História Os instrumentos mortais: O reinado. - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Alec, Clace, Clary Fray, Izzy, Jace, Malec, Merlion, Morgenstern, Princesas, Reign, Sabastian Morgenstern, Sebastian Bash, Seelie Queen, Sizzy, Torrance Comboos
Visualizações 35
Palavras 1.341
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


AMÉLIA: vestido azul

ISABELLE: vestido dourado com castanho (não consegui endentificar ainda que cor é 😂)

Capítulo 20 - A visão


Fanfic / Fanfiction Os instrumentos mortais: O reinado. - Capítulo 20 - A visão

20H30

- OI? HARRY? - Amélia o chama ao entrar no cômodo onde Harry ficava.

- Está atrasada. - ele diz ao aparecer com um copo de Whisky em suas mãos.

- Desculpe.

Ele não diz nada, apenas caminhava de um lado para o outro como se estivesse procurando por algo.

- Irá fazer um buraco no chão se continuar desse jeito. - ela diz após alguns segundos em silêncio.

- Muito engraçado Amélia. - ele para de andar ao por sua bebida em cima de algo - Pronta para ver o seu vestido?

- Por favor. - ela gesticula para ele sair da frente - Harry ele é maravilhoso! - Amélia prossegue ao ver o seu vestido pendurado em frente ao enorme espelho.

- Você gostou? Fiquei a tarde todo o preparando. Mas por mais que você tenha gostado esse não é o seu, é o de Isabelle.

- Uau ela vai adorar. - a menina passava suas mãos no longo vestido da morena, era lindo. Era uma cor meio marrom meio dourado, era difícil de descrever mas tinha que admitir que ela realmente adorou o vestido da amiga.

- Não querendo atrapalhar o seu transe pelo vestido, mas este aqui é o seu. - ele aparece em frente de Amélia segurando o enorme vestido.

Ele era tão lindo quanto o de Isabelle. Era azul Royal com alguns degradês da mesma cor, ele era brilhoso e muito comprido, ela se encantou ele.

- Eu não posso. - ela diz o recusando.

- Claro que pode! Ele é seu, foi feito para você, agora o pegue. - Harry o da em suas mãos.

- Não sei nem como te agradecer, ele simplesmente é maravilhoso.

- Me agradeça depois, agora vá se trocar. Não queremos a vossa princesa atrasada para sua grande noite. - ele diz empolgado porém seus olhos diziam outras coisas.

- Você está bem? - Amélia perguntou ao notar a expressão deprimente de Harry.

- Estou. - ele não a encarava.

- Está mentindo!

- Não, não estou.

- Então fale olhando em meus olhos!

Relutantemente, Harry tentava demonstrar parecer que estava o máximo possível feliz e satisfeito, porém, não pode se conter ao encarar os predatórios olhos de Amélia.

- Hoje mais cedo eu tive um certo desentendimento com alguém que eu gosto. - seus olhos estavam cansados e pesavam ainda mais a cada segundo em que estará pensando em Alec.

- E por que? - ela perguntou indo até atrás do biombo para trocar de roupa.

- É complicado.

- Ao menos tente. - ela não estava  sendo curiosa e muito menos se intrometendo, apenas gostará de ajudar seu amigo e isso visível perante ele.

- A algum tempo atrás, uns dois ou três meses mais ou menos, eu comecei a ficar com com uma pessoa, eu não sei ao certo mas ele acabou virando alguém muito especial para mim, e acredite isso é raro de se acontecer.

- E o que que tem?

- Ele quer manter isso em segredo, não quer que ninguém saiba, e eu entendo isso mas ao que parece é que a algo além disso, como se ele estivesse escondendo algo. E agora que a mãe dele está aqui só piorou.

- E esse alguém tem nome? - Amélia pergunta ao aparecer novamente em frente ao menino porém desta vez, com o vestido que Harry lhe dará.

- É melhor nem saber. - ele revira seus olhos mas em seguida os para ao ver Amélia.

- Converse com ele, é o melhor a se fazer.

- Você é a prova viva de que o meu trabalho deveria ser reconhecido mundialmente, sou ótimo nisso. - ele diz se gabando ao olhar bem para Amélia.

- Se essa é sua forma de dizer que estou bonita, muito obrigada. - ela sorria ao tentar disfarçar o quão ruborizada estará.

