1. Spirit Fanfics >
  2. Os limites do dever >
  3. Segundo Plano

História Os limites do dever - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


O golden boy apareceu.
Espero que gostem do capítulo. Feito com muito amor.

Capítulo 4 - Segundo Plano


O dia já chegava a sua metade quando Sasuke sentiu os raios de sol queimar sua pele. O moreno viu que havia mais um corpo na cama e a julgar pela cor dos cabelos, já sabia quem era. Era totalmente comum para ele sair das convenções da família real e ir se abrigar nos braços de Mei, ela era uma boa ouvinte e sabia fazer coisas que até Deus duvidava. Sasuke a conheceu em uma das peças luxuosas do grupo que a moça integrava, e por deus, ela era uma mulher espetacular, tinha curvas fartas e um olhar de cigana que fez o jovem se sentir muito atraído.

   Ao conhecer Mei, o moreno pensava apenas em ter seu corpo, pouco interessado em suas origens, o que ela fazia da vida, ou até mesmo seu o nome. Mas com o passar do tempo, nos encontros que tinham, passou a admirar a mulher, não era amor obviamente, mas sentia certo respeito por ela, e de quebra tinha a vantagem de desfrutar das proezas que o corpo dela proporcionava. É claro que a jovem também sabia aproveitar as vantagens que tinha em trepar com o príncipe portador dos genes seculares Blackfeller; era constantemente mimada por ele, seja com jóias, passeios a lugares da alta sociedade, bons vinhos, enfim, tudo que uma mulher merece. Entretanto, nem tudo são flores, ela sabia que uma hora ou outra o caso deles chegaria ao fim. Afinal, Sasuke tinha suas obrigações.

- Você já vai?- Perguntou Mei observando o homem a sua frente procurando suas roupas.

- O dever me chama- Disse sem olhar no rosto da mulher.

   Mei notou que desde a noite passada havia algo errado com Sasuke, ele parecia estar aéreo, e ele não era assim. Não perto dela, sempre deu ao moreno absoluta liberdade para falar sobre qualquer coisa. Ele não era a pessoa mais bem humorada do mundo, mas  Mei fazia de tudo para mudar o temperamento do herdeiro quando estava em sua companhia, nem que fosse a base de algumas doses de whisky.   

- Sas, você sabe que pode sempre se abrir pra mim não é?- Disse a moça de cabelos castanhos levantando da imensa cama que antes ocupavam e se aproximando do rapaz.

-Sei.- Sasuke observou a mulher seminua com um suspiro pesado, ele sabia que aquele assunto não poderia mais esperar, já tinha o adiado por alguns dias e aquilo não era certo. Então encarou a moça e num acesso de coragem fez o que deveria ser feito.- Você está certa.  Eu preciso te dizer algo e talvez você não goste. Eu vou me casar e provavelmente minha noiva já está na minha casa. - Foi o mais direto possível.

- O quê? Como assim? – A moça direcionou um olhar de surpresa para o príncipe. Embora já soubesse que esse dia iria chegar.

- Veja bem, eu também não gostei nada da ideia, tentei negar de todo jeito, briguei muito com meu pai antes de ele ir viajar, mas depois eu entendi que isso não depende de mim, isso vai além de qualquer pessoa, é algo muito maior que todo esse continente, aliás. Desculpe-me.

- E o que isso quer dizer? Acabou tudo entre nós dois? - Mei o encarou esperando por uma resposta.

- Infelizmente sim. Não é certo com você e nem com a princesa.

-Porra, ela é uma princesa? Ah, claro está explicado. Está me trocando por uma dessas ladys, imaculadas e virgens que espera pelo príncipe encantado galopando em um cavalo branco. Mas acontece que essa princesinha está fodida, pois você é o próprio cavalo, Sasuke Blackfeller. - A moça pronunciou o nome do jovem a sua frente com certo desprezo e limpando uma lágrima que escorria em seu rosto.

- Mei eu entendo. Você pode me odiar se quiser, mas essa é minha responsabilidade como príncipe, espero que no futuro você entenda. Você é uma mulher incrível e inteligente  que merece muito mais que encontros às escondidas nas noites com um cara que não pode te dar o amor que você deseja.  

   No fundo Sasuke se sentia um pouco culpado por não se afastar de Mei enquanto podia. Ele soube o exato momento em que a mulher deixou de tratá-lo como apenas mais uma de suas experiências sexuais, começando a desenvolver certos sentimentos por ele. Ele notava. Mas sempre que tentava se afastar,  a mulher dava um outro jeito de envolvê-lo em suas artimanhas. E ele? Ele deixava, a jovem era uma companhia agradável, e,  na cabeça o moreno, ela sabia exatamente onde se metia, visto que, o moreno sempre deixou claro que não foi feito para o amor.

- Eu decido o que eu mereço. Você está sendo precipitado, podemos continuar como sempre estivemos. Você pode se casar com ela e ter um herdeiro, acompanhá-la  em seus compromissos com a corte e quando você tiver um tempo, pode me encontrar e eu te faço esquecer toda essa sobrecarga. Só me dê uma oportunidade, por tudo que a gente viveu. Por favor. – Mei deu um último suspiro, sentindo sua dignidade ir embora naquela hora , mas ela o amava, por ele, faria qualquer coisa.

