em seus ombros e a menina desviou do toque irritada. Ela correu pelo instituto até seu quarto.

O quarto de Mary se transformou por completo, há uma cama de casal no meio dele, livros e mais livros espalhados pelo quarto, algumas armas, tintas, uma flauta que a menina ama tocar e alguns cadernos cheios de desenho, algo que puxou da mãe. Alguém bateu duas vezes na porta de modo leve e calmo.

-VAI EMBORA ETHAN!!

A porta se abriu mesmo assim, a garota pegou uma das almofadas e estava prestes a jogar contra ele quando percebeu que não era Ethan, e sim seu primo Jordan.

Jordan tem os cabelos castanhos do pai e cacheados, alto e esguio, seus olhos são de um azul profundo… Algo que não puxou nem do pai muito menos da mãe. Jordan é lindo, mas se esconde, não gosta de chamar atenção, ao contrário de Louiz que puxou o jeito de Isabelle.

-Está tudo bem? - perguntou.

Mary se sentou na cama e balançou a cabeça negativamente. Ela e Jordan são como carne e unha. Mas ele nunca ousou pedir para ser parabatai dela ou ela pediu a ele, algo a dizia que ser parabatai do primo não é uma boa ideia.

Jordan foi até a menina e se sentou ao seu lado, o rapaz puxou Mary para perto em um abraço caloroso, sua mão descendo e subindo pelos braços nus da menina.

-Eu não quero ir amanhã.

-Você sabe que precisa, é para te manter segura.

-Manter segura de que? -Mary estava esperançosa para arrancar algo do primo como se ele soubesse de algo, mas ela estava errada, Jordan não sabe muita coisa.

-Só entenda que é importante…

Mary suspirou fundo e abraçou a cintura de Jordan. -Vai comigo amanhã? Por favor.

-Dorian não irá? Ele sempre te ajuda…

-Ele tem uma missão importante, Ethan foi chamado também toda aquela coisa de parabatai. Não quero que meus pais me vejam vomitando tudo que há dentro de mim… E eu confio em você.

-Tudo bem, eu vou. Mas se tentar fugir…

Mary solta uma gargalhada, Jordan observa a menina sorrindo, seus olhos brilhando ao ver a felicidade da garota.

-Não vou fugir, juro pelo Anjo. Só não saia de perto… Dorme comigo hoje?

Jordan balançou a cabeça positivamente, Mary entrelaçou os dedos nos do Lightwood e se deitou na cama com a calça jeans e a blusa leve mesmo, estava com preguiça de trocar, Jordan deitou ao lado de Mary, sua cabeça se virou para a menina.

-Mary?

-Hn?

-Você odeia os irmãos do silêncio não é?

A Herondale encarava o teto, seus olhos distantes…

-Não é que eu os odeie… Entendo que é o trabalho deles, é que a minha vida toda eu frequentei aquele lugar e toda vez eles me fizeram sofrer…

-Irei conversar com seus pais, você nunca sentiu nada, não é? Não faz sentido você ir todo mês na cidade do silêncio.

-JURA?

Mary se levantou rapidamente e abraçou o pescoço do primo que soltou uma gargalhada.

-Irei tentar, não prometo nada.

-EU TE AMO JORDAN LIGHTWOOD!

o rapaz corou e passou as mãos pelo cabelo de um jeito sem graça, Mary se deitou novamente entrelaçando seus dedos no do primo e dormiu rapidamente.


***


Jordan esperou a prima cair em sono profundo para poder se levantar e ir conversar com Jace ou Clary, com o maior cuidado possível o rapaz soltou sua mão da dela e se levantou.

Saiu de fininho do quarto com cuidado para a porta não fazer barulho. Cruzou o corredor rapidamente até o quarto dos tios. Algo aconteceu no passado, algo grave aconteceu para que Jace e Clary se mudassem para perto do quarto dos filhos.

O Lightwood bateu levemente na porta dos tios esperando uma resposta. Quem atendeu foi jace sem camisa e com marcas recém aplicadas.

-E ae, garoto! Tem algo errado?

-O que estão escondendo da Mary e porque ela tem que ir na cidade do silêncio todo mês?

Jace puxou o garoto pra dentro do quarto e deu uma olhada no corredor para ver se a filha não estava por perto. Logo em seguida trancou a mesma.

-Jordan…

-Jace, não é justo você esconder as coisas dela!

-Sim, é… Eu vou te explicar o porquê disso tudo.

-Por favor!

O Herondale puxou uma cadeira para Jordan e indicou que ele se sentasse. Jordan obedeceu e observou enquanto jace se sentava na cama.

-Você e ela escutaram sobre o que houve quando eram apenas bebês, certo?

-Sim, sobre uns caçadores malucos tentando consertar a espada, certo?

-Sim, mas Mary… Mary fez parte do ritual, algo aconteceu com ela… Nem Magnus soube na época. Quando Mary completou seis anos ela começou a ter convulsões, lembra disso? -Jordan balançou a cabeça positivamente.- Falamos pra vocês que ela só estava doente, que passaria, vocês eram apenas crianças, não iriam entender. As convulsões não pararam e sempre quando ela volta dessas crises, não se lembra das horas anteriores e é isso que os irmãos do silêncio estão tentando descobrir, sabemos que tem haver com o ritual que ela passou quando bebê, mas não sabemos como reverter isso. Jordan, é algo totalmente sigiloso…

-Entendo…

-Não pode contar a ela, Mary puxou minha teimosia, se ela descobrir…

-Vai querer parar de ir e tentar descobrir sozinha.

-Ainda bem que entende, garoto.

Jace colocou uma mão no ombro de Jordan, o Herondale parece cansado. O menino deu um leve suspiro e passou as mãos pelos olhos, Mary no que te meteram?


***


-Como assim há ordens para Mary não ir hoje? -Silêncio… - entendi… Sim, sim, claro.

Mary quase pulou de alegria, ao escutar tais palavras vindo do corredor entre o pai e um irmão do silêncio. A menina se jogou na cama onde Jordan se encontrava adormecido e começou a pular na mesma.

-Adivinha só, não irei para cidade do silêncio, isso significa que posso treinar com você hoje.

Jordan apertou os olhos e coçou o couro cabeludo.

-Bom dia para você também -Disse com um bocejo.

-ANDA, LEVANTA!

Mary estava com um sorriso de orelha a orelha, pegou seu uniforme e se trocou rapidamente no banheiro. Escovou os dentes, fez duas tranças nos cabelos ruivos e jogou uma água no rosto para despertar ainda mais.

-TE VEJO NO CAFÉ! -gritou a menina enquanto saia disparada até a cozinha.

-Pelo Anjo… -Resmungou o Lightwood.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...