- Você está muito bonita. - ele sorriu - E aproposito, sem querer faltar respeito com vossa princesa mas acho melhor você tomar um banho! Está cheirando a suor, floresta e comida doce. - prosseguiu.

- Obrigada - Amélia ainda sorria - irei tomar um banho. - Ela estava se preparando para sair do cômodo quando Harry a chamou.

- Espere eu... - ele pegou em seu pulso antes que ela pudesse dar mais algum passo, mas ao toca-la algo acontece, ele sente uma enorme energia se emergindo através dela, um poder enorme que nem ele próprio nunca sentiu. Seus olhos estão vidrados olhando para o nada, Mas Inconscientemente começam a aparecer coisas em sua mente: uma menina de dourado abaixada diante de um trono, uma pessoa ao chão sangrando até a morte, dias escuros e sombrios atordoando o reino mas principalmente, uma mulher cuja a roupa era tão preta e os cabelos tão negros quanto a noite. Essa mulher transmitia o poder do verdadeiro mau, a essência da pura maldade. Essa mulher lutava contra Amélia que travava uma batalha interna contra ela mesma, contra um poder que poderá ser tão puro e divino quanto um anjo mas também tão mau e perverso quanto a mulher que lutará contra ela.

- Terra chamando Harry?! - ela diz ao ver o estado de paralisia do menino.

- Eu... Eu só queria te agradecer - ele gaguejava - obrigado por me escutar. - Harry hesitava a cada palavra pois não conseguia acreditar de que de fato, Seelie estava certa sobre a princesa.

- A disposição. - ela sorria ao fazer um gesto de continência.

- Sinta-se lisonjeada, pois é raro alguém receber um "obrigado" vindo de mim. - ele fala ao tentar parecer o mais normal possível.

✴✴✴

- Aí meu Deus Alberto! O que foi que aconteceu aqui?? - Izzy quase teve um troço ao entrar na cozinha e ver somente a metade dos doces que ela havia pedido para Alberto preparar - Espere o que é isso? - ela diz ao ver seu rosto cortado quando se aproximou do rapaz.

- Não é nada - ele gaguejava - eu só estava sabe, tentando fazer tudo muito rápido e acabei me enrolando e quando vi já estava tudo no chão. - ele tentava não soluçar a cada palavra mal explicada.

- E esse corte em seu rosto?

- Foi um acidente. - ele abaixa seu olhar para tentar se desviar dos olhos negros de Isabelle.

A morena estava com pressa para acabar com todos os preparativos e isso era visível, mas Isabelle conseguiu surpreender tanto ele como ela mesma quando se pronunciou:

- Tudo bem, apenas leve tudo isso para o salão. - seu tom era baixo - E cuide disso, pode inflamar. - ela o toca na bochecha para  tentar limpar o resto do sangue seco.

- AÍ! - ele fala quando ela pega uma pano molhado e põe em cima de seu corte.

- Não conseguirei te ajudar se não parar quieto! - ela diz para ele que não parava de se mexer.

Alguns segundos se passaram e os dois permaneceram em silêncio, Alberto descontraído com o que ela estava fazendo se pronunciou:

- Por que está fazendo isso?

- O que? Te ajudando?

- Você mal fala comigo e agora está me ajudando.

- Se eu ver alguém no estado em que você está é óbvio que eu irei ajudar, e segundo que você achou mesmo que eu iria me esquecer? - o olhar de Alberto estava confuso - Lembra quando tínhamos 8 anos? Eu estava correndo feito uma condenada no meio da terra e acabei caindo. - ela sorriu.

- Aí você cortou seu joelho e começou a chorar, pediu que eu a ajudasse pois não queria que os outros a vissem chorando por um simples corte. - ele sorriu de volta mas em seguida se contraiu ao sentir o corte o machucar.

- Você salvou minha vida naquele dia. - ela continuava sorrindo - Pronto acabamos! - ela põe o pano com sangue em cima da mesa ao terminar de ajudá-lo.

- Obrigado. - ele fala ao olhar em seus olhos.

Ela ficou quieta por alguns instantes, ficou apenas o observando mas em seguida balançou sua cabaça na esperança voltar a realidade.

- Me agradeça quando você por tudo isso lá em cima! - ela não foi grossa mas também não foi dócil como estava sendo antes.

- E ela voltou! - ele diz após Isabelle sair da cozinha o deixando sozinho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...