   Até se lembrou das vezes que Sasuke teve seus casinhos com algumas moças que se diziam puras pelos olhos da sociedade, mas ele sempre voltou para ela, porque ela tinha algo que aquelas menininhas não tinham, ela sabia como prender um homem. Acontece que agora era diferente, algo dizia para ela que aquele caso não era como os anteriores. Não sabia se era a pressão familiar que o fez aceitar as circunstâncias atuais tão rapidamente, ou se ele se via apaixonado por aquela princesa, logo ele que nunca foi de uma só, mas isso não podia ser, ela sabia que Sasuke não a tinha visto.

- Eu sinto muito, mas eu não posso. – Disse saindo do quarto, deixando Mei aos prantos quebrando tudo o que via pela frente.

   Sasuke nunca imaginou que ela reagiria assim, a mulher sempre se mostrou tão racional e segura de si mesmo. Porém,  ele não poderia arriscar tudo por um affair, pela primeira vez na vida ia encarar seus deveres e fazer a vontade de seu pai, não sem alguma resistência é claro. Mas ele era um homem inteligente, sabia da situação atípica em que todos se encontravam. Continuar seu envolvimento  com Mei só iria dificultar as coisas e Sasuke era um homem prático. Ele não queria viver em pé de guerra com sua esposa, pois sabia como mulheres poderiam ser temperamentais. Agora ele teve a prova.

   Quando chegou na residência real, deu de cara com Naruto, ele o considerava seu irmão e sabia que levaria uma bronca por chegar numa hora daquelas e num dia daqueles.

-  A margarida apareceu. – Disse Naruto em tom irônico.

- Naruto, agora não. - Sasuke fez cara de poucos amigos para o loiro.

- Cara, sua prometida já está aí. Você deveria estar presente para receber ela, Karin fez seu trabalho, e aposto que já envenenou a garota contra nós.

- Você tem que aprender a controlar sua garota, irmão. - Sasuke disse debochando de Naruto, pois sabia exatamente qual era a real situação dos dois.

- Cara, acho que Karin nunca vai esquecer aquela merda, ela me trata como se eu fosse o pão que o próprio Érys amassou com a bunda. Mas isso não é relevante agora. Você precisa ver a princesa, ela é mais linda do que a corte sulista relata. Se eu já vi mais formosa não me recordo.

- Tá, que seja. Mas realmente duvido, a beleza dela deve ser tão comum quanto as moças daqui da capital. – Disse Sasuke pouco interessado.

- Te garanto que não, pasme, ela tem cabelos cor de rosa.

- Quê? E isso existe? - Sasuke disse curioso, já adentrando à mansão.

- Mano, a garota é nortenha. Lá é o centro das excentricidades, todos sabem.

   O herdeiro subiu as escadas do palácio a passos rápidos  pois precisava de um banho, Naruto o acompanhou tagarelando sobre como o norte é bonito e diferente.  Também externou sobre como estava orgulhoso da decisão do moreno, ele sabia da relação de Mei com o amigo, e não que ele não gostasse da mulher, mas Sasuke sempre a usava como válvula de escape para fugir de seus deveres, e sinceramente esperava que o rapaz  se dedicasse mais a coroa, atenuando seu relacionamento com seu pai, pois Naruto estava longe do seu há algum tempo e sabia o quanto era ruim.

   Já estava na hora do jantar quando Sasuke e Naruto desceram para o salão, o rei Fugaku já estava presente e então seu filho o fitou, com o olhar confiante de quem fez o que era esperado.

-A menina já vai descer e eu acho bom você tratá-la como a princesa que ela é. – Disse o rei Fugaku enquanto dava uma garfada no seu frango assado, direcionando o olhar para sasuke.

    O mais novo pigarreou, ele não podia negar sua curiosidade em relação à Sakura, afinal a moça seria a mãe de seus herdeiros e ele rezava internamente para que Naruto estivesse certo em relação a sua beleza. E não só isso, pedia a todos os deuses que ela não fosse uma mulher chata, para que o fardo do casamento fosse ao menos mais suportável. Estava no meio de suas brincadeiras com Naruto quando viu as jovens entrarem na grande sala. Pelos céus, a herdeira nortenha era mais bonita do que Naruto mencionou, com exceção dos cabelos que eram tão negros quanto o dos Blackfellers. Os olhos verdes da princesa tinham um "quê" de mistério. Ela tinha uma estatura relativamente alta, era possuidora de muitas curvas, e tinha lábios carnudos rosados;  dela fluía certo ar de inocência. Parecia até uma visão do paraíso, Sasuke de fato nunca tinha visto uma mulher assim, e conforme o jantar se desenvolvia ele a analisava, e sempre se repreendia em seu interior por imaginar coisas sujas com a moça.

 


Notas Finais


Não se esqueça de deixar o que está achando da fic nos comentários. Alguma teoria?
quero pedir desculpas pela formatação e pela escrita, prometo melhorar, meus leitores. S2 tenham paciência com a gatinha aqui kkkkk Sei que já falei das características físicas de sakura no cap II, mas achei interessante trazer na visão de Sasuke.